Força Aérea

Inteligência Artificial supera pilotos da Força Aérea dos EUA em simulações de combate


Uma nova tecnologia de Inteligência Artificial para combate aéreo, desenvolvida pela Universidade de Cincinnati, superou pilotos da Força Aérea dos Estados Unidos em simulações de batalhas. O sistema, conhecido como ALPHA, demonstrou uma habilidade tática extremamente desenvolvida, tendo uma capacidade de reação aguçada e conseguindo calcular movimentos instantaneamente. Pesquisadores acreditam que a tecnologia poderia ser de grande utilidade para a instalação em veículos aéreos não tripulados (VANTs ou drones), coordenando planejamentos táticos e sendo suporte para pilotos humanos da Força Aérea.

Foto: Lisa Ventre / Univ. de Cincinnati.

O que restou da Força Aérea Síria?


Em artigo publicado no War is Boring (11/05), Tom Cooper analisa a Força Aérea Síria. Ao contrário do que muitos analistas afirmam, a Força continua operacional e mostra sinais da vitalidade, apesar do constante atrito nos últimos anos. Os aviões e helicópteros -em sua maioria, obsoletos- foram utilizados enormemente na Guerra Civil a partir de 2012. Apesar das grandes perdas iniciais, o governo conseguiu recuperar e restaurar diversas aeronaves, mantendo a capacidade operacional.

Foto: War is Boring / Wikipedia

Senado dos EUA discute programa dos caças F-35


Na semana passada, o Comitê de Serviços Armados do Senado dos EUA realizou uma audiência para discutir o programa de desenvolvimento e aquisição dos caças F-35. Os problemas e atrasos do mesmo foram frisados. O senador John McCain, do Partido Republicano, declarou que a história do F-35 tem sido um “escândalo” e uma “tragédia” com relação a prazos, custos e desempenho.

F-35. Foto: Força Aérea dos EUA / Alex Lloyd.

Estados Unidos revelam o desenho do bombardeiro B-21


A Força Aérea dos Estados Unidos revelou, na última sexta-feira (26/02), o primeiro desenho de seu novo bombardeiro de longo alcance, o B-21. O avião, que ainda não possui um protótipo, será desenvolvido pela Northrop Grumman e apresenta semelhanças com o B-2. O projeto inclui capacidade de carregar tanto bombas convencionais como nucleares e ser opcionalmente tripulado. O B-21 deve entrar em serviço em 2025.

Ilustração: U.S. Air Force

Rússia intensifica seu papel na guerra da Síria


Segundo relatórios e notícias sírias e israelenses, a Rússia estaria intensificando seu papel na guerra da Síria para combater o Estado Islâmico e rebeldes contra o governo de Assad. A presença russa em território sírio teria sido aumentada com o envio de forças expedicionárias em zonas litorâneas e também haveria intenção de a Força Aérea Russa realizar operações em conjunto com o governo Sírio.

Armamento russo em uso na Síria. Foto: The Daily Beast.

EUA pede ajuda à Austrália em luta contra o “Estado Islâmico”


Os Estados Unidos realizaram um pedido formal apresentado na quinta-feira (20/08) para que a Austrália aumente sua contribuição militar aérea na luta contra o “Estado Islâmico” na Síria, para incluir a possibilidade de bombardeios. O aumento da força militar australiana incluiria a expansão da cobertura aérea, da coleta de informação e do apoio aos aviões de combate, de acordo com o jornal The Australian. Atualmente a força aérea australiana participa das operações na Síria, abastecendo as aeronaves estadunidenses que realizam os bombardeios.

Foto: Commonwealth of Australia, Department of Defence.

Foto: Departamento de Defesa da Austrália.

Índia cancela programa de compra de caças


Nesta terça-feira (04/08), a Índia cancelou o programa de compra de 126 aviões caça multifunção (MMRCA, da sigla em inglês). Ato inclui o pedido de caças Dassault Rafale no valor de US$ 12 bilhões à França. O cancelamento foi divulgado pelo ministro da Defesa Monohar Parrikar e nenhuma razão para o cancelamento foi divulgada.

Foto: Divulgação.

Foto: Divulgação.

Aeronave japonesa de patrulha marítima deve tornar-se operacional em setembro


A Força de Autodefesa Marítima japonesa espera ter sua aeronave de patrulha marítima Kawasaki P-1 pronta para alcançar todas as suas capacidades operacionais até setembro deste ano, de acordo com declaração feita no dia 17 deste mês. De acordo com o comandante da frota que realiza este serviço, Makoto Sato, o equipamento está sob fase de testes e deverá substituir o modelo Lockheed Martin P-3 Orion em março. O equipamento apresentado na exposição segue para o Djibouti, onde passará por testes sob condições climáticas distintas.

Foto: Força Japonesa de Autodefesa Marítima.

Foto: Força de Autodefesa Marítima do Japão.

Demanda por Super Tucanos aumenta na África


Demanda por aviões Super Tucano A-29 vem aumentando na África, já que o avião cumpre funções variadas e tem valor mais acessível do que outros modelos, além de simplicidade operacional e fácil manutenção. A expectativa para futuras aquisições vem da confirmação de 11 pedidos da aeronave da Embraer realizados pelo Mali e por Gana, ambos países interessados em treinar pilotos entre outros profissionais voltados para setores de inteligência, vigilância e reconhecimento.

Foto: Divulgação.

Foto: Divulgação.

Embraer vende seis aviões Super Tucano ao Mali


A empresa brasileira Embraer e o Ministério da Defesa e Veteranos do Mali firmaram nesta semana um contrato para a aquisição de seis aviões A-29 Super Tucano, modelo de avião turboélice de ataque leve e treinamento avançado. O acordo inclui suporte logístico para a operação dessas aeronaves e também a instalação de um sistema de treinamento para pilotos e mecânicos da Força Aérea de Mali. As aeronaves serão utilizadas para missões de treinamento avançado, vigilância de fronteiras e de segurança interna.

Foto: Força Aérea Brasileira.

Foto: Força Aérea Brasileira.

Suécia deve oferecer caças Gripen à Índia novamente


A Suécia vai oferecer novamente os caças Gripen da empresa Saab para a Índia em uma reunião do ministro da Defesa sueco com o primeiro-ministro indiano Narendra Modi na semana que vem. Recentemente a Índia decidiu comprar 36 caças Dassault Rafale da França ao invés dos 126 inicialmente acordados. Junto a essa redução, comentários de oficiais indianos indicam que Nova Delhi quer comprar caças leves de motor único, o que aumentou as esperanças de venda de Estocolmo. No final de 2013, o Brasil anunciou a compra caças Gripen NG da Saab.

Fonte: Divulgação / Saab.

Fonte: Divulgação / Saab.

França vende 24 caças Rafale para o Qatar


François Hollande, presidente da França, informou que no próximo dia 4 de maio será assinado um contrato de venda de 24 caças Dassault Rafale com o governo do Qatar. O acordo de venda, que inclui ainda mísseis da empresa MBDA, mecânicos e treinamento de pilotos, deve ser no valor de 6,3 bilhões de euros (aproximadamente 21 bilhões de reais). A assinatura do contrato será o terceiro este ano para a França, que fechou acordos semelhantes com Índia e Egito e negocia com os Emirados Árabes. Até agora Paris já vendeu 15 bilhões de euros em armamentos só em 2015.

Foto: Adek Berry / AFP / Getty Images.

EAU retoma negociações para compra de caças Rafale


Os Emirados Árabes Unidos (EAU) retomaram as negociações com a França para a compra de caças Dassault Rafale. Contudo, o governo árabe-emiradense exige que sejam feitas modificações significativas no avião, especialmente no motor e no sistema geral, as quais a França julga serem caras e desnecessárias devido a alterações estruturais no projeto. As negociações entre os dois países já se estendem a por mais de cinco anos, e os EAU pretendem adquirir 60 caças. Recentemente a Índia e o Egito confirmaram a compra dos mesmo aviões.

Foto: divulgação.

Foto: divulgação.

Índia confirma compra de 36 caças Rafale da França


Em visita a Paris na semana passada, o primeiro ministro da Índia Narendra Modi confirmou que seu país quer comprar 36 caças Dassault Rafale da França prontos para uso operacional (fly away condition). Anúncio põe fim a anos de discussões entre os dois países sobre o programa de modernização da força aérea indiana e deve abrir as portas para aquisições futuras de mais caças. O pedido original, feito em 2007, previa a compra de 126 caças Rafale.

Foto: Flickr/ airwolfhound

Rússia vai adquirir 200 aeronaves para aprimorar prontidão operacional


A Rússia vai adquirir cerca de 200 de aviões e helicópteros para sua Força Aérea e Marinha, um número que sozinho já supera a aeronáutica de muitos países. As novas aquisições incluem bombardeiros Sukhoi SU-35, caças multifunção Sukhoi Su-30SM e radares de última geração, como Nebo-M e Sopka. O ministro da defesa russo Sergei Shoigu afirmou que essas aeronaves garantirão uma taxa de prontidão de 67%, ou seja, de cada três aeronaves russas, duas estarão prontas para uso imediato. A taxa para a Força Aérea dos EUA é de 78% em 2013.

Sukhoi SU-35 Foto: Reuters

Sukhoi SU-35
Foto: Reuters

Cargueiro KC-390 da FAB faz voo inaugural


Maior cargueiro já desenvolvido no Brasil, KC-390 fez seu voo inaugural nesta terça-feira (03/02). A Embraer, que produz a aeronave, deverá fornecer 28 unidades à Força Aérea Brasileira até 2026, com a primeira entrega já em 2016. Os KC-390 possuem 35 metros de comprimento, podem transportar até 23 toneladas e vão substituir os Hércules da FAB, utilizados há mais de cinquenta anos.

Foto: FAB

Foto: FAB

Caças japoneses fazem decolagens rápidas em níveis da Guerra Fria


A decolagem rápida ou curta (em inglês: scramble), manobra que visa a pôr rapidamente uma aeronave no ar pronta para a ação, está sendo realizada no Japão em níveis similares aos da Guerra Fria. As manobras são uma reação a caças de China e Rússia, que estão testando os limites do espaço aéreo japonês ao sul e ao norte do arquipélago. Os encontros com aeronaves chinesas estão no maior nível da série histórica, registrada desde 1958. O Mar do Leste da China é a região mais sensível destes encontros devido à disputa territorial entre os dois países pelas ilhas Senkaku/Diaoyu.

Caça chinês Foto: Ministério do Japão / handout

Caça chinês
Foto: Ministério do Japão / handout

KC-390: Oriente Médio é promissor para novo avião da Embraer


Os países do Oriente Médio são algumas das nações que poderão se tornar clientes do novo avião militar da Embraer, o KC-390. O protótipo do cargueiro militar KC-390, maior aeronave já fabricada no Brasil, foi apresentado em outubro e a empresa afirma que levou em consideração as condições climáticas dos países árabes ao desenvolver o avião. As primeiras unidades devem ser entregues à Força Aérea Brasileira em 2016 e também devem ser vendidas para Argentina, Portugal e República Tcheca.

kc-390

Foto: Plano Brasil / Junio Pinheiro.

(mais…)

Operação Amazônia aprimora interoperabilidade das Forças Armadas


Começa hoje a Operação Amazônia, exercício militar em que Marinha, Exército e Força Aérea participam para aprimorar interoperabilidade na proteção da Amazônia. A operação, que visa a aperfeiçoar a logística e métodos operacionais das forças, envolverá 4 mil soldados.

Foto: Tereza Sobreira e Jorge Cardoso

Foto: Tereza Sobreira e Jorge Cardoso

(mais…)

China, Estados Unidos e Rússia testam fronteiras do espaço aéreo internacional


O número crescente de encontros entre caças de China, Estados Unidos e Rússia no Pacífico indicam uma nova tendência de estratégias mais ativas das forças aéreas destes países na disputa pelo espaço aéreo internacional.

Foto: Reuters / Stringer

Foto: Reuters / Stringer

(mais…)

Brasil contribui com programa de produção de avião de treinamento sul-americano


Reunidos nas instalações da Fábrica Argentina de Aviões (FAdeA), em Córdoba, norte do país, representantes do Brasil, Argentina, Venezuela e Equador trabalham no desenvolvimento conjunto da primeira aeronave de defesa da União Sul-Americana de Nações (Unasul). A iniciativa do Avião Regional de Treinamento, que está na fase de prospecção de financiamento, tem o objetivo de fomentar a integração continental e fortalecer a indústria de Defesa na América do Sul. Projeto conta com quatro empresas brasileiras.

Fonte: Divulgação

Fonte: Divulgação

(mais…)

França e Reino Unido enviam caças para o leste europeu


A França e o Reino Unido enviaram oito caças para a Lituânia e a Polônia para fortalecer as defesas aéreas da OTAN na região do Mar Báltico enquanto tensões aumentam quanto à situação ucraniana.

Foto: Reuters / Yiannis Nisiotis.

Foto: Reuters / Yiannis Nisiotis.

(mais…)

Austrália comprará mais 58 caças F-35


Na semana passada, a Austrália informou que pretende comprar 58 caças F-35 adicionais ao custo de 12,5 bilhões de dólares. Aeronaves devem ser entregues à força aérea do país até o final de 2023, totalizando 72 caças F-35.

Foto: Reuters / US Air Force.

Foto: Reuters / US Air Force.

(mais…)

Coreia do Sul confirma compra de caças F-35


Agência de encomendas de defesa da Coreia do Sul anunciou oficialmente a compra de 40 caças F-35 dos Estados Unidos, apesar de iniciais reservas quanto ao orçamento limitado e alto preço do avião. Decisão deve reanimar o programa de desenvolvimento do caça, que sofreu cortes com a diminuição de encomendas por parte da Marinha dos EUA.

Foto: Reuters / US Air Force.

Foto: Reuters / US Air Force.

(mais…)

Em busca de sinergia entre a Política Externa e a Política de Defesa: o caso do Gripen NG


Gripen E23 - foto SAAB

Boletim Mundorama, 06/01/2014

O resultado do FX-2 e a busca por sinergia entre a Política Externa e de Defesa

Lucas Kerr Oliveira, Giovana Esther Zucatto e Bruno Gomes Guimarães

amorim

No dia 18 de dezembro de 2013, o Ministro da Defesa, Celso Amorim, anunciou o resultado da concorrência FX-2, com a compra de 36 caças Gripen NG da empresa sueca Saab. Tal escolha vai ao encontro das diretrizes da Estratégia Nacional de Defesa (END), de unir capacidades de defesa ao desenvolvimento da indústria nacional e regional de defesa. Produz, ainda, uma importante sinergia entre a área de Defesa e de Política Externa, apoiando a estratégia de inserção internacional mais autônoma do Brasil, que perpassa a consolidação geopolítica do processo de Integração Regional Sul-Americana e de estabilização de um mundo multipolar.

Celso Amorim_anuncia_compra cacas Suecos_7458

Dentre os concorrentes do FX-2 o Gripen NG mostrou-se a aeronave mais adequada às necessidades tático-operacionais de defesa aérea brasileira. Além de ser mais barato que os concorrentes, este caça supersônico multiemprego apresenta o menor custo por hora de voo (US$ 4 mil/h). Isto porque possui uma única turbina, que apesar da grande potência, permite ao Gripen consumir menos combustível e torna sua manutenção mais rápida e econômica. Sendo mais leve e com capacidade para até sete toneladas de combustível, o avião tem 1.300 km de raio de combate plenamente armado e alcance máximo de 4.000 km (SAAB, 2011). Isto é fundamental para um país de dimensões continentais como o Brasil,  que precisa de caças capazes de sair do Planalto Central e alcançar rapidamente outras bases áreas na Amazônia ou no litoral. Capaz de patrulhar a zona do Pré-Sal, pode ameaçar uma frota inimiga no Atlântico Sul, mesmo que necessite de reabastecimento em voo na volta. Com capacidade para pousar e decolar em pistas bem pequenas, de apenas 500 metros, pode utilizar uma grande diversidade de bases para abastecimento e reparos durante operações, inclusive pistas curtas existentes na Amazônia. Isto permite distribuir os caças por diversas bases no Brasil, aumentando a capacidade operacional em todo o país.

(mais…)

Gripen NG: a decisão pela autonomia tecnológica e estratégica


Gripen NG: a decisão pela autonomia tecnológica e estratégica

Lucas Kerr Oliveira, Giovana E. Zucatto, Bruno Gomes Guimarães, Pedro V. Brites, Bruna C. Jaeger

Na última quarta-feira, 18 de dezembro, o ministro da Defesa Celso Amorim e o Comandante da Força Aérea Brasileira, Juniti Sato, anunciaram a compra de 36 aeronaves Gripen NG (New Generation) da empresa sueca Saab, pondo fim à licitação FX-2. A escolha do caça vai ao encontro das indicações da Estratégia Nacional de Defesa (END), de unir capacidades críveis ao desenvolvimento da indústria nacional – e regional – de defesa. Produz, ainda, sinergia entre a área de Defesa e de Política Externa, na medida em que corrobora com a estratégia de inserção internacional mais autônoma que o Brasil vem buscando em meio ao processo de consolidação geopolítica da Integração Regional Sul-Americana e de estabilização de um mundo Multipolar.

Gripen. Foto: Saab

Foto: Saab.

(mais…)

Rússia ofereceu ao Brasil caças Su-35 com transferências de tecnologia


Rússia ofereceu ao Brasil caças Su-35 e tecnologias de sua produção 

Sukhoi Su-35  www.sukhoi.org - fotoFoto: Sukhoi

A Rosoboronexport (empresa estatal russa de exportação de armas defensivas) ofereceu fornecer ao Brasil, fora do âmbito de concorrência, caças Su-35 e sistemas de defesa antiaérea Pantsir, informou este domingo a agência de notícias RIA Novosti, citando Serguei Ladygin, chefe da delegação da Rosoboronexport que se encontra na exposição de armas em Lima.

Em 2009, a Rússia saiu com seu avião Su-35 do short-list da concorrência brasileira, onde ficaram a Suécia com o Gripen, os EUA com o F-18 e a França com o Rafale.

“Apesar do fato de a Rússia ter se retirado do concurso, fizemos paralelamente uma oferta para a parte brasileira de participarmos, fora do contexto de concorrência, com os sistemas Pantsir e os jatos Su-35. Nossa oferta está sendo examinada”, especificou Ladygin.

O interlocutor da agência observou que a Rússia está pronta para transferir toda a tecnologia de produção do caça. “Estamos prontos para transferir 100% de tecnologia do jato Su-35, mesmo com os elementos de tecnologia de aeronaves de quinta geração”.

 

http://portuguese.ruvr.ru/2013_05_19/Russia-ofereceu-ao-Brasil-cacas-Su-35-e-tecnologias-de-sua-producao/

 

Sukhoi Su-35  www.sukhoi.org - turbinas

Sukhoi Su-35  www.sukhoi.org -7

 

 

Sukhoi Su-35  www.sukhoi.org -2

 

Sukhoi Su-35  www.sukhoi.org -6

Sukhoi Su-35  www.sukhoi.org -2

Fotos: Sukhoi

VENBRA VI – Brasil e Venezuela treinam em conjunto no combate a ilícitos


VENBRA VI – Brasil e Venezuela treinam em conjunto no combate a ilícitos

DefesaNET, com Agência Força Aérea – 22/05/2012

Iniciou hoje (21/05) em Boa Vista (RR) a operação combinada das Forças Aéreas do Brasil e da Venezuela. A sexta edição da VENBRA vai realizar missões de vigilância com foco em transferência de tráfegos aéreos de interesse, ou seja, que combatem o tráfego de aeronaves supostamente envolvidas em atividades ilícitas.

O exercício integra o acordo de cooperação bilateral firmado no ano 2000 em Brasília (DF). A área de aproximadamente 700km de fronteira entre os dois países será o cenário, até o dia 25/5, para a realização da sexta edição da manobra que tem que tem por objetivo principal treinar pilotos e controladores de voo para procedimentos de interceptação e maior controle de tráfego aéreo na região.

O exercício contribui para estabelecer procedimentos que possibilitam maior eficácia no combate ao tráfico de ilícito transnacional, por meio da cooperação entre os órgãos de Defesa Aérea do Brasil e da Venezuela; consolida procedimentos de cooperação para a interceptação de aeronaves para a execução de Medidas de Policiamento do Espaço Aéreo e será utilizado para revisar e atualizar as Normas Binacionais de Defesa Aeroespacial para aprimorar os procedimentos de transferência de tráfego aéreo de interesse.

De acordo com o comandande da parte brasileira da VENBRA VI e do Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (COMDABRA), Major-Brigadeiro do Ar Marcelo Mário de Holanda Coutinho, a cada edição do exercício aumenta a similaridade das doutrinas de interceptação. “Este exercício é importante para a cooperação, pois nós [Brasil e Venezuela] temos problemas em comum com tráfegos ilícitos cruzando a fronteira”, diz o brigadeiro.

Para o General de Brigada da Força Aérea Venezuelana Andres Macario Castillo Rivas, que teve a oportunidade de participar da primeira edição da VENBRA e, agora, comanda a parte venezuelana, a realização do exercício combinado proporcionou vários avanços importantes ao longo das seis edições.  (mais…)

EMBRAER DS – Anuncia Vendas do Super Tucano na África no valor de USD 180 Milhões


Foto por: EMBRAER

EMBRAER DS – Anuncia Vendas do Super Tucano na África no valor de USD 180 Milhões

DefesaNET – 28/03/2012

A Embraer Defesa e Segurança revelou hoje que assinou contratos com três nações africanas para aquisição do turboélice de ataque leve e treinamento avançado A-29 Super Tucano. A Força Aérea de Burkina Faso, primeiro operador do modelo na África, já recebeu três aeronaves que são utilizadas em missões de vigilância de fronteiras. É para esta mesma missão que a Força Aérea de Angola adquiriu recentemente seis aeronaves, cujas três primeiras serão entregues em 2012. Por fim, a Força Aérea da Mauritânia escolheu o A-29 Super Tucano para executar missões de contra-insurgência. O valor total dos contratos – incluindo um amplo pacote de suporte logístico, treinamento e peças de reposição – supera os USD 180 milhões.

“O Super Tucano tem alto grau de eficiência com baixos custos de operação. Sua capacidade de atuar em missões de vigilância e contra-insurgência o torna ideal para operações no continente africano”, disse Luiz Carlos Aguiar, Presidente da Embraer Defesa e Segurança. “Prova disso é que alguns clientes deverão exercer suas opções de compra em breve e o avião tem despertado o interesse de diversos países da África”.

Com estes pedidos, sobe para nove o número de forças aéreas que já selecionaram o A-29 Super Tucano na América Latina, na África e no Sudeste Asiático, sendo que o avião está em operação em seis delas. O A-29 Super Tucano é capaz de executar uma ampla gama de missões, que incluem ataque leve, vigilância, interceptação aérea e contra-insurgência. Com mais de 130 mil horas de vôo e mais de 18 mil horas de combate, o A-29 Super Tucano está equipado com a mais moderna tecnologia disponível para aviônicos, incluindo visão noturna, sensores eletro-ópticos infravermelhos (Electro-Optical/Infrared – EO/IR) com apontador de mira a laser, pacote de comunicações seguras e enlace de dados, além de uma inigualável capacidade de armamentos, o que o torna altamente eficaz e com excelente relação custo-benefício. (mais…)