Integração Regional Sul-Americana

Secretário-Geral da UNASUL comenta projeto de cidadania sul-americana


Na última quarta-feira (29/07), o secretário-geral da União das Nações Sul-Americanas (UNASUL), Ernesto Samper, afirmou que está em construção o projeto de “cidadania sul-americana” idealizado pelo bloco. A iniciativa visa a estabelecer uma  identificação de cidadania sul-americana para os mais de 400 milhões de habitantes do continente, permitindo-lhes a livre circulação e trabalho na região. Além disso, o secretário apontou para o potencial da iniciativa em servir como proteção dos mais de 25 milhões de sul-americanos que vivem no exterior — especialmente para aqueles que passam por julgamentos em tribunais estrangeiros.

Foto: Ansur.

11ª Cúpula da Aliança do Pacífico ocorre no Chile


Na última terça-feira (29/06), teve início a 11ª Cúpula da Aliança do Pacífico, reunindo os Chefes de Estado dos quatro países membros (Chile, Peru, Colômbia e México) e de dois países observadores (Argentina e Costa Rica). Na ocasião, o chanceler chileno Heraldo Muñoz celebrou a visita dos recém-eleitos Maurício Macri, da Argentina, e Pedro Pablo Kuczynski, do Peru como atores importantes para promoção dessa iniciativa regional. Já o presidente argentino pretende criar mais vínculos do Mercosul com a Aliança, a qual também deve se tornar uma área de livre comércio na América Latina.

Presidentes da Aliança do Pacífico. Foto: Nodal.

Temer boicotará cerimônia de posse de presidência do Mercosul pela Venezuela


O presidente interino do Brasil, Michel Temer, e seu chanceler, José Serra, avisaram que não comparecerão à reunião de cúpula do Mercosul que deve empossar a Venezuela como presidente do bloco. A presidência do Mercosul é exercida de forma rotativa em mandatos de seis meses. A reunião deve ocorrer em julho no Uruguai. Argentina e Paraguai também demonstraram reticências quanto a presidência venezuelana sobre o Mercosul devido à situação política no país. Recentemente o secretário-geral da Organização dos Estados Americanos, o uruguaio Luis Almagro, invocou a cláusula democrática da organização para tratar da situação na Venezuela, o que foi duramente criticado pelo presidente do Uruguai, Tabaré Vasquez.

José Serra e Michel Temer (D). Foto: BOL Notícias.

A integração produtiva intra-Mercosul: diagnóstico, possibilidades e desafios


Confira aqui o artigo do pesquisador do ISAPE, Henrique Gomes Acosta, sobre o processo de integração produtiva entre as economias que compõem o Mercosul. O trabalho nota que esse é um fenômeno incipiente na região e que, embora tenha avançado nos últimos 20 anos, apresenta uma série de desequilíbrios geográficos e setoriais. Três dificuldades para um aprofundamento da integração das estruturas produtivas da região são apontadas: (i) os entraves relacionados à livre circulação de bens e à coordenação de políticas industriais entre os países do bloco; (ii) as deficiências da infraestrutura regional; e (iii) a insuficiência dos mecanismos regionais de financiamento de longo prazo.

Imagem: MRE.

A integração de infraestrutura na América do Sul: uma análise da logística e dos desafios à defesa regional


Confira aqui o artigo da pesquisadora do ISAPE, Bruna Jaeger, em coautoria com as pesquisadoras Isadora Coutinho, Naiane Cossul e Namisi de Oliveira, publicado na Revista de Estudos Internacionais sobre a integração de infraestrutura na América do Sul e seus impactos para a defesa e logística regionais. O trabalho nota que historicamente a integração infraestrutural sul-americana preocupa-se somente com efeitos comerciais e pouco com defesa e questões geopolíticas. As autoras mostram que a construção de grandes obras de energia, transportes e comunicações constitui-se em um fator significativo para aumentar as capacidades logísticas da região, formar cadeias produtivas e reduzir as assimetrias existentes, especialmente no interior da América do Sul.

Mapa: Guia Geográfico – Globo Terrestre. 

Infraestrutura e desenvolvimento: estudo de caso sobre IIRSA e COSIPLAN


Confira aqui a tese do pesquisador do ISAPE, Fernando Dall’Onder Sebben, sobre a conexão entre infraestrutura e desenvolvimento na América do Sul. O trabalho analisa as políticas públicas de infraestrutura de energia, transporte e comunicações em ambientes institucionais marcados por diferentes níveis de cooperação entre os setores público e privado a partir de um estudo de caso dos projetos da Iniciativa para a Integração da Infraestrutura Regional Sul-Americana (IIRSA) e do Conselho Sul-Americano de Infraestrutura e Planejamento (COSIPLAN) de 2000 a 2015. Verifica-se, na análise, que há quatro tipos ideais de vínculo entre infraestrutura e desenvolvimento: Estado Neo-utilitário, Estado Autônomo, Estado Facilitador e Estado Desenvolvimentista. Concluiu-se também que há um predomínio do modelo do Estado Facilitador na América do Sul e que isso significa que as políticas de infraestrutura predominantemente favorecem e ampliam as vantagens comparativas produtivas existentes, sobretudo na comercialização de produtos primários. Consequentemente, reforça-se o padrão de especialização regressiva e condicionam-se as opções e a trajetória de desenvolvimento do Brasil e da América do Sul.

Foto: Datacenter Dynamics.

Relações em eixo e integração produtiva na América do Sul: Argentina, Brasil e Venezuela


Confira aqui a monografia do pesquisador do ISAPE, Leonardo Albarello Weber, sobre relações em eixo e integração produtiva na América do Sul, entre Argentina, Brasil e Venezuela. O trabalho procura analisar o papel estratégico de tais relações para a integração sul-americana, notando que foram construídos vínculos que hoje são um fator-chave para a política e integração regionais e que a integração produtiva é central ao desenvolvimento econômico e à integração regional como um todo apesar dos desafios.

Imagem: Jornal GGN.

Para Samuel Pinheiro Guimarães, governo interino de Temer não deve interferir na participação do Brasil no Mercosul e nos BRICS


Confira aqui a entrevista da pesquisadora do ISAPE, jornalista e doutoranda em Informação e Comunicação Sorbonne Nouvelle-UFRGS, Camila Moreira Cesar, com o embaixador Samuel Pinheiro Guimarães, o qual é atualmente professor do Instituto Rio Branco (IBR/MRE), ex-secretário-geral de Relações Exteriores do Itamaraty, ex-ministro-chefe da Secretaria de Assuntos Estratégicos do governo brasileiro e ex-Alto-Representante-Geral do Mercosul. De passagem por Paris, Pinheiro Guimarães ministrou no dia 11 de maio de 2016 o seminário “O Brasil no cenário internacional atual”, no Grupo de Reflexão sobre o Brasil Contemporâneo, após o qual foi concedida esta entrevista sobre as perspectivas em torno dos novos agenciamentos no plano politico, econômico e internacional com a posse do governo interino de Michel Temer (PMDB) a partir desta quinta-feira (12/05).

Samuel Pinheiro Guimarães. Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil / Arquivo.

(mais…)

Bolívia e Peru discutem construção de ferrovia transoceânica


Os presidentes de Bolívia e Peru, Evo Morales e Ollanta Humala, respectivamente, concordaram, nesta quinta-feira (28/01), em impulsionar o projeto da ferrovia transoceânica, que deve integrar os oceanos Atlântico e Pacífico. Plano inicial da ferrovia, financiado pela China, para integrar o porto de Santos, no Brasil, com o porto de Ilo, no Peru, não integrava a Bolívia, que vem pressionando para a alteração do mesmo.

base_image-600x350

Foto: Nodal.

Brasil e Equador aprofundam relações bilaterais


A presidente do Brasil, Dilma Rousseff, e o presidente do Equador, Rafael Correa, acordaram nesta terça-feira (26/01) em aprofundar as relações bilaterais. Além de questões comerciais e sistemas de crédito, os dois líderes também discutiram a conexão de Manaus com a cidade costeira equatoriana Manta, que permitiria o acesso brasileiro ao Pacífico.

archivo_20160127083427_8363_580x311

Foto: ANSUR.

Brasil discute energia e hidrocarbonetos com Bolívia


Nesta quarta-feira (27/01), os secretários brasileiros da Energia e dos Hidrocarbonetos visitaram, acompanhados de comitiva com executivos da Eletrobras e da Petrobras, a Bolívia. Além da ampliação do contrato de venda de gás boliviano para o Brasil, também foram discutidos uma série de projetos conjuntos, como a da termoelétrica do Rio Madeira e uma sociedade brasileira-boliviana para a construção de uma planta petroquímica.

archivo_20160127082859_9108_586x368

Foto: ANSUR.

Integração digital no Mercosul


Ana Julia Possamai analisa, em artigo publicado na revista Panorama Internacional (Ano 1, Nº 2, 2015), a dimensão tecnológica do Mercosul. A autora defende que a integração digital é fundamental para atingir o estado pleno de Mercado Comum. Além do comércio eletrônico, a integração digital também permite a realização de serviços e processos públicos de forma mais eficiente. Apesar de algumas iniciativas, Estados ainda carecem de maior desenvolvimento na área.
20151126connecting-me-to-world-1243344-1920x1440

Foto: Reprodução.

Brasil e Uruguai firmam acordo de livre comércio para setor automotivo


Nesta quarta-feira (09/12), Brasil e Uruguai firmaram um acordo de livre comércio no setor automotivo. É o primeiro acordo desse tipo entre países do Mercosul, o qual não contempla o setor automotivo por se tratar de um mercado sensível. Espera-se que a medida abra as portas para acordos semelhantes com os demais países do bloco, notadamente com a Argentina.

Foto: Juan Barbosa / Folhapress.

A herança dos 12 anos de “kirchnerismo” para a Argentina


Em artigo publicado no Opera Mundi, Juan Santiago Fraschina analisa a herança dos 12 anos de “kirchnerismo” na política econômica da Argetina. Segundo o autor, o país conseguiu, após a derrocada do neoliberalismo, reduzir as desigualdades enquanto mantinha altos níveis de crescimento econômico. Fraschina ainda conclui que a integração regional é necessária para a industrialização das economias locais e para a proteção contra a crise financeira internacional.

Foto: Flickr / CC / José María Pérez Nuñez.

Candidato à presidência da Argentina visita Brasil e Uruguai


O candidato à presidente da Argentina, Daniel Scioli, intensificou sua agenda internacional visitando o presidente uruguaio, Tabaré Vázquez, em Montevidéu e a presidente do Brasil, Dilma Rousseff, em Brasília. O candidato prometeu que, caso vencedor nas eleições de 25 de outubro, manterá uma agenda para fortalecer a integração regional.

Fotos: Nodal.am

China, América do Sul e a integração regional


Confira aqui o artigo dos pesquisadores do ISAPE Bruno Gomes Guimarães e Diogo Ives publicado na revista The Diplomat nessa segunda-feira (21/09). Os recentes investimentos chineses em infraestrutura na América do Sul, com o objetivo de facilitar a exportação de matéria-prima para a China e o acesso de manufaturas asiáticas, apresenta tanto um desafio quanto uma oportunidades para os países sul-americanos. O Brasil e seus vizinhos têm uma oportunidade de evitar uma possível desindustrialização e integrar a região.

Foto: Reuters / Ivan Alvarado.

América do Sul, China e os novos meios da integração (inter-)regional


Confira aqui o artigo escrito pelo pesquisador do ISAPE, Bruno Gomes Guimarães, e Diogo Ives, mestrando em ciência política na UFRGS, a respeito dos investimentos chineses em infraestrutura na América do Sul e os desafios para a integração regional do continente e do mesmo com a China.

Foto: Divulgação / Planalto.

Foto: Divulgação / Planalto.

(mais…)

Grupo de Trabalho de Cooperação Técnica Brasil–Suriname é instituído


No dia 10 de julho foi instituído o Memorando de Entendimento entre Brasil e Suriname, que estabelece o Grupo de Trabalho de Cooperação Técnica bilateral (GT) entre o Brasil e o Suriname, mecanismo que é possível graças ao encerramento ao trabalho desenvolvido pela missão multidisciplinar organizada pela Agência Brasileira de Cooperação (ABC), entre 7 e 10 de julho. Novas iniciativas em cooperação técnica para a produção de cacau, gestão de recursos hídricos, mapeamento geológico e resposta de epidemias foram formuladas, além do plano de trabalho do projeto que fortalecerá o Banco Central do Suriname.

Foto: Agência Brasileira de Cooperação.

Foto: Agência Brasileira de Cooperação.

Mercosul assina a entrada da Bolívia no bloco como membro e Suriname e Guiana como associados


Em reunião de cúpula sob a presidência do Brasil, na última sexta-feira (17/07), os membros do Mercosul (Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Venezuela) assinaram a declaração que admite a Bolívia como novo membro efetivo do bloco, além da entrada de Guiana e Suriname como membros associados ao grupo. A decisão ainda depende da aprovação dos parlamentos do Brasil e do Paraguai, que presidirá o bloco pelos próximos 6 meses. Outro documento que previa a entrada da Bolívia para o grupo havia sido assinado em 2012, porém sem a assinatura do Paraguai, suspenso em virtude do golpe contra Fernando Lugo.

Foto: Divulgação.

Foto: Divulgação.

O mito do fracasso do Mercosul


O Grupo de Reflexão sobre Relações Internacionais (GR-RI), em artigo, desconstrói o mito de que o Mercosul teria fracassado e alerta para os perigos de sua flexibilização. O GR-RI informa que o comércio intrabloco cresceu bem acima do crescimento do comércio mundial nos últimos 15 anos e que, mais importante ainda, o comércio extra-bloco do Mercosul também aumentou acima do crescimento do comércio global, no mesmo período considerado. Dessa forma, a hipótese de que o Mercosul seria um fracasso e estaria impedindo maior participação dos Estados Partes nas cadeias produtivas globais — tese dos detratores do bloco — simplesmente não teria base empírica. Nesse contexto, o abandono da união aduaneira e a celebração célere e isolada de acordos de livre comércio com grandes potências econômicas seria um grande erro ao comprometer espaços de manobra de políticas industriais e tecnológicas.

Foto: PR / Ricardo Stuckert.

Por falta de dinheiro, Parlasul suspende atividades


Os deputados do parlamento do Mercosul (Parlasul) decidiram suspender as atividades da instituição por falta de dinheiro para o custeio de despesas administrativas. O déficit da instituição até o mês passado foi de 5,1 milhões de dólares (aproximadamente 16 milhões de reais). Todos os países membros do Mercosul estão em dívida. O maior devedor é o Brasil, que acumula US$ 2,5 milhões de aportes atrasados. O segundo maior devedor é a Argentina, com US$ 866 mil atrasados. A Venezuela deve US$ 857 mil e o Uruguai US$ 746 mil. O Paraguai é o país do Mercosul que menos deve, US$ 68 mil.

Foto: Mercosul / Leopoldo Silva / Senado Federal.

Dilma e Tabaré dizem que acordo Mercosul-UE é prioridade do bloco


Os presidentes do Brasil, Dilma Rousseff, e do Uruguai, Tabaré Vázquez, reuniram-se hoje (21/05) em Brasília, durante visita de Estado do chefe do país vizinho, e disseram que o fechamento de um acordo de livre comércio entre o Mercosul e a União Europeia é a prioridade do bloco sul-americano para este ano. De acordo com Dilma, o país vai propor que seja realizada a apresentação simultânea das ofertas comerciais dos dois blocos o mais brevemente possível. A presidente admitiu também, pela primeira vez, que é possível que os países do Mercosul entreguem propostas de liberalização comercial em “velocidades diferentes”. Tabaré Vázquez, por sua vez, fez duras críticas ao bloco e defendeu a revitalização do grupo, afirmando que o Mercosul não pode ser “reduzido a reuniões e discursos”.

Tabaré Vázquez e Dilma Rousseff. Foto: Roberto Stuckert Filho / PR.

Integração infraestrutural sul-americana: impactos sobre a estratégia e a geopolítica regional


Confira aqui a monografia da pesquisadora do ISAPE, Bruna Jaeger, sobre a integração infraestrutural sul-americana. O trabalho trata dos efeitos dessa integração sobre a estratégia e a geopolítica regional e mostra que a promoção de infraestrutura integrada na América do Sul é um importante fator para garantir maior segurança e capacidades de defesa no continente, bem como para impulsionar o desenvolvimento socioeconômico e aumentar a presença do Estado em regiões isoladas.

 Estados Unidos, Venezuela e Paraguai na Geopolítica da América do Sul

Imagem: n.i.

Entrevista com Celso Amorim: “sem a UNASUL, os EUA não estariam mudando de posição em relação a Cuba”


Em entrevista ao jornal Clarín, o antigo ministro da Defesa e das Relações Exteriores do Brasil, Celso Amorim, comenta que a parceria estratégica de Brasil e Argentina é o principal fato da política externa brasileira possibilitou a criação do Mercosul e da UNASUL e que esta organização teria sido fundamental para a recente reaproximação entre Cuba e EUA. Amorim também fala da integração regional sul-americana e seus benefícios ao Brasil e ao continente, afirmando que objetivos de curto prazo devem ser deixados de lado em prol do longo prazo. Além disso, para ele a política externa dos Estados Unidos no segundo mandato de Barack Obama está cada vez mais se assemelhando à política externa brasileira ao priorizar engajamento e diálogo ao invés do confrontacionismo com Cuba e Irã, por exemplo.

Celso Amorim. Foto: Clarín / Eleonora Gosman.

Chanceler uruguaio alega que há consenso no Mercosul para buscar acordos fora do bloco


De acordo com anúncio do chanceler uruguaio Rodolfo Nin Novoa feito nesta terça-feira (12/05), existe um consenso entre os membros do Mercosul para a busca de acordos comerciais bilaterais fora do bloco. Novoa disse que os países do bloco já estudam mecanismos para a implementação dessa flexibilidade, especialmente Uruguai e Paraguai. Brasil teria cedido às pressões de Assunção e Montevidéu e aceitado negociar a flexibilização do Mercosul.

Foto: PR

Foto: PR

Fonplata deve financiar obras de infraestrutura entre Mercosul e Bolívia


O Fundo Financeiro para o Desenvolvimento da Bacia do Prata (Fonplata) pretende financiar projetos que atendam as zonas de fronteira da região do Mercosul e Bolívia com meta de orçamento de em torno de US$ 800 milões até 2016. Deverão ser privilegiados projetos em infraestrutura de transporte, energia, logística e comunicações, em operações médias de aproximadamente US$ 50 milhões entre os países membros (Argentina, Bolívia, Brasil, Paraguai e Uruguai).

Foto: Red de Comunicadores del Mercosur

Foto: Red de Comunicadores del Mercosur.

 

Bolívia terá voz de voto no Mercosul a partir de Junho


A partir de Junho desde ano, a Bolívia passará a ser membro pleno do Mercado Comum do Sul (Mercosul), com direito a voz e voto, o que abre novas possibilidades comerciais que o país não possuía anteriormente, como membro associado. A inclusão do país andino ao Mercosul foi acordada quando o Paraguai estava suspendido, entre 29 de Junho e 15 de Agosto de 2013.

Foto: AP Press

Foto: AP Press

Comitê Consultivo da UNASUL discute desenvolvimento de avião de treinamento


Nos últimos dias 21, 22 e 23 de abril, foi realizada reunião do Comitê Consultivo do Projeto Unasur I, que trata do desenvolvimento do avião de treinamento a ser construído conjuntamente por Brasil, Argentina, Equador e Venezuela nos marcos do Conselho de Defesa da UNASUL. O objetivo principal do encontro foi definir o instrumental jurídico para conformação da empresa Unasur Aero S.A. Até o momento, somente o Brasil não manifestou interesse em comprar os aviões. A Argentina planeja encomendar 50 aeronaves, o Equador 18 e a Venezuela 24, totalizando 92 aviões. A ideia é instalar a planta industrial em dois anos na base aérea El Libertador, em Palo Negro (Venezuela), e começar a construir as aeronaves entre 2020 e 2021.

Foto: S2 Maxiel Gómez, Diario de Venezuela

 

Brasileiro é eleito primeiro secretário-geral da Escola Sul-Americana de Defesa


A União das Nações Sul-Americanas (UNASUL) informou pelo seu twitter que o professor brasileiro Antonio Ramalho foi eleito primeiro-secretário-geral da Escola Sul-Americana de Defesa (Esude), que será inaugurada nesta sexta-feira (17/04), em Quito, capital do Equador. O anúncio ocorreu depois de os vice-ministros de Defesa de vários países da região terem realizado uma reunião a portas fechadas na sede da UNASUL, no norte de Quito, na véspera da comemoração do oitavo aniversário de criação da organização.

Antonio Ramalho. Foto: MD / Jorge Cardoso.

Unasul criará Escola Sul-Americana de Defesa neste mês


O Secretário-Geral da Unasul, Ernesto Samper, foi a Buenos Aires para debater com o ministro da defesa argentino, Augustín Rossi, para debater a criação da Escola Sul-americana de Defesa (Esude). A escola, que foi proposta pela Argentina, será fundada oficialmente no próximo dia 17 de abril, durante reunião de cúpula ministerial na sede da Unasul, em Quito. Samper destacou a importância da Esude para a integração sul-americana e de suas forças militares.

Foto: teleSUR

Foto: teleSUR