Europa Oriental

Rússia e Finlândia discutem medidas de distensão no Báltico


Os presidentes da Rússia e da Finlândia, Vladimir Putin e Sauli Niinisto respectivamente, encontraram-se nesta sexta-feira (01/07) para discutir medidas de distensão no Báltico. Niinisto e Putin concordaram em desenvolver medidas de segurança para controlar voos militares na região, na qual, nos últimos meses, têm ocorrido cada vez mais casos de provocação de caças da OTAN e da Rússia. Para evitar confrontos, a Finlândia sugeriu que não se desliguem os transponders das aeronaves; Putin concordou e vai levar a sugestão para a próxima reunião do país com a OTAN. Putin advertiu que tomará as medidas necessárias para responder a uma eventual entrada da Finlândia na OTAN.

Putin e Niinisto (D). Foto: Alexei Druzhinin / Sputnik via RT.

Anúncios

Rússia deve instalar mísseis nucleares em Kaliningrado até 2019


Segundo matéria da Reuters, a Rússia deve instalar mísseis nucleares no enclave de Kaliningrado até 2019 como resposta à ativação do escudo antimísseis balísticos dos EUA na Europa. O posicionamento de mísseis armados com ogivas nucleares também pode ocorrer na Crimeia, território anexado pela Rússia em 2014.

Foto: Sergei Karpukhin / Reuters.

Rússia deve testar motor nuclear para espaçonaves até 2018


A Rússia planeja testar um motor nuclear para foguetes espaciais até 2018, afirmou Sergey Kiriyenko, presidente da companhia estatal de pesquisa nuclear Rosatom. Um sistema de propulsão nuclear poderia realizar viagens até Marte em cerca de 6 semanas – comparados com os 18 meses dos sistemas atuais-. Além disso, o motor nuclear aumentaria as capacidades de manobra e de aceleração. O projeto foi lançado em 2010 e tem um custo estimado de US$ 274 milhões.

Foto: Sputnik

Putin defende criação de sistema “não alinhado” para combater terrorismo internacional


O presidente da Rússia, Vladimir Putin, afirmou que seu país está disposto a criar um sistema internacional de segurança “não alinhado” para combater o terrorismo global. Discurso foi realizado nesta segunda-feira (09/05), durante comemoração dos 71 anos do fim da Segunda Guerra Mundial. Segundo Putin, o conflito mostrou que os “padrões duplos” são inaceitáveis.

Foto: Grigoriy Sisoev / Sputnik

Centenas de milhares protestam contra o governo na Polônia


Neste sábado (07/05), cerca de 250 mil pessoas protestaram em Varsóvia contra o governo do partido Lei e Justiça. Manifestantes criticaram as atitudes antidemocráticas do governo -como a intervenção no judiciário e na mídia-, e o afastamento da União Europeia (UE). Esta iniciou um processo, o primeiro na história, para averiguar se as medidas do governo não feririam as regras democráticas do bloco, o que levaria à suspensão dos direitos de voto do país na UE.

Foto: K. Pempel / Reuters

Escudo antimíssil da OTAN entra em operação


Esta semana o sistema de defesa antimísseis da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) entrou em operação na Europa oriental. Bases na Romênia e na Polônia foram ativadas nesta quinta (05/05) e sexta-feira (06/05), respectivamente. Fato, juntamente com a decisão de aumentar presença de tropas no leste europeu, evidencia uma nova postura da OTAN de enfrentamento com a Rússia. Moscou critica duramente o escudo antimísseis da aliança, pois, segundo o Kremlin, sua razão de ser — originalmente o Irã — já não existe após o acordo com Teerã e porque o sistema poderia ser usado de maneira ofensiva, para atacar território russo. O governo polonês suspeita que a Rússia responda à medida com o envio de mísseis nucleares ao enclave de Kaliningrado.

Infográfico: Estonian World.

 

Rússia promete responder ao fortalecimento da OTAN no leste da Europa


A Rússia prometeu responder à altura após a notícia desta semana de que a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) estaria cogitando estacionar tropas terrestres nos países bálticos e na Polônia. Moscou disse que poderia reforçar seus flancos sul e oeste com três novas divisões até o final do ano, reequilibrando, assim, as forças no leste europeu.

Foto: Alexander Zemlianichenko / Reuters.

OTAN considera estacionar tropas nos países bálticos


Nesta segunda-feira (02/05), o Secretário de Defesa dos EUA, Ashton Carter, afirmou que a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) está considerando estacionar tropas terrestres nos países bálticos, e possivelmente também na Polônia, em resposta à crescente assertividade da Rússia na região. A aliança estaria cogitando enviar cerca de quatro batalhões, o equivalente a 4 mil soldados. Esse contingente se somaria aos 4.200 soldados estadunidenses já alocados na região.

Alm. John Richardson. Foto: AP / Manuel Balce.

Governo da Ucrânia e rebeldes anunciam trégua


Um acordo de cessar-fogo foi assinado entre o governo da Ucrânia e rebeldes, anunciou a Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) nesta sexta-feira (29/04). Trégua deve ter início neste sábado e durar no mínimo até 09 de maio. Cessar-fogo deve cobrir as regiões de Lugansk e Donetsk. Segundo a ONU, os combates entre o governo e os rebeldes nos últimos dias foram os piores desde o início de 2015.

Foto: C. Bobyn / DW

EUA envia dois F-22 para a Romênia


Nesta segunda-feira (25/04), chegaram na Romênia dois caças F-22 Raptor da Força Aérea dos Estados Unidos. O envio, que contou ainda com uma equipe de 20 militares e um avião KC-135, seria para aumentar a segurança de países membros da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN). Aeronaves ficaram alocadas na Base Aérea Mihail Kogalniceanu -próxima do Mar Negro-, e realizarão diversos exercícios com forças da região. Os EUA não informaram quanto tempo os F-22 ficarão na Romênia.

Foto: Tech. Sgt. Jason Robertson/Air Force

ONU inicia processo para escolher próximo secretário-geral


Nesta terça-feira (12/04) teve início a série de entrevistas da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) com os oito candidatos ao cargo de secretário-geral da instituição. Desses, quatro são mulheres e quatro são homens. A Europa Oriental conta com seis representantes, enquanto que a Europa Ocidental a região Ásia-Pacífico contam com um cada. A audiência pública é sem precedentes, já que a ONU normalmente adotava um processo reservado de eleição. A decisão final de nomear o sucessor de Ban Ki-moon é do Conselho de Segurança.

Foto: K. Nietfeld / DPA / picture-alliance

Bulgária planeja privatizar sua maior empresa produtora de armamentos


O governo da Bulgária planeja privatizar duas empresas do ramo de Defesa, segundo agências de notícias do país. A maior produtora armas do país, a VMZ Sopot, deve ser vendida em 2018 e a Kintex em 2019, conforme um plano orçamentário do gabinete. A primeira é uma grande produtora de munições, granadas, armas antitanque e armas antiaéreas. Segundo o governo, recursos obtidos com as privatizações serão utilizados para a compra de novos caças.

Foto: Dimitar Dilkoff / AFP / Getty Images

Primeiro-ministro da Ucrânia renuncia


Neste domingo (10/04), o primeiro ministro da Ucrânia, Arseniy Yatsenyuk, anunciou sua renúncia. Ele chefiava o governo ucraniano desde o início de 2014 -após as revoltas que tiraram o presidente Viktor Yanukovich do poder- e sobreviveu a uma moção de desconfiança do Parlamento há duas semanas. A popularidade de Yatsenyuk era menor que 1%, segundo as últimas pesquisas de opinião. 

Foto: E. Lukatsky / picture-alliance / AP Photo

Estados Unidos enviarão três brigadas para Europa Oriental


O Exército dos Estados Unidos enviarão três brigadas para a Europa Oriental até o início de 2017, anunciaram militares norte-americanos nesta quarta-feira (30/03). Unidades terão rotatividade de nove meses, o que permitirá treinamentos e exercícios com forças de países aliados. Atualmente duas brigadas de combate dos EUA estão alocadas na Europa.

Foto: Staff Sgt. Steven Colvin, 10th Press Camp Headquarters Wol

Manifestantes invadem parlamento da Moldávia após eleição de governo pró-UE


Nesta quarta-feira (20/01), o Parlamento da Moldávia foi invadido por manifestantes após a eleição de Pavel Filip, pró-União Europeia, para primeiro-ministro. O país está sem governo desde o final de outubro, quando o Parlamento dissolveu o governo de Valeri Strelets após um escândalo de corrupção. Diversos protestos agora pedem por eleições antecipadas.

87815847_5d62d8fa-da81-42b2-b426-217d603046f5

Foto: AP.

Partido Comunista é banido na Ucrânia


A Ucrânia proibiu o Partido Comunista do país de operar e participar em eleições. Uma corte de Kiev aceitou o pedido do ministro da Justiça, que acusou o partido de desrespeitar direitos humanos e liberdades. O país adotou em maio uma série de leis de “descomunização”, que eliminaram símbolos da época soviética e até proibiu o uso da palavra “comunista”.

ukraine-communist-party_0

Foto: Sergei Supinsky / AFP / Getty Images.

China expande a “Iniciativa Cinturão e Rota” para o leste europeu


No final de novembro, a China assinou um memorando para promover a “Iniciativa Cinturão e Rota” (Belt and Road Initiative, em inglês) com cinco países do leste europeu: Polônia, Sérvia, Bulgária, Tchéquia e Eslováquia. Acordo se deu após encontro de Xi Jinping com líderes de 16 de países da região. A China ainda enfatizou a importância do mecanismo de cooperação “16+1”.

134858862_14485442922061n

Foto: Xinhua / Pang Xinglei.

Gazprom corta fornecimento de gás à Ucrânia


A empresa estatal russa Gazprom interrompeu o fornecimento de gás à Ucrânia devido ao esgotamento dos pagamentos ucranianos, os quais devem ser feitos de forma antecipada. Kiev alega que não deseja mais consumir gás russo, pois pode conseguir mais barato de fontes europeias. 15% do gás natural utilizado na Europa atravessa gasodutos em território ucraniano. Paralelamente, a Ucrânia fechou seu espaço aéreo a voos e aeronaves da Rússia.

Gasodutos na Ucrânia. Mapa: BBC.

Suprimento de energia elétrica à Crimeia é suspenso após ataque de ultranacionalistas ucranianos


A Rússia impôs estado de emergência na Crimeia, território da Ucrânia anexado em 2014 por Moscou, após grupos ultranacionalistas terem explodido no domingo (22/11) as únicas quatro torres de alta tensão, no sul ucraniano, que forneciam energia elétrica ao território. Cerca de 2 milhões de pessoas moram na região, que agora está sem eletricidade. Geradores foram acionados para hospitais e outras instalações vitais. Nesta segunda-feira (23/11), a Ucrânia anunciou a suspensão temporária do transporte de mercadorias entre o país e a península. Grupos de extrema direita já vinham bloqueando o comércio ucraniano com o território desde setembro deste ano. A Rússia acusa Kiev de manter-se ao lado de terroristas.

Torre de alta tensão danificada por explosão. Foto: Hromadske TV / EPA.

EUA vai enviar armas pesadas para o leste europeu


Os Estados Unidos anunciaram nesta terça-feira (23/06) que vão enviar armas pesadas, incluindo tanques e veículos blindados, para o leste europeu. Os países contemplados são os aliados da OTAN na região: Bulgária, Estônia, Letônia, Lituânia, Polônia e Romênia. O anúncio foi feito em Tallinn, a capital da Estônia, pelo secretário de Defesa Ashton Carter, ao lado de ministros da Defesa da Estônia, da Letônia e da Lituânia. Serão distribuídos 250 tanques, veículos de combate blindados, armas de artilharia e outros equipamentos militares.

Foto: Picture Alliance, DPA, CTK Photo, J. Vostarek

Foto: Picture Alliance / DPA / CTK Photo / J. Vostarek.

UE estende sanções contra a Rússia


Na quarta-feira (17/06), os 28 países-membros da União Europeia (UE) concordaram com o prolongamento das sanções econômicas à Rússia por mais seis meses, i.e. até o fim de janeiro de 2016. As sanções foram impostas em meados de 2014 em retaliação à crise na Ucrânia. Moscou afirmou que a decisão de Bruxelas já era levada em conta nas projeções do governo.

Bandeiras da Rússia e da UE. Foto: imago / Rainer Unkel.

Na Polônia, oposição vence eleição presidencial


Na segunda-feira (25/05), a autoridade eleitoral da Polônia declarou oficialmente a vitória do conservador Andrzej Duda na eleição presidencial de domingo, prenunciando uma mudança política em uma das maiores economias emergentes da União Europeia. O atual presidente, Bronislaw Komorowski, que tentava reeleição, já reconhecera a derrota no domingo após a divulgação das pesquisas de boca de urna. Duda, líder oposicionista, obteve 51,55% dos votos. Sua vitória marca uma guinada para a direita no país, comprometendo avanços sociais, tais como a fertilização in vitro.

Andrzej Duda. Foto: Czarek Sokołowski / AP.

Poroshenko defende referendo sobre entrada da Ucrânia na OTAN


O presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, defendeu nesta quarta-feira (22/04) a realização de um referendo no país sobre a possível entrada na Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN). No final de 2014, o governo abandonou o seu status de país não alinhado ao confirmar intenção de aliar-se à organização. Poroshenko afirmou que referendo deve ocorrer nos próximos seis anos. Oficiais da OTAN já afirmaram que, antes de entrar, a Ucrânia precisa realizar inúmeras reformas para qualificar-se. Todos os 28 aliados precisariam aprovar a adesão ucraniana.

Foto: EPA

Poroshenko. Foto: EPA

Dois opositores do governo são assassinados na Ucrânia


Nestas quarta (15/04) e quinta-feira (16/04), dois opositores do governo ucraniano foram assassinados em Kiev, levantando a questão de quem estaria por trás das mortes. Oleh Kalashnikov, ex-parlamentar do governo deposto em 2014, e Oles Buzyna, jornalista de opiniões favoráveis à Rússia, foram mortos a tiros. O presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, ordenou investigações “rápidas e transparentes” sobre as mortes. Já o presidente russo, Vladimir Putin, afirmou que a morte de Buzyna é um assassinato político.

Foto: Reuters / V. Ogirenko.

Inteligência francesa descarta que Rússia esteja se preparando para invadir a Ucrânia


Em depoimento à Assembleia Nacional da França, o General Christophe Gomart, chefe da Direction du renseignement militaire (DRM) — agência de inteligência militar francesa –, declarou que não há indícios em campo de que a Rússia esteja se preparando para invadir a Ucrânia. Gomart questionou a versão oficial da OTAN de que havia preparativos para um ataque russo em território ucraniano desde antes do início da crise. O general também criticou a contenção de gastos em agências de inteligência europeias, o que faz com que os aliados da OTAN tenham de se basear unicamente em informações dos EUA.

Gen. Christophe Gomart. Foto: Catena Umana.

Os “Quatro da Normandia” reafirmam cessar-fogo na Ucrânia


O grupo chamado de “Quatro da Normandia” (Normandy Four, em inglês), composto por Alemanha, França, Rússia e Ucrânia, reafirmaram seu apoio à continuação do cessar-fogo no leste ucraniano após reunião de negociações em Berlim. Além disso, os ministros de relações exteriores dos quatro países assinalaram que tanques e unidades de artilharia devem ser retirados do front para assegurar a permanência do armistício.

Foto: Clemens Bilan / Reuters.

Estônia firma acordo de defesa cibernética com empresa Raytheon


O ministério da defesa da Estônia, país do leste europeu, assinou um acordo com a empresa estadunidense Raytheon para desenvolver as suas capacidades de defesa cibernética bem como a sua indústria de defesa. A Estônia é um dos países mais avançados do mundo em questões de cibersegurança e governo digital. Em 2007 o país foi alvo de ataques cibernéticos contra instituições públicas e financeiras, os quais foram atribuídos pelo governo à Rússia.

Foto: Bloomberg / Getty Images

Foto: Bloomberg / Getty Images

EUA enviará tropas para exercício militar da Ucrânia


Os Estados Unidos têm planos de enviar tropas para participar de exercícios militares na Ucrânia neste mês. Segundo o Ministro do Interior ucraniano, Arsen Avakov, dentre as unidades que realizariam os exercícios está o Batalhão Azov, criticado por seu sentimento e símbolos próximos do nazi-fascismo. Avakov afirmou que os exercícios terão início no dia 20 de abril no leste do país, próximo da fronteira com a Polônia.

Foto: Efrem Lukatsky / AP

Foto: Efrem Lukatsky / AP

Vladimir Putin atinge o ápice da sua popularidade com 88% de aprovação


A popularidade do presidente russo Vladimir Putin nunca esteve tão alta, com 88% de aprovação em pesquisa de opinião recente. Nessa mesma semana, o governo da Crimeia anunciou que dará a Putin o título de cidadão honorário pela sua atuação no que o órgão chamou de “reunificação” da Crimeia à Rússia.

Foto: AP

Foto: AP

Embaixador alemão afirma que Obama concordou em não enviar armas à Ucrânia


Com a pressão interna crescente para que o governo dos Estados Unidos enviem armamentos à Ucrânia, o embaixador alemão em Washington, Peter Wittig, afirmou que Barack Obama concordou em não armar o país em conflito. Durante uma visita de Angela Merkel à Casa Branca no último mês, ficou decidido avançar na solução diplomática da controvérsia. A posição oficial do governo Obama tem sido que o envio está sendo considerado, mas que não há decisão tomada.

Foto: J. David Ake / AP

Foto: J. David Ake / AP