Espaço

China finaliza obras do maior radiotelescópio do mundo


A China completou as obras do maior radiotelescópio do mundo no início do mês (03/07). A conclusão do projeto levou cinco anos e custou US$ 180 milhões, e cobre a área de cerca de 30 campos de futebol. O telescópio FAST, localizado na província de Guizhou, deve iniciar as operações em setembro de 2016.  O FAST deve aumentar a capacidade de pesquisa espacial, já que pode captar ondas gravitacionais, pulsares e até mesmo sinais de vida extraterrestre.

Foto: Liu Xu / Xinhua

China lança nova geração de foguetes


Em junho a China lançou com sucesso a nova geração de foguetes de carga Long March-7. Os foguetes desse novo tipo são de tamanho médio e de dois estágios, podendo levar até 13,5 toneladas à baixa órbita usando querosene e oxigênio líquido como combustível. Espera-se que o Long March-7 torne-se o principal foguete das missões espaciais chinesas. Pequim espera começar a operar uma estação espacial até 2022.

Foto: Li Gang / Xinhua.

 

Rússia deve testar motor nuclear para espaçonaves até 2018


A Rússia planeja testar um motor nuclear para foguetes espaciais até 2018, afirmou Sergey Kiriyenko, presidente da companhia estatal de pesquisa nuclear Rosatom. Um sistema de propulsão nuclear poderia realizar viagens até Marte em cerca de 6 semanas – comparados com os 18 meses dos sistemas atuais-. Além disso, o motor nuclear aumentaria as capacidades de manobra e de aceleração. O projeto foi lançado em 2010 e tem um custo estimado de US$ 274 milhões.

Foto: Sputnik

Agências espaciais da Europa e da Rússia lançam missão interplanetária


Nesta segunda-feira (14/03), uma missão espacial conjunta da Rússia com a Europa foi lançada. A sonda ExoMars, resultado da colaboração entre a russa Roscosmos e a Agência Espacial Europeia (ESA, em inglês), investigará a atmosfera de Marte e procurará por sinais de vida no planeta. A sonda deve chegar ao seu destino dentro de oito meses. É a primeira missão interplanetária realizada em conjunto entre as agências dos dois países.

Foto: Shamil Zhumatov / Reuters

China deve lançar segundo laboratório espacial ainda este ano


A China deve lançar o seu segundo laboratório espacial, o Tiangong-2, no terceiro trimestre deste ano, informou a Xinhua na última semana (29/02). Os dois laboratórios devem servir como experiência para uma futura estação espacial permanente, planejada para estar completa em 2022. Uma missão com dois tripulantes será enviada para a Tiangong-2 no final do ano.

Foto: NASA Johnson / Flickr

Senado dos EUA aprova lei sobre mineração de asteroides


O Senado dos Estados Unidos aprovou, na semana passada (10/11), o projeto de lei que confere às empresas do país o direito de propriedade sobre os recursos minerais por elas obtidos em asteroides. A Lei de Competitividade de Lançamento Espacial Comercial (U.S. Commercial Space Launch Competitiveness Act) agora volta à votação na Câmara e, caso aprovada, segue para sanção presidencial.

asteroide

Foto: ESA / Getty Images.

Curso “Espaço e Relações Internacionais”


Convidamos alunos de graduação e pós-graduação a realizarem o curso EAD “Espaço e Relações Internacionais”, oferecido pelo pesquisador associado do ISAPE, Dr. Marco Cepik, professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). O curso trata da importância do espaço sideral para as Relações Internacionais no século XXI. Serão estudadas as características básicas deste ambiente, a história da corrida espacial, as teorias que explicam o poder espacial, e os programas espaciais do Brasil, da China e da Índia. Ao final, destaca-se a inserção dos programas espaciais nas estratégias nacionais de desenvolvimento e de segurança dos países emergentes, sobretudo no contexto de uma ordem internacional em transição.

Cartaz Curso Espaço

(mais…)

Brasil rompe com Ucrânia em questão aeroespacial


Em carta enviada pelo ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, ao embaixador da Ucrânia em Brasília, Rostyslav Tronenko, o governo brasileiro rompeu com o tratado que criou a empresa binacional Alcântara Cyclone Space (ACS). A ACS seria responsável pela elaboração do Cyclone-4, um lançador para satélites de órbita baixa.

Foto: Agência Brasil, Renata Giraldi.

Foto: Agência Brasil / Renata Giraldi.

Rússia deve convidar China para criação de estação lunar conjunta


A Rússia poderá convidar a China para a construção de uma estação de pesquisa na Lua. Essa possibilidade está sendo discutida entre o governo russo e a Roscosmos, a Agência Espacial Federal Russa. Moscou pretende construir sua própria estação espacial até 2024. O vice-Primeiro Ministro Russo, Dmitry Rogozin, debateu o assunto com o Vice-Premiê do Conselho de Estado chinês, Wang Yang, tendo afirmado que ambos os países possuem interesses comuns em questões espaciais.

Foto: Reuters / Aly Song

Foto: Reuters / Aly Song

EUA e Rússia construirão nova estação espacial conjuntamente


Desde que a NASA deixou de usar seus ônibus espaciais, ela tem dependido da Rússia para fazer lançamentos em baixas órbitas. Agora, a Rússia anunciou no sábado (28/03) que irá construir uma estação espacial em parceria com a agência estadunidense. A nova estação orbital deverá substituir a Estação Espacial Internacional, que deve operar até 2024. As recentes tensões entre os países havia posto em dúvida a continuidade de sua cooperação espacial, agora confirmada por oficiais dos dois países.

Foto: NASA

Foto: NASA

Rússia e China criam espaço comum de navegação por satélite


Rússia e China pretendem criar uma área comum de navegação por satélite através de parceria entre o Glonass russo e o Beidou chinês. Será criada uma empresa conjunta que, ao integrar as duas tecnologias, desenvolverá um novo sistema de navegação operacional em todo o planeta.

Foto: RIA Novosti/Sergey Pyatakov

Foto: RIA Novosti/Sergey Pyatakov

(mais…)

Índia põe satélite na órbita de Marte


A Índia pôs com sucesso um satélite na órbita de Marte, sendo a primeira a fazê-lo em sua primeira tentativa. O país se junta a um grupo que incluía apenas EUA, Rússia e Europa. O satélite tem objetivos científicos e dá mais força ao programa espacial indiano, que possui recursos humanos para avançar ainda mais.

Cientistas indianos comemoram Foto: AP

Cientistas indianos comemoram
Foto: AP

(mais…)

Rússia suspende exportação de foguetes aos EUA


Como resposta às sanções dos Estados Unidos contra a Rússia por causa da crise na Ucrânia, Moscou anunciou que suspenderá a exportação de foguetes e componentes (tais como motores) para o país. Medida deve afetar programas miltares e espacial.

ISS. Foto: picture-alliance / dpa.

ISS. Foto: picture-alliance / dpa.

(mais…)

Rússia negará aos EUA acesso à ISS a partir de 2020


Como resposta às sanções dos Estados Unidos contra a Rússia por causa da crise na Ucrânia, Moscou anunciou que não estenderá a parceria com Washington para a Estação Espacial Internacional (ISS, sigla em inglês). Atualmente, somente a Rússia possui os meios de acessar a ISS.

ISS. Foto: picture-alliance / dpa.

ISS. Foto: picture-alliance / dpa.

(mais…)

China testou míssil antissatélite em segredo


Novo relatório sugere que a China secretamente conduziu testes de mísseis antissatélite em maio de 2013. À época, a mídia chinesa declarou que o lançamento do foguete era para analisar partículas energéticas e campos magnéticos próximos da atmosfera terrestre.

Foto: Reuters / Stringer.

Foto: Reuters / Stringer.

(mais…)

Irã lança novo satélite


Persian space: Iran launches new satellite

Russia Today – 03/02/2012

Iran launched its third domestically-built satellite on Friday. The 50-kilo spacecraft will monitor the climate and take pictures of the Earth’s surface.

The Navid-e Elm-o Sanat microsatellite, whose name means “Harbinger of Science and Industry,” was launched by a modified Safir rocket, the head of the Iranian space agency, Hamid Fazeli, told IRNA news agency.

It has an orbit of between 250 and 370 kilometers and flies around the planet once every 90 minutes.

The launch was timed to coincide with the anniversary of the 1979 Islamic revolution in the country which overthrew the US-backed Shah Mohammad Reza Pahlavi.

President Mahmoud Ahmadinejad, who witnessed the blast off with a number of senior state officials, said the satellite was “a message of friendship to humanity.” (mais…)

China aumenta sua presença no espaço


Cold Wars, Star Wars: Watch This Space

ISN / Gerard DeGroot – 26/09/2011

As US space programs are winding down their operational capabilities, China seems to be heading in the opposite direction. What exactly are the Chinese doing with their rockets?

Not long after the launch of Sputnik III in May 1958, John F Kennedy voiced dire warnings: “If the Soviets control space,” he argued, “they can control the earth, as in past centuries the nation that controlled the seas dominated the continents.” Equally keen to capitalize on the prevalent hysteria, the Senate Majority Leader Lyndon Johnson described space as “high ground” which must not be surrendered to the Soviets: “Control of space means control of the world,” he added, “far more certainly, far more totally than any control that has ever or could ever be achieved by weapons, or troops of occupation. Whoever gains that ultimate position gains control, total control, over the earth.”

Neither Kennedy nor Johnson ever explained how space could be “controlled.” It is, after all, rather big. Their warnings were typical of the post-Sputnik panic – in other words, high on histrionics and low on logic. Looking back on those years, the space dialogue seems terribly old fashioned – a weird mix of anti-Communist hysteria and Buck Rogers fantasies. But before we start praising present day common sense, it is worth pointing out that the “high ground” notion still dominates strategic thinking, as demonstrated by current Chinese activity and the US’ reaction. (mais…)

Domando os Céus: A nova diplomacia espacial


Taming the Heavens: The New Space Diplomacy

ISN Insights/ por Peter A Buxbaum – 27/06/2011

In February, the government of the United States issued its first-ever National Security Space Strategy (NSSS), a document jointly produced by the Department of Defense and the Office of the Director of National Intelligence. The timing of the release was interesting, coming three months after the Council of the European Union released a draft Code of Conduct for Outer Space Activities.

Skeptics in Washington suspected that the NSSS was a negotiating document released in response to the EU effort, and designed to lead to an accord between the US and the EU on space security. But Republicans in Congress have expressed concerns about some aspects of the EU Code, and appear to have derailed any incipient efforts to reach an agreement. As recently as 4 April, Frank Rose, a Deputy Assistant Secretary of State, told a United Nations conference in Geneva that the US government “hopes to make a decision in the near term as to whether the United States can sign on to this Code, including what, if any, modifications would be necessary.” As a practical matter, little appears to have been achieved in this area. (mais…)