Estado Islâmico

EUA volta a bombardear a Líbia


Nesta segunda-feira (01/08), os Estados Unidos voltaram a bombardear o território da Líbia visando regiões sob controle do “Estado Islâmico”. Segundo informações do Pentágono, os bombardeios estão sendo realizados na cidade de Sirte a pedido do Governo de Coalizão Nacional líbio. Os ataques devem durar alguns dias e, segundo fontes, há forças especiais dos EUA em prontidão no Mediterrâneo.

Mapa: BBC.

EUA propõe maior cooperação com a Rússia na Síria


Obama propôs um novo acordo de cooperação militar entre Estados Unidos e Rússia para a situação na Síria. Segundo essa proposta, Washington e Moscou operariam em bombardeios aéreos conjuntos contra a Frente al-Nusrah (o braço da al-Qaeda na Síria) em troca de pressões russas pelo cessar dos bombardeios do governo sírio sobre alguns grupos rebeldes. Contudo, funcionários do corpo diplomático estadunidense e o próprio Ministro da Defesa se mostraram contrários à iniciativa, alegando que os bombardeios não enfraqueceriam a al-Nusrah e ainda beneficiariam as forças de Assad na guerra civil.

Imagem: Fotolia / viperagp.

Imagem: Fotolia / viperagp.

Rússia envia porta-aviões para a Síria


A Rússia está enviando seu único porta-aviões para a Síria a fim de combater o “Estado Islâmico” naquele país. Chamado de “Almirante Kuznetsov”, o navio carregará ao menos 15 caças e dez helicópteros de ataque. O porta-aviões deve ficar estacionado no leste do mar Mediterrâneo pelo menos até fevereiro de 2017.

Foto: Arquivo / AP via Sputnik.

Atentado do Estado Islâmico em Bagdá vitima mais de 200 pessoas


No domingo (03/07), o “Estado Islâmico” realizou um atentado terrorista em Bagdá, capital do Iraque, que causou a morte de pelo menos 213 pessoas e deixou cerca de 300 feridos. O ataque ocorreu do lado de fora da sorveteria mais antiga e popular da cidade no momento em que pessoas se juntavam para fazer as compras às vésperas do final do Ramadã, mês sagrado muçulmano. Além desse ataque, um outro foi realizado em outro bairro da cidade e deixou cinco mortos e 18 feridos, mas sem reivindicação de autoria até o momento. O Iraque vem sofrendo uma onda de atentados do “Estado Islâmico” em resposta às suas vitórias territoriais contra o grupo terrorista.

Foto: Reuters via Al Jazeera.

Três atentados deixam pelo menos 35 mortos no sul do Iêmen


Nesta segunda-feira (27/06), pelo menos 35 pessoas morreram e outras 24 ficaram feridas após três bombas explodirem na cidade de Makalla, no sul do Iêmen. O grupo “Estado Islâmico” assumiu a autoria dos ataques, mas o governo acredita que existe também envolvimento da Al-Qaeda da Península Arábica (AQAP), que controlava a cidade até recentemente. Os atentados atingiram em sua maioria militares.

Foto: Reuters

Iraque inicia ofensiva para retomar Falluja do “Estado Islâmico”


Nesta segunda-feira (23/05), o Iraque iniciou uma ofensiva para retomar a cidade de Falluja do grupo “Estado Islâmico (EI)”, informou o primeiro-ministro iraquiano Haider al-Abadi. Cidade é controlada pelo EI desde fevereiro de 2014. As Forças do governo já conquistaram distritos no exterior de Falluja e estão atingindo a cidade com artilharia. A ofensiva direta representa uma mudança de atitude de Bagdá, que até agora tentou tomar a cidade a isolando e cortando seus suprimentos, sem sucesso.

Foto: Ahmad Al-Rubaye / Agence France-Presse / Getty Images

 

Atentados do EI deixam mais de 100 mortos na Síria


Nesta segunda-feira (23/05), mais de 100 pessoas morreram em uma série de atentados na Síria. O grupo “Estado Islâmico” assumiu a autoria dos ataques. Sete explosões atingiram duas cidades sírias -Jableh e Tartus- controladas pelo governo. Na primeira foram contabilizadas 53 vítimas, enquanto na segunda foram 48 mortos.

Foto: SANA / Reuters

Potências defendem o fornecimento de armas para a Líbia combater o EI


Nesta segunda-feira (16/05), um comunicado conjunto de mais de 20 países -incluindo os Estados Unidos, China, Rússia, Reino Unido e França- defendeu o fornecimento de armas para o novo governo de unidade da Líbia. Armamentos serviriam para combater o “Estado Islâmico” (EI) e outros grupos que se opõe ao governo. Para fornecer os equipamentos, as potências terão de aprovar exceções a um embargo de armas da ONU imposto à Líbia para evitar que armamentos letais chegassem às mãos de extremistas islâmicos e militantes rivais.

Foto: L. Foeger / Reuters

Iraque lança ofensiva para retomar cidade do Estado Islâmico


Nesta segunda-feira (16/05), o Iraque e forças aliadas lançaram uma ofensiva para retomar a cidade de Al-Rutbah do grupo Estado Islâmico (EI). As operações contarão com tanques, artilharia, Forças Especiais, forças policiais e paramilitares. O apoio aéreo será realizado por aviões iraquianos e pela coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos. O EI controla a cidade desde 2014.

Foto: Moadh Al-Dulaimi / AFP

Estado Islâmico reivindica atentados terroristas no Iraque e no Iêmen


O Estado Islâmico (EI) reivindicou a autoria de ataques terroristas ocorridos no Iraque e no Iêmen neste domingo (15/05) . Um carro-bomba e seis extremistas atacaram uma fábrica de gás de cozinha na cidade de Taji (20 quilômetros ao norte de Bagdá), deixando pelo menos 14 mortos e 27 feridos. Outras 4 bombas explodiram nas proximidades e no interior de Bagdá, deixando mais de 15 mortos e 46 feridos. Já no Iêmen, um ataque contra um centro da polícia deixou, além de dezenas de feridos, pelo menos 25 recrutas mortos, na cidade de Mukalla, no sul do país. 

Foto: AFP

Bélgica entra na coalizão para combater “Estado Islâmico” na Síria


Nesta sexta-feira (13/05), a Bélgica anunciou que vai participar da coalizão internacional para bombardear o grupo “Estado Islâmico” (EI) na Síria. O país enviará seis caças F-16 com previsão do início das operações em julho. Bruxelas se retirou das operações no Iraque de ataque ao EI na metade de 2015.

Foto: Getty Images.

Mais de 80 mortos em atentados do Estado Islâmico em Bagdá


Nesta quarta-feira (11/05), pelo menos 80 pessoas morreram e mais de 100 ficaram feridas após atentados terroristas em Bagdá, capital do Iraque. As três explosões atingiram bairros com maioria xiita da cidade. O grupo “Estado Islâmico” assumiu a autoria dos atentados.

Mourners react during a funeral of a victim who was killed in a bomb attack in Baghdad

Foto: Alaa Al-Marjani / Reuters

EUA vai enviar mais 250 militares para a Síria


Nesta segunda-feira (25/04), o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou o envio de mais 250 militares para a Síria. As novas tropas, que incluem soldados das Forças Especiais, têm como objetivo auxiliar forças locais no combate ao grupo “Estado Islâmico” (EI). Atualmente os EUA possuem 50 soldados no país. Obama também pediu uma maior participação da Europa e de outros aliados no combate ao EI.

Foto: Carolyn Kaster / AP

EUA e Conselho de Cooperação do Golfo prometem maior cooperação


Nesta quinta-feira (21/04), realizou-se um encontro entre o Conselho de Cooperação do Golfo (GCC, em inglês) e os Estados Unidos. Segundo o presidente norte-americano Barack Obama, os países do GCC -Omã, Emirados Árabes Unidos, Arábia Saudita, Qatar, Bahrein e Kuwait- concordaram em aumentar seus esforços no combate ao grupo “Estado Islâmico” e na reconstrução do Iraque. O encontro também foi marcado por desacordos sobre a relação dos EUA com o Irã.

Foto: K. Lamarque / Reuters

EUA enviarão mais tropas e recursos para o Iraque


Os Estados Unidos aumentarão o número de tropas no Iraque, informou o secretário de Defesa do país, Ashton Carter, nesta segunda-feira (18/04). Serão enviados 217 militares para auxiliar as forças iraquianas diretamente na linha de frente contra o grupo “Estado Islâmico” (EI). Carter também anunciou o envio de oito helicópteros de ataque Apache para retomar Mosul e a ajuda de US$415 milhões para unidades militares peshmerga no país.

Foto: picture-alliance/ AP Photo

EUA envia aviões de guerra eletrônica para combater o Estado Islâmico


Os Estados Unidos enviou um esquadrão de aeronaves de guerra eletrônica para a base aérea de Incirlik, na Turquia, informaram militares do país nesta quinta-feira (14/04). Os aviões EA-6B Prowler irão participar da campanha contra o grupo “Estado Islâmico”, atacando e minando a sua capacidade de comunicação.

Foto: Jodson B. Graves / U.S. Marines

Pelo menos 29 pessoas morreram em atentados do EI no Iraque


Nesta segunda-feira (04/04), pelo menos 29 pessoas morreram e outras 60 ficaram feridas após uma série de atentados no Iraque. Ataques suicidas, reivindicados pelo grupo “Estado Islâmico” (EI), ocorreram em diversas regiões do país, inclusive na capital Bagdá. O pior ataque ocorreu na província de Dhi Qar, no sudeste do país, onde morreram 14 pessoas. A maioria dos alvos eram forças militares e paramilitares que lutam contra o EI.

Foto: K. Mohammed / DPA/ picture-alliance

Governo sírio recupera cidade histórica de Palmira


Nesta quarta-feira (23/03), o governo da Síria recuperou a cidade histórica de Palmira. Segundo um general sírio, o Exército atuou sem apoio aéreo. Cidade estava sob controle do grupo “Estado Islâmico” desde maio de 2015 e teve parte de seu patrimônio histórico destruído.

Foto: Wikipedia / Ulrich Waack

Estado Islâmico assume autoria de atentados que deixaram mais de 30 mortos na Bélgica


O grupo “Estado Islâmico” (EI) assumiu a autoria dos atentados terroristas que ocorreram nesta terça-feira (22/03) na Bélgica. Ataques deixaram pelo menos 30 mortos e mais de 100 feridos. Bombas explodiram no aeroporto de Bruxelas, o maior do país, e em uma estação de metrô, próxima da sede das instituições europeias. Atentados aconteceram quatro dias depois da prisão no país do principal suspeito de organizar os ataques de Paris no final do ano passado.

Foto: Ketevan Kardava / Reuters / 1Tv.GE

Tunísia fecha fronteira com a Líbia após ataque de terroristas


A Tunísia fechou sua fronteira com a Líbia nesta terça-feira (08/03) após um ataque que deixou 55 mortos. Segundo oficiais tunisianos, a cidade de Ben Gardane foi alvo de militantes do grupo “Estado Islâmico”, que agiram a partir de território líbio. Das vítimas, 36 eram agressores, sete civis e 12 membros das Forças de Segurança da Tunísia.

Foto: AP

Reino Unido envia soldados para combater EI na Tunísia


O Reino Unido anunciou, nesta segunda-feira (29/02), que enviará tropas para a Tunísia com a justificativa de impedir militantes do grupo “Estado Islâmico” entrem no país. Cerca de 20 soldados atuarão com autoridades tunisianas na fronteira com a Líbia para evitar o movimento transfronteiriço.

Foto: Ismail Zitouny / REUTERS

Força multinacional inicia operação para retomar Mosul


Uma força multinacional iniciou uma série de operações para retomar a cidade iraquiana de Mosul do grupo “Estado Islâmico” (EI). Segundo o anúncio feito nesta segunda-feira (29/02), ataques aéreos, terrestres e cibernéticos estão sendo realizados para isolar a cidade, considerada a capital do EI. Além da presença de suas Forças Especiais, os EUA participam com assessores militares e atividades logísticas.

Imagem: Ben Watson / Defense One

Governo e rebeldes respeitam cessar-fogo na Síria


O cessar-fogo na Síria, que teve início no sábado (27/02), foi respeitado na maior parte do país até esta segunda-feira (29/02), segundo relatórios de diversas agências. A medida foi apoiada pelos Estados Unidos e pela Rússia e permitiu que cidades isoladas pelo conflito recebessem ajuda humanitária. Grupos considerados terroristas pela ONU, como o “Estado Islâmico” e a “Frente Al-Nusra”, não foram incluídos no acordo. Segundo oficiais da ONU, apesar de violações localizadas e limitadas, o sucesso do cessar-fogo desenvolve confiança entre as partes, aumentando as chances de sucesso das negociações de paz.

Foto: Yang Zhen/ Xinhua

EUA autoriza uso da força contra EI no Afeganistão


O governo dos Estados Unidos autorizou suas forças a atacar militantes do grupo “Estado Islâmico” (EI) no Afeganistão, permitindo assim a intensificação da luta contra o EI no país. Antes, as tropas estadunidenses podiam usar a força somente contra a Al Qaeda ou para ajudar os militares afegãos.

56a06d7ec46188316a8b459b

Foto: Omar Sobhani / Reuters.

Curdos cometem crimes de guerra contra árabes, diz Anistia Internacional


Segundo a ONG Anistia Internacional, as forças curdas que lutam contra o grupo “Estado Islâmico” (EI) têm destruído deliberadamente diversas casas de árabes no Iraque, a fim de livrar a região de sua presença. Atos e outros crimes de guerra seriam cometidos como vingança ao apoio dessas comunidades ao EI. Segundo um porta-voz curdo, destruição é resultado direto dos conflitos contra o grupo extremista.

87790272_87790270

Foto: Reuters.

Em último discurso ao Congresso, Obama defende diplomacia multilateral


Em seu último discurso ao Congresso sobre o estado da União na semana passada, o presidente dos EUA, Barack Obama, deu um balanço geral de seus sete anos de governo e perspectivas para o futuro. Obama defendeu a regulação de grandes empresas, a tolerância religiosa e ideológica, reformas eleitorais e a continuidade de programas de saúde. Em termos de política externa, defendeu a liderança estadunidense e citou os sucessos da diplomacia multilateral no acordo nuclear com o Irã, no acordo climático de Paris e a retomada de relações com Cuba. Ainda defendeu os ataques aéreos contra o grupo “Estado Islâmico” e rejeitou a ideia intervenção com tropas terrestres. O presidente também frisou que os aliados dos EUA devem assumir um papel maior em sua própria defesa para que Washington não se torne “policial do mundo”.

President Obama Delivers His Last State Of The Union Address To Joint Session Of Congress

Foto: Evan Vucci – Pool / Getty Images.

O enigma do “Estado Islâmico”


Em artigo publicado no jornal Zero Hora (09/01), o professor Paulo Fagundes Visentini questiona os reais motivos e apoiadores do grupo extremista “Estado Islâmico” (EI). Para o autor, o grupo serve para desestabilizar e destruir Estados importantes como o Iraque e a Síria, aliados do Irã. Além do apoio das monarquias petrolíferas e da Turquia, o EI ainda conta com a aquiescência da Europa e dos Estados Unidos.

17869879

Foto: Ahmad Al-Rubaye / AFP.

EUA considera expandir luta contra EI a outros países


O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Ash Carter, sinalizou, na última quarta-feira (13/01), a  possibilidade de expandir a luta contra o grupo “Estado Islâmico” (EI) para outros países além do Iraque e da Síria. Intervenções e ataques aéreos em outros territórios seriam legitimados por leis aprovadas após os ataques de 11 de setembro de 2001. O EI se faz presente também no Iêmen, no Afeganistão e na Líbia, entre outros.

635882908951095017-1564754-1

Foto: U.S. Air Forces Central Command.

Dois atentados terroristas em Jalalabad no Afeganistão


A cidade afegã de Jalalabad foi vítima de dois atentados terroristas na última semana. Na quarta-feira (13/01), um ataque ao consulado paquistanês da cidade deixou dez mortos, três terroristas e sete membros das forças de segurança afegãs. O grupo “Estado Islâmico” assumiu a responsabilidade. Já no domingo (17/01), um homem-bomba causou 14 mortes em uma reunião de líderes tribais. O Talibã negou envolvimento neste último.

Foto: AP.

“Estado Islâmico” assume autoria de atentados na Indonésia


Uma série de ataques coordenados abalaram a capital da Indonésia, Jacarta, nesta quinta-feira (14/01). Sete explosões e troca de tiros com policiais deixaram sete mortos — um policial, um canadense e 5 terroristas — e mais de 17 feridos. Atentados visaram um centro comercial, que abriga um escritório da ONU, e uma estação de polícia. O grupo “Estado Islâmico” assumiu a responsabilidade pelo ataque.

4096

Foto: Bagus Indahono / EPA.