cotas

Redistribuição de vagas universitárias gera protestos na China


O Ministério da Educação da China anunciou uma iniciativa de redistribuição de vagas em universidades de alta qualidade para estudantes de províncias pouco desenvolvidas. Aproximadamente 140.000 vagas seriam reservadas para esses estudantes. A iniciativa faz parte da política mais ampla do “Sonho Chinês” de Xi Jinping, que aborda o desenvolvimento como resultado da diminuição de desigualdades sociais, para a qual o acesso à educação teria um papel essencial. No entanto, o projeto tem gerado insatisfação nas classes média e média-alta das províncias mais ricas do país, gerando inclusive protestos em grandes centros urbanos.

Foto: Financial Times.

Anúncios

O papel do negro na construção do Brasil sob a ótica de Abdias do Nascimento


Uma homenagem ao pensamento do centenário ativista social Abdias do Nascimento.

Foto: Acervo Ipeafro.

(mais…)

Os desafios para a Construção de uma Democracia Multirracial


Os desafios para a Construção de uma Democracia Multirracial: Se o passado é de sofrimento, o presente é de luta… E o futuro, esse é de mais respeito e mais oportunidade

Thales Machado, graduando em Relações Internacionais na Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Imagem: Pragmatismo Político.

Imagem: Pragmatismo Político.

(mais…)

IDH do Brasil sobe e ONU elogia Bolsa Família e cotas


O Brasil subiu uma posição no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de 2013, para o 79º lugar, num total de 187 países, segundo o Relatório do Desenvolvimento Humano da ONU, divulgado nesta quinta-feira (24/07) pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Além disso, o país foi elogiado pelo Programa Bolsa Família e pelas cotas no ensino universitário.

Foto: Wilson Dias / Agência Brasil.

Foto: Wilson Dias / Agência Brasil.

(mais…)

China sofre pressões por restrição à exportação de minerais raros


EE.UU. y China chocan por los minerales raros

BBC Mundo – 13/03/2012

Estados Unidos, Japón y la Unión Europea están demandando a China ante la Organización Mundial de Comercio por las restricciones impuestas a las exportaciones de minerales raros.

Hasta hace poco, el país exportaba estos minerales, esenciales para la fabricación de una amplia gama de productos de alta tecnología, a un precio módico.

El año pasado, sin embrago, China redujo casi en un 40% la cuota destinada a la exportación.

Y, a principios de este año, redujo las exportaciones en un 11% adicional.

Según los demandantes, esto ha hecho subir los precios de los minerales raros, pues China concentra actualmente el 95% de su producción.

China, sin embargo, rechaza las acusaciones y afirma que la medida busca proteger el medio ambiente de los daños que provocaría su explotación excesiva. (mais…)