Eurásia

Turquia suspende tratado de direitos humanos


Nesta quinta-feira (21/07), a Turquia anunciou a suspensão da Convenção Europeia de Direitos Humanos durante o estado de emergência, decretado no dia anterior pelo presidente Recep Tayyip Erdogan e aprovado pelo Parlamento. Segundo o governo turco, a suspensão do tratado de 1953 será “como na França”, referindo-se a medidas relacionadas ao estado de emergência francês por causa de recentes atentados terroristas. Oposição política turca condena essas medidas e denuncia que o governo de Erdogan encaminha-se para uma autocracia.

Foto: C. McGrath / Getty Images.

Anúncios

A China e sua Nova Rota da Seda


Confira aqui a matéria do The Economist sobre a China e sua iniciativa de estabelecer uma nova rota da seda na Eurásia. Oficialmente chamada de Cinturão e Rota (One Belt, One Road), a política visa à construção de infraestrutura na Eurásia de modo a torná-la um único espaço econômico centrado em Pequim com investimentos no valor de 4 trilhões de dólares. Podendo ser tida como um desafio ao domínio comercial dos Estados Unidos no mundo, a iniciativa do governo de Xi Jinping deve expandir os laços comerciais e físicos da China na Eurásia (e mesmo na África), bem como o seu poder brando (soft power). Embora haja inúmeros empecilhos à sua consecução, vários projetos já estão sendo feitos a alterando estruturas na economia mundial.

Mapa: The Economist.

Rússia e China firmam novos acordos bilaterais


Em visita a Pequim, o presidente russo Vladimir Putin e o presidente chinês Xi Jinping firmaram mais de 30 novos acordos bilaterais. Entre as áreas temáticas, estão investimentos em infraestrutura, comércio, tecnologia e inovação, agricultura, finanças e internet. Embora tenha havido uma desaceleração da parceria entre Rússia e China, ambos os países notaram o seu sucesso estratégico. Xi Jinping afirmou ainda que os dois países “deveriam promover a ideia de serem amigos para sempre”.

Foto: Getty Images / G. Baker via DW.

Índia e Paquistão devem se tornar membros da OCX


Em reunião da Organização para a Cooperação de Xangai (OCX) na capital do Uzbequistão, Tashkent, esta semana (23-24/06), Índia e Paquistão ficaram mais próximos de tornarem-se membros do bloco liderado por China e Rússia. O presidente russo Vladimir Putin afirmou esperar que já em 2017 ambos os países possam ser membros plenos da OCX. Também abriram-se chances de que o Irã venha a fazer parte da organização.

Delegação paquistanesa na reunião da OCX em Tashkent. Foto: APP.

Rússia deve ativar 3 novos radares de longo alcance


A Rússia deve ativar mais três radares de longo alcance de aviso prévio até o fim de 2016, conforme anunciou a imprensa estatal semana passada (12/01). Radares da série Voronezh devem restaurar capacidade defensiva do país contra mísseis balísticos. Além dos novos três anunciados, duas estações de radares estão em construção enquanto quatro estão operacionais.

1440882_-_main

Foto: PA.

Rússia testa com sucesso míssil antissatélite


A Rússia realizou com sucesso no mês de novembro testes com o míssil antisatélite Nudol, tornando-se assim o segundo país — atrás apenas da China — a possuir armas de guerra espacial. Essa capacidade pode ser utilizada para inutilizar as comunicações, inteligência e navegações de outros países, notadamente os Estados Unidos.

1023092433

Foto: Flickr.

Reformas nas Forças Armadas da Rússia foram subestimadas por EUA e Europa


O autor Franz-Stefan Gady analisa em artigo publicado na revista The Diplomat (17/10) como os Estados Unidos e a Europa subestimaram as Forças Armadas da Rússia após a realização de reformas amplas. Gady afirma que se focou muito nas reformas e modernizações de equipamento, dando-se pouca atenção para a importante reforma estrutural do corpo das forças armadas, com maior número de oficiais e uma cadeia de comando mais eficiente.

Foto: RIA Novosti / Said Tzarnaev.

Aprovação do governo Putin bate recorde


Segundo uma agência estatal russa, a VTsIOM, a aprovação da presidência de Vladimir Putin entre a população alcançou 89,9% em outubro, um recorde histórico. Considera-se que o principal motivo sejam as recentes intervenções na Síria contra radicais islâmicos. Os bombardeios têm sido acompanhados pela mídia do país de forma constante.

Foto: Reuters / Alexei Druzhinin / RIA Novosti / Kremlin.

Nova aproximação entre Japão e Rússia


Em artigo publicado no site Asia Times no sábado (26/09), M. K. Bhadrakumar analisa a retomada da aproximação entre Japão e Rússia nas últimas semanas. As relações bilaterais estavam congeladas desde a crise da Crimeia em 2014. Apesar de problemas como disputas nas ilhas Curilas, ambos os países têm interesses em uma melhora das relações, com Tóquio buscando recursos naturais e novos mercados, enquanto Moscou deseja investimentos e tecnologias.

Foto: AP.

China e Jordânia firmam parceria estratégica


A China e a Jordânia firmaram um acordo de estabelecimento de uma parceria estratégica entre os dois países. Ato foi selado nesta quarta-feira (09/09) em reunião do presidente chinês Xi Jinping com o rei jordaniano Abdullah II em Pequim. Sob a égide da parceria estratégica, serão realizadas reuniões periódicas para debater temas internacionais e regionais. Além disso, a intensificação das relações bilaterais deve levar a um aumento em investimentos e em inúmeros outros setores no marco da iniciativa chinesa “One Belt, One Road”.

Rei Abdullah II e Xi Jinping. Foto: Xinhua / Zhang Duo.

OCX se expande para a Ásia Meridional


No mês passado, a Índia e o Paquistão foram aceitos como membros interinos na Organização de Cooperação de Xangai (OCX), bloco que discute política, economia e segurança na Eurásia. A mudança garantirá benefícios especialmente para a China e para a Rússia, embora toda a região ganhe importância com a retomada da presença da Rússia e com as futuras negociações que a China poderá realizar para fortalecer sua presença na Ásia Central e entorno. A inclusão da Índia e do Paquistão torna a OCX como a organização ideal para negociações entre a China e seus planos de investimento regionais.

Foto: Divulgação.

Foto: Divulgação.

Nova Rota da Seda impulsiona economia chinesa


A Nova Rota da Seda, proposta pelo governo chinês como novo trajeto de integração, apresentou mais um semestre de indicadores de sucesso. Entre janeiro e junho, o aumento nas exportações representou 6,57 trilhões yuans a mais com relação ao ano passado. As exportações para países da ASEAN e da África aumentaram 9,5% e 12,9% respectivamente em 2014 e 2015, com enfoque para as exportações relizadas para Bangladesh, Paquistão e Egito, que aumentaram em até 17% ano a ano. Destaque também fica para a ferrovia que liga a China à Alemanha que já começou a ser usada comercialmente.

Mapa: Xinhua.

Mapa: Xinhua.

Reunião histórica entre Papa Francisco e ortodoxos russos parece mais próxima


Uma reunião história entre o Papa Francisco e o Patriarca Kirill, da Igreja Ortodoxa Russa, parece cada vez mais próxima, de acordo com afirmações de membros do alto escalão ortodoxo em entrevista à Reuters. A reunião seria um passo significativo para a reconciliação das igrejas, que há mil anos atrás optaram pela divisão entre ocidente e oriente, momento conhecido como a “Grande Cisma do Oriente”, em 1054.

Foto: Reuters, Alessandro Bianchi

Foto: Reuters, Alessandro Bianchi.

Índia e UEE iniciam tratativas para acordo de livre-comércio


Nesta quinta-feira (18/06), a Índia e a União Econômica Eurasiana (UEE), bloco liderado pela Rússia, assinaram um acordo que marca o início das negociações para o livre comércio entre si. Representante da UEE afirmou que também há conversas com o Irã para que se firme o mesmo acordo. Por enquanto, apenas o Vietnã tem um tratado de livre comércio com a UEE.

Foto: RIA Novosti / Iliya Pitalev.

Rússia aprova lei para conter influência de ONGs estrangeiras


Na última terça-feira (19/05), a Duma (câmara baixa do parlamento russo) aprovou com 440 votos a favor, três contra e uma abstenção uma lei que pode classificar como “indesejável” qualquer organização não governamental (ONG) que seja registrada fora do país. Entre as organizações afetadas podem estar tanto as de defesa dos direitos humanos quanto grupos comerciais. Segundo o documento da Duma, as ONGs consideradas “indesejáveis” representam uma “ameaça ao fundamento da ordem constitucional da Federação Russa, à capacidade de defesa do país ou à segurança do Estado”.

Foto: Efe.

Foto: Efe.

Em desfile militar, Rússia e China fortalecem laços


Na ocasião do desfile militar em memória dos 70 anos do fim da Segunda Guerra Mundial em Moscou, a Rússia e a China fortaleceram significativamente seus laços bilaterais. Os respectivos presidentes Vladimir Putin e Xi Jinping assinaram diversos acordos, mormente em setores de infraestrutura, que vinculam o desenvolvimento estratégico de seus países. Ambos os países especialmente concordaram em inserir a União Econômica Eurasiana (UEE, bloco liderado por Moscou) à visão chinesa da Nova Rota da Seda. Putin ressaltou que a medida cria na prática um espaço econômico comum na Eurásia. Alguns analistas apontam que, apesar dos acordos, há uma grande dificuldade de aprofundar os laços bilaterais sino-russos. De forma geral, com o boicote de líderes ocidentais ao desfile militar, os países membros dos BRICS tornaram-se ainda mais relevantes para a inserção internacional russa, principalmente a China e a Índia.

Foto: Escritório da Presidência da Rússia.

China e União Europeia reúnem-se para discutir segurança


Federica Mogherini, chefe de política externa da União Europeia, e Yang Jiechi, oficial de política externa da China, encontraram-se para uma reunião bilateral de dois dias, em tópicos como possibilidades de fortalecimento de acordos de cooperação em segurança e defesa. Foi expressado por ambas as partes uma preocupação com assuntos relacionados à Ucrânia, Iraque, Síria, Líbia e Irã.

Foto: Xinhua, Ding Lin

Foto: Xinhua, Ding Lin

Rússia revela sua nova força de blindados


Na semana passada, o Ministério da Defesa da Rússia revelou o que há de mais moderno para as suas forças de blindados, incluindo tanques, artilharia e transporte. Os veículos ainda não foram comissionados pelas forças armadas do país, e seus sistemas de armamentos estão encobertos nas fotos divulgadas, dificultando a análise. No entanto, a grande novidade é o tanque de batalha principal (Main Battle Tank) T-14 Armata, o qual representa um marcado distanciamento do design e tecnologias soviéticos.

Foto: Sputnik / Ramil Sitdikov.

China expande planos para novo banco asiático


A China recentemente revelou planos para o estabelecimento no Banco Asiático de Investimento em Ifraestrutura (AIIB, sigla em inglês). Este rivalizaria com os já existentes Banco Mundial e Banco Asiático para o Desenvolvimento (ADB), os quais são dominados pelos Estados Unidos e seus aliados, e visaria à implementação dos planos chineses para a Nova Rota da Seda.

Foto: n.i.

Foto: n.i.

(mais…)

O Grande Jogo no Cazaquistão


A Rússia vem tentando adquirir maior influência sobre a Ásia Central, especialmente no Cazaquistão. Contudo, mesmo após a criação da União Econômica Eurasiana, o presidente cazaque, Nursultan Nazarbayev, procura estabelecer laços mais profundos com a China para reduzir sua dependência de Moscou.

Nursultan Nazarbaev e Vladimir Putin. Foto: Genya Savilov / AFP / Getty Images.

Nursultan Nazarbayev e Vladimir Putin. Foto: Genya Savilov / AFP / Getty Images.

(mais…)

Criação de União Econômica Eurasiana aumenta tensão entre UE e Rússia


Em reação à criação da União Econômica Eurasiana – bloco formado por Rússia, Cazaquistão e Belarus -, União Europeia reforçou interesse na adesão de Ucrânia, Geórgia e Moldávia. Observadores questionam pressa na admissão das ex-repúblicas soviéticas.

Foto: picture-alliance / dpa.

Foto: picture-alliance / dpa.

(mais…)

Firmado acordo de criação da União Econômica Eurasiana


Nesta quinta-feira (29/05), foi firmado o acordo de criação da União Econômica Eurasiana (UEE). Inspirado na antiga União Soviética e na União Europeia, bloco formado por Rússia, Cazaquistão e Belarus quer abrir mercado a países menores, revitalizar a economia dos países membros e ampliar influência de Moscou na região.

Presidentes de Belarus, Rússia e Cazaquistão. Foto: picture-alliance / dpa.

Presidentes de Belarus, Rússia e Cazaquistão. Foto: picture-alliance / dpa.

(mais…)

Rússia e China assinam grande acordo sobre gás natural


Após dez anos de negociação, a Rússia e a China assinaram um grande acordo sobre gás natural. Com duração de 30 anos, o acordo prevê o fornecimento de gás russo através de gasodutos que atravessam a Sibéria e desembocam no nordeste chinês. Pequim desembolsará 400 bilhões de dólares, segundo o contrato.

Foto: AFP / Frederic J. Brown.

Foto: AFP / Frederic J. Brown.

(mais…)

China e Tucomenistão aprofundam parceria estratégica


China e Turcomenistão assinaram nesta segunda-feira (12/05) diversos acordos visando ao aprofundamento da parceria estratégica entre os dois países. Esses acordos incluem setores como gás natural, agricultura, transportes e finanças, entre outros. Ambos os países também se comprometeram a juntar esforços no combate ao separatismo e terrorismo.

Xi Jinping e Gurbanguly Berdymukhavedov. Foto: Xinhua / Pang Xinglei.

Xi Jinping e Gurbanguly Berdymukhavedov. Foto: Xinhua / Pang Xinglei.

(mais…)

China revela planos para Nova Rota da Seda


A agência de notícias estatal chinesa revelou recentemente os planos chineses para a construção de uma Nova Rota da Seda, terrestre e marítima, interligando a Eurásia e mesmo a África (esta, maritimamente).

Mapa: Xinhua.

Mapa: Xinhua.

(mais…)

Crise na Ucrânia aproxima Rússia e China


Artyom Lukin argumenta que a China é o país que mais está ganhando com a situação na Ucrânia e o embate entre os EUA e a Rússia. Autor adverte que as pressões ocidentais contra Moscou, contudo, aproximam a Rússia da China em vez de surtir o efeito desejado de enfraquecimento; além disso, EUA não teria capacidade de lidar com Rússia e China ao mesmo tempo.

Foto: AFP / Sergei Ilnitsky.

Foto: AFP / Sergei Ilnitsky.

(mais…)

Quadro político regional: Ásia Central x EUA caos na ‘new Silk Road’


US risks chaos on ‘new Silk Road’

Ásia Times / By Fabrizio Vielmini – 01/09/2012

Since the fall of the USSR, the United States has striven to establish its geopolitical presence in Central Asia, underpinning its efforts with the imaginative concepts of a “New Silk Road” [1].

Reformulated in July 2011, the idea promotes free trade and regional development joining the potential of the Central Asia Republics (CARs) with those of South Asia and the Middle East, especially through the construction of communication networks and, especially, energy infrastructure. [2] (mais…)

Cresce integração regional entre Turquia, Afeganistão e Paquistão


Mapa: n.i.

Istanbul Forum goals look good on paper

Asia Times – 09/08/2012 – por Egemen Bezci e James Warhola

Turkey has recently used the Istanbul Forum for Economic Cooperation Between Turkey, Afghanistan, and Pakistan as a platform for advocating increased regional integration among itself and these two countries, primarily in order to promote economic development but also to help resolve an array of seemingly intractable political, social, and security problems.

This forum was established in October 2007. In advocating increased regional integration, Turkey has also implicitly presented itself as a sort of “model” for much of the region to its geographical east. Can these ventures – increased regional integration and Turkey serving as exemplar – succeed? In considering this question, it is useful to bear in mind global experience with such efforts in the late modern era.  (mais…)

Apostando no aquecimento global, Putin regulariza uso do oceano Ártico para navegação comercial


Rússia pretende investir na criação de portos e infraestruturas navais em sua costa ártica. Foto: Efe.

Apostando no aquecimento global, Putin regulariza uso do oceano Ártico para navegação comercial

Opera Mundi – 30/07/2012 – por João Novaes

O presidente de Rússia, Vladímir Putin, promulgou nesta segunda-feira (30/07) uma lei que regula pela primeira vez a navegação de rota marítima no Oceano Ártico. Considerada alternativa ao canal de Suez, sua utilização mais efetiva pode revolucionar o transporte mundial marítimo de mercadorias. A navegação se tornou mais acessível em razão da crescente redução da crosta de gelo que cobre boa parte do círculo polar.

A lei passa a estabelecer o status jurídico e os limites das rotas de transporte e prevê a criação de um órgão administrativo que se encarregará de administrar a navegação. Também inclui regras de navegação e custos para arrendamento dos navios quebra-gelo necessários para circular por aquelas rotas, que fica coberta de gelo por praticamente toda a parte do ano. (mais…)

Rússia perfura lago subglacial antártico, selado a milhões de anos


Foto: Reuters / Alexey Ekaikin.

Russia Confirms Drilling into Sub-Glacial Antarctic Lake

RIA Novosti – 08/05/2012

The St. Petersburg Arctic and Antarctic Research Institute on Wednesday officially confirmed startling reports that Russian scientists bored into an untouched Antarctic sub-glacial lake, Vostok, that has been sealed for millions of years.

“An event that has been keeping the world scientific community on tenterhooks for the last few months occurred on February 5 at 8.25 p.m. Moscow time…specialists with the glaciological and drilling unit of the 57th Russian Antarctic expedition through deep ice borehole 5G penetrated the relict waters of sub-glacial Vostok,” the Russian institute quoted Alexander Yelagin, chief of Russia’s Vostok scientific station located on the ice sheet above the ancient lake, as saying.

On Monday, a scientific source who requested to remain anonymous told RIA Novosti that Russians reached the surface of the sub-glacial lake and stopped drilling at the depth of 3,768 meters. Several scientists then cast doubt on the news.

The reported event was not the actual penetration into the lake’s waters, the research institute explained in a press release, saying that at this depth the drill bit only made contact with the lake’s water lens.

Russian researchers had to pierce through almost two meters of ice to finally reach water. “Drilling operations resumed and the drill bit made contact with the sub-glacial’s actual water body at the depth of 3,769.2 meters.” (mais…)