infraestrutura marítima

Estatal chinesa assume porto de Gwadar no Paquistão


Nesta quarta-feira (11/11), a empresa estatal chinesa Chinese Overseas Ports Holding Company Ltd (COPHCL) assumiu oficialmente o estratégico porto de Gwadar no Paquistão. A COPHCL assinou um contrato de aluguel de 40 anos, marcando um importante passo para a implementação do Corredor Econômico China–Paquistão, uma iniciativa-chave para a construção de infraestrutura em território paquistanês, conectando a China ao Oceano Índico.

Foto: J. Patrick Fisher / Wikimedia Commons.

Anúncios

Protesto contra construção de canal na Nicarágua


Milhares de manifestantes reuniram-se neste domingo (14/06) na cidade de Juigalpa, na região central da Nicarágua, para protestar contra o projeto do Canal da Nicarágua, realizado com apoio da China. Conforme a organização, cerca de 15 mil opositores à construção da obra, na maioria agricultores, compareceram na manifestação. A empresa chinesa Hong Kong Nicaragua Canal Development (HKND) planeja investir 40 bilhões de dólares na obra de infraestrutura e empregar dezenas de milhares de pessoas. Obras devem iniciar em 2016.

Foto: Getty Images, AFP, STR

Foto: Getty Images / AFP / STR.

China e Indonésia visam a maior cooperação em infraestrutura


Nesta sexta-feira (27/03), o primeiro ministro chinês, Li Keqiang, e o presidente indonésio, Joko Widodo, comprometeram-se com maior cooperação bilateral para a construção de infraestrutura e para investimentos. Keqiang enfatizou que a China encorajará empresas a investirem em ferrovias e parques industriais portuários na Indonésia. Já Widodo ressaltou a importância do fortalecimento da cooperação entre os dois países em energia e indústria marítima, entre outros. A Indonésia é membro fundador do recém-criado Banco Asiático de Investimento em Infraestrutura, capitaneado por Pequim.

Widodo (E) e Keqiang. Foto: Xinhua / Xie Huanchi.

Joko Widodo (E) e Li Keqiang em Pequim. Foto: Xinhua / Xie Huanchi.

O “Plano Marshall” da China?


A China comprometeu-se a disponibilizar US$ 40 bi em um fundo para a Nova Rota da Seda, visando a resolver gargalos de infraestrutura na Ásia e promover o desenvolvimento de vários países da região, bem como propôs a criação do Banco Asiático de Investimento em Infraestrutura com o mesmo intuito. Dingding Chen argumenta que essas iniciativas se assemelham com o Plano Marshall realizado pelos EUA no pós-Segunda Guerra Mundial na Europa, mas que vão, na verdade, muito além, pois têm escopo praticamente global e não exigem contrapartidas políticas.

Mapa: Xinhua.

As novas rotas da seda propostas pela China. Mapa: Xinhua.

(mais…)

China cria fundo bilionário para rota da seda marítima


Na segunda-feira (19/05) a China estabeleceu um fundo de 10 bilhões de yuans (cerca de 3 bilhões de reais) para financiar projetos de infraestrutura da rota da seda marítima: construção de portos e maior conectividade entre os países costeiros do Oceano Índico e do Sudeste da Ásia.

Mapa: Xinhua.

Em azul, a rota da seda marítima. Mapa: Xinhua.

(mais…)

A Rota da Seda Marítima vs. o Colar de Pérolas


Os projetos da China para uma Rota da Seda Marítima esclarece os interesses chineses em um “colar de pérolas”, i.e. a estratégia de contenção da Índia. Investimentos chineses em infraestrutura marítima serviriam para alavancar o desenvolvimento dos países envolvidos.

Mapa: Asia Times.

Mapa: Asia Times.

(mais…)