Afeganistão

Atentados no Afeganistão deixam mais de 23 mortos


Nesta segunda-feira (20/06), pelo menos 23 pessoas morreram no Afeganistão após uma série de atentados terroristas. Duas explosões ocorreram na capital Cabul. Uma deixou 14 mortos -todos nepaleses que trabalhavam como seguranças na embaixada canadense-. Outra matou um segurança e tinha como um alvo um político local, que ficou ferido. O Talibã assumiu a autoria dos dois atentados. Uma terceira bomba explodiu na província de Badakhshan, causando pelo menos 8 vítimas fatais. O Talibã afirmou que não foi responsável por este ataque.

Foto: EPA

Forças do Afeganistão e do Paquistão trocam tiros na fronteira


Neste domingo (12/06), forças do Afeganistão e do Paquistão trocaram tiros na fronteira entre os dois países. O incidente ocorreu no entreposto de Torkham, o mais movimentado da fronteira entre os dois países, com 15 mil pessoas o cruzando diariamente. A mídia afegã afirma que não houve nenhuma morte. A relações entre os dois países está tensa, com o Afeganistão acusando o Paquistão de acolher militantes extremistas em seu território. Islamabad também impôs um procedimento mais rigoroso para a obtenção de vistos para entrar em território paquistanês, o que desagradou o governo afegão.

Foto: Sgt. Ryan Matson (U.S. Armed Forces)

Líder do Talibã é morto em ataque aéreo dos EUA no Paquistão


Nesta segunda-feira (23/05), o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, confirmou a morte do líder do Talibã. Akhtar Mansour foi morto em um ataque aéreo realizado no sábado (21/05) por um drone dos EUA na fronteira com o Paquistão. Obama pediu que o Talibã se una às conversas de paz. A morte de Mansour deve desencadear uma nova disputa pela liderança do grupo. O Paquistão afirmou que o ataque dos EUA violou sua soberania, já que foi realizado em seu território e sem aviso prévio.

Foto: AFP

 

Afeganistão anuncia acordo de paz com grupo militante Hezb-e-Islami


Nesta quarta-feira (18/05), o Afeganistão anunciou um acordo de paz com o grupo militante Hezb-e-Islami. Este é o segundo maior grupo insurgente do país, apenas atrás do Talibã. Acordo deve ser assinado nos próximos 30 dias. Entre as medidas acordadas, estão: a retirada do Hezb-e-Islami da lista negra de organizações terroristas e das sanções da Organização das Nações Unidas e dos Estados Unidos; libertação de presos ligados ao grupo; repatriação de seus refugiados. O grupo militante abriu mão de sua posição firme contra a presença de forças estrangeiras no país, aceitando somente as “boas-vindas à retirada de tropas estrangeiras” no acordo.

Foto: H. Sabawoon / Anadolu Agency / picture-alliance

Ataque suicida do Talibã deixa pelo menos 28 mortos em Cabul


Nesta terça-feira (19/04), um ataque suicida deixou pelo menos 28 mortos e 327 feridos no centro de Cabul, capital do Afeganistão. O Talibã assumiu a autoria do atentado. O grupo explodiu um caminhão em frente a uma agência de segurança do governo e depois a invadiu, trocando tiros com as forças governamentais.

Foto: Rahmat Gul / AP

 

Índia anuncia acesso ao Afeganistão por porto no Irã


O Afeganistão, o Irã e a Índia finalizaram neste domingo (17/04) o “Acordo Chabahar”, que deve dar o acesso indiano ao Afeganistão pelo porto iraniano. O anúncio se deu após visita da ministra de Relações Exteriores indiana, Sushma Swaraj, à Teerã. Segundo Swaraj, acesso ao porto de Chabahar vai permitir uma maior integração regional e estimular o crescimento econômico do Afeganistão. Nova Deli também pretende financiar uma ferrovia conectando o porto e diversas cidades iranianas. O acordo deve ser assinado ainda este ano em visita do primeiro-ministro indiano Narendra Modi ao Irã.

Foto: MEAIndia

Talibã inicia ofensiva contra Kunduz


O Talibã lançou uma grande ofensiva na província de Kunduz, no Afeganistão, nesta quinta-feira (14/04). Diversos ataques foram realizados contra forças do governo em diversos distritos, inclusive contra a capital de Kunduz. Apesar de alguns postos e estradas tomados pelo grupo, autoridades afegãs afirmaram que a situação está sob controle.

Imagem: Al Jazeera

Número de vítimas civis no Afeganistão bate novo recorde em 2015


Em relatório publicado neste domingo (14/02), a ONU afirmou que o número de civis mortos ou feridos no Afeganistão em 2015 bateu o recorde pelo sétimo ano seguido, atingindo o número de 11 mil, 4% maior que o ano anterior. Cerca de 3.545 foram fatalidades, inclusive grande número de mulheres e crianças. Relatório afirma que a luta entre as forças do governo e grupos insurgentes, principalmente o Talibã, são os principais responsáveis pelo número de vítimas.

019001373_40400

Foto: Imago.

Talibã ataca infraestrutura de energia entre Afeganistão e Uzbequistão


Nesta terça-feira (26/01), o Talibã explodiu uma linha de transmissão de energia elétrica que conectava Uzbequistão à capital do Afeganistão, Cabul. O ataque teria sido uma reação à uma grande operação realizada por Forças de segurança do país para retomar territórios controlados pelo grupo. Assim, foi demonstrada a vulnerabilidade da infraestrutura energética afegã, principalmente suas conexões com a Ásia Central.

thediplomat_2016-01-26_21-17-34-386x257

Foto: Wikimedia Commons / Igor.

EUA autoriza uso da força contra EI no Afeganistão


O governo dos Estados Unidos autorizou suas forças a atacar militantes do grupo “Estado Islâmico” (EI) no Afeganistão, permitindo assim a intensificação da luta contra o EI no país. Antes, as tropas estadunidenses podiam usar a força somente contra a Al Qaeda ou para ajudar os militares afegãos.

56a06d7ec46188316a8b459b

Foto: Omar Sobhani / Reuters.

Afeganistão recebe primeiros Super Tucanos


Após diversos atrasos, a Força Aérea do Afeganistão recebeu, na última sexta-feira (15/01), os primeiros quatro A-29 Super Tucano dos 20 encomendados. Todos os aviões devem ser entregues até 2018. Os A-29 possuem enormes vantagens sobre outros modelos, principalmente na sua eficiência em operações contra insurgências e economia de recursos financeiros.

thediplomat_2016-01-19_12-04-25-386x217

Foto: USAF.

Nova rodada de negociações de paz para o Afeganistão


A segunda de rodadas de conversas para conseguir a paz no Afeganistão teve início nesta segunda-feira (18/01) em Cabul, capital afegã. Delegações da China, Paquistão, Estados Unidos e do Afeganistão marcaram presença. O governo afegão instou o Talibã a participar das negociações para resolver o conflito no país diplomaticamente, porém o grupo não mandou representantes.

8b45668d-6c88-440a-9a6d-9f1012b2d0fe_w640_r1_s

Foto: Mohammad Alf Ludin / RFE/RL.

Dois atentados terroristas em Jalalabad no Afeganistão


A cidade afegã de Jalalabad foi vítima de dois atentados terroristas na última semana. Na quarta-feira (13/01), um ataque ao consulado paquistanês da cidade deixou dez mortos, três terroristas e sete membros das forças de segurança afegãs. O grupo “Estado Islâmico” assumiu a responsabilidade. Já no domingo (17/01), um homem-bomba causou 14 mortes em uma reunião de líderes tribais. O Talibã negou envolvimento neste último.

Foto: AP.

Paquistão sedia conversas de paz quadrilaterais sobre relação com Talibã


Nesta segunda-feira (11/01), oficiais chineses, estadunidenses, paquistaneses e afegãos participaram de conversas para conseguir a paz entre o Afeganistão e o grupo Talibã, que não enviou representantes. Evento foi sediado pelo Paquistão. Os países pediram a paz entre o governo afegão e o Talibã, a fim de garantir a integridade territorial e a soberania do país.

Foto: EPA.

Premiê da Índia visita Paquistão e Afeganistão


O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, realizou uma visita surpresa ao Paquistão, a primeira de um chefe de governo indiano desde 2004. Modi teve um encontro de cerca de duas horas com o primeiro-ministro paquistanês, Nawaz Sharif. Antes da visita, Modi esteve na capital do Afeganistão, Cabul, onde inaugurou o novo prédio do parlamento do país, construído com ajuda da Índia.

018942313_30300

Foto: picture-alliance / dpa / Press Information Bureau.

Secretário de Defesa dos EUA visita Afeganistão


O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Ashton Carter, visitou o Afeganistão nesta sexta-feira (18/12). Carter planeja se encontrar com as tropas estadunidenses, comandantes militares e autoridades afegãs. Visita se dá em meio ao avanço do Talibã e reveses do governo afegão, bem como de um novo aumento do papel de Washington no conflito no país.

Secretário de Defesa dos Estados Unidos, Ash Carter, durante encontro no Pentágono, Washington

Foto: Reuters / Kevin Lamarque.

EUA aumenta presença de tropas especiais no Afeganistão


Segundo fontes ocidentais e afegãs, as forças de Operações Especiais dos Estados Unidos tomaram maiores responsabilidades no combate ao Talibã na província de Helmand, no Afeganistão. Maior apoio aéreo e mais soldados foram enviados para a batalha pela província, que está sendo conquistada pelo grupo. O aumento do apoio é mantido de forma secreta pelo governo dos EUA, já que este havia se comprometido de não mais envolver suas tropas em combate após 2014.

sub-helmand-master675

Foto: Noor Mohammad / AFP / Getty Images.

Talibã ataca bairro de embaixadas na capital do Afeganistão


Nesta sexta-feira (11/12), um carro-bomba explodiu perto da Embaixada da Espanha em Kabul, capital do Afeganistão, e deixou pelo menos uma pessoa morta e outras sete feridas. A explosão foi sentida em vários prédios do bairro, que concentra instalações governamentais afegãs e embaixadas. O movimento extremista Talibã reivindicou o ataque, o qual reduz as chances de que negociações de paz cosingo sejam retomadas.

Foto: picture-alliance / dpa / J. Jalali.

O aprofundamento das relações entre Índia e Afeganistão


Em artigo publicado na revista The Diplomat (24/11), Ankit Panda analisa o fracasso da aproximação do Afeganistão com o Paquistão e a recente aproximação estratégica de Cabul com a Índia. Nova Deli pode ser um importante parceiro dos afegãos na estabilização do país. Isso poderia beneficiar os Estados Unidos, que estenderam sua permanência em território afegão devido a novas insurgências.

thediplomat_2015-11-24_00-11-05-386x303

Foto: Flickr / MEAPhotogallery.

Talibã promete intensificar ataques contra soldados dos EUA


Um dia após o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciar o prolongamento de militares no Afeganistão até 2017, o Talibã pediu na última sexta-feira (16/10) a seus combatentes que intensifiquem ataques contra estadunidenses no país. Segundo o jornal The New York Times, o movimento fundamentalista já domina entre um quinto e metade do território do Afeganistão, a maior porção desde 2001. Confira aqui os mapas publicados no jornal NYT explicando a situação.

Soldados da OTAN em Cabul. Foto: Efe.

EUA estende presença militar no Afeganistão até 2017


O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou na quinta-feira (15/10) o prolongamento da presença militar do país no Afeganistão até 2017. Plano, em resposta à crescente presença do Talibã e do “Estado Islâmico” no país, ainda prevê a redução do número de pessoal de 9.800 para 5.500, que manterão funções de treinamento de forças locais e de operações de combate ao terrorismo. Medida é considerada uma reversão do discurso de Obama, que foi eleito prometendo encerrar a participação estadunidense no conflito.

Foto: Tech. Sgt. Joseph Swafford/Air Force

“Estado Islâmico” no Afeganistão


Em artigo publicado no jornal The New York TimesMujib Mashal relata a atual presença do autodenominado “Estado Islâmico” (EI) no Afeganistão, onde tem lutado contra as forças do Talibã e consolidado sua presença. O EI no país é composto em grande parte por ex-membros do Talibã e de jovens que procuram uma fonte de renda  na nação atingida pela guerra. Os Estados Unidos já realizam ataques com drones em cooperação com o governo contra alvos do grupo fundamentalista.

Mapa: The Long War Journal.

ONG Médicos Sem Fronteiras pede investigação sem precedentes contra os EUA


A organização não governamental Médicos Sem Fronteiras, que teve um de seus hospitais no Afeganistão atingidos por um bombardeio estadunidense, pediu uma investigação sem precedentes para o que chamou de “crime de guerra”. A ONG já enviou cartas para diversos países pedindo o apoio para responsabilizar os Estados Unidos sob a Convenção de Genebra.

Foto: Ton Koene / MSF.

Talibã ainda pode retomar o poder no Afeganistão


M. K. Bhadrakumar analisa a possibilidade do Talibã retomar o poder no Afeganistão, com base em acontecimentos recentes. O grupo abriu novas frentes no norte do país e já tomaram pontos estratégicos, como a cidade de Kunduz, que foi reconquistada por forças do governo mas ainda é ameaçada. A ausência do Estado em diversas regiões e a corrupção generalizada levam a crer que forças do governo, sem o apoio militar dos EUA, não suportariam por muito tempo uma ofensiva do Talibã.

Imagem: The New York Times.

Bombardeio dos EUA atinge hospital dos MSF no Afeganistão


Após hospital da organização Médicos Sem Fronteiras (MSF) ser atingido em Kunduz no Afeganistão, os Estados Unidos reconheceram neste sábado (03/10) que podem ter causado “danos colaterais” e que foi aberta uma investigação. De acordo com a ONG MSF, pelo menos nove dos dezesseis mortos são membros da organização humanitária, assim como 19 dos 37 feridos. A entidade ainda afirma que tanto Cabul quanto Washington sabiam da localização do hospital.

Foto: picture-alliance / AP Photo / Médicins Sans Frontiéres.

Super Tucano seria a melhor escolha para o Afeganistão


Em artigo publicado no site Motherboard, John Ismay, Adrian Bonenberger e Damien Spleeters analisam a utilidade do A-29 Super Tucano nas operações dos Estados Unidos no Afeganistão. Avião que combina baixa com alta tecnologia é melhor para o tipo de atuação na região, já que a alta (e cara) tecnologia estadunidense tem se mostrado ineficaz no combate aos insurgentes.

Foto: Embraer

Forças afegãs expulsam Talibã de Kunduz


Nesta quinta-feira (01/10), o governo afegão anunciou que suas forças retomaram grande parte da cidade de Kunduz, que havia sido tomada pelo Talibã no dia 28/09. Os extremistas, porém, afirmam que ainda detêm a maior parte da cidade. A ação contou com a presença de tropas internacionais que prestavam assistência, e entraram em combate direto com as forças fundamentalistas após emboscada.

Mapa: News Flow24

EUA envia soldados para ajudar na retomada de cidade no Afeganistão


Soldados de Operações Especiais e conselheiros militares foram enviados pelos EUA para ajudar forças afegãs na retomada da cidade de Kunduz, que foi conquistada por milícias Talibãs. É a primeira capital de província do país a cair nas mãos do grupo, que foi retirado do poder em 2001. Após emboscada, forças estadunidenses entraram diretamente em conflito com a milícia.

A crescente parceria entre Índia e Afeganistão


Em artigo publicado na revista The Diplomat na semana passada, o diplomata afegão M. Ashraf Haidari analisa a recente e crescente cooperação entre a Índia e o Afeganistão. Haidari nota como Nova Delhi tem tido um importante papel em diversas áreas, como democratização, instituicionalização e infraestrutura, ajudando no desenvolvimento do governo de Cabul.

Foto: The Diplomat Magazine.

Morte de mulá Omar põe em risco processo de paz no Afeganistão


Talibãs afegãos confirmaram nesta quinta-feira (30/07) em comunicado oficial a morte do mulá Omar, líder do grupo que deu abrigo à Al Qaeda no período anterior ao ataque de 11 de setembro e que se recusou a entregar Osama Bin Laden aos EUA. Pouco antes do anúncio, o governo do Paquistão havia confirmado o adiantamento da segunda rodada de negociações de paz entre Cabul e os talibãs, momento em que ambos os lados debateriam a viabilidade de um cessar-fogo. Dessa forma, a morte do líder ameaça o processo de paz no Afeganistão pela possibilidade de um racha no Talibã, podendo um dos lados estar disposto a auxiliar a organização que luta pelo estabelecimento do “Estado Islâmico”.

Foto: PTI.

Foto: PTI.