caça

Turquia e Rússia reaproximam-se


Esta semana, a Turquia e a Rússia reaproximaram-se após Ancara ter pedido desculpas por ter abatido um caça russo próximo a fronteira sírio-turca. Em conversa de telefone, o presidente turco, Recep Erdogan, e o presidente russo, Vladimir Putin, concordaram em se encontrar pessoalmente para tratar de restaurar as relações diplomáticas, que estão congeladas desde o incidente.

Imagem: AFP via BBC.

Senado dos EUA discute programa dos caças F-35


Na semana passada, o Comitê de Serviços Armados do Senado dos EUA realizou uma audiência para discutir o programa de desenvolvimento e aquisição dos caças F-35. Os problemas e atrasos do mesmo foram frisados. O senador John McCain, do Partido Republicano, declarou que a história do F-35 tem sido um “escândalo” e uma “tragédia” com relação a prazos, custos e desempenho.

F-35. Foto: Força Aérea dos EUA / Alex Lloyd.

Turquia acusa Rússia de violar seu espaço aéreo novamente


Neste sábado (30/01), a Turquia acusou a Rússia de invadir novamente o seu espaço aéreo e enviou alertas a Moscou pelo “comportamento irresponsável”. O episódio teria ocorrido na sexta-feira (29/01); porém a Rússia negou a acusação e afirmou que Ancara está fazendo “propaganda infundada”.

Foto: Alan wilson / Flickr CC.

Indonésia e Coreia do Sul assinam contrato para desenvolvimento do caça KF-X


Após alguns meses de negociação, na quinta-feira (07/01) a Indonésia assinou com a Coreia do Sul um contrato para desenvolver em conjunto caças de última geração. O acordo, assinado com a Korea Aerospace Industries (KAI), estipula que o Ministério de Defesa indonésio investirá US$ 1,3 bilhão — cerca de 20% do custo do projeto — no caça experimental KF-X/IF-X.

kfx-103_kappa352

Foto: Ankara News.

Japão realizará voo-teste de caça nativo de 5ª geração em fevereiro


O protótipo do primeiro caça de quinta geração construído e desenvolvido pelo Japão, o Mitsubishi ATD-X Shinshin, deve realizar seu primeiro voo em fevereiro deste ano, segundo um órgão de pesquisa do ministério da Defesa. O protótipo integra um projeto de desenvolvimento de um caça de superioridade aérea de quinta geração japonês — denominado F-3 —, que deve começar a ser produzido em 2027. Tóquio começou a desenvolver seu próprio avião após os Estados Unidos rejeitarem a venda de F-22s para o país.

thediplomat_2016-01-04_13-04-07-386x267

Foto: YouTube.

China exibe caça furtivo de 5ª geração J-31


A China exibiu, pela primeira vez no exterior, seu o novo caça furtivo de 5ª geração, o J-31 “Gyrfalcon”. A aeronave está sendo desenvolvida exclusivamente por Beijing e foi mostrada internacionalmente na Dubai Air Show. A China está tentando competir com o caça estadunidense F-35, também ainda em desenvolvimento. Porém, apenas as Forças Armadas chinesas estão em negociações para adquirir a aeronave. Irã e Paquistão demonstraram interesse.

Foto: Wikimedia Commons / Russavia.

Turquia intercepta caça russo sobre seu território


A Turquia anunciou nesta segunda-feira (05/10) que interceptou uma aeronave militar russa que violou seu espaço aéreo no fim de semana. Evento ocorreu próximo à fronteira com a Síria. Instambul, que integra a OTAN, alertou a Rússia sobre as consequências de uma nova invasão, mas afirma que canais com Moscou continuam abertos.

Foto: picture-alliance / dpa / L. Marina.

Síria começa a usar novos caças fornecidos pela Rússia


O governo sírio começou a bombardear posições do auto-proclamado Estado Islâmico com novos caças, fornecidos recentemente pela Rússia. Segundo oficiais dos EUA, além dos aviões, Moscou ainda forneceu helicópteros, artilharia e apoio terrestre ao regime sírio. Bombardeios da coalizão internacional, liderada por Washington, continuaram, mirando o mesmo inimigo.

Foto: RIA Novosti / Igor Zarembo.

Foto: RIA Novosti / Igor Zarembo.

No Canadá, oposição volta-se contra a compra de caças F-35


Em campanha política no Canadá, o líder de oposição Justin Trudeau, do Partido Liberal, anunciou que, caso vencedor nas eleições de outubro, não comprará caças “F-35 Lightning II Joint Strike Fighters” da Lockheed Martin. Embora tenham participação canadense no seu desenvolvimento, os caças têm um custo muito elevado e há falta de transparência no processo, segundo Trudeau, e não valeria a pena comprá-los para reforçar a força aérea do país. Atual governo adiou decisão da compra de novos aviões para depois da eleição.

Foto: Alex Lloyd / 75th Air Base Wing Public Affair.

Futuro caça brasileiro terá capacidade única no Hemisfério Sul


O caça Gripen NG, a ser entregue ao Brasil em 2019 pela Suécia, será o único modelo em todo o Hemisfério Sul a ter a capacidade de realizar o chamado “voo supercruzeiro”. Isso significa poder manter a velocidade supersônica não apenas durante curtos combates aéreos, mas também durante voos de longa duração. As aeronaves poderão viajar para qualquer região do País a velocidades supersônicas. O alcance será de 4 mil quilômetros, podendo ainda ser reabastecido em voo.

Foto: Força Aérea Brasileira.

Maquete do Gripen NG em Brasília. Foto: Força Aérea Brasileira.

Suécia deve oferecer caças Gripen à Índia novamente


A Suécia vai oferecer novamente os caças Gripen da empresa Saab para a Índia em uma reunião do ministro da Defesa sueco com o primeiro-ministro indiano Narendra Modi na semana que vem. Recentemente a Índia decidiu comprar 36 caças Dassault Rafale da França ao invés dos 126 inicialmente acordados. Junto a essa redução, comentários de oficiais indianos indicam que Nova Delhi quer comprar caças leves de motor único, o que aumentou as esperanças de venda de Estocolmo. No final de 2013, o Brasil anunciou a compra caças Gripen NG da Saab.

Fonte: Divulgação / Saab.

Fonte: Divulgação / Saab.

França vende 24 caças Rafale para o Qatar


François Hollande, presidente da França, informou que no próximo dia 4 de maio será assinado um contrato de venda de 24 caças Dassault Rafale com o governo do Qatar. O acordo de venda, que inclui ainda mísseis da empresa MBDA, mecânicos e treinamento de pilotos, deve ser no valor de 6,3 bilhões de euros (aproximadamente 21 bilhões de reais). A assinatura do contrato será o terceiro este ano para a França, que fechou acordos semelhantes com Índia e Egito e negocia com os Emirados Árabes. Até agora Paris já vendeu 15 bilhões de euros em armamentos só em 2015.

Foto: Adek Berry / AFP / Getty Images.

EAU retoma negociações para compra de caças Rafale


Os Emirados Árabes Unidos (EAU) retomaram as negociações com a França para a compra de caças Dassault Rafale. Contudo, o governo árabe-emiradense exige que sejam feitas modificações significativas no avião, especialmente no motor e no sistema geral, as quais a França julga serem caras e desnecessárias devido a alterações estruturais no projeto. As negociações entre os dois países já se estendem a por mais de cinco anos, e os EAU pretendem adquirir 60 caças. Recentemente a Índia e o Egito confirmaram a compra dos mesmo aviões.

Foto: divulgação.

Foto: divulgação.

Índia confirma compra de 36 caças Rafale da França


Em visita a Paris na semana passada, o primeiro ministro da Índia Narendra Modi confirmou que seu país quer comprar 36 caças Dassault Rafale da França prontos para uso operacional (fly away condition). Anúncio põe fim a anos de discussões entre os dois países sobre o programa de modernização da força aérea indiana e deve abrir as portas para aquisições futuras de mais caças. O pedido original, feito em 2007, previa a compra de 126 caças Rafale.

Foto: Flickr/ airwolfhound

Teerã confirma ataques sobre alvos do “EI” no Iraque


O vice-ministro das relações exteriores iraniano, Ebrahim Rahimpour, confirmou que ataques a alvos do “Estado Islâmico” no Iraque teriam sido pedidos pelo país. Ele negou coordenação com os Estados Unidos, e afirmou que o objetivo do ataque era “defender os interesses de seus aliados no Iraque”.

Imagem: Al Jazeera.

Imagem: Al Jazeera.

(mais…)

Irã e EUA cooperam para combater “Estado Islâmico”


por Bruno Gomes Guimarães e Marcelo Scalabrin Müller

Imagem: Al Jazeera.

Imagem: Al Jazeera.

Funcionários do Pentágono, órgão estadunidense responsável pela política de defesa do país, afirmaram para a agência de notícia Reuters sob condição de anonimidade que há fortes indícios de que o Irã lançou ataques aéreos contra o “Estado Islâmico (“EI”) no Iraque. Caças F-4 Phantom teriam sido usados para bombardear posições dos extremistas em Diyala, província fronteiriça entre os dois países e próxima da região autônoma curda. Teerã negou qualquer tipo de envolvimento em ataques contra o “EI” em território iraquiano e também disse que não há cooperação com a coalizão liderada pelos EUA.

(mais…)

Austrália comprará mais 58 caças F-35


Na semana passada, a Austrália informou que pretende comprar 58 caças F-35 adicionais ao custo de 12,5 bilhões de dólares. Aeronaves devem ser entregues à força aérea do país até o final de 2023, totalizando 72 caças F-35.

Foto: Reuters / US Air Force.

Foto: Reuters / US Air Force.

(mais…)

Coreia do Sul confirma compra de caças F-35


Agência de encomendas de defesa da Coreia do Sul anunciou oficialmente a compra de 40 caças F-35 dos Estados Unidos, apesar de iniciais reservas quanto ao orçamento limitado e alto preço do avião. Decisão deve reanimar o programa de desenvolvimento do caça, que sofreu cortes com a diminuição de encomendas por parte da Marinha dos EUA.

Foto: Reuters / US Air Force.

Foto: Reuters / US Air Force.

(mais…)

Marinha dos EUA corta pela metade o número de caças F-35 encomendados


Enquanto os Estados Unidos preparam planos para diminuir as suas forças armadas, a marinha do país deve cortar pela metade o pedido de caças F-35 de quinta geração. Esperava-se que o pedido fosse de 69 caças, mas deverão ser encomendados apenas 36.

Foto: Reuters / US Air Force.

Foto: Reuters / US Air Force.

(mais…)

Em busca de sinergia entre a Política Externa e a Política de Defesa: o caso do Gripen NG


Gripen E23 - foto SAAB

Boletim Mundorama, 06/01/2014

O resultado do FX-2 e a busca por sinergia entre a Política Externa e de Defesa

Lucas Kerr Oliveira, Giovana Esther Zucatto e Bruno Gomes Guimarães

amorim

No dia 18 de dezembro de 2013, o Ministro da Defesa, Celso Amorim, anunciou o resultado da concorrência FX-2, com a compra de 36 caças Gripen NG da empresa sueca Saab. Tal escolha vai ao encontro das diretrizes da Estratégia Nacional de Defesa (END), de unir capacidades de defesa ao desenvolvimento da indústria nacional e regional de defesa. Produz, ainda, uma importante sinergia entre a área de Defesa e de Política Externa, apoiando a estratégia de inserção internacional mais autônoma do Brasil, que perpassa a consolidação geopolítica do processo de Integração Regional Sul-Americana e de estabilização de um mundo multipolar.

Celso Amorim_anuncia_compra cacas Suecos_7458

Dentre os concorrentes do FX-2 o Gripen NG mostrou-se a aeronave mais adequada às necessidades tático-operacionais de defesa aérea brasileira. Além de ser mais barato que os concorrentes, este caça supersônico multiemprego apresenta o menor custo por hora de voo (US$ 4 mil/h). Isto porque possui uma única turbina, que apesar da grande potência, permite ao Gripen consumir menos combustível e torna sua manutenção mais rápida e econômica. Sendo mais leve e com capacidade para até sete toneladas de combustível, o avião tem 1.300 km de raio de combate plenamente armado e alcance máximo de 4.000 km (SAAB, 2011). Isto é fundamental para um país de dimensões continentais como o Brasil,  que precisa de caças capazes de sair do Planalto Central e alcançar rapidamente outras bases áreas na Amazônia ou no litoral. Capaz de patrulhar a zona do Pré-Sal, pode ameaçar uma frota inimiga no Atlântico Sul, mesmo que necessite de reabastecimento em voo na volta. Com capacidade para pousar e decolar em pistas bem pequenas, de apenas 500 metros, pode utilizar uma grande diversidade de bases para abastecimento e reparos durante operações, inclusive pistas curtas existentes na Amazônia. Isto permite distribuir os caças por diversas bases no Brasil, aumentando a capacidade operacional em todo o país.

(mais…)

Gripen NG: a decisão pela autonomia tecnológica e estratégica


Gripen NG: a decisão pela autonomia tecnológica e estratégica

Lucas Kerr Oliveira, Giovana E. Zucatto, Bruno Gomes Guimarães, Pedro V. Brites, Bruna C. Jaeger

Na última quarta-feira, 18 de dezembro, o ministro da Defesa Celso Amorim e o Comandante da Força Aérea Brasileira, Juniti Sato, anunciaram a compra de 36 aeronaves Gripen NG (New Generation) da empresa sueca Saab, pondo fim à licitação FX-2. A escolha do caça vai ao encontro das indicações da Estratégia Nacional de Defesa (END), de unir capacidades críveis ao desenvolvimento da indústria nacional – e regional – de defesa. Produz, ainda, sinergia entre a área de Defesa e de Política Externa, na medida em que corrobora com a estratégia de inserção internacional mais autônoma que o Brasil vem buscando em meio ao processo de consolidação geopolítica da Integração Regional Sul-Americana e de estabilização de um mundo Multipolar.

Gripen. Foto: Saab

Foto: Saab.

(mais…)

Rússia ofereceu ao Brasil caças Su-35 com transferências de tecnologia


Rússia ofereceu ao Brasil caças Su-35 e tecnologias de sua produção 

Sukhoi Su-35  www.sukhoi.org - fotoFoto: Sukhoi

A Rosoboronexport (empresa estatal russa de exportação de armas defensivas) ofereceu fornecer ao Brasil, fora do âmbito de concorrência, caças Su-35 e sistemas de defesa antiaérea Pantsir, informou este domingo a agência de notícias RIA Novosti, citando Serguei Ladygin, chefe da delegação da Rosoboronexport que se encontra na exposição de armas em Lima.

Em 2009, a Rússia saiu com seu avião Su-35 do short-list da concorrência brasileira, onde ficaram a Suécia com o Gripen, os EUA com o F-18 e a França com o Rafale.

“Apesar do fato de a Rússia ter se retirado do concurso, fizemos paralelamente uma oferta para a parte brasileira de participarmos, fora do contexto de concorrência, com os sistemas Pantsir e os jatos Su-35. Nossa oferta está sendo examinada”, especificou Ladygin.

O interlocutor da agência observou que a Rússia está pronta para transferir toda a tecnologia de produção do caça. “Estamos prontos para transferir 100% de tecnologia do jato Su-35, mesmo com os elementos de tecnologia de aeronaves de quinta geração”.

 

http://portuguese.ruvr.ru/2013_05_19/Russia-ofereceu-ao-Brasil-cacas-Su-35-e-tecnologias-de-sua-producao/

 

Sukhoi Su-35  www.sukhoi.org - turbinas

Sukhoi Su-35  www.sukhoi.org -7

 

 

Sukhoi Su-35  www.sukhoi.org -2

 

Sukhoi Su-35  www.sukhoi.org -6

Sukhoi Su-35  www.sukhoi.org -2

Fotos: Sukhoi

Irã possui “Know-How” para a fabricação de motores turbofan


Imagem: n.i.

Irã possui “know-How” para a fabricação de motores turbofan

O informante – 26/02/2012

A agência estatal chinesa de notícias “Xinhua”, em uma reportagem no último sábado (25) afirmou que autoridades iranianas anunciaram que Teerã possui o know-how tecnológico para a fabricação de motores turbofan.
O turbofan é um tipo de motor a jato utilizando na propulsão de aeronaves.

Segundo a agência de notícias chinesa, o Irã deu “passos importantes” em direção ao projeto de motores turbofan de grande porte.

A reportagem surge após o vice-chefe da Aviation Industries Organization (IAIO), o brigadeiro-general Abdolkarim Banitarafi, dizer o Irã possui know-how para projetar e construir motores turbofan pequenos para serem usados em vários tipos de veículos aéreos não-tripulados (UAV).

“Hoje, nós estamos construindo motores turbofan para uma grande variedade de UAVs”, disse Banitarafi na última sexta-feira (24) ao canal iraniano PRESS TV. (mais…)

Índia deverá adquirir os caças Rafale


India picks French jet over Eurofighter in $10bn deal

BBC – 31/01/2012

French firm Dassault has emerged as the lowest bidder in a $10bn contract to supply India with fighter jets.

Dassault Aviation will now enter final negotiations before any deal is signed for supplying India with 126 Rafale aircraft.

Correspondents say this is one of the world’s biggest defence deals and is a major setback for rival bidder, the Eurofighter Typhoon.

Eurofighter lost out in December on an $8bn deal to supply jets to Japan.

Officials at the British High Commission in Delhi said they were disappointed with the decision and would now study the details.

A statement read: “It was expressly said this was about the cost of the contract, not a reflection on the health of bilateral relations between India and the countries.”

The officials said they “genuinely believed the [Eurofighter] Typhoon offered the best capability now and in the future”. (mais…)

Rússia faz testes do seu novo caça Su-35S


Russia’s 3rd Su-35S fighter starts test flights

RIA Novosti – 17/01/2012

Russia’s Sukhoi aircraft manufacturer started test flights of its third series-produced Su-35S Flanker-E multirole fighter on Tuesday, the company said.

The aircraft took off from the Komsomolsk-on-Amur airfield in Russia’s Far East, spending more than two hours in the air testing propulsion and control systems.

The Su-35 Flanker-E superiority fighter is powered by two 117S engines with thrust vectoring. It can effectively engage several air targets simultaneously using both guided and unguided missiles and weapon systems.

The aircraft has been touted as “4++ generation using fifth-generation technology.”

After the tests are completed, the Su-35 will be transferred to the Russian Defense Ministry. (mais…)

FAB ganha poder de fogo com ‘novo’ caça


FAB ganha poder de fogo com ‘novo’ caça

O Estado de São Paulo / Roberto Godoy – 16/01/2012

O Brasil completa em 2016 o projeto, já iniciado, de construção de uma força de ataque aéreo estratégico baseado na revitalização tecnológica do caça bombardeiro AMX, o A-1 da aeronáutica militar. O programa envolve 43 aeronaves e vai custar cerca de R$ 2 bilhões.

Segundo a Aeronáutica, do total já foram desembolsados R$ 840 milhões. O valor restante será pago entre os exercícios de 2012 e 2017. Depois do procedimento, os caças serão operacionais até o ano 2032.

A Embraer Defesa e Segurança (EDS) e a empresa israelente Elbit estão trabalhando com o primeiro lote de 10 jatos na fábrica da EDS em Gavião Peixoto, a 300 km de São Paulo. O primeiro AMX modernizado será entregue à FAB entre 2013 e 2014; o último, em 2017. Em algum momento nesse período, o Alto Comando decidirá pela extensão da encomenda de forma a abranger toda a frota de 53 unidades. Enquanto isso, os 10 bombardeiros de reserva permanecerão em operação na base de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, e no Esquadrão Adelphi, da base de Santa Cruz, no Rio.

O A-1M, como será rebatizado o caça, terá capacidade para atingir, recebendo combustível em voo, qualquer alvo estratégico na América do Sul, no Caribe e em boa parte da África, além de permitir ações de cobertura no Atlântico Sul. De certa forma, os caças-bombardeiros da Força Aérea podem, agora mesmo, cumprir esse tipo de missão. (mais…)

A controversa origem do Stealth Chinês


The tearful origins of China’s stealth
Asia Times – 29/01/2011 – By Peter Lee

The recent test flight of China’s J-20 stealth fighter has occasioned certain uproar in international security circles, as well as paroxysms of joy among China’s more nationalistic netizens.

Despite no hard information on its stealthiness or its capabilities beyond the fact that it was able to take off, fly for 15 minutes, and land, the J-20 is already serving as justification for heightened concern and its inevitable adjunct, higher military spending, in the United States, South Korea and Japan.

From a psychological standpoint, an interesting sidebar to the J-20 furor has been the reporting on allegations that China used industrial and military espionage to develop its stealth capabilities, perhaps with the implication that China’s reactive and decadent communist system would be incapable of such innovations on its own.  (mais…)