Investimento

Rússia e China firmam novos acordos bilaterais


Em visita a Pequim, o presidente russo Vladimir Putin e o presidente chinês Xi Jinping firmaram mais de 30 novos acordos bilaterais. Entre as áreas temáticas, estão investimentos em infraestrutura, comércio, tecnologia e inovação, agricultura, finanças e internet. Embora tenha havido uma desaceleração da parceria entre Rússia e China, ambos os países notaram o seu sucesso estratégico. Xi Jinping afirmou ainda que os dois países “deveriam promover a ideia de serem amigos para sempre”.

Foto: Getty Images / G. Baker via DW.

Anúncios

China anuncia 10 planos para aumentar cooperação com a África


Em discurso no Fórum de Cooperação China-África na última sexta-feira (04/12), o presidente chinês, Xi Jinping, anunciou que lançará dez grandes planos para aumentar a cooperação com o continente africano nos próximos três anos. Pacote inclui industrialização, modernização da agricultura, infraestrutura, capacitação técnica, entre outras áreas. Xi anunciou ainda um fundo US$ 60 bilhões para ajudar na implementação das medidas.

chinese-president-xi-jinping-delivers-his-speech-during-the-opening-ceremony-of-the-johannesburg-summit-for-the-forum-on-china-africa-cooperation-at-the-sandton-convention-centre-in-johannesburg-frida

Foto: AP

 

Quando mercados financeiros erram sobre a política de países emergentes


Em artigo publicado no site Project Syndicate, o professor de Harvard Dani Rodrik discute os erros cometidos pelos mercados financeiros na análise da situação política de países emergentes. Os exemplos são a Turquia e o Brasil. O primeiro deu a sensação de estabilidade com a reeleição com maioria do partido governista, atraindo investimentos, mas as atitudes recentes do governo, como a censura, mostram que pode ser um erro do sistema financeiro. Já o segundo passou a impressão de fragilidade política após um escândalo de corrupção, quando na verdade investimentos deveriam ser atraídos pela força das instituições brasileiras.

investimento-estrangeiro-582x270

Imagem: n.i.

Índia e Reino Unido aprofundam relações bilaterais


A Índia e o Reino Unido aprofundaram as relações bilaterais após visita do primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, a Londres. Além da formação de uma “parceria global” entre os dois países, uma série de acordos foi concluída, incluindo US$ 13,7 bilhões em investimentos. Ambos os países também aumentaram a cooperação bilateral nuclear. Modi também foi o primeiro líder indiano a discursar no parlamento britânico. O início da visita foi marcado por protestos contra as violações de direitos humanos do primeiro-ministro.

Foto: Flickr / MEAPhotogallery.

Angola investe capitais em Portugal


Nos últimos anos têm se notado uma inversão nas relações econômicas entre Angola e Portugal, com a primeira, ex-colônia, dominando diversos setores da economia do segundo. A combinação de crise econômica na Europa e ascensão da economia africana levaram a maciços investimentos angolanos, estatais e privados, no país ibérico. Isso levou a diversos problemas nos dois países, como um suposto aumento da corrupção no sistema político lusitano.

Foto: EPA / Bruno Fonseca.

América do Sul, China e os novos meios da integração (inter-)regional


Confira aqui o artigo escrito pelo pesquisador do ISAPE, Bruno Gomes Guimarães, e Diogo Ives, mestrando em ciência política na UFRGS, a respeito dos investimentos chineses em infraestrutura na América do Sul e os desafios para a integração regional do continente e do mesmo com a China.

Foto: Divulgação / Planalto.

Foto: Divulgação / Planalto.

(mais…)

Peru bate recorde em investimentos públicos


Governo do Peru divulgou nesta segunda-feira (27/08) um novo recorde em investimentos públicos, com 111,054 milhões de soles investidos nos últimos 47 meses, superando valores dos dez anos anteriores, que não ultrapassaram a marca dos 93,451 milhões. O desempenho atual supera em 148% o gasto público entre agosto de 2006 e julho de 2011, período em que apenas 74,847 milhões de soles foram utilizados em investimentos governamentais.

Foto: Divulgação, ANSUR.

Foto: Divulgação / ANSUR.

Rússia está tentando limitar importância do petróleo na economia, afirma Ministro


Anton Siluanov, Ministro das Finanças da Rússia, afirmou que o governo está tentando se livrar da dependência da economia russa em receitas do petróleo. Segundo Siluanov, há uma tentativa de diversificação de investimentos para setores não baseados em recursos naturais para alavancar o crescimento econômico do país. Isso seria uma tentativa de recuperar-se da desisdustrialização pela qual o país passou quando os preços do petróleo estavam bastante elevados. Ainda conforme o ministro, investimentos que iriam para o setor petrolífero estão sendo direcionados para setores de substituição de importações.

Foto: n.i.

Foto: n.i.

Revisão de metodologia aumenta PIB brasileiro em 2,1%


O IBGE divulgou a série de dados do PIB brasileiro após a revisão da metodologia de seu cálculo, o que trouxe um acréscimo de 2,1% ao produto brasileiro entre 2000 e 2011. O maior diferencial foi no ano de 2011, em que a taxa de crescimento passou de 2,7% para 3,9%. Vários países revisaram sua metodologia de cálculo do PIB seguindo recomendação da ONU e obtiveram aumento do valor de seu produto. A Formação Bruta de Capital Fixo foi aumentada com esta revisão, ultrapassando a barreira de 20% do PIB em 2010 e 2011.

Foto: iStock

Foto: iStock

IBGE se adequa a padrões internacionais no cálculo do PIB, que deve ser maior


Adequando-se a padrões internacionais estabelecidos em 2008, o IBGE mudará a metodologia do cálculo do PIB, que deverá ter resultado melhor do que o esperado para 2014. A mudança passa a contar gasto em pesquisa e exploração mineral como investimentos, até aqui contabilizados como despesa. Isso provocará uma expansão da conta de Formação Bruta de Capital Fixo, provavelmente elevando a conta final do produto brasileiro.

Foto: Estadão

Foto: Estadão

Sri Lanka aprova projeto de porto para evitar desentendimento com China


A construção de um porto financiado pela China no Sri Lanka quase foi interrompida devido a uma mudança de governo no país. O novo presidente, Rajitha Senaratne, tinha a intenção de revisar o projeto para verificar condições ambientais e possíveis esquemas de corrupção. Entretanto, teve de voltar atrás para evitar um desentendimento com a China, que mantinha melhores relações com o ex-presidente, Mahinda Rajapaksa.

Foto: Dinuka Liyanawatte / Reuters

Foto: Dinuka Liyanawatte / Reuters

A nova iniciativa de P & D do Pentágono


A próxima geração de armamentos estadunidenses será impulsionada pelo novo esforço do Pentágono em pesquisa e desenvolvimento. O objetivo é dar manutenção à superioridade tecnológica estadunidense. A posição relativa do país tem caído nos últimos anos com o desenvolvimento de inovações por outros países. Assim, o foco da iniciativa do Pentágono será dado em contramedidas as seguintes tecnologias que se tornaram mais difusas no sistema internacional: mísseis anti-satélites, munição guiada de precisão e tecnologia furtiva (stealth).

Foto: AFP

Foto: AFP

Projetos brasileiros para um novo ciclo de investimentos


Uma série de projetos brasileiros de infraestrutura têm potencial para impulsionar o PIB e proporcionar uma base ao desenvolvimento. Isso porque eles podem aumentar a competitividade e aumentar a taxa de investimento do país, essencial para o crescimento do produto.

Foto: Geraldo Galcão / Agência Petrobras

Foto: Geraldo Galcão / Agência Petrobras

(mais…)

A fome de aquisições do empresário brasileiro


Pesquisa demonstra que em seis meses, a intenção de investimento das empresas brasileiras dobrou. O empresariado brasileiro recuperou seu interesse por fusões e aquisições, ao contrário do noticiário majoritariamente pessimista sobre a conjuntura econômica nacional.

Foto: Antonio Pinheiro / GERJ

Foto: Antonio Pinheiro / GERJ

(mais…)

China e Rússia assinam grande acordo de fornecimento de gás


Acordo assinado entre China e Rússia deve criar nova rota de fornecimento através de novo gasoduto que ligará os dois países na sua fronteira oeste. Já existe um gasoduto na fronteira leste, através de Vladisvostok. O acordo abre caminho para que a China seja o principal comprador de gás russo.

Foto: RIA Novosti / Mikhail Klimentiev

Foto: RIA Novosti / Mikhail Klimentiev

(mais…)

Bancos chineses devem investir mais de 10 bi em projeto de gás na Sibéria


A China deve injetar mais de 10 bilhões de dólares em projetos de gás natural na Sibéria em acordos com a maior produtora independente de gás da Rússia, a Novatek. Com as sanções impostas pelo ocidente, a Rússia está se aproximando da China para levar adiante projetos de infraestrutura.

Foto: RIA Novosti / Vitaliy Ankov

Foto: RIA Novosti / Vitaliy Ankov

(mais…)

EUA gastou mais dinheiro no Afeganistão do que no Plano Marshall


Akhilesh Pillalamarri analisa os motivos pelos quais os Estados Unidos gastaram mais dinheiro no Afeganistão desde 2001 do que no Plano Marshall, que serviu para a reconstrução da Europa ocidental no pós-Segunda Guerra Mundial. Em 13 anos, Washington injetou cerca de 109 bilhões de dólares no Afeganistão, enquanto que entre 1948 e 1952 cerca de 103 bi foram investidos na Europa.

Foto: AFP / Manpreet Romana.

Foto: AFP / Manpreet Romana.

(mais…)

Políticas do FED nos EUA causam fuga de dólares no Brasil


Brasil passa por maior fuga de dólares em 10 anos. Críticas rasas culpam o governo, mas relatório do Banco Central e analistas do Financial Times mostram que foram as mudanças de política econômica nos Estados Unidos, especialmente pelo FED (Federal Reserve) que causaram a valorização do dólar e consequente desvalorização do real. Investidores japoneses, contudo, retornam ao Brasil.

Fonte: USP Imagens.

Fonte: USP Imagens.

(mais…)

CEPAL reduz previsão de crescimento para América Latina e Caribe


CEPAL

CEPAL reduz previsão de crescimento para América Latina e Caribe

23 de abril de 2013

A Comissão Econômica para América Latina e Caribe (CEPAL) reduziu de 3,8 para 3,5% a previsão de crescimento para  região. O crescimento estará respaldado na expansão da demanda interna e pelo melhor desempenho das economias argentina e brasileira. Este desempenho deve-se à permanência dos preços das materias-primas, “persistência do crescimento do consumo como consequência de melhores indicadores do mercado de trabalho e do aumento do crédito bancário ao setor privado e, em menor extensão, do investimento”.

Segundo a CEPAL, o Paraguai crescerá 10%, Panamá 8%, Peru e Haiti 6%. Bolívia, Chile e Nicarágua 5%, Colômbia 4,5%, Uruguai 3,8%, Argentina 3,5% e Brasil 3%.

Fonte:

BBC (http://www.bbc.co.uk/portuguese/ultimas_noticias/2013/04/130423_cepal_crescimento_lgb_rn.shtml)

Porque Africa volta-se para China


China

Why Africa Is Turning to China

07 de janeiro de 2013 – All Africa

Ghana held its general elections on December 7 and 8, 2012, reelecting incumbent President John Dramani Mahama. However, Nana Akufo-Addo, flag-bearer of the opposition New Patriotic Party, is challenging Mahama’s narrow win and intends to contest the result in court, a legal process that is sure to be prolonged. The verdict could potentially challenge Ghana’s generally stable and peaceful political environment. What will not change are the country’s close economic ties to China.

On my trip to Ghana in 2011, I observed Chinese foremen at the construction sites of the now completed George W. Bush Highway. The massive Ministry of Defense building in Ghana’s capital, Accra, was constructed with a $50-million Chinese grant. The Bui Hydroelectric Dam is a collaborative project of the government of Ghana and Sino Hydro, a Chinese construction company. In 2012, China invested in a new Ghanaian airline that serves domestic routes, and it is likely that the China Airports Construction Corporation (CACC) will be involved in building Accra’s new international airport. (mais…)

Empresa norueguesa anúncia saída do campo de gás gigante de Shtokman, no Ártico russo


Statoil quits Shtokman


Asia Times / By Vladimir Socor – 14/08/2012

On August 7, Norway’s Statoil announced its exit from the super-giant Shtokman gas field development in the Russian Arctic. The Norwegian company, majority state-owned, is writing off its investment into the Shtokman project, booking US$335 million (apparently most of that investment) as financial expenses for the second quarter of 2012. Statoil’s executives have withdrawn from the project company’s board of directors.

Declaratively at least, Statoil claims to be interested in re-negotiating the terms of the Shtokman project with Gazprom. But the Russian side has long failed to satisfy Statoil’s concerns (and probably also those of French Total, the other partner in this project) regarding the project’s economic and commercial viability. The shareholder agreement has in any case expired legally since July 1. (mais…)

África: Situação Econômica – “Aumento do emprego americano através de maior comércio e investimento entre EUA-África”


Congresso Americano

Africa: Economic Statecraft – “Increasing American Jobs through Greater U.S.-Africa Trade and Investment”

26 de julho de 2012 – All Africa

U.S. Senator Chris Coons (D-Del.) will chair a hearing of the Senate Foreign Relations Committee on Wednesday to consider the vast economic opportunities for U.S. businesses and investors in Africa, as well as steps the U.S. government could take to increase bilateral trade and investment.

The hearing, which is entitled “Economic Statecraft: Increasing American Jobs Through Greater U.S.-Africa Trade and Investment,” will take a comprehensive look at U.S. policy for promoting enhanced trade and investment in Africa in a manner that leads to mutually beneficial economic growth. It will also examine legislation, S.2215 — the Increasing American Jobs through Greater Exports to Africa Bill of 2012 — which aims to increase U.S. exports to Africa by 200 percent in the next decade. (mais…)

Banco Mundial reduz a previsão de crescimento da economia chinesa


Banco Mundial reduz a previsão de crescimento da economia chinesa

Correio do Brasil, com Reuters – 23/05/2012

O Banco Mundial reduziu nesta quarta-feira sua perspectiva para o crescimento econômico da China neste ano de 8,4 para 8,2%, e pediu ao país que conte com uma política fiscal mais flexível que amplie o consumo, em vez de apostar no investimento estatal para impulsionar a atividade econômica.

Em um relatório semestral para o Leste da Ásia e Pacífico, o Banco Mundial afirmou que uma desaceleração na China vai afetar o crescimento em países emergentes do Leste da Ásia para mínimas de dois anos em 2012, mas alertou que a crise da dívida da Europa pode provocar danos ainda maiores se piorar.

O enfraquecimento da demanda dos EUA e da Europa e do mercado imobiliário chinês podem pesar sobre a economia chinesa no curto prazo, completou o banco. Mas se governos e bancos centrais agirem a tempo para estabilizar a atividade, as economias devem se recuperar no próximo ano.

O banco disse que os países podem afrouxar ainda mais as políticas monetária e fiscal para alimentar a atividade, mas destacou que o espaço para manobra está reduzido por riscos de inflação que podem aumentar quando o crescimento se recuperar em meio à crescente dívida pública agora.

– As autoridades da região devem permanecer flexíveis para mudar a política monetária se o crescimento ganhar tração e as pressões inflacionárias aumentarem – disse o Banco Mundial.

Na China, onde o crescimento econômico em 2012 foi reduzido de 8,4% para 8,2%, o banco afirmou que Pequim deve apenas alterar marginalmente sua política monetária por enquanto reduzindo o compulsório dos bancos, uma vez que as taxas de juros reais estão negativas.  (mais…)

Mantega teme desaceleração no investimento com PIB fraco


Mantega teme desaceleração no investimento com PIB fraco–fontes

Reuters Brasil / Luciana Otoni, Tiago Pariz – 16/05/2012

Sabendo que o PIB do primeiro trimestre ficou abaixo do esperado, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, convocou dirigentes da indústria, do varejo e da construção civil nesta quarta-feira em Brasília para transmitir uma mensagem de confiança e pedir que os empresários continuem a investir.

No Ministério da Fazenda, informações de bastidores dão conta de que o primeiro trimestre registrará crescimento menor em relação ao quarto trimestre de 2011, e inferior ao esperado pela presidente Dilma Rousseff.

“O governo espera um pequeno crescimento em relação ao quarto trimestre”, disse uma fonte ligada à equipe econômica do governo.

No ano passado, o último trimestre registrou avanço de 0,3 por cento na comparação com o período de três meses imediatamente anterior, que, por sua vez, não avançou.

A Reuters mostrou no início desta semana que a expectativa de expansão da atividade neste ano é de 3,2 por cento.

“O desempenho no primeiro trimestre vai ser fraco, menor do que queríamos”, afirmou, por sua vez, um outro técnico da área econômica. Segundo ele, ao término de 2012, a economia deverá estar rodando a uma taxa anualizada de 4,5 por cento.  (mais…)

Guarani entra em produção em Sete Lagoas


Guarani entra em produção em Sete Lagoas

DefesaNET / Julio Cabral – 16/04/2012

Os antigos Urutus feitos pela Engesa entraram em serviço em 1974, enquanto os M113 são veteranos da Guerra do Vietnã. Para substituí-los, a Iveco desenvolveu em parceria com o Exército um novo veículo blindado para o transporte de tropas (VBTP), conhecido como Guarani.

Trata-se de um parrudo blindado 6×6 com espaço para 11 militares e capacidade de carga de até três toneladas. Serão feitas 2.044 unidades até 2032, fruto de uma licitação que começou em 2007. O projeto é cria nacional, tendo envolvido uma equipe de 30 engenheiros da Iveco, Exército e Fiat.

A fabricação será feita na fábrica da Iveco, em Sete Lagoas, em uma nova instalação de 18 mil metros quadrados somente para a produção de modelos da Divisão de Veículos de Defesa, o que demandou investimentos de R$ 75 milhões. Dali sairão todos os modelos destinados ao Brasil e ao exterior. O primeiro lote inclui um protótipo (fotos) e outros 16 Guarani, todos montados com peças importadas, mas o objetivo é chegar aos 60% de nacionalização.

BLINDADO Como a sigla diz, trata-se de um modelo mais voltado ao transporte de tropas do que ao combate direto. Isso não significa que o Guarani seja indefeso. Pelo contrário: a blindagem resiste a disparos de calibre até 7,62mm, comum em fuzis de assalto, o que o torna bem mais resistente que seus antecessores, ainda que não seja um tanque de combate.  (mais…)

Índia investirá maciçamente em aparelhamento das Forças Armadas


In arms way: India’s ‘hollow’ army to buy in bulk

Russia Today – 03/04/2012

As a recently-leaked letter scandal reveals the Indian army, one of the biggest in the world, is virtually “naked”, foreign weapons producers cast longing looks at the country’s never-shrinking military budget: over $100 billion to be spent by 2020.

­India’s entire tank fleet is out of ammunition, air defenses are “97 per cent obsolete” and the elite forces are “woefully short” of “essential weapons,” reads a leaked letter Army Chief Vijay Kumar Singh sent to Prime Minister Manmohan Singh in March.

“The state of the major (fighting) arms i.e. mechanized forces, artillery, air defense, infantry and special forces, as well as the engineers and signals, is indeed alarming,” adds Singh, as quoted by the DNA newspaper.

The “hollowness” of the fourth-largest army in the world, according to the general, lies with the slow procurement process and lack of urgency among bureaucrats.

Heavy corruption remains a major plague for India. In March alone, six arms companies were barred by the Defense Ministry for 10 years for alleged graft, all in the case involving a former director general of Ordnance Factories. The sanctioned companies include producers from Israel, Switzerland, Singapore, Russia and two local facilities. (mais…)

Agência estadunidense começa a projetar VANTs com tecnologia nuclear


Foto: Ethan Miller / Getty.

US draws up plans for nuclear drones

The Guardian – 02/04/2012 – por Nick Fielding

American scientists have drawn up plans for a new generation of nuclear-powered drones capable of flying over remote regions of the world for months on end without refuelling.

The blueprints for the new drones, which have been developed by Sandia National Laboratories – the US government’s principal nuclear research and development agency – and defence contractor Northrop Grumman, were designed to increase flying time “from days to months” while making more power available for operating equipment, according to a project summary published by Sandia.

“It’s pretty terrifying prospect,” said Chris Coles of Drone Wars UK, which campaigns against the increasing use of drones for both military and civilian purposes. “Drones are much less safe than other aircraft and tend to crash a lot. There is a major push by this industry to increase the use of drones and both the public and government are struggling to keep up with the implications.”

The highly sensitive research into what is termed “ultra-persistence technologies” set out to solve three problems associated with drones: insufficient “hang time” over a potential target; lack of power for running sophisticated surveillance and weapons systems; and lack of communications capacity.

The Sandia-Northrop Grumman team looked at numerous different power systems for large- and medium-sized drones before settling on a nuclear solution. Northrop Grumman is known to have patented a drone equipped with a helium-cooled nuclear reactor as long ago as 1986, and has previously worked on nuclear projects with the US air force research laboratory. Designs for nuclear-powered aircraft are known to go back as far as the 1950s. (mais…)

Marinha estadunidense afirma que em 4 anos terá capacidade para instalar canhões de laser à bordo de navios


Navy: We’re 4 Years Away From Laser Guns on Ships

Wired / Spencer Ackerman – 30/03/2012

The dream of sailors, nerds and sailor-nerds everywhere is on the verge of coming true, senior Navy technologists swear.  Within four years, they claim they’ll have a working prototype of a laser cannon, ready to place aboard a ship. And they’re just months away from inviting defense contractors to bid on a contract to build it for them.

“Subsonic cruise missiles, aircraft, fast-moving boats, unmanned aerial vehicles” — Mike Deitchman, who oversees future weapons development for the Office of Naval Research, promises Danger Room that the Navy laser cannons just over the horizon will target them all.

Or they will be, if ONR’s plans work out as promised — not exactly a strong suit of proposed laser weapons over the decades. (Note the decided lack of blast at your side.) First step in reaching this raygun reality: Finish up the paperwork. “The contract will probably have options go through four years, but depending on which laser source the vendors pick, we may be able to demo something after two years,” says Roger McGiness, who works on laser tech for Deitchman. “Our hope afterwards is to move to acquisition.”

Translated from the bureaucrat: After the Office of Naval Research can prove the prototype works, it’ll recommend the Navy start buying the laser guns. That process will begin in “30 to 60 days,” adds Deitchman, when his directorate invites industry representatives for an informal idea session. Deitchman and McGiness plan on putting a contract out for the prototype “by the end of the year.” (mais…)

Coréia do Norte encoraja investimento externo direto


DPRK encourages foreign investment: official

Xinhua – 23/03/2012

The Democratic People’s Republic of Korea (DPRK) will further improve environment for foreign investment, an official said Friday.

It is a consistent policy of the DPRK to enhance economic cooperation with other countries while beefing up its self-reliant national economy, Yun Yong Sok, an official of the Committee for Investment and Joint Venture, told the official KCNA news agency.

The government amended a series of investment-related laws last year, such as the Law and Regulations on Foreign Investment, the Law on Hwanggumphyong and Wihwa Economic Zone, and the Law on Rason Economic and Trade zone, said Yun.

The development of the two economic zones has been on a healthy track as a result of active efforts by both China and the DPRK, he said.

The committee will further ensure the interests of foreign investors and encourage exchanges and cooperation with foreign governments, investors and businesses, said the official.

He said the nation’s economy is gaining momentum, with many industrial establishments and power stations being built across the country.  (mais…)

Brasil discute cooperação em TIC e nanotecnologia com os EUA


Brasil discute novas áreas de cooperação com os Estados Unidos

MCTI – 14/03/2012

Nanotecnologia, biomedicina e ciências da vida, tecnologia da informação e comunicação. Essas são as novas áreas de interesse na cooperação bilateral entre Brasil e Estados Unidos. Os campos de colaboração entre os países foram discutidos na 3ª Reunião da Comissão Mista Brasil-EUA sobre Cooperação em Ciência e Tecnologia realizada, nos últimos dois dias, entre representantes das comunidades científica e acadêmica e empresários no Palácio Itamaraty, em Brasília.

Em entrevista coletiva nesta terça-feira (13), o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação do Brasil, Marco Antonio Raupp, o conselheiro científico da Casa Branca, John Holdren, o diretor do departamento de temas científicos e tecnológicos do Ministério de Relações Exteriores (MRE), embaixador Benedito Fonseca Filho, e o secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do MCTI, Carlos Nobre, apresentaram o resultado do encontro, que servirá de subsídio para a visita da presidenta da República Dilma Rousseff aos Estados Unidos, prevista para 9 de abril.

De acordo com Raupp, há grande esperança em aumentar a cooperação com os norte-americanos, como foi manifestado na reunião e a partir da visita do presidente dos EUA, Barack Obama, ao Brasil, em março do ano passado, quando surgiu a ideia de implantação do Programa Ciência sem Fronteiras (CsF). “Mostra que essa cooperação está sempre presente em decisões de programas importantes”, disse o ministro do MCTI. (mais…)