capacidades navais

Rússia envia porta-aviões para a Síria


A Rússia está enviando seu único porta-aviões para a Síria a fim de combater o “Estado Islâmico” naquele país. Chamado de “Almirante Kuznetsov”, o navio carregará ao menos 15 caças e dez helicópteros de ataque. O porta-aviões deve ficar estacionado no leste do mar Mediterrâneo pelo menos até fevereiro de 2017.

Foto: Arquivo / AP via Sputnik.

EUA aumenta capacidades marítimas de países da ASEAN


Na última semana (08/10), um oficial dos Estados Unidos informou que o progama “Southeast Asia Maritime Law Enforcement Initiative” (Iniciativa de Aplicação das Leis Marítimas Do Sudeste Asiático) atingiu US$ 100 milhões em fundos para quatro países da Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN):  Indonésia, Malásia, as Filipinas e Vietnã. A iniciativa inclui a construção de capacidade estatal, infraestrutura, aquisição de equipamentos (incluindo navios) e o suporte para a cooperação regional.

Foto: Flickr / US Navy Photo.

Índia limita aquisições da marinha à indústria nacional


O Ministério da Defesa indiano decidiu que todas as aquisições de navios e submarinos deverão ser feitas a indústrias nacionais. A Marinha da Índia deve investir cerca de 50 bilhões de dólares nos próximos dez anos. Seis submarinos convencionais que já estão sendo negociados poderão contar com empresas estrangeiras na fase de projeto, mas deverão ser construídos no território indiano. Os estaleiros estatais indianos estão trabalhando na sua capacidade máxima, o que faz os estaleiros privados serem os principais beneficiados pela decisão do governo indiano.

ABG, o maior estaleiro privado da Índia Foto: Sam Panthaky / AFP

ABG, o maior estaleiro privado da Índia
Foto: Sam Panthaky / AFP

Reino Unido vai reforçar presença militar nas Malvinas


O Ministro da Defesa britânico, Michael Fallon, afirmou que seu país vai reforçar a presença militar nas Malvinas, afirmando que segue havendo uma “ameaça muito viva” da Argentina. Para tanto, o governo britânico desembolsará mais de 260 milhões de dólares nos próximos dez anos. A iniciativa foi criticada pela Casa Rosada, que afirmou que o governo de David Cameron está se utilizando das Malvinas para aumentar seu gasto militar, “enganando seus cidadãos com fantasmas do passado.”

Foto: Reuters / Enrique Marcarian

Foto: Reuters / Enrique Marcarian

Caças russos entram na zona de defesa de navios da OTAN no Mar Negro


Caças russos Su-30 e bombardeiros de ataque Su-24 têm entrado no alcance das defesas de dois navios da OTAN no Mar Negro para praticar manobras de ataque. Um dos navios é um cruzador da marinha estadunidense e o outro uma fragata turca, localizado na região sudoeste do Mar Negro. Os caças russos partem da base de Novofedorovka, na Crimeia.

Foto: Wikipedia / U.S. Navy / Michael Sandberg

Foto: Wikipedia / U.S. Navy / Michael Sandberg

Japão estabelece tropas em ilha perto de Taiwan


Após um referendo que consultou a opinião da população local, o Japão instalou cerca de 150 tropas na ilha de Yonagunijima, perto de Taiwan. A ilha faz parte do arquipélago de Nansei, que se estende em direção a Taiwan no ponto mais ocidental do país, que pretende aí construir novas bases militares. Essa é uma resposta do Japão a um aumento das atividades da marinha chinesa.

Foto: DoD / Cpl. Emmanuel Ramos, U.S. Marine Corps / Released

Foto: DoD / Cpl. Emmanuel Ramos, U.S. Marine Corps / Released

Pequeno arquipélago torna-se chave para Oceano Índico


Um pequeno arquipélago no Oceano Índico está ganhando cada vez mais relevância na disputa geopolítica da região: as ilhas Cocos, ou Keeling. Território ultramarino da Austrália, as ilhas podem um dia vir a abrigar uma base dos Estados Unidos, dada a estratégia do país em aprofundar laços com aliados na região. Com o aumento do fluxo das rotas de comércio (SLOCS em sigla em inglês) que passam pelo oceano, ele reemergiu como centro de disputas geopolíticas globais.

Foto: NASA's Earth Observatory

Foto: NASA’s Earth Observatory

Rússia e Chipre Grego assinam acordo militar sobre acesso a porto


Chipre Grego e Rússia assinaram acordo de cooperação militar que garante acesso de navios militares russos a portos na ilha no mediterrâneo, cuja economia depende de investimentos russos. O acordo causou desconforto na União Europeia, que impõe sanções ao país eurasiano. Para tentar driblá-las, a Rússia fortaleceu suas relações bilaterais com países da UE, como o Chipre, Grécia e Hungria. O presidente cipriota, Nicos Anastasiades, criticou as sanções impostas à Rússia pelo ocidente.

Foto: Yuri Kadobnov / Pool

Foto: Yuri Kadobnov / Pool

China ultrapassa EUA em frota de submarinos


Um almirante estadunidense afirmou num comitê do Congresso do país que a China agora possui mais submarinos de ataque convencionais e nucleares que os Estados Unidos. O oficial acredita que seu país ainda possui os submarinos mais avançados, mas não ignora que alguma unidades construídas pelos chineses são “bastante supreendentes”. Ele ainda disse que a China está experimentando novos armamentos, presença em novas regiões do globo e missões mais longas.

Foto: Reuters / Guang Niu

Foto: Reuters / Guang Niu

Índia aprova plano de US$ 8 bi para submarinos nucleares e fragatas furtivas


O governo indiano revelou detalhes de um plano para a construção de seis submarinos nucleares e sete fragatas furtivas em seu território. Os investimentos, totalizando 8 bilhões de dólares, incrementaram as capacidades navais indianas e sua projeção de força no Oceano Índico. O primeiro ministro Narendra Modi tem interesse em estimular a base industrial de defesa indiana, reduzindo a dependência de material militar importado.

O submarino nuclear INS Arihant. Foto: Wikimedia Commons

O submarino nuclear INS Arihant.
Foto: Wikimedia Commons

França mobiliza seu porta-aviões no Golfo Pérsico para combater “EI”


A França mobilizou, na última segunda-feira (23/02), seu porta-aviões nuclear Charles de Gaulle para atacar posições do “Estado Islâmico” no Iraque a partir do Golfo Pérsico. A nau capitania da marinha francesa, que não havia sido mobilizada desde os ataques à Líbia em 2011, leva consigo 12 caças Rafale que se somarão a outros 15 caças localizados nos Emirados Árabes Unidos e na Jordânia que já realizam ataques ao “EI” coordenados com a coalizão ocidental. Aeronaves dos Estados Unidos poderão também pousar e decolar do Charles de Gaulle.

Foto: Anne-Christine Poujoulat / AFP

Foto: Anne-Christine Poujoulat / AFP

Rússia deve expandir envio de caças MiG para porta-aviões da Índia


A Rússia deve expandir a venda de caças Mikoyan MiG-29Ks/KUBs para a Índia, que está montando três esquadrões para operarem em seus porta-aviões. A empresa que fabrica o MiG está finalizando uma entrega de 29 MiG-29K para a Força Aérea Indiana até 2016. Mais de 70% do equipamento militar indiano foi produzido pela União Soviética ou pela Rússia, fazendo da Índia o principal cliente da indústria militar russa.

Foto: AP Photo / Sergey Ponomarev

Foto: AP Photo / Sergey Ponomarev

EUA pode alocar navios de guerra em bases na Austrália


Os Estados Unidos estariam planejando uma presença constante de navios de guerra em bases na Austrália, informou o The Wall Street Journal. Washington estaria avaliando uma expansão de sua presença na região e um aprofundamento da cooperação naval com a Austrália, o que pode incluir a alocação de navios no país. Segundo um alto oficial estadunidense em visita à Austrália, a Marinha dos EUA está organizando a formação de uma frota anfíbia de reação rápida que poderá ser alocada no país.

Foto: Wikimedia Commons

Foto: Wikimedia Commons

Egito quer empréstimo para comprar armamentos franceses


O Egito deseja obter um financiamento para a compra de caças Rafale, fragatas multimissão e mísseis franceses. Essas aquisições gerariam apoio político ao Egito, uma vez que tais compras aliviariam o momento de fragilidade orçamentária francês. Cairo já está negociando com bancos franceses, numa tentativa de diminuir o valor devido. O Egito impressiona analistas pela pressa: espera obter os armamentos em agosto.

Uma fragata multimissão como a Normandia, da Marinha Francesa, interessa ao Egito. Foto: Jean-Sebastien Evrard / AFP / Getty Images

Uma fragata multimissão como a Normandia, da Marinha Francesa, interessa ao Egito.
Foto: Jean-Sebastien Evrard / AFP / Getty Images

Marinha do Brasil realiza operação humanitária em Cabo Verde


Na última sexta-feira (30/01), a fragata brasileira União realizou missão humanitária no arquipélago de Cabo Verde. A embarcação prestou auxílio a vítimas de um vulcão que entrou em erupção na Ilha do Fogo. A fragata União dirige agora ao Mediterrâneo, pois será comissionada na Força-Tarefa Marítima da Força Interina das Nações Unidas no Líbano (FTM-Unifil) com a função de nau-capitânia.

Foto: Marinha do Brasil

Foto: Marinha do Brasil

Guantánamo na estratégia dos EUA para o Caribe


Sim Tack analisa a importância da base militar de Guantánamo para a estratégia estadunidense no Caribe no momento que o restabelecimento das relações com Cuba dão origem ao pedido do país caribenho para que o território ocupado pelos Estados Unidos seja devolvido a Havana. Fazendo uma instrutiva narrativa histórica sobre a relação da superpotência com o arquipélago caribenho, Tack mostra como o papel de Guantánamo na estratégia estadunidense evoluiu. Segundo ele, a relevância de bases como essa na América Latina se reduziu muito. Guantánamo ganhou sobrevida após os ataques de 11 de setembro, quando tornou-se uma prisão. Hoje, a carceragem é questionada por violações de direitos humanos e a não garantia de direitos jurídico fundamentais aos presos que ali estão. Barack Obama declarou em seu último discurso do Estado da União sua intenção de fechar a presídio.

Foto: Portal Vermelho

Foto: Portal Vermelho

(mais…)

Marinha toma dianteira na reestruturação das forças de Taiwan


Alto oficial da Marinha de Taiwan foi selecionado para o cargo de ministro da defesa, o que pode privilegiar a força nos gastos militares nacionais. Dentre as possibilidades de novos investimentos estão novos destróieres e submarinos. Durante os últimos anos, ministros da defesa oriundos da Aeronáutica e do Exército privilegiaram suas forças, com apenas um sistema de mísseis Harpoon e aeronaves anti-submarino P-3C Orion sendo comissionados à marinha.

Foto: Wendell Minnick

Foto: Wendell Minnick

Estaleiro espanhol deve abrir subsidiária no Brasil


A espanhola Navantia, construtora de navios, deverá atracar no Brasil para receber encomendas da Marinha do Brasil. As negociações para a abertura de uma subsidiária brasileira já vêm desde 2013. Grupos estrangeiros que desejem firmar contratos com a Marinha devem realizar parceria com empresas brasileiras.

Planta da Navantia na Espanha. Foto: Elpais.com

Planta da Navantia na Espanha.
Foto: Elpais.com

EUA ajudará Índia na construção de porta-aviões


Durante a visita de Barack Obama à Índia, os dois países concordaram em cooperar na área de desenho e construção de porta-aviões. A cooperação tecnológica entre os dois países deve extender-se pelos próximos quinze anos. A Índia concluiu a construção de seu primeiro porta-aviões, o INS Vikramaditya, em 2013.

Foto: Wikimedia Commons

Foto: Wikimedia Commons

Começa a construção do terceiro submarino brasileiro do programa PROSUB


Evento com a presença do comandante da Comandante da Marinha, Júlio Soares de Moura Neto, marcou o início da fabricação do terceiro submarino do programa Programa de Desenvolvimento de Submarinos, o PROSUB. Essa terceira unidade, de um total de quatro, ganha o nome SBR 3, e está sendo fabricada por consórcio entre a Odebrecht Defesa e Tecnologia e a francesa DCNS.

Foto: Poder Naval

Foto: Poder Naval

China defende território disputado no Mar do Sul da China


A China defendeu sua soberania sobre as ilhas Spratly, localizadas no Mar do Sul da China, onde o país construiu recifes artificiais. Opositores à presença chinesa na região afirmam que o que se está construindo é uma pista de pouso para intimidar as nações vizinhas.

Foto: Xinhua News / AP

Foto: Xinhua News / AP

(mais…)

A militarização da Guarda Costeira da China


Os planos para a recém criada Guarda Costeira da China sugerem tempos difíceis nas águas disputadas do Mar do Sul da China. Ryan D. Martinson analisa a criação e o possível papel que deve ter esse novo braço das capacidades navais chinesas.

Foto: Reuters / Nguyen Minh

Foto: Reuters / Nguyen Minh

(mais…)

China quer mais cooperação militar com Irã


Apesar das divergências estratégicas que não permitem a cooperação entre Irã e o ocidente, a China demonstrou interesse em cooperar militarmente com o governo iraniano. Na última semana, o comandante da marinha iraniana visitou a China com a promessa de intensificação da cooperação entre os países, principalmente de suas marinhas.

Foto: U.S. Navy / Mass Communication Specialist 2nd Class Kilho Park / Released

Foto: U.S. Navy / Mass Communication Specialist 2nd Class Kilho Park / Released

(mais…)

As aquisições militares conjuntas da ASEAN


Koh Swee Lean Collin analiza os desafios que os países da ASEAN devem enfrentar para realizar aquisições militares conjuntas. Vietnã e Filipinas são dois países que, com as disputas no Mar do Sul da China, estariam interessados em fazer aquisições conjuntas. Para isso, se deve levar em conta dificuldades políticas, operacionais e técnicas.

Foto: Reuters / Reuters TV

Foto: Reuters / Reuters TV

(mais…)

Aumento das capacidades anfíbias no sudeste asiático


As Marinhas dos países da ASEAN estão modernizando rapidamente suas capacidades anfíbias, enquanto suas intenções permanecem nebulosas. A concomitante modernização da Marinha da China e o aumento das disputas no Mar do Sul da China podem ser catalisadores deste processo, especialmente para Filipinas e Vietnã.

Foto: U.S. Navy por Mass Communication Specialist 1st Class Robert Clowney

Foto: U.S. Navy por Mass Communication Specialist 1st Class Robert Clowney

(mais…)