Eleições

Voto obrigatório e redução de desigualdades


Confira aqui a matéria de Aamna Mohdin que discute os problemas atuais das democracias ocidentais, principalmente a pouca participação em eleições de voto facultativo e o alto número de eleitores desinformados, e os méritos do voto obrigatório como ferramenta para combatê-los. Segundo pesquisas mostradas pela autora, o voto obrigatório aumenta o número de eleitores informados e, não só isso, reduz desigualdades de gênero e sociais.

Países com voto obrigatório. Mapa: CIA World Factbook via Quartz.

Anúncios

Tribunal Constitucional da Áustria anula eleições presidenciais


Nesta sexta-feira (01/07), o Tribunal Constitucional da Áustria anunciou a anulação do segundo turno das recentes eleições presidenciais e a realização de um novo pleito por ter detectado inúmeras irregularidades na contagem de votos pelo país. Em maio, o candidato apoiado pelo Partido Verde, Alexander van der Bellen, venceu o candidato da extrema-direita, Norbert Hofer — que vencera no primeiro turno –, com uma margem de menos de 1% dos votos. Portanto, Hofer, que entrou com o pedido de anulação do segundo turno junto ao Tribunal e que vem prometendo a realização de um referendo sobre continuidade da Áustria na União Europeia nos moldes do que ocorreu no Reino Unido, terá mais uma chance de concorrer à presidência austríaca. O cargo é tido como meramente simbólico no país.

Presidente do Tribunal Constitucional Austríaco (C). Foto: BBC.

Impasse político na Espanha não é superado mesmo com novas eleições


Em eleições realizadas neste domingo (26/06) na Espanha, o Partido Popular (PP), do primeiro-ministro Mariano Rajoy, conseguiu 137 assentos no Parlamento. Esse número não dá a maioria ao partido, assim dando continuidade ao impasse político na Espanha. O Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE) obteve 85 assentos, enquanto o Unidos Podemos conseguiu 71, praticamente mantendo seus desempenhos eleitorais. Uma coalizão entre o PP e outro partido relevante é improvável, e assim, é previsto um governo fraco — caso não se realizem novas eleições gerais –.

Foto: J. Nurphoto / picture-alliance.

Hillary Clinton alcança número de delegados necessário para nomeação à presidência


A pré-candidata à presidência dos Estados Unidos pelo Partido Democrata, Hillary Clinton, atingiu a marca dos 2.383 delegados em seu favor — o número necessário para a sua potencial candidatura. A quantidade de delegados foi atingida após uma vitória significativa em Porto Rico somada ao apoio dos chamados “superdelegados”. No entanto, a oficialização de sua candidatura só ocorrerá na Convenção Nacional do partido em julho deste ano.

Foto: n.i.

Nos EUA, Bernie Sanders empurra Partido Democrata para a esquerda


Segundo a análise de Spencer Kimball, mais do que uma disputa pela nomeação para a candidatura presidencial em 2016, o duelo entre os pré-candidatos democratas, Hillary Clinton e Bernie Sanders, é uma batalha pelo futuro do partido. Autodeclarado “socialista” em um país onde o termo é usado como insulto, Sanders e seus apoiadores tentam influenciar a agenda do Partido Democrata com ideias mais à esquerda para além da disputa eleitoral de 2016. Entre suas ideias progressistas, estão ensino superior gratuito e saúde pública para todos, por exemplo.

Foto: L. Jackson / Reuters via DW.

Londres elege seu primeiro prefeito muçulmano


Nesta sexta-feira (06/05), Londres elegeu Sadiq Khan para a prefeitura da cidade com 57% dos votos. Filho de uma costureira e de um motorista de ônibus paquistaneses, Khan, defensor dos direitos humanos e da manutenção do Reino Unido na União Europeia, será o primeiro prefeito muçulmano de um capital ocidental e marca o retorno do Partido Trabalhista para o executivo de Londres. Apesar da importante vitória, o partido sofreu duras perdas em todo o país, especialmente em cidades da Escócia.

Sadiq Khan. Foto: Kirsty Wigglesworth / AP via LA Times.

Com saída de Kasich e Cruz, Trump aproxima-se de nomeação pelo Partido Republicano


Após os resultados das primárias no estado de Indiana nos EUA que favoreceram o pré-candidato Donald Trump, o senador Ted Cruz desistiu da corrida pela nomeação para a candidatura presidencial do Partido Republicano. Segundo fontes próximas do terceiro pré-candidato, John Kasich, este também teria decidido renunciar. Com Kasich e Cruz fora do páreo, Trump fica bem próximo de ser confirmado como candidato oficial dos republicanos para as eleições de 2016.

Donald Trump (C). Foto: Damon Winter / The New York Times.

Rei da Espanha dissolve parlamento e convoca novas eleições gerais


Nesta terça-feira (03/05), o rei Felipe VI da Espanha dissolveu o parlamento do país e convocou novas eleições gerais. O motivo para a medida é a inabilidade de os partidos formarem um governo de coalizão. A Espanha está sem governo desde as eleições gerais de dezembro de 2015. Essa é a primeira vez que um monarca espanhol interferiu na política do país desde a redemocratização. As novas eleições foram marcadas para o dia 26 de junho deste ano, mas nenhum partido parece ter força para conquistar uma maioria.

Foto: Casa del Rey.

No Peru, Keiko Fujimori vence primeiro turno das eleições presidenciais


Neste domingo (10/04), Keiko Fujimori venceu o primeiro turno das eleições presidenciais no Peru com  aproximadamente 40% dos votos. Fujimori é a líder do partido Fuerza Popular e filha do ex-presidente Alberto Fujimori, condenado por violação dos direitos humanos e corrupção. No segundo turno, no dia 5 de junho, ela concorre com Pedro Pablo Kuczynski, do partido Peruanos por el Kambio, que obteve cerca de 24% dos votos.

Foto: C. Bouroncle / DPA/ Getty Images

Mianmar elege primeiro presidente civil em 54 anos


Nesta terça-feira (15/03), o Parlamento do Mianmar elegeu Htin Kyaw como presidente do país, o primeiro civil não designado pelas Forças Armadas desde 1962. O novo líder integra a Liga Nacional para a Democracia (NLD), é aliado de Aung San Suu Kyi e será empossado no primeiro dia de abril. Nas eleições, o novo chefe de Estado superou Henry Van Thio -também membro da NLD- e o tenente-general Mying Swe, que assumirão como vice-presidentes.

Foto: Reuters

CELAC designa missão para acompanhar processo eleitoral do Haiti


A Comunidade de Estados Latino-americanos e Caribenhos (CELAC) designou nesta quarta-feira (27/01) uma missão de chanceleres para avaliar a situação eleitoral do Haiti. Medida se deu após pedido haitiano. A Organização dos Estados Americanos (OEA) também enviou uma missão especial de mediação na crise política e social do país, porém não realizou votação entre seus membros.

haiti_celac_1718483346

Foto: Twitter / El Telegrafo.

Corte Constitucional anula eleições legislativas na República Centro-Africana


A Corte Constitucional da República Centro-Africana decidiu nesta segunda-feira (25/01) anular as eleições legislativas realizadas no fim de dezembro devido a irregularidades no processo. O primeiro turno das eleições presidenciais, realizadas no mesmo dia, foram validadas. A decisão põe em risco a transição democrática que país vive após anos de conflito civil.

0127carvotes

Foto: Issouf Sanogo / AFP / Getty Images.

Político de centro-direita é eleito presidente de Portugal


Em eleições realizadas neste domingo (24/01), Marcelo Rebelo de Sousa foi eleito o novo presidente de Portugal. Assim, o político de centro-direita deve balancear o governo socialista do primeiro-ministro António Costa, que assumiu em novembro. O presidente foi eleito com 52% dos votos e possui poderes de dissolver o Parlamento e convocar novas eleições.

87875307_vpp6rs1t

Foto: AFP.

Haiti adia eleições novamente


O Haiti adiou, nesta sexta-feira (22/01), pela terceira vez suas eleições, que seriam realizadas no próximo domingo (24/01). Autoridades eleitorais consideraram que havia um risco securitário para realizar o pleito. Diversos candidatos acusaram fraudes eleitorais e anunciaram o boicote às eleições.

87861921_030946409-1

Foto: AFP.

Sérvia anuncia eleições antecipadas


O primeiro-ministro da Sérvia, Aleksandar Vucic, anunciou neste domingo (17/01) eleições legislativas antecipadas para o segundo trimestre no país. Ele argumentou que seu governo precisa de mais quatro anos no poder para realizar, até 2020, as reformas já iniciadas e combater a corrupção, o crime organizado e os privilégios das elites. Vucic, do Partido Progressista Sérvio (SNS), também pretende deixar o país “às portas da União Europeia (UE)”. Eleições devem ocorrer no final de abril.

serbien-aleksandar-vucic

Foto: Kristina Maslarevic / Getty Images.

Partido de oposição vence eleições em Taiwan


Tsai Ing-wen, do Partido Progressista Democrático (DPP, em inglês), venceu com 56,2% dos votos as eleições presidenciais realizadas em Taiwan neste sábado (16/01). O candidato Eric Chu, do partido governista  Kuomintang (KMT), ficou com 30,9% dos votos. Tsai será a primeira presidente mulher da ilha e a segunda de seu partido. O resultado das eleições legislativas ainda não foi divulgado, mas expectativas apontam que o DPP conseguirá a maioria absoluta do Parlamento.

thediplomat_2016-01-16_13-30-49-386x289

Foto: Flickr / 中岑 范姜.

Eleições no Haiti devem ocorrer dia 24 de janeiro


O chefe da comissão eleitoral do Haiti anunciou, na última terça-feira (05/01), que as eleições presidenciais e legislativas devem acontecer no dia 24 de janeiro. Data recebeu críticas, pois o novo governo deve assumir, segundo a Constituição, até o dia 07 de fevereiro, dando assim pouco tempo para uma transição com estabilidade.

haiti-elections-20151-200x200

Foto: HL / HaitiNews509.

Eleições na Espanha dividem parlamento


As eleições legislativas realizadas neste domingo (20/12) na Espanha terminou com nenhum partido conseguindo a maioria absoluta do parlamento. O Partido Popular (PP), do primeiro-ministro Mariano Rajoy, conseguiu 122 assentos, seguido da legenda de centro-esquerda Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE), com 93. Em terceiro lugar, os esquerdistas do Podemos (contando com outras três formações apoiadas pelo partido na Galicia, Catalunha e Comunidade Valenciana), com 69 parlamentares. A legenda de centro-direita Ciudadanos ficou com 38 deputados.

018930251_30300

Foto: Reuters / J. Nazca.

O contexto regional sul-americano e as eleições na Venezuela


Em artigo publicado no blog Post-Western World (07/12), Oliver Stuenkel considera que uma das principais razões do presidente Nicolás Maduro ter aceitado a derrota eleitoral foi a mudança da situação regional. A eleição de Macri na Argentina e a crise política no Brasil levaram os dois países, junto com outros da América do Sul, a mudar o tom e insistir na manutenção dos direitos humanos e da democracia na Venezuela.

635850324552705158w

Foto: Agência Efe.

A eleição de Kaboré em Burkina Faso


Daniel Eizenga analisa em artigo publicado no jornal The Washington Post (06/12) a situação política de Burkina Faso após a eleição de Roch Marc Christian Kaboré para presidente do país. A ascensão de Kaboré deve representar uma mudança em relação aos últimos 18 meses, que foram marcados por protestos contra o governo anterior e uma tentativa de golpe. O partido de Kaboré, o MPP, não conseguiu a maioria do Parlamento e deve buscar uma coalizão, e ainda enfrentará uma forte oposição.

000_was8985256

Foto: Issouf Sanogo / AFP.

Netanyahu confirma encontro com Donald Trump


O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, confirmou na quarta-feira (09/12) que se encontrará com Donald Trump, pré-candidato a presidente dos Estados Unidos pelo Partido Republicano. Encontro se dará mesmo com declarações polêmicas de Trump sobre a imigração de muçulmanos para os EUA. O candidato republicano deve visitar Israel no final de dezembro.

3500

Foto: Ronen Zvulun / Reuters.

Dia 18 Ruanda decidirá em referendo sobre reformas constitucionais


Na próxima sexta-feira, dia 18 de dezembro, será realizado um referendo em Ruanda para a aprovação ou não de reformas constitucionais que permitiriam que o atual presidente, Paul Kagame, concorra a uma segunda reeleição. Caso sejam aprovadas, Kagame, que ainda não anunciou se pretende ou não concorrer a novas reeleições, poderia permanecer no poder até 2034. Reformas diminuem o mandato de sete para cinco anos e mantêm o limite de uma única reeleição por candidato, mas só se tornariam válidas a partir de 2034.

Kagame. Foto: AFP.

São Vicente e Granadinas realiza eleição geral


Nesta quarta-feira (09/12), o país de São Vicente e Granadinas realiza sua eleição geral para escolher um novo parlamento e primeiro-ministro. O pleito é o primeiro em quase vinte anos que pode pôr em risco o domínio do Partido Trabalhista de Unidade (PTU), de esquerda, do atual premiê Ralph Gonsalves. A oposição, encabeçada pelo Novo Partido Democrático (NPD), vem ganhando força nos últimos anos. Especula-se que, caso o NPD vença, o país caribenho venha a afastar-se de projetos de integração regional como a Petrocaribe e a ALBA.

Premiê Ralph Gonsalves. Foto: TeleSurTV / Arquivo.

Na Venezuela, Maduro promete reforma ministerial e veto à anistia


Nesta terça-feira (08/12), o presidente venezuelano Nicolás Maduro pediu que seus ministros pusessem seus cargos à disposição para realizar uma ampla reforma ministerial. Maduro também anunciou que vetará quaisquer tentativas da oposição de anistiar os supostos presos políticos do país. Além da lei de anistia, a oposição, que recentemente venceu as eleições parlamentares na Venezuela, pretende passar outras nove legislações-chave, a maioria de cunho econômico, as quais podem ser também barradas por Maduro.

Foto: Assembleia Nacional da Venezuela.

Oposição vence eleições parlamentares na Venezuela


O Conselho Nacional Eleitoral (CNE) da Venezuela divulgou os resultados das eleições realizadas no domingo (06/12), mostrando a vitória da oposição, que obteve maioria na Assembleia. A eleição parlamentar contou com ampla participação popular (74,25% dos eleitores), foi tranquila — com a exceção de alguns episódios — e contou com missões internacionais de observação, como a da UNASUL. Em discurso nesta segunda-feira (07/12), o presidente Nicólas Maduro reconheceu a derrota e afirmou que “trinfou a Constituição e a democracia”.

635850324552705158w

Foto: Agência Efe.

Recém-eleito, Macri anuncia que Brasil será seu primeiro destino oficial


Mauricio Macri, recém-eleito presidente da Argentina, anunciou que o Brasil deverá ser o destino de sua primeira viagem internacional oficial. Macri manifestou essa sua intenção em telefonema com a presidente brasileira Dilma Rousseff na segunda-feira (23/11), que o telefonara para cumprimentá-lo pela vitória na eleição presidencial argentina. O novo presidente também disse a Dilma que pretende dar “nova vitalidade ao Mercosul” e ter uma relação “fluida e dinâmica” com o Brasília.

Foto: Reuters / M. Brindicci.

Mauricio Macri, da oposição, é eleito presidente da Argentina


Com 99% dos votos apurados, Mauricio Macri foi eleito novo presidente da Argentina em segundo turno neste domingo (22/11). Macri obteve aproximadamente 51,4% dos votos e o candidato governista, Daniel Scioli, 48,6%. Resultado marca a primeira derrota eleitoral de um governo progressista na América do Sul em uma década. Em um de seus primeiros pronunciamentos após o pleito, Macri anunciou que pedirá a suspensão da Venezuela do Mercosul com base na cláusula democrática.

Foto: Ansur.

Na Argentina, pesquisas de intenção de voto mostram vantagem para a oposição


Pesquisas de intenção de voto divulgadas nesta quarta-feira (11/11) apontam vantagem do oposicionista Mauricio Macri para as eleições presidenciais da Argentina a serem realizadas no dia 22 de novembro. Macri, que foi o segundo colocado no primeiro turno, apresenta uma vantagem entre 8,5% e 3,8% sobre o governista Daniel Scioli, segundo diferentes agências. O próximo debate presidencial, previsto para domingo (15/11), pode ter grande efeito sobre a relação de votos.

Foto: Guido Chouela.

Concluídas as convesas sobre conflito sírio em Viena


Uma reunião multinacional para tratar da questão da Guerra Civil da Síria semana passada (30/10) foi concluída com o pedido para a Organização das Nações Unidas (ONU) mediar e supervisionar eleições no país árabe. Participantes do encontro, entre eles o Irã, ainda pediram para a ONU reunir a oposição síria para o processo político. Além disso, também foi firmado um acordo para combater grupos terroristas na região, notadamente o “Estado Islâmico”.

Foto: AFP 2015 / Joe Klamar.

Magufuli eleito presidente da Tanzânia


No final de outubro (29/10), o Comitê Eleitoral Nacional da Tanzânia declarou que John Magufuli venceu as eleições presidenciais realizadas no dia 25 de outubro. Magufuli, candidato governista, recebeu cerca de 8,8 milhões de votos, 58,46% do total, e será o quinto presidente do país.

Foto: The Citizen.