Ernesto Samper

Secretário-Geral da UNASUL comenta projeto de cidadania sul-americana


Na última quarta-feira (29/07), o secretário-geral da União das Nações Sul-Americanas (UNASUL), Ernesto Samper, afirmou que está em construção o projeto de “cidadania sul-americana” idealizado pelo bloco. A iniciativa visa a estabelecer uma  identificação de cidadania sul-americana para os mais de 400 milhões de habitantes do continente, permitindo-lhes a livre circulação e trabalho na região. Além disso, o secretário apontou para o potencial da iniciativa em servir como proteção dos mais de 25 milhões de sul-americanos que vivem no exterior — especialmente para aqueles que passam por julgamentos em tribunais estrangeiros.

Foto: Ansur.

Anúncios

UNASUL visita Suriname para tratar da crise política no país


Nesta semana, o secretário-geral da União de Nações Sul-Americanas (UNASUL), Ernesto Samper, e a presidente pro tempore da organização, a chanceler venezuelana Delcy Rodríguez, visitaram o Suriname para tratar da crise política no país a convite do presidente surinamês Desiré Bouterse. Bouterse está sendo julgado pelo assassinato de 15 opositores políticos na década de 1980 pela Suprema Corte do Suriname, apesar da existência de uma lei de anistia, o que o levou a afirmar que há uma crise constitucional acontecendo. Representantes da UNASUL reuniram-se com diversos membros do governo e garantiram que continuarão monitorando a situação para que não haja rupturas democráticas no Suriname.

Foto: Nodal.

Unasul demonstra preocupação com afastamento de Dilma Rousseff


Nesta quinta-feira (12/05), o secretário-geral da União das Nações Sul-Americanas (Unasul), Ernesto Samper, demonstrou preocupação com o afastamento da presidente brasileira Dilma Rousseff. Ele afirmou que a instabilidade política do Brasil, devido ao seu peso regional, pode afetar a estabilidade democrática da América do Sul. Segundo Samper, o processo não corresponde a um crime de Dilma e pode se difundir de maneira perigosa pela região, já que abre precedente para uma maioria parlamentar afastar uma presidente eleita, a despeito do voto popular.

Samper. Foto: flickr.com / Agencia de Noticias ANDES. 

Unasul é única organização reconhecida por governo e oposição na solução da crise política venezuelana


A atuação da Unasul na solução negociada da crise política venezuelana contrasta com a recente atitude estadunidense em sancionar autoridades do país. Na última semana, chanceleres da Unsaul foram ao país e ouviram governo e oposição para garantir que não haja uma ruptura democrática. Em nota, o Itamaraty afirmou que “a Unasul é hoje o único organismo internacional que conta com a aprovação tanto do governo como da oposição para levar adiante a promoção do diálogo entre os venezuelanos”.

Foto: Agência Efe

Foto: Agência Efe

Países da Unasul ajudarão Venezuela na distribuição de produtos básicos


O Secretário-geral da Unasul, Ernesto Samper, afirmou que os países-membros da organização cooperarão com a Venezuela na distribuição de produtos básicos. O país passa por uma crise de fornecimento de alimentos e medicamentos; governo e setor empresarial se acusam mutuamente como culpados pelas dificuldades econômicas. Os países da Unasul passarão a integrar a Venezuela em seus canais de distrbibuição de produtos de primeira necessidade.

O Secretário-geral da Unasul, Ernesto Samper (esquerda). Foto: Reuters / Carlos Garcia Rawlins

O Secretário-geral da Unasul, Ernesto Samper (esquerda).
Foto: Reuters / Carlos Garcia Rawlins

Unasul vai mediar tensão política entre governo e oposição na Venezuela


Os chanceleres de Brasil, Colômbia e Equador, somados ao Secretário-Geral da Unasul, Ernesto Samper, irão a Caracas na próxima sexta-feira (06/03) para mediar as tensões entre governo e oposição venezuelanos.  A situação se degradou no país com a prisão do prefeito de Caracas, Antonio Ledezma, acusado de conspirar contra o governo.

Foto: M. Gutiérrez

Foto: M. Gutiérrez

Unasul será vigilante em relação a casos de ruptura democrática, diz secretário


O secretár-geral da Unasul, Ernesto Samper, afirmou à presidenta brasileira que organização será vigilante quanto a rupturas democráticas na região. Prioridades da agenda da Unasul são o combate às desigualdades e promoção da competitividade na América do Sul.

Foto: Yuri Cortez / AFP / Getty Images

Foto: Yuri Cortez / AFP / Getty Images

(mais…)