Cisjordânia

Israel aprova construção de novos assentamentos na Cisjordânia


O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, e o Ministro da Defesa, Avigdor Liebermann, aprovaram a construção de 560 novos assentamentos na Cisjordânia — movimento atualmente considerado ilegal pelo direito internacional. Além disso, o governo aprovou a construção de 600 unidades de habitação para palestinos na região de Jerusalém Oriental. Segundo oficiais do governo, os novos assentamentos fazem parte de um projeto estratégico para minimizar as tensões internas após o anúncio da construção das habitações palestinas, ao mesmo tempo em que serve como retaliação aos recentes atentados contra judeus na Cisjordânia.

Foto: Barcroft Media.

Foto: Barcroft Media.

Israel retira indicação Dani Dayan como embaixador no Brasil


Nesta segunda-feira (28/03), o governo de Israel designou Dani Dayan para um cargo nos Estados Unidos, assim encerrando um conflito diplomático com o Brasil. Dayan tinha sido indicado como embaixador israelense para o Brasil, mas sua indicação não foi aceita por Brasília por ele ser um líder dos colonos da Cisjordânia. O Brasil reconhece o Estado da Palestina, portanto considera ilegal a ocupação de seu território. 

Foto: Ronen Zvulun / Reuters

Novas tensões entre Israel e Palestina


Na última segunda-feira (05/10), um adolescente palestino morreu em ofensiva israelense na Cisjordânia. Outro jovem já havia morrido no domingo em situação similar. Além disso, Israel bombardeou posições do Hamas na Faixa de Gaza após o lançamento de dois misséis. Os palestinos acusam Israel de aumentar as tensões na região.

Foto: EFE.

Hamas elogia decisão da OLP de interromper coordenação securitária com Israel


Um dos principais líderes da organização palestina Hamas, Musa Abu Marzooq, elogiou a decisão da Organização para a Libertação da Palestina (OLP) de suspender a coordenação securitária com Israel. A decisão tomada pela OLP na última quinta-feira (05/03) foi uma resposta a algumas atitudes de Israel, como o avanço dos assentamentos sobre a Cisjordânia e o corte de receitas tributárias palestinas.

Foto: Mahmud Hams / AFP

Foto: Mahmud Hams / AFP

Israel corta a energia de 700 mil palestinos na Cisjordânia


A companhia de energia israelense cortou a eletricidade de mais de 700 mil palestinos que vivem na Cisjordânia na última segunda-feira (23/02). O corte durou uma hora e foi justificado pelo não pagamento de dívidas de energia da Autoridade Palestina, que totalizam cerca de 500 milhões de dólares. Autoridades palestinas criticaram a atitude da empresa israelense, afirmando que a medida é injusta e que se trata de uma represália ao povo palestino.

Companhia Israelense de Energia Foto: Reuters

Companhia Israelense de Energia
Foto: Reuters

Unidade entre Fatah e Hamas se desgasta na Palestina


A unidade entre Fatah e Hamas no governo da Faixa de Gaza, consolidada para dar saída ao conflito com Israel em agosto passado, está se desgastando. Isso vem a dificultar a reconstrução da Faixa de Gaza e as intenções palestinas de formar um Estado reconhecido. Há violência entre os dois grupos na disputa de poder pela Faixa de Gaza.

Foto: Reuters / Suhaib Salem

Foto: Reuters / Suhaib Salem

Palestina apresenta proposta para desocupação da Cisjordânia


A pedido da Palestina, a Jordânia submeteu formalmente ao Conselho de Segurança das Nações Unidas, ontem (17/12) à noite, uma proposta de resolução que prevê o fim da ocupação de Israel no território da Cisjordânia até o fim de 2017. Numa estratégia para evitar o confronto direto com os EUA, principal aliado de Israel, líderes palestinos enfatizaram o desejo de avançar nas negociações sobre o conteúdo do texto.

Foto: n.i.

Foto: n.i.

(mais…)

Knesset deve votar compartilhamento de mesquita em Jerusalém


O Knesset, o parlamento do Estado de Israel, deve votar uma proposta que compartilha a mesquita de Al-Aqsa entre judeus e muçulmanos. Localizada na Cidade Antiga de Jerusalém, a mesquita não pode ser local de oração para os judeus segundo as leis de Israel, dado seu status sagrado na religião judaica. Os israelenses que pressionam pela aprovação da lei são identificados como colonos de direita.

Foto: n.i

Foto: n.i

(mais…)

Relatório da ONU aponta que colonos israelenses na Cisjordânia ‘capturaram’ fontes naturais de água


Foto: AFP / Ahed Izhiman.

Israeli settlers grab West Bank water springs – UN report

RT – 20/03/2012

Israeli settlers have taken over dozens of natural water springs in the West Bank, limiting or barring Palestinians from access to much-needed fresh water, according to the UN report. Israelis deny that the access has been banned.

­The UN Office for the Coordination of Humanitarian Affairs (OCHA) said it had surveyed 530 springs in the West Bank to find out that at least 30, mostly in areas where Israel retains military control, were taken over by the settlers. With Palestinians unable to access them at all.

“Palestinians have been deterred from accessing the springs by acts of intimidation, threats and violence perpetrated by Israeli settlers,” it says.

The report added that Palestinians currently have limited access to 26 other springs where settlers had moved in and threatened to take control.

Springs remain the single largest water source for irrigation and a significant source for watering livestock in the area, with some also providing water for domestic consumption in areas not connected to pipelines.

The document concludes the loss of access to springs and adjacent land reduced the income of affected farmers, who either stop cultivating the land or face a reduction in the productivity of their crops. (mais…)

Hamas lança novas exigências para reconciliação com Fatah


Hamas sets new terms for reconciliation with Fatah

Reuters / Nidal al-Mughrabi – 23/02/2012

Hamas has set new terms for implementing a reconciliation deal with Palestinian President Mahmoud Abbas’s rival Fatah group, an official said Thursday, dimming even further chances the accord will be put into effect.

Abbas and Khaled Meshaal, Hamas’s political chief in exile, agreed in Qatar earlier this month to form a unity government led by the Western-backed president.

But in a rift with the Islamist group’s leadership outside the Gaza Strip, officials in the Hamas-ruled enclave swiftly criticized the accord, particularly its call for Abbas to serve as prime minister as well as president.

At an internal meeting chaired by Meshaal in Cairo on Wednesday, Hamas officials united behind new demands, said a Palestinian official involved in the talks. The terms seemed certain to be rejected by Abbas.

“Hamas demanded to keep the key ministries in the new government, including the ministry of interior,” said the official. “It also demanded no change in the structure of security services in the Gaza Strip.” (mais…)

Hamas e Fatah chegam a acordo para governo palestino unificado


Hamas e Fatah chegam a acordo para governo palestino unificado

Correio do Brasil – 06/01/2012

Os grupos rivais Hamas e Fatah, as duas principais facções palestinas, chegaram a um acordo nesta segunda-feira no Catar para a formação de um governo de unidade com tecnocratas independentes na Cisjordânia e Faixa de Gaza, liderado pelo atual presidente palestino, Mahmoud Abbas.

A estratégia, que acontece após fracassadas conversas preliminares entre israelenses e palestinos com o objetivo de retomar as travadas negociações de paz, provavelmente será condenada por Israel e EUA, que afirmam que o movimento islamista Hamas não pode fazer parte dos esforços de paz.

O acordo quer preparar o caminho para as eleições presidenciais e parlamentares palestinas, que acontecerão possivelmente no final deste ano, e para reconstruir a Faixa de Gaza, comandada pelo Hamas, após a ofensiva israelense em 2008 e 2009 contra o Hamas.

Não ficou claro quando o acordo será implementado. Nenhum cronograma foi estabelecido. O pacto de reconciliação entre Fatah e Hamas, firmado em maio de 2011, teve poucos resultados substanciais, mas ambos os lados disseram que estavam sérios sobre levar adiante o novo acordo. (mais…)

Egito irá abrir sua fronteira com Gaza


Egypt to Open Border With Gaza, in the Face of Israeli Objections

The New York Times/ Por David D. Kirkpatrick – 25/05/2011

CAIRO — Egypt will permanently open its border with the Gaza Strip on Saturday despite Israeli protests, Egypt’s transitional government confirmed Wednesday, upending the dynamics of regional politics in a bid to shake up the deadlocked peace process and better respond to Egyptian public opinion.

The opening of the border will be the latest geopolitical aftershock of the Egyptian revolution, and it is likely to strengthen the militant group Hamas, while easing life for 1.6 million residents.

The border between Rafah and the Gaza Strip has been officially closed since Hamas took control of Gaza in 2007. At that time, the Egyptian government under President Hosni Mubarak effectively sealed the border at the same time that Israel imposed its own blockade aimed at weakening Hamas.

Egyptian officials at the time said that they wanted to prevent militants from slipping across the border and to pressure Israel to open its crossing. But the move was always extraordinarily unpopular with the Egyptian public, which distrusts Israel and sympathizes with the Palestinians. (mais…)