Índia

Índia junta-se à elite global de detentores de tecnologia de mísseis


Nesta segunda-feira (27/06), a Índia juntou-se ao pequeno rol de países que controlam o comércio mundial de tecnologias de mísseis. O Regime de Controle de Tecnologia de Mísseis visa à não proliferação dessas tecnologias, restringindo a comercialização de mísseis, foguetes, drones e sistemas de entrega. Com a entrada indiana, são 35 os países membros do regime, incluindo o Brasil. A Índia pretende, com isso, legitimar seus programas nuclear e missilístico. No entanto, a China vem bloqueando a entrada indiana no regime de detentores de tecnologia nuclear.

Foto: divulgação.

Índia e Paquistão devem se tornar membros da OCX


Em reunião da Organização para a Cooperação de Xangai (OCX) na capital do Uzbequistão, Tashkent, esta semana (23-24/06), Índia e Paquistão ficaram mais próximos de tornarem-se membros do bloco liderado por China e Rússia. O presidente russo Vladimir Putin afirmou esperar que já em 2017 ambos os países possam ser membros plenos da OCX. Também abriram-se chances de que o Irã venha a fazer parte da organização.

Delegação paquistanesa na reunião da OCX em Tashkent. Foto: APP.

Índia lança 20 satélites em missão única


Nesta quarta-feira (22/06), a Índia lançou 20 satélites em órbita em uma única missão, batendo um recorde do programa espacial do país e se tornando o terceiro maior lançamento de satélites da história, atrás de Rússia (33) e EUA (29). 17 satélites eram estrangeiros, incluindo da Indonésia, EUA, Canadá e Alemanha. O lançamento ocorreu no centro espacial de Sriharikota, na costa leste indiana.

Foto: Xinhua / Getty Images via Fortune.

EUA, Índia e Japão realizam exercício militar conjunto no Pacífico


Na última quinta-feira (09/06), teve início o exercício militar conjunto Malabar, realizado pelos Estados Unidos, Índia e Japão. O evento deve durar até dia 17 e ocorrer em águas japonesas e no Mar das Filipinas. O exercício conta com uma fase no mar e outra na costa. O primeiro tem como objetivo aumentar as capacidades de guerra antissubmarino,  defesa aérea e operações interdição marítima. A Marinha dos EUA enviou, dentre outros navios e submarinos, o superporta-aviões USS Nimitz. O Malabar teve início em 1992 como um exercício bilateral entre EUA e Índia, com o Japão se tornando participante permanente em 2015.

Foto: U.S. Navy

Índia testa com sucesso primeiro veículo de lançamento de satélites reutilizável nacional


Nesta segunda-feira (23/05), a Índia realizou com sucesso seu primeiro teste com um veículo de lançamento reutilizável (RLV, em inglês) desenvolvido nacionalmente. O principal objetivo do novo veículo espacial é reduzir o custo de lançamento de satélites em até 80%. Nave foi desenvolvida pela estatal Agência Espacial Indiana (Isro).

Foto: ISRO

Índia anuncia acesso ao Afeganistão por porto no Irã


O Afeganistão, o Irã e a Índia finalizaram neste domingo (17/04) o “Acordo Chabahar”, que deve dar o acesso indiano ao Afeganistão pelo porto iraniano. O anúncio se deu após visita da ministra de Relações Exteriores indiana, Sushma Swaraj, à Teerã. Segundo Swaraj, acesso ao porto de Chabahar vai permitir uma maior integração regional e estimular o crescimento econômico do Afeganistão. Nova Deli também pretende financiar uma ferrovia conectando o porto e diversas cidades iranianas. O acordo deve ser assinado ainda este ano em visita do primeiro-ministro indiano Narendra Modi ao Irã.

Foto: MEAIndia

EUA e Índia aprofundam cooperação militar


A Índia e os Estados Unidos anunciaram nesta terça-feira (12/04) uma série de iniciativas para aprofundar a cooperação militar entre os países. As Forças Armadas de ambos compartilharão capacidade logística, tecnologia e informações. O anúncio foi feito durante visita do secretário de Defesa dos EUA, Ashton B. Carter, ao país asiático.  O acordo de fato deve ser assinado nas próximas semanas.

Foto: EPA

Índia testa com sucesso míssil Agni-I


Em março, a Índia realizou com sucesso um teste com o míssil balístico de alcance intermediário Agni-I. Este tem capacidade de carregar ogivas nucleares. O Agni-I foi desenvolvido nacionalmente por uma empresa estatal e possui um alcance de 700 quilômetros.

Foto: The Hindu.

Índia aposenta caças Sea Harrier de sua Marinha


A Marinha da Índia retirou de serviço seus aviões do modelo Sea Harrier, que operavam a partir do porta-aviões INS Viraat. O plano é substituir os caças pelos MiG- 29Ks comprados da Rússia. Nova Deli adquiriu 30 unidades do Sea Harrier do Reino Unido em 1983, mas apenas 11 continuavam ativos. O plano inicial considerava a substituição com aviões feitos nacionalmente, mas o projeto está atrasado mais de 15 anos, segundo oficiais indianos.

Foto: Indian Navy

As relações entre Brasil e Índia após o governo Lula


Em artigo publicado no blog Post-Western World (25/01), Oliver Stuenkel analisa as relações entre o Brasil e a Índia desde 2004. Neste ano, o então presidente Lula visitou a Índia com grande comitiva empresarial, prometendo aumentar os laços comerciais e a cooperação Sul-Sul entre os dois países. Porém, 12 anos depois, as relações parecem ter estagnado, com pouca conexão comercial e sem avanços na cooperação bilateral.

25012004p00002

Foto: Ricardo Stuckert/PR

França e Índia assinam acordo para venda de caças


Nesta segunda-feira (25/01), a Índia e a França assinaram um acordo intergovernamental para a venda de 36 caças franceses Rafale. Acordo final porém não foi finalizado devido a questões financeiras, que devem ser resolvidas em breve. Os dois países também firmaram diversos tratados em áreas como antiterrorismo, securitária, espacial e cultural.

rafale

Foto: Asia Times.

O que leva o sul da Ásia a contribuir com tropas de manutenção de paz?


Em artigo para a DW, Gabriel Domínguez analisa o que leva os países do sul da Ásia a contribuírem com tantas tropas para missões de manutenção de paz sob a bandeira da Organização das Nações Unidas (ONU). Somadas, as contribuições de soldados feitas por Bangladesh, Paquistão, Índia e Nepal contam por mais de 30% do total. Entre as principais razões estão as vantagens financeiras, os ganhos diplomáticos — tanto no âmbito da ONU como nos países em que atuam diretamente — e experiência para suas Forças Armadas.

017915439_30300

Foto: AFP / Getty Images / P. Macdiarmid.

Índia encomenda corveta furtiva antissumbarino desenvolvida nacionalmente


Nesta quinta-feira (07/01), a Índia comissionou a segunda, das quatro planejadas, corveta de guerra furtiva antissubmarino da classe Kamorta. Segundo a Marinha, mais de 90% do INS Kadmatt (P 29) são produzidos nacionalmente, e o navio também pode participar de operações contra alvos na superfície e aéreos. As outras duas corvetas devem ser entregues no final de 2017.

thediplomat_2016-01-07_16-06-11-386x227

Foto: Wikimedia Commons / Anir1uph.

Sete eventos para se prestar atenção na Ásia em 2016


Em artigo publicado na revista The Diplomat (31/12), o analista Ankit Panda elenca sete eventos geopolíticos para se prestar atenção no início de 2016 na Ásia: as eleições em Taiwan; o início das operações do Banco Asiático de Investimento em Infraestrutura (AIIB, em inglês); eleições internas no Partido Comunista do Vietnã; complicações no acordo entre Japão e Coreia do Sul sobre escravas sexuais da Segunda Guerra Mundial, assinado no final do ano passado; conversas entre Paquistão e Índia; negociações de paz com o Talibã; e o nascimento da Comunidade ASEAN.

thediplomat_2015-12-30_16-24-30-386x217

Foto: Shutterstock.com

Premiê da Índia visita Paquistão e Afeganistão


O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, realizou uma visita surpresa ao Paquistão, a primeira de um chefe de governo indiano desde 2004. Modi teve um encontro de cerca de duas horas com o primeiro-ministro paquistanês, Nawaz Sharif. Antes da visita, Modi esteve na capital do Afeganistão, Cabul, onde inaugurou o novo prédio do parlamento do país, construído com ajuda da Índia.

018942313_30300

Foto: picture-alliance / dpa / Press Information Bureau.

Governo da Índia aprova compra de sistema de defesa antiáreo S-400 da Rússia


O governo da Índia aprovou a compra de cinco sistemas de defesa antiaéreos S-400 da Rússia. Contrato é estimado em US$ 4,5 bilhões, o maior negócio da história entre os dois países. Se negociações se concretizarem, Nova Deli será o segundo comprador do armamento russo, atrás apenas da China. Ainda não foram anunciados os mísseis que equiparão o S-400 e os prazos de entrega.

thediplomat_2015-04-22_14-35-18-386x245

Foto: Wikimedia Commons / Aleksey Toritsyn.

Os impactos do sistema financeiro internacional nos países emergentes


O economista Luiz Gonzaga Belluzzo analisa, em artigo publicado na revista Carta Capital, o sistema financeiro internacional e os enormes impactos deste nos países emergentes. Belluzzo critica a livre movimentação de finanças, que afetam e desvalorizam o câmbio de moedas fracas, e a função de reserva de valor do dólar, que submete as economias mundiais à política dos Estados Unidos. Esses fatores desestabilizam as economias emergentes, diminuindo seus recursos e capacidades de investimento.

62a0d6a2-744e-4859-af69-34ab0f9fd656

Foto: Roberto Stuckert Filho / PR.

Índia e Paquistão retomam conversas de paz de alto nível


A Índia e o Paquistão anunciaram que retomarão as conversas de alto nível sobre a paz, que foram suspensas em 2012. Discussões devem tratar da disputa sobre o território da Caxemira, reivindicado pelos dois países. Nova Deli também deseja que Islamabade facilite o intercâmbio comercial e a concessão de vistos e encerre seu apoio a militantes que desestabilizam o Afeganistão e a própria Caxemira.

85102308_85102307

Foto: AFP.

Índia pode ensinar lições para a China no Mar do Sul da China?


Mercedes Page, em artigo publicado no The Strategist, considera que a China deveria tirar lições para as disputas no Mar do Sul da China com a Índia. Em disputa territorial marítima com Bangladesh, Nova Deli aceitou a derrota jurídica em organismos internacionais e isso não afetou as relações bilaterais — inclusive facilitou-as –. Assim, a China poderia aceitar o julgamento contra as Filipinas em suas disputas para não prejudicar suas relações regionais.

Philippine national flag flutters in wind aboard BRP Sierra Madre, run aground on disputed Second Thomas Shoal in South China Sea

Foto: Reuters / Erik de Castro.

Rússia e Índia realizam exercício naval conjunto no golfo de Bengala


Nesta segunda-feira (07/12), as marinhas da Índia e da Rússia iniciaram um exercício militar naval conjunto no Golfo de Bengala. As atividades devem ocorrer até o dia 12 de dezembro e incluem duas fases, uma em instalações portuárias e outra no mar. Operações de defesa áerea, antissubmarino e contraterroristas serão simuladas. Essa é a oitava edição do exercício, que ocorre desde 2003.

thediplomat_2015-12-08_18-21-26-386x256

Foto: Marinha da Índia.

Termina a primeira cúpula de mídia dos BRICS


Nesta terça-feira (01/12), encerrou-se a primeira Cúpula de Mídia do BRICS com uma declaração conjunta. Foi a primeira reunião para diálogo e intercâmbio de alto nível entre os principais veículos de mídia dos países emergentes. Três tópicos foram centrais no encontro: o papel da mídia em promover uma parceria mais estreita entre os países do BRICS, em aprofundar intercâmbios e cooperação entre as mídias dos países do BRICS, e como mídia tradicional e nova mídia podem se complementar e convergir.

134872391_14489414458531n

Foto: Xinhua / Jin Liangkuai.

O aprofundamento das relações entre Índia e Afeganistão


Em artigo publicado na revista The Diplomat (24/11), Ankit Panda analisa o fracasso da aproximação do Afeganistão com o Paquistão e a recente aproximação estratégica de Cabul com a Índia. Nova Deli pode ser um importante parceiro dos afegãos na estabilização do país. Isso poderia beneficiar os Estados Unidos, que estenderam sua permanência em território afegão devido a novas insurgências.

thediplomat_2015-11-24_00-11-05-386x303

Foto: Flickr / MEAPhotogallery.

BRICS criam rede de cooperação universitária


Na semana passada (17/11), Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul (BRICS) criaram uma rede de cooperação educacional, a “Universidade dos BRICS”. O acordo foi assinado em Moscou e prevê intercâmbios de pós-graduação nas áreas de economia, energia, tecnologia da informação e segurança da informação, mudanças climáticas e aquecimento global, recursos hídricos e poluição ambiental e estudos sobre os BRICS.

1886190

Foto: ef / mem / oda.

Índia e Reino Unido aprofundam relações bilaterais


A Índia e o Reino Unido aprofundaram as relações bilaterais após visita do primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, a Londres. Além da formação de uma “parceria global” entre os dois países, uma série de acordos foi concluída, incluindo US$ 13,7 bilhões em investimentos. Ambos os países também aumentaram a cooperação bilateral nuclear. Modi também foi o primeiro líder indiano a discursar no parlamento britânico. O início da visita foi marcado por protestos contra as violações de direitos humanos do primeiro-ministro.

Foto: Flickr / MEAPhotogallery.

Criação de rede de universidades dos BRICS será discutida em Moscou


A cúpula universitária global dos BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) será realizada na semana que vem, de 26 a 28 de outubro, em Moscou. Durante a reunião será discutida a criação de uma rede educacional de universidades dos BRICS, a fim de estimular trocas na área de educação e ciência com participação dos melhores estabelecimentos educacionais dos países membros do bloco. São consideradas seis áreas prioritárias: energia, tecnologias da informação, ecologia e mudanças climáticas, recursos aquáticos, poluição ambiental e Estudo dos BRICS, este que pretende incluir áreas como direito e economia. Além dos BRICS, também foram convidados representantes dos círculos científicos da Argentina, Afeganistão, Canadá, EUA, Finlândia, França, Itália, Reino Unido, Noruega e Polônia.

Foto: Sputnik News.

Novo fracasso em teste de míssil da Índia


Em teste ocorrido na última sexta-feira (16/10), um míssil cruzeiro de longo alcance, o Nirbhay, da Índia, teve de ser destruído em pleno voo após defeito na navegação impedir continuação do exercício. O lançamento do Nirbhay foi um sucesso, no entanto. Este é o terceiro exame fracassado da arma.

Foto: DRDO.

China e Índia realizam exercício conjunto de combate ao terrorismo


Os exércitos chinês e indiano começaram um exercício antiterrorismo conjunto na última segunda-feira (12/10) em Kunming, capital da Província de Yunnan, no sudoeste da China. Um total de 144 soldados chineses e 144 soldados indianos estão participando do exercício, programado para acontecer até 23 de outubro. Segundo um oficial chinês, o exercício tem o objetivo de melhorar a comunicação militar China-Índia e reforçar a confiança mútua.

Foto: Indian Defense Review.

Alemanha e Índia ampliam cooperação bilateral


A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, realizou visita oficial à Índia na semana passada. O encontro entre Merkel e o primeiro-ministro indiano Narendra Modi encerrou-se com a assinatura de diversos memorandos de entendimento em economia, segurança e cooperação política. Destacam-se a declaração de posição conjunta na questão da reforma do Conselho de Segurança da ONU e um acordo em que empresas alemãs recebem aprovação “fast-track” para atuar no país asiático.

Angela Merkel e Narendra Modi. Image: Flickr / MEAPhotogallery.

Índia reduz novamente taxa de juros


O economista indiano Anish Mishra analisa em artigo publicado na revista The Diplomat (04/10) os impactos dos recentes cortes nas taxas de juros pelo Banco de Reserva da Índia (RBI), a inflação e as perspectivas da economia indiana. Redução da inflação, desvalorização do yuan e manutenção dos juros do FED nos EUA foram as principais razões para os cortes.

Imagem: Indian currency via Shutterstock.com

Índia comissiona destróier furtivo


A Índia comissionou na última quarta-feira (30/09) seu novo destróier furtivo (stealth) INS Kochi da classe Kolkata. Navio é o maior do tipo até agora, sendo projetado para diversas capacidades, tal como antissubmarino, antinavio, ataques à terra e defesa aérea. O vaso é o segundo do tipo já entregue, com a previsão do terceiro estar pronto em 2016.

Imagem: wikimedia commons /deepanshu.