indústria aeroespacial

Índia lança 20 satélites em missão única


Nesta quarta-feira (22/06), a Índia lançou 20 satélites em órbita em uma única missão, batendo um recorde do programa espacial do país e se tornando o terceiro maior lançamento de satélites da história, atrás de Rússia (33) e EUA (29). 17 satélites eram estrangeiros, incluindo da Indonésia, EUA, Canadá e Alemanha. O lançamento ocorreu no centro espacial de Sriharikota, na costa leste indiana.

Foto: Xinhua / Getty Images via Fortune.

Rússia deve testar motor nuclear para espaçonaves até 2018


A Rússia planeja testar um motor nuclear para foguetes espaciais até 2018, afirmou Sergey Kiriyenko, presidente da companhia estatal de pesquisa nuclear Rosatom. Um sistema de propulsão nuclear poderia realizar viagens até Marte em cerca de 6 semanas – comparados com os 18 meses dos sistemas atuais-. Além disso, o motor nuclear aumentaria as capacidades de manobra e de aceleração. O projeto foi lançado em 2010 e tem um custo estimado de US$ 274 milhões.

Foto: Sputnik

Índia testa com sucesso primeiro veículo de lançamento de satélites reutilizável nacional


Nesta segunda-feira (23/05), a Índia realizou com sucesso seu primeiro teste com um veículo de lançamento reutilizável (RLV, em inglês) desenvolvido nacionalmente. O principal objetivo do novo veículo espacial é reduzir o custo de lançamento de satélites em até 80%. Nave foi desenvolvida pela estatal Agência Espacial Indiana (Isro).

Foto: ISRO

Japão testa com sucesso caça de quinta geração


Na última sexta-feira (22/04), o protótipo de caça de quinta geração do Japão, o X-2 “Shinshin”, realizou seu primeiro voo com sucesso. Avião contará com capacidade stealth. Assim, o Japão é o quarto país (depois dos EUA, Rússia e China) a testar um caça stealth desenvolvido nacionalmente. O projeto X-2 custou até agora US$332 milhões, existe há 10 anos e é realizado por um consórcio de 220 empresas, com a Mitsubishi sendo a líder.

Foto: Japan Air Self-Defense Force

Relatório vê problemas em software principal do F-35


Um órgão do Congresso dos Estados Unidos divulgou um relatório demonstrando preocupações com o programa de desenvolvimento do avião F-35 Lightning II. O principal problema seria com o software ALIS (Autonomic Logistics Information System), que gerencia a maioria das operações do avião. Este sistema é um dos três principais componentes da aeronave, com um custo de desenvolvimento até agora de US$ 16,7 bilhões.

Foto: Keith Simmons / US Navy

Turquia e Ucrânia compartilharão tecnologia para construir satélites


A Turquia e a Ucrânia concordaram em compartilhar tecnologia para desenvolver e construir satélites, afirmaram militares turcos. A empresa estatal turca Havelsan e a companhia ucraniana Ukroboronprom assinaram um memorando de entendimento para o desenvolvimento conjunto de satélites. O documento também prevê cooperação na indústria aeroespacial no futuro.

Foto: Adem Altan /AFP / Getty Images

Gripen promete estimular indústria aeroespacial brasileira


O Programa Gripen, parceria entre Brasil e Suécia para a produção de 36 caças, promete estimular a indústria aeroespacial brasileira, visto a cooperação técnica de empresas de ambos os países, a produção local de metade dos aviões encomendados e a transferência tecnológica do país escandinavo. Projeto, junto com o submarino nuclear da Marinha e o Guarani do Exército, também servem para alavancar o desenvolvimento tecnológico nacional em defesa.

Foto: Saab.