América Latina

11ª Cúpula da Aliança do Pacífico ocorre no Chile


Na última terça-feira (29/06), teve início a 11ª Cúpula da Aliança do Pacífico, reunindo os Chefes de Estado dos quatro países membros (Chile, Peru, Colômbia e México) e de dois países observadores (Argentina e Costa Rica). Na ocasião, o chanceler chileno Heraldo Muñoz celebrou a visita dos recém-eleitos Maurício Macri, da Argentina, e Pedro Pablo Kuczynski, do Peru como atores importantes para promoção dessa iniciativa regional. Já o presidente argentino pretende criar mais vínculos do Mercosul com a Aliança, a qual também deve se tornar uma área de livre comércio na América Latina.

Presidentes da Aliança do Pacífico. Foto: Nodal.

Anúncios

Navio cargueiro chinês inaugura Canal do Panamá expandido


O Canal do Panamá expandido foi inaugurado neste domingo (26/06) com a passagem de um navio cargueiro gigante da China. Aproximadamente 30 mil pessoas compareceram às festividades da inauguração da expansão do canal, a qual custou cerca de 5 bilhões de dólares e levou nove anos para ser concluída. A ampliação permite que navios maiores, os chamados supercargueiros, atravessem o canal, que une o oceano Atlântico ao Pacífico.

Foto: AP via BBC.

A política externa do México de 1970 a 1994: entre o estado desenvolvimentista e o estado neoliberal


Confira aqui a monografia do pesquisador do ISAPE, Diogo Ives de Quadros, sobre a política externa mexicana entre 1970 e 1994. O trabalho usa os conceitos de paradigmas de Estado formulados por Amado Cervo para analisar a trajetória do México no período e explicar por que houve uma significativa alteração em sua política externa dos anos 70 para os 90. O Estado mexicano teria passado de desenvolvimentista para neoliberal, em grande medida, por constrangimentos econômicos criados pela reprodução do capitalismo na América Latina em combinação com decisões da elite política local. Porém, o quadro de análise proposto se mostra insuficiente para explicar as ações externas mexicanas no âmbito securitário.

Imagem: MexicoXport.

Comissão Interamericana de Diretos Humanos passa por grave crise financeira


Nesta segunda-feira (23/05), a Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) anunciou que passa por uma grave crise financeira, o que deve afetar sua atuação. A entidade urge que países membros da OEA e possíveis doadores enviem recursos para manter o funcionamento pleno. A CIDH corre o risco de ter de demitir 40% dos funcionários, de cancelar inúmeras sessões e visitas e não possuir mais a capacidade de cumprir com sua função, o que representaria um retrocesso na atuação da organização nos últimos 30 anos.

Foto: Daniel Cima / CIDH

Mujica critica Maduro: “louco como uma cabra”


Nesta quarta-feira (18/05), o ex-presidente do Uruguai, José Mujica, criticou o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, ao afirmar que trocas de farpas não vão resolver a crise venezuelana. “Tenho grande respeito por Maduro, mas isso não impede que eu lhe diga que está louco, louco como uma cabra”, disse Mujica à imprensa. O uruguaio fez referência ao recente episódio em que Maduro criticou o secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, ex-ministro de Mujica.

Foto: E. Mastrascusa / dpa / picture-alliance via DW.

A instabilidade presidencial da América Latina: 14 governos interrompidos em 30 anos


Em artigo publicado na Folha de S. Paulo (15/05), Luiza Olmedo, pesquisadora associada do ISAPE, discorre sobre a instabilidade política na América Latina. 14 presidentes da América Latina não concluíram seus mandatos nos últimos 30 anos. Dos 14, sete foram destituídos no Congresso, por meio do impeachment. Mecanismo estaria muitas vezes sendo utilizado erroneamente com motivos políticos, e não com base jurídica. Segundo especialistas, as causas da instabilidade dos governos de presidentes são os mesmos que levaram aos golpes militares na região no século passado: recessão econômica e protestos sociais.

Foto: Zeca Ribeiro / Câmara dos Deputados

Colômbia aprova o casamento entre casais do mesmo sexo


Nesta quinta-feira (07/04), a Corte Constitucional da Colômbia aprovou o casamento entre casais do mesmo sexo. Colômbia é o quarto país latino-americano a tomar a decisão, seguindo o Uruguai, o Brasil e a Argentina. Em novembro, o país já havia aprovado a adoção para casais do mesmo sexo.

Foto: Eitan Abramovich / AFP

Por que a percepção dos EUA na América Latina varia tanto?


Confira aqui o artigo publicado pela The Economist (19/03) que analisa a percepção latino-americana dos Estados Unidos. As opiniões sobre o país norte-americano variam muito de país para país, mas tendências históricas, políticas e econômicas podem ser percebidas. Dados do Latinobarómetro apontam que a média de aprovação de Washington na região variou de 36% em 1996 para 79% em 2009. O artigo associa esta variação ao aumento de investimento e oo enriquecimento dos países latino-americanos no período.

Imagem: The Economist

CEPAL afirma que reforma tributária é essencial para reduzir desigualdade na América Latina


A secretária executiva da Comissão Econômica para a América Latina (CEPAL), Alicia Bárcena, e a diretora executiva da Oxfam Internacional, Winnie Byanyima, criticaram durante o Fórum Econômico Mundial, em Davos, a crescente desigualdade na América Latina, que é a maior do mundo. Para combater a desigualdade, elas propuseram a reforma tributária, a redução de benefícios para multinacionais que impedem o crescimento de empresas domésticas, e o controle da evasão e elisão de impostos.

22588504405_97ff00def4_k

Foto: Giulian Frisoni / Flickr / CC.

Dilma pede cooperação regional contra o zika vírus


A presidente do Brasil, Dilma Rousseff, nesta quarta-feira (27/01), pediu aos membros da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC) uma estratégia regional para combater o vírus zika. Rousseff ainda anunciou que os ministros da Saúde do Mercosul realizarão uma reunião na próxima semana para tratar do assunto.

aec9a0ed-4b60-4535-a7a0-ff2076d325b3

Foto: Roberto Stuckert Filho / PR.

México afirma que “El Chapo” será extraditado em breve


O presidente mexicano Enrique Peña Nieto afirmou na última sexta-feira (22/01) que o processo de extradição do narcotraficante Joaquín Guzmán Loera, conhecido como “El Chapo”, para os EUA será realizado o mais rápido possível. Medida mostra uma mudança em relação à política anterior do governo de evitar a extradição.

1453476321_674338_1453476597_noticia_normal_recorte1

Foto: EFE.

Governo da Colômbia e FARC pedem missão da ONU para monitorar desarmamento


Nesta terça-feira (19/01), o governo colombiano e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) solicitaram às Nações Unidas uma missão de monitoramento para verificar o processo de desarmamento de ambos os lados, parte do processo de paz no país, o qual deve ser concluído ainda este ano. O pedido junto ao Conselho de Segurança da ONU ainda especifica que os inspetores, desarmados e provenientes de países latino-americanos, observem o cessar-fogo por cerca de um ano.

Foto: Ernesto Mastrascusa / Efe.

Após recaptura, México inicia processo de extradição de “El Chapo” para os EUA


A Procuradoria-Geral da República do México anunciou, neste sábado (09/01), o início do processo de extradição do traficante Joaquín “el Chapo” Guzmán para os Estados Unidos. Processo tem várias etapas e deve ser longo. O traficante foi preso na última sexta-feira (08/01) pelas autoridades mexicanas. “El Chapo” estava foragido desde julho de 2015, quando fugiu de uma prisão de segurança máxima.

018968611_30300

Foto: Reuters / E. Garrido.

Guatemala prende 14 militares por violações de direitos humanos em conflito civil


Autoridades da Guatemala prenderam 14 ex-oficiais militares que cometeram violações de direitos humanos durante o conflito civil que assolou o país por 36 anos, finalizada em 1996. As detenções seriam principalmente em razão do desaparecimento de 588 pessoas entre 1981 e 1988. Centenas de corpos — principalmente de indígenas — já foram achados em covas coletivas perto de bases militares em outras investigações no país.

87519380_030798572-1

Foto: AP.

Porto Rico não paga dívida pela segunda vez em cinco meses


Nesta segunda-feira (04/01), Porto Rico não realizou o pagamento da dívida previsto, cerca de US$ 174 milhões, pela segunda vez em cinco meses. Mesmo com diversas transferências de fundos entre os órgãos do governo para conseguir dinheiro, não se atingiu a meta. A dívida total do território dos Estados Unidos chega a mais de US$ 72 bilhões. Governo da ilha agora busca ajuda do Congresso estadunidense.

05db-rico-articlelarge

Foto: Israel Gonzalez Martin.

Parceria com a China pode impulsionar economia da América Latina


O Relatório Perspectivas Econômicas da América Latina 2016, divulgado este mês (11/12) e produzido conjuntamente entre o Centro de Desenvolvimento da OCDE, a Comissão da ONU para a América Latina e o Caribe (CEPAL) e o Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF) aponta para uma parceria reforçada entre a América Latina e a China. A evolução da participação chinesa nas cadeias de valor global latino-americanas tem sido notável e ultrapassou, até mesmo, as participações intrarregionais. A nova situação do país asiático representa uma oportunidade para a estratégia de desenvolvimento da região.

1813627310_3aac173d76_b

Foto: Flickr / Rose Davies.

México aprova a primeira vacina contra a dengue


O México anunciou nesta quarta-feira (09/12) que aprovou a utilização da primeira vacina do mundo contra a dengue. 40 mil pessoas devem ser vacinadas na fase inicial com produto desenvolvido pela empresa francesa Sanofi. Doença transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti afeta cerca de 400 milhões de pessoas pelo mundo, segundo a OMS, especialmente em países em desenvolvimento.

Foto: AFP.

Primeira reunião de partidos políticos China-CELAC


Desde terça-feira (08/12), ocorre em Pequim, capital da China, o primeiro Fórum de Partidos Políticos China-CELAC (Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos). Representantes dos 33 países do bloco latino-americano estão presentes, além do Partido Comunista Chinês. O encontro visa ao reforço da integração inter-regional e da cooperação para o desenvolvimento e inovação. O Fórum procura estabelecer um mecanismo multilateral de alto nível para que os partidos latino-americanos e caribenhos e chineses superem diferenças ideológicas para debater temas estratégicos.

Foto: Vice-Presidência do Equador.

Fim do ciclo progressista na América Latina?


Em artigo traduzido e publicado no Outras Palavras, Alejandro Mantilla Q. discute a ideia do fim de ciclo de governos progressistas na América Latina, reforçada com a vitória de Maurício Macri nas eleições presidenciais argentinas. Essa tese é reforçada pelas tendências regionais de dificuldades governamentais, guinadas à direita, tendências à moderação, distância em relação aos movimentos sociais e um panorama internacional adverso.

presidentes de esquerda sul-americanos

Foto: n.i.

Eleições ocorrem sem problemas no Haiti e na Costa do Marfim


Na segunda-feira (26/10), a Organização das Nações Unidas (ONU) informou que as eleições de domingo (25/10) no Haiti e na Costa do Marfim foram pacíficas. O porta-voz da organização, Stephane Dujarric, afirmou que as zonas eleitorais haitianas abriram e fecharam no horário determinado, com poucas ocorrências. Já na Costa do Marfim, Dujarric disse que a situação permaneceu pacífica durante todo o dia, com alguns pequenos incidentes na região oeste. Em ambos os países as eleições foram organizadas com cooperação das Nações Unidas.

Foto: UNOCI.

Argentina, Haiti e Guatemala têm eleições presidenciais neste domingo


Os eleitores de Argentina, Haiti e Guatemala vão às urnas neste domingo (25/10) escolher seus próximos presidentes. Na Argentina, o candidato governista, Daniel Scioli, é o favorito. Já no Haiti, há mais de 50 candidatos e o pleito é imprevisível. Na Guatemala, o comediante Jimmy Morales é o favorito, semanas depois da renúncia e prisão do presidente Otto Molina.

Scioli. Foto: Daniel Vides / NA / AFP.

(mais…)

Vitórias e desafios do movimento LGBT na América Latina


Um artigo publicado na revista The Economist (10/10) analisa as recentes vitórias e os desafios do movimento LGBT na América Latina, que se tornou o mais bem-sucedido do mundo, ultrapassando a Europa. O movimento conseguiu direitos, como o casamento, nos últimos cinco anos, vencendo obstáculos religiosos e culturais. Apesar disso, ainda encontra resistência, principalmente em regiões mais pobres e/ou com maior força de igrejas.

Imagem: Lo Cole

Presidente gutemalteca é preso horas após renúncia


Horas após ter anunciado sua renúncia, o presidente da Guatemala, Otto Pérez Molina, foi conduzido à prisão por suspeita de participação em escândalo de corrupção. O seu aprisionamento, cautelar, deve durar até que haja julgamento. Medida acontece pela primeira vez na história da nação centro-americana, causando mudanças bruscas nos rumos políticos do país.

Foto: Johan Ordonez / AFP / Getty Images.

Na Guatemala, presidente renuncia após escândalo de corrupção


O presidente da Guatemala, Otto Pérez Molina, renunciou nesta quinta-feira (03/09) após suposto envolvimento em um escândalo de corrupção que prejudicou seu governo e levou o país a uma crise poucos dias antes de eleições. Milhares de manifestantes tomaram as ruas da capital, Cidade da Guatemala, e de outras cidades nas últimas semanas pedindo a saída de Molina. Sua carta de renúncia foi assinada no final da quarta-feira e enviada ao Congresso, que deve realizar uma sessão emergencial para entregar o poder ao vice-presidente Alejandro Maldonado, seguindo a Constituição. Molina negou repetidamente quaisquer ações irregulares.

Otto Pérez Molina. Foto: Jorge Dan Lopez / Reuters.

Operação Lava Jato põe em risco negócios brasileiros na América Latina


O andamento da Operação Lava Jato e o número crescente de casos de corrupção possivelmente descobertos colocam em risco a presença da empresa Odebrecht em outros países da América Latina. Auditorias em contratos fechados e a paralisação de algumas obras tem ocorrido na Colômbia, Peru, Equador e Panamá. O vice-presidente da Colômbia, Germán Vargas Llera, afirmou que o estatuto anticorrupção do país andino pode banir a construtora brasileira por até 20 anos caso uma condenação em relação a suborno seja confirmada. Panamá, Peru e Equador têm investigado a empresa para determinar a continuação das obras em seus respectivos países.

Foto: I. Sanogo, AFP, Getty Images.

Foto: I. Sanogo / AFP / Getty Images.

Europeus migram para América Latina em busca de emprego


De acordo com estudo realizado pela Organização Internacional de Migração (OIM), mais europeus têm se mudado para a América Latina e para o Caribe em busca de emprego do que o contrário. O Chile é um dos destinos mais populares, com a presença de aproximadamente 70 mil europeus advindos da União Europeia. Os imigrantes por vezes partem em direção a seus destinos com empregos garantidos, embora milhares também optem por tentar a sortem em empregos de baixa remuneração.

Santiago, capital do Chile. Foto: Y. Levy, Robert Harding World Imagery, Picture Alliance.

Foto: Y. Levy / Robert Harding World Imagery / Picture Alliance.

Suprema Corte do México legaliza casamento gay no país


Depois de vários anos de discussões, a Suprema Corte mexicana legalizou o casamento gay em todo o país nesta semana ao considerar que leis atuais que restringem o casamento a heterossexuais são discriminatórias. A decisão ainda não foi consagrada por legislação, embora vários casais já tenham se casado após a declaração. O país é o terceiro a reconhecer uniões homoafetivas na América Latina, depois da Argentina, do Uruguai e do Brasil.

Foto: Cheros A.C..

Foto: Cheros A.C.

México e UE querem modernizar laços bilaterais


Em uma declaração conjunta lançada em parelelo à cúpula CELAC-UE, o presidente do México, Enrique Peña Nieto, e o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, afirmaram que pretendem modernizar as relações bilaterais do país latino-americano com a União Europeia (UE). Até o final de 2015, devem ser iniciadas negociações para atualizar o acordo de associação e comércio México-UE.

Foto: Ansur.

No México, partido do presidente vence eleições legislativas


No México, o Partido Revolucionário Institucional (PRI), legenda do presidente do país, Enrique Peña Nieto, conquistou maioria simples nas eleições legislativas e estaduais deste domingo (07/06), com cerca de 30% dos votos obtidos, segundo estimativa divulgada pela Justiça Eleitoral do país nesta segunda-feira (08/06). Vítoria do PRI é tida como uma supresa em um processo eleitoral marcado por protestos contra o governo, o qual foi alvo de críticas após o desaparecimento dos 43 estudantes em Iguala, estado de Guerrero, em setembro, além de denúncias de corrupção.

Foto: Getty Images / AFP / A. Estrella.

(mais…)

China e América Latina: um novo modelo de cooperação


No contexto da visita do primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, à América do Sul — especificamente Brasil, Colômbia, Peru e Chile — , a Comissão Econômica da América Latina e Caribe (CEPAL) lançou um documento em que afirma que a próxima conquista latino-americana deve ser a diversificação dos produtos exportados para a potência asiática, visando a trocas em  setores de maior valor agregado e reduzindo a dependência de produtos primários. Já a analista Shannon Tiezzi assevera que a China está consciente desse desafio e procura cooperar com os países da região para que convertam suas pautas de exportação para garantir a sustentabilidade de seu desenvolvimento. Com efeito, a CEPAL afirma que, na medida em que a cooperação com a China ajude a suprimir lacunas regionais em matéria de infraestrutura e logística, o comércio intrarregional latino-americano pode ser estimulado, bem como a formação de cadeias regionais de valor.

Li Keqiang. Foto: Agência Brasil / Marcelo Camargo.