Paraguai sinaliza aceitar inclusão de Venezuela no Mercosul


Frederico Franco

Frederico Franco. Foto: n.i.

Sem Chávez, Paraguai sinaliza aceitar inclusão de Venezuela no Mercosul

Opera Mundi – 08/03/2013 – por Vitor Sion

O presidente do Paraguai, Federico Franco, sinalizou pela primeira vez, nesta sexta-feira (08/03), que poderá aceitar o ingresso da Venezuela no Mercosul. Segundo Franco, com a morte de Hugo Chávez, há uma nova realidade a ser debatida no bloco regional.

“Vamos escutar as propostas que possam surgir”, afirmou o presidente paraguaio, que, na terça-feira (05/03), havia emitido um comunicado com “as mais sentidas condolências” ao povo venezuelano. “Esperamos trabalhar com o novo governo venezuelano de forma absolutamente profissional, responsável, sem ingerências nos assuntos internos de outros países.”

A Venezuela se tornou membro pleno do Mercosul em julho de 2012, pouco mais de um mês depois que o Paraguai foi suspenso do bloco, em decorrência da destituição do presidente Fernando Lugo. Até então, a entrada da Venezuela dependia apenas da aprovação do Congresso paraguaio, o que deixou de ser necessário com a suspensão do país.

O governo paraguaio, no entanto, não aceitou essa decisão, tomada por Brasil, Argentina e Uruguai, e insistia que seu Congresso ainda deveria ser consultado. Apesar da inclusão da Venezuela ser definitiva, o Paraguai poderia optar por deixar o bloco, caso discordasse da incorporação do novo sócio.

Ainda que a declaração de Franco mostre que o país poderá flexibilizar sua reivindicação, há setores econômicos que defendem a saída do Mercosul. Questionado sobre isso nesta sexta-feira, o mandatário falou que o tema “será visto daqui a pouco”.

Na véspera do golpe de Estado contra Lugo, um grupo de chanceleres sul-americanos foi enviado para Assunção com o objetivo de tentar, ao menos, aumentar o prazo de defesa do presidente em seu julgamento político. A iniciativa não deu certo e o governo de Franco fez duras críticas à postura de Nicolás Maduro, então chanceler e atual presidente interino da Venezuela.

Maduro chegou a ser classificado como “persona non grata” no país devido à acusação de que teria tentado mobilizar o Exército paraguaio em favor de Lugo.

As relações do Paraguai com seus vizinhos e sua permanência no Mercosul estão entre os temas centrais das eleições presidenciais do país, que serão realizadas em 21 de abril. O colorado Horacio Cartes é o favorito para vencer o pleito.

Fonte: http://operamundi.uol.com.br/conteudo/noticias/27679/sem+chavez+paraguai+sinaliza+aceitar+inclusao+de+venezuela+no+mercosul.shtml

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s