eleições 2015

Corte Constitucional anula eleições legislativas na República Centro-Africana


A Corte Constitucional da República Centro-Africana decidiu nesta segunda-feira (25/01) anular as eleições legislativas realizadas no fim de dezembro devido a irregularidades no processo. O primeiro turno das eleições presidenciais, realizadas no mesmo dia, foram validadas. A decisão põe em risco a transição democrática que país vive após anos de conflito civil.

0127carvotes

Foto: Issouf Sanogo / AFP / Getty Images.

Anúncios

Eleições na Espanha dividem parlamento


As eleições legislativas realizadas neste domingo (20/12) na Espanha terminou com nenhum partido conseguindo a maioria absoluta do parlamento. O Partido Popular (PP), do primeiro-ministro Mariano Rajoy, conseguiu 122 assentos, seguido da legenda de centro-esquerda Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE), com 93. Em terceiro lugar, os esquerdistas do Podemos (contando com outras três formações apoiadas pelo partido na Galicia, Catalunha e Comunidade Valenciana), com 69 parlamentares. A legenda de centro-direita Ciudadanos ficou com 38 deputados.

018930251_30300

Foto: Reuters / J. Nazca.

Extrema direita não consegue nenhum governo regional na França


A extrema direita francesa não conseguiu nenhum governo regional no segundo turno das eleições, realizadas neste domingo (13/12). O partido Frente Nacional (FN) foi o mais votado nacionalmente no primeiro turno, mas não conseguiu se eleger devido à mobilização política e popular contra suas visões extremistas.

018913133_30300

Marine Le Pen, líder da FN. Foto: Getty Images / AFP / P. Guyot.

O contexto regional sul-americano e as eleições na Venezuela


Em artigo publicado no blog Post-Western World (07/12), Oliver Stuenkel considera que uma das principais razões do presidente Nicolás Maduro ter aceitado a derrota eleitoral foi a mudança da situação regional. A eleição de Macri na Argentina e a crise política no Brasil levaram os dois países, junto com outros da América do Sul, a mudar o tom e insistir na manutenção dos direitos humanos e da democracia na Venezuela.

635850324552705158w

Foto: Agência Efe.

São Vicente e Granadinas realiza eleição geral


Nesta quarta-feira (09/12), o país de São Vicente e Granadinas realiza sua eleição geral para escolher um novo parlamento e primeiro-ministro. O pleito é o primeiro em quase vinte anos que pode pôr em risco o domínio do Partido Trabalhista de Unidade (PTU), de esquerda, do atual premiê Ralph Gonsalves. A oposição, encabeçada pelo Novo Partido Democrático (NPD), vem ganhando força nos últimos anos. Especula-se que, caso o NPD vença, o país caribenho venha a afastar-se de projetos de integração regional como a Petrocaribe e a ALBA.

Premiê Ralph Gonsalves. Foto: TeleSurTV / Arquivo.

Na Venezuela, Maduro promete reforma ministerial e veto à anistia


Nesta terça-feira (08/12), o presidente venezuelano Nicolás Maduro pediu que seus ministros pusessem seus cargos à disposição para realizar uma ampla reforma ministerial. Maduro também anunciou que vetará quaisquer tentativas da oposição de anistiar os supostos presos políticos do país. Além da lei de anistia, a oposição, que recentemente venceu as eleições parlamentares na Venezuela, pretende passar outras nove legislações-chave, a maioria de cunho econômico, as quais podem ser também barradas por Maduro.

Foto: Assembleia Nacional da Venezuela.

Extrema direita vitoriosa em eleições regionais na França


Nas eleições regionais realizadas na França no último domingo (06/12), o partido de extrema direita Frente Nacional (FN) venceu o primeiro turno em seis das 13 unidades administrativas em jogo, com 30,2% dos votos nacionais. O partido do ex-presidente Nicolas Sarkozy, Os Republicanos, alcançaram 27,4% dos votos e lideraram em quatro regiões, enquanto os Socialistas, conseguiram 22.7% e três regiões. Segundo turno das eleições está previsto para 13 de dezembro.

018898412_30300

Foto: Reuters / P. Rossignol.

Oposição vence eleições parlamentares na Venezuela


O Conselho Nacional Eleitoral (CNE) da Venezuela divulgou os resultados das eleições realizadas no domingo (06/12), mostrando a vitória da oposição, que obteve maioria na Assembleia. A eleição parlamentar contou com ampla participação popular (74,25% dos eleitores), foi tranquila — com a exceção de alguns episódios — e contou com missões internacionais de observação, como a da UNASUL. Em discurso nesta segunda-feira (07/12), o presidente Nicólas Maduro reconheceu a derrota e afirmou que “trinfou a Constituição e a democracia”.

635850324552705158w

Foto: Agência Efe.

Recém-eleito, Macri anuncia que Brasil será seu primeiro destino oficial


Mauricio Macri, recém-eleito presidente da Argentina, anunciou que o Brasil deverá ser o destino de sua primeira viagem internacional oficial. Macri manifestou essa sua intenção em telefonema com a presidente brasileira Dilma Rousseff na segunda-feira (23/11), que o telefonara para cumprimentá-lo pela vitória na eleição presidencial argentina. O novo presidente também disse a Dilma que pretende dar “nova vitalidade ao Mercosul” e ter uma relação “fluida e dinâmica” com o Brasília.

Foto: Reuters / M. Brindicci.

Mauricio Macri, da oposição, é eleito presidente da Argentina


Com 99% dos votos apurados, Mauricio Macri foi eleito novo presidente da Argentina em segundo turno neste domingo (22/11). Macri obteve aproximadamente 51,4% dos votos e o candidato governista, Daniel Scioli, 48,6%. Resultado marca a primeira derrota eleitoral de um governo progressista na América do Sul em uma década. Em um de seus primeiros pronunciamentos após o pleito, Macri anunciou que pedirá a suspensão da Venezuela do Mercosul com base na cláusula democrática.

Foto: Ansur.

Na Argentina, pesquisas de intenção de voto mostram vantagem para a oposição


Pesquisas de intenção de voto divulgadas nesta quarta-feira (11/11) apontam vantagem do oposicionista Mauricio Macri para as eleições presidenciais da Argentina a serem realizadas no dia 22 de novembro. Macri, que foi o segundo colocado no primeiro turno, apresenta uma vantagem entre 8,5% e 3,8% sobre o governista Daniel Scioli, segundo diferentes agências. O próximo debate presidencial, previsto para domingo (15/11), pode ter grande efeito sobre a relação de votos.

Foto: Guido Chouela.

Magufuli eleito presidente da Tanzânia


No final de outubro (29/10), o Comitê Eleitoral Nacional da Tanzânia declarou que John Magufuli venceu as eleições presidenciais realizadas no dia 25 de outubro. Magufuli, candidato governista, recebeu cerca de 8,8 milhões de votos, 58,46% do total, e será o quinto presidente do país.

Foto: The Citizen.

Eleições ocorrem sem problemas no Haiti e na Costa do Marfim


Na segunda-feira (26/10), a Organização das Nações Unidas (ONU) informou que as eleições de domingo (25/10) no Haiti e na Costa do Marfim foram pacíficas. O porta-voz da organização, Stephane Dujarric, afirmou que as zonas eleitorais haitianas abriram e fecharam no horário determinado, com poucas ocorrências. Já na Costa do Marfim, Dujarric disse que a situação permaneceu pacífica durante todo o dia, com alguns pequenos incidentes na região oeste. Em ambos os países as eleições foram organizadas com cooperação das Nações Unidas.

Foto: UNOCI.

Qual a importância das eleições argentinas para o Brasil?


Fernando Caulyt analisa, em artigo publicado na DW, a importância das eleições argentinas para o Brasil. Os países possuem forte conexão política e econômica e os candidatos têm visões diferentes de como deve ser a relação com Brasília e com o Mercosul. Por exemplo, questões como o acordo Mercosul-União Europeia e a relação de Buenos Aires com a China podem depender do novo presidente.

Foto: AFP / Getty Images.

Scioli e Macri disputarão segundo turno pela presidência da Argentina


Daniel Scioli (Frente para a Vitória), candidato governista, e Mauricio Macri (Cambiemos), da oposição liberal, vão disputar um inédito segundo turno nas eleições presidenciais da Argentina, mostraram os resultados da eleição de domingo publicados nesta segunda-feira (26/10). Scioli obteve aproximadamente 37% dos votos e Macri 34%. O segundo turno está previsto para o dia 22 de novembro e será o primeiro desde a redemocratização argentina.

Scioli (E) e Macri. Imagem: Efe.

Argentina, Haiti e Guatemala têm eleições presidenciais neste domingo


Os eleitores de Argentina, Haiti e Guatemala vão às urnas neste domingo (25/10) escolher seus próximos presidentes. Na Argentina, o candidato governista, Daniel Scioli, é o favorito. Já no Haiti, há mais de 50 candidatos e o pleito é imprevisível. Na Guatemala, o comediante Jimmy Morales é o favorito, semanas depois da renúncia e prisão do presidente Otto Molina.

Scioli. Foto: Daniel Vides / NA / AFP.

(mais…)

TSE deixa de participar de missão de observação eleitoral da UNASUL à Venezuela


O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou nesta terça-feira (20/10) que não participará mais da missão de observação da União das Nações Sul-Americanas (UNASUL) nas eleições parlamentares da Venezuela, previstas para dezembro. A decisão foi tomada após o governo do presidente Nicolás Maduro supostamente vetar a participação do ex-presidente do tribunal Nelson Jobim como líder da missão.

Foto: Eduardo Knapp / Folhapress.

Oposição de esquerda vence eleições no Canadá


Nesta segunda-feira (19/10), o Partido Liberal, de oposição, venceu as eleições no Canadá e ocupará 184 das 338 cadeiras da câmara baixa do Parlamento. Essa maioria permitirá ao novo primeiro-ministro, Justin Trudeau, governar sem depender de outros partidos. Trudeau prometeu o aumento de impostos sobre grandes fortunas, a consulta popular para a mudança de sistema eleitoral e legalizar e regulamentar o uso da maconha.

Justin Trudeau. Foto: Reuters.

Alpha Conde é reeleito presidente da Guiné


Neste sábado (17/10), a Comissão Eleitoral da Guiné anunciou que Alpha Conde foi reeleito para o cargo de presidente no primeiro turno com 57.85% dos votos. O líder da oposição, Cellou Dalein Diallo, que condenou a eleição como fraudulenta, obteve 31.44%. Esta é apenas a segunda eleição na Guiné desde a independência em 1958.

Foto: Cellou Binani / AFP / Getty Images.

Candidato à presidência da Argentina visita Brasil e Uruguai


O candidato à presidente da Argentina, Daniel Scioli, intensificou sua agenda internacional visitando o presidente uruguaio, Tabaré Vázquez, em Montevidéu e a presidente do Brasil, Dilma Rousseff, em Brasília. O candidato prometeu que, caso vencedor nas eleições de 25 de outubro, manterá uma agenda para fortalecer a integração regional.

Fotos: Nodal.am

Lukashenko reeleito presidente de Belarus


O Presidente de Belarus, Alexander Lukashenko, foi reeleito com 83.5% dos votos para seu quinto mandato em eleições realizadas semana passada (11/10). Organizações ocidentais criticaram o pleito por “não ter sido democrático”. Houve diversos protestos contra o presidente, que completa 21 anos no poder.

Foto: AP.

Direita é reeleita em Portugal, mas perde maioria parlamentar


A direita de Portugal venceu as eleições parlamentares realizadas no último domingo (04/10) com 38,6% dos votos, contra 32,4% da oposição socialista. A reeleição porém não garantiu a maioria que o bloco desfrutou no último governo. O Bloco de Esquerda, alinhado com o Syriza grego, teve o melhor resultado da sua história com 10,2% dos votos, superando o Partido comunista com 8,3%. Deste modo, a esquerda portuguesa como um todo obteve a maioria do Parlamento.

Foto: AFP.

RCA cancela eleições devido à onda de violência


A República Centro-Africana e a ONU anunciaram na última quinta-feira (01/10) que, com novos conflitos entre cristãos e muçulmanos no país, as eleições previstas para 18 de outubro tiveram de ser canceladas temporariamente. A presidente Catherine Samba-Panza, líder do governo de transição, criticou na última Assembleia Geral da ONU o embargo de armas, que impede o país de impor autoridade sobre seu território, e defendeu uma maior autoridade das forças de manutenção de paz da ONU no país.

Fonte: UOL.

Mapa: UOL.

Embaixador brasileiro considera positivas as eleições no Haiti


O embaixador do Brasil no Haiti, Fernando Vidal, considerou o processo eleitoral do país como “positivo” mesmo com as eleições para o parlamento em agosto terem sido marcadas por tumultos e abstenção de 82%. Alto índice se dá por ser o voto facultativo e por dificuldade na locomoção. Novas eleições estão marcadas para dia 25 de outubro, desta vez para presidente. Além da polícia, forças da MINUSTAH, missão liderada pelo Brasil, devem atuar na segurança do evento.

Foto: MINUSTAH / Logan Abassi.

Syriza vence eleições na Grécia


No último domingo (20/09), o Syriza, partido de esquerda liderado por Alexis Tsipras, venceu as eleições antecipadas realizadas na Grécia, obtendo 145 dos 300 assentos no Parlamento. Para obter maioria, o partido fechou coalizão com os nacionalistas Gregos Independentes. Tsipras, que renunciou do cargo de primeiro-ministro e convocou as eleições, agora conduzirá o ajuste fiscal que ele mesmo negociou com os credores internacionais em junho deste ano.

Foto: AP Photo / Giannis Papanikos.

Pesquisa mostra esquerda e conservadores empatados em eleição na Grécia


Nesta segunda-feira (14/09), foi divulgada uma pesquisa que mostra o partido de esquerda Syriza e o conservador Nova Democracia empatados, cada um com 31,6% das intenções de votos para a eleição geral na próxima semana. Em seguida aparecem os partidos Amanhecer Dourado, de extrema direita, o comunista KKE, e o centrista To Potami. As eleições antecipadas na Grécia ocorrem após a renúncia de Tsipiras, líder do Syriza, que ficou no governo por sete meses.

Foto: Reuters/ M. Karagiannis.

Eleições legislativas na Turquia ocorrerão em novembro


A comissão de eleições da Turquia propôs ao governo no último dia 20 de agosto que as eleições sejam antecipadas para o dia 1º de novembro. O motivo seria a falha na negociação entre o partido no poder, o AKP, com os de oposição, sociais-democratas e nacionalistas, para a formação de uma coalizão. A crise política, que preocupa investidores em razão da queda da lira frente ao dólar e ao euro, vem acompanhada de uma crise de segurança, com conflitos contra o “Estado Islâmico” e o movimento separatista curdo.

Foto: Reuters, Stringer.

Primeiro-ministro turco Ahmet Davutoglu. Foto: Reuters, Stringer.

Nkurunziza assume terceiro mandato presidencial no Burundi


Em cerimônia realizada no dia 20 de agosto, o presidente Nkurinziza tomou posse do seu terceiro mandato no Burundi. Durante a cerimônia, organizada sem aviso prévio no Palácio do Congressos de Bujumbura, o presidente prestou juramento junto ao Tribunal Constitucional e as duas câmaras do Parlamento reunidas. Oposição, sociedade civil, Igreja Católica e parte do partido de Nkurunziza, o CNDD-FDD, alegam que a segunda releição do presidente vai contra a Constituição do país e aos Acordos de Arusha, que garantiram o fim da guerra civil no país.

Foto: Reuters.

Foto: Reuters.

Braço direito de Nkurunziza é assassinado no Burundi


O general Adolphe Nshimirimana, braço direito do presidente reeleito Pierre Nkurunziza, do Burundi, foi morto no último domingo (02/08) em um tiroteio na capital do país, Bujumbura. O general foi morto por um homem em um carro enquanto o veículo do governo circulava na vizinhança de Kamenge. O assassinato pode aumentar as tensões no país, que tem sofrido com ondas de violência desde que Nkurunziza anunciou que concorreria a um terceiro mandato presidencial.

Foto: CCTV Africa.

Nkurunziza. Foto: CCTV Africa.

Líder da oposição pede que Nkurunziza forme governo de unidade nacional no Burundi


Agathon Rwasa, líder da oposição ao atual governo do Burundi, liderado pelo presidente Pierre Nkurunziza, declarou na última quarta-feira (22/07) que a formação de um governo de unidade nacional é urgente. De acordo com Rwasa, o país ainda corre sério risco de golpes militares caso Nkurunziza opte por uma movimentação política que não abranja a oposição e não marque novas eleições para 2016.

Foto: AFP.

Foto: AFP.