Japão

Novo acordo sobre Okinawa é firmado entre EUA e Japão


Os governos do Japão e dos Estados Unidos chegaram a um novo acordo, ainda a ser anunciado, quanto ao tratamento dos oficiais estadunidenses operando em Okinawa. A iniciativa ocorreu após o suposto envolvimento de um soldado estadunidense no assassinato de uma cidadã japonesa, seguido de uma série de protestos na ilha de Okinawa em maio e junho de 2016. Segundo a nova proposta, haverá uma revisão no acordo existente no sentido de diminuir a proteção aos funcionários dos Estados Unidos que cometam crimes em solo japonês, subdividindo os oficiais em categorias referentes às suas competências.

Aproximadamente metade dos soldados dos EUA no Japão estão na província de Okinawa Mapa: AFP.

Aproximadamente metade dos soldados dos EUA no Japão estão na província de Okinawa
Mapa: AFP.

EUA, Índia e Japão realizam exercício militar conjunto no Pacífico


Na última quinta-feira (09/06), teve início o exercício militar conjunto Malabar, realizado pelos Estados Unidos, Índia e Japão. O evento deve durar até dia 17 e ocorrer em águas japonesas e no Mar das Filipinas. O exercício conta com uma fase no mar e outra na costa. O primeiro tem como objetivo aumentar as capacidades de guerra antissubmarino,  defesa aérea e operações interdição marítima. A Marinha dos EUA enviou, dentre outros navios e submarinos, o superporta-aviões USS Nimitz. O Malabar teve início em 1992 como um exercício bilateral entre EUA e Índia, com o Japão se tornando participante permanente em 2015.

Foto: U.S. Navy

A contradição das taxas de juros negativas


Em análise, Robert Skidelsky expõe o fenômeno monetário das chamadas taxas de juros negativas, política econômica recente em países desenvolvidos como forma de impulsionar o crescimento econômico ao desincentivar a poupança. Porém, segundo o autor, as taxas de juros negativas trazem consigo a falsa impressão de que políticas monetárias por si só são suficientes para recuperar economias em estado de depressão, enquanto que, na verdade, a única forma de garantir a circulação de “novo dinheiro” seria por meio de gastos governamentais. Portanto, em um contexto de crise e debilidade econômica, políticas monetárias não conseguiriam estimular a atividade econômica sem um envolvimento do Estado na economia.

Skidelsky. Foto: n.i.

Segunda Guerra Sino-Japonesa: gênese de um modo asiático de fazer a guerra?


Confira aqui a monografia do pesquisador do ISAPE, Bruno Magno, sobre a 2ª Guerra Sino-Japonesa e sua relação com a Política Externa e de Segurança de Japão e China nos dias de hoje. O trabalho mostra que nem Pequim nem Tóquio conseguiram atingir seus objetivos estratégicos na guerra, que fez parte do teatro do Pacífico na Segunda Guerra Mundial, e que isso faz com que a mesma seja inconclusa. Esse fato traz implicações pros dias de hoje para o planejamento para a guerra e processos de modernização dos dois países, baseados em um “modo asiático de se fazer a guerra”.

Foto: Ullstein Bild via Getty Images.

Shinzo Abe encontra-se com Putin para discutir disputa por ilhas e tratado de paz


O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, encontrou-se com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, nesta sexta-feira (06/05) na cidade russa de Sochi para promover o diálogo bilateral e discutir sobre o tratado de paz entre os dois países para findar formalmente a Segunda Guerra Mundial e sobre a disputa pelas ilhas Kurilas. A Rússia recusa-se a tratar dos dois temas conjuntamente, mas o Japão espera conseguir flexibilizar essa posição prometendo altos investimentos na economia russa, especialmente no setor energético. Tóquio procura diminuir sua dependência de hidrocarbonetos oriundos do Oriente Médio.

Shinzo Abe (E) e Vladimir Putin. Foto: AFP / JIJI.

Japão testa com sucesso caça de quinta geração


Na última sexta-feira (22/04), o protótipo de caça de quinta geração do Japão, o X-2 “Shinshin”, realizou seu primeiro voo com sucesso. Avião contará com capacidade stealth. Assim, o Japão é o quarto país (depois dos EUA, Rússia e China) a testar um caça stealth desenvolvido nacionalmente. O projeto X-2 custou até agora US$332 milhões, existe há 10 anos e é realizado por um consórcio de 220 empresas, com a Mitsubishi sendo a líder.

Foto: Japan Air Self-Defense Force

Japão adquire 30 veículos de assalto anfíbio


A Força Terrestre de Autodefesa do Japão (JGSDF, em inglês) receberá 30 novos veículos de assalto anfíbio AAV7A1 RAM/RS. Estes serão produzidos pela BAE Systems nos Estados Unidos. A empresa também fornecerá apoio técnico e treinamento para a JGSDF. Tóquio pretende montar uma brigada anfíbia de resposta rápida para defender suas diversas ilhas até 2017.

Imagem: BAE Systems

Cabos submarinos de fibra óptica conectarão África e América do Sul em 2018


A empresa Angola Cables S.A. e a japonesa NEC Corp anunciaram nesta quarta-feira (06/04) que construirão o primeiro sistema de cabos submarinos de fibra óptica conectando a América do Sul e a África. As companhias investirão US$ 160 milhões e sistema deve ficar pronto em 2018. Cabos devem conectar a capital de Angola, Luanda, e Fortaleza, no Brasil.

Foto: Yuriko Nakao / Reuters

Japão inaugura radar no Mar do Leste da China


Nesta terça-feira (29/03), a Força Terrestre de Autodefesa do Japão começou a operar uma nova estação de radar na ilha de Yonaguni, no Mar do Leste da China. A estrutura militar fica 100 quilômetros ao leste de Taiwan e 150 quilômetros ao sul das ilhas Senkaku/Diaoyu, disputadas com a China. O novo radar permitirá o monitoramento de atividades no Mar do Leste e a interceptação de comunicações de alta frequência.

Foto: Kyodo

Rússia enviará sistema de mísseis para as Ilhas Curilas e planeja nova base naval


A Rússia enviará sistemas de mísseis de defesa costeira para as Ilhas Curilas. Anúncio foi realizado pelo ministro da Defesa do país, Sergei Shoigu, na última sexta-feira (25/03). Além dos mísseis e de drones, Moscou também planeja expandir a infraestrutura militar no arquipélago, inclusive com a construção de uma base naval. O Japão, que reivindica a soberania sobre algumas ilhas, protestou contra a possibilidade de uma base naval russa no arquipélago. 

Foto: Vyacheslav Oseledko / AFP / Getty Images

Coreia do Norte realiza testes com míssil balístico


Nesta sexta-feira (18/03), a Coreia do Norte realizou testes com mísseis balísticos de médio alcance. Informações são de autoridades militares sul-coreanas. O primeiro míssil, provavelmente da classe Rodong, voou 800 quilômetros e caiu no mar. Já o segundo se desintegrou em pleno voo. O Japão protestou contra o ato e reforçou a segurança na região do teste.

Foto: KCNA/ Reuters

Força Aérea de Autodefesa do Japão revela novo cargueiro


Nesta terça-feira (15/03), a Força Aérea de Autodefesa do Japão (ASDF, em inglês) revelou seu novo avião cargueiro, o C-2. A aeronave ainda se encontra em desenvolvimento e deve substituir o C-1 -que possui uma capacidade de carga 4 vezes menor que o novo modelo-. O projeto teve início em 2001 e contabilizou cinco anos de atraso e custos muito além do planejado. A ASDF planeja incluir a compra de 3 C-2 ainda no Ano Fiscal de 2016.

Foto: Kyodo

Japão e Filipinas aprofundam cooperação em Defesa


O Japão e as Filipinas assinaram um acordo nesta segunda-feira (29/02) e aprofundaram a cooperação em Defesa. O tratado estabelece parâmetros para a aquisição (compra ou doação) de equipamentos militares, transferência de tecnologia, exercícios militares conjuntos e desenvolvimento tecnológico conjunto. É a primeira vez que Tóquio assina um acordo do gênero com um país do Sudeste Asiático.

Foto: U.S. Marine Corps

Banco Central do Japão adota taxa de juros negativa


O Banco Central do Japão adotou, na sexta-feira (29/01), uma política de taxas de juros negativas. Medida serve para proteger o país da deflação, dos mercados voláteis e da desaceleração da economia mundial. O banco deve cobrar taxas de reservas excessivas de bancos, estimulando a emissão de crédito, tática em que o Banco Central Europeu foi pioneiro. Anúncio já produziu efeitos, como a queda do iene e de ações de bancos japoneses.

b-boj-rates-a-20160130-870x592

Foto: Reuters.

Irã exporta petróleo para China e Japão pela primeira vez após fim de sanções


O Irã realizou nesta quarta-feira (27/01) sua primeira exportação de petróleo após o fim das sanções internacionais. Os navios dirigem-se à China e ao Japão. Segundo oficiais iranianos, o país busca aumentar as exportações para o Japão para 300 mil barris por dia, o que durante a vigência das sanções eram 110 mil por dia.

n-iranoil-a-20160128-870x560

Foto: Ministério do Petróleo do Irã / KYODO.

EUA, Coreia do Sul e Japão comprometem-se a responder a teste nuclear norte-coreano


Nesta quinta-feira (07/01), os Estados Unidos, o Japão e a Coreia do Sul concordaram em dar uma “resposta forte e unida” da comunidade internacional contra o teste nuclear realizado pela Coreia do Norte esta semana. Washington também reforçou seu compromisso com a segurança de Tóquio e Seul.

urn3apublicid3aap-org3a90b22418eb3843d98a30ac17bfcdd1061

Foto: AFP.

Sete eventos para se prestar atenção na Ásia em 2016


Em artigo publicado na revista The Diplomat (31/12), o analista Ankit Panda elenca sete eventos geopolíticos para se prestar atenção no início de 2016 na Ásia: as eleições em Taiwan; o início das operações do Banco Asiático de Investimento em Infraestrutura (AIIB, em inglês); eleições internas no Partido Comunista do Vietnã; complicações no acordo entre Japão e Coreia do Sul sobre escravas sexuais da Segunda Guerra Mundial, assinado no final do ano passado; conversas entre Paquistão e Índia; negociações de paz com o Talibã; e o nascimento da Comunidade ASEAN.

thediplomat_2015-12-30_16-24-30-386x217

Foto: Shutterstock.com

Japão realizará voo-teste de caça nativo de 5ª geração em fevereiro


O protótipo do primeiro caça de quinta geração construído e desenvolvido pelo Japão, o Mitsubishi ATD-X Shinshin, deve realizar seu primeiro voo em fevereiro deste ano, segundo um órgão de pesquisa do ministério da Defesa. O protótipo integra um projeto de desenvolvimento de um caça de superioridade aérea de quinta geração japonês — denominado F-3 —, que deve começar a ser produzido em 2027. Tóquio começou a desenvolver seu próprio avião após os Estados Unidos rejeitarem a venda de F-22s para o país.

thediplomat_2016-01-04_13-04-07-386x267

Foto: YouTube.

Japão e Coreia do Sul chegam a acordo sobre escravas sexuais da Segunda Guerra Mundial


Em dezembro, a Coreia do Sul e o Japão chegaram a um acordo sobre as mulheres sul-coreanas submetidas à escravidão sexual e prostituição por militares japoneses durante a Segunda Guerra Mundial. Tóquio criará um fundo de 8 bilhões de dólares para as mulheres, que agora têm idade avançada. O governo japonês ainda pediu desculpas pela situação vivida pelas “mulheres de conforto”. A atitude é considerada uma importante mudança de atitude do governo conservador de Shinzo Abe.

018944672_30300

Foto: picture-alliance / dpa.

Japão aprova orçamento de defesa recorde


O gabinete do primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, aprovou, no dia 25 de dezembro, o maior gasto em Defesa da história do país para o ano fiscal de 2016/2017. Aumento de 1,5% — para US$ 41,4 bilhões — em relação ao ano anterior marca o quarto aumento consecutivo desde que Abe assumiu o governo. Medida ainda precisa ser aprovada pelo Parlamento. Uma das principais razões para o aumento são os grande gastos causados pela transferência de uma base militar dos Estados Unidos em Okinawa.

Members of Japan's Self-Defence Forces' infantry unit take part in the military's review during the annual troop review ceremony in Asaka, Japan

Foto: Issei Kato / Reuters.

A obtenção de submarinos por Taiwan


Em 2001 os Estados Unidos anunciaram um grande pacote de armas para Taiwan, incluindo aeronaves, navios e oito submarinos diesel-elétricos. Porém, os submarinos ainda não foram entregues, pois os EUA não os produzem mais. Dessa forma, Taipei está planejando construir seus próprios submarinos — com ajuda de outros países — ou comprá-los diretamente do Japão.

635847634524476307-taiwan-sub-f1000010-6

Foto: Wendell Minnick.

Nova postura do Japão para tecnologias de defesa


Em artigo publicado na revista The Diplomat (24/11), Crystal Pryor analisa a nova postura do Japão em relação a tecnologias de Defesa. Tóquio criou este ano a Agência de Aquisição Tecnológica e de Logística (ATLA, em inglês) com a finalidade de unir as pesquisas no ramo de defesa e exportações. A venda de armas japonesas para outros países teve diversas restrições retiradas nos últimos tempos. A ATLA também tenta uma aproximação dos setores de inovação civis com os de inovação militar.

thediplomat_2015-03-05_06-52-39-386x247

Foto: Wikimedia Commons / Toshiro Aoki.

Os problemas da política econômica de Shinzo Abe


Em artigo publicado no jornal The Guardian (16/11), Katie Allen discute a recessão japonesa e a pouca eficiência da política econômica do premiê japonês Shinzo Abe, conhecida como “Abenomics”. Este consistia em três linhas gerais: estímulo fiscal, expansão monetária e reformas estruturais. A autora considera que o fracasso se deu pela ausência de reformas, principalmente para lidar com a falta de mão de obra no Japão.

3004.jpg

Foto: n.i.

Japão volta à recessão econômica


A economia do Japão voltou à recessão com uma queda de 0,8% do PIB no terceiro semestre de 2015. É a segunda queda seguida do PIB. A diminuição da força de trabalho devido ao envelhecimento e o baixo investimento estão entre as principais razões.

20151121_fnp508

Foto: AFP.

China, Japão e Coreia do Sul restauram suas relações após cúpula trilateral


China, Japão e Coreia do Sul anuciaram que “restauraram completamente” suas relações após a primeira cúpula trilateral em três anos, realizada no início do mês de novembro (01/11). No encontro do primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, com o premiê japonês, Shinzo Abe, e a presidente da Coreia do Sul, Park Geun-hye, discutiram-se questões históricas, acordos comerciais e o progama nuclear norte-coreano. Além disso, o Japão planeja sediar a próxima reunião a ser realizada em maio de 2016.

Abe (E), Geun-hye (C) e Keqiang. Foto: Xinhua / Liu Weibing.

China pede cooperação de empresários japoneses para melhorar relações bilaterais


O primeiro-ministro da China, Li Keqiang, pediu para uma delegação de empresários japoneses ajuda para melhorar as relações bilaterais. A reunião ocorreu nesta quarta-feira (04/11) em Beijing e contou com a presença de delegações das três maiores organizações econômicas do Japão. Estas demonstraram interesse na situação econômica da China e conversaram com empresários chineses.

Foto: Xinhua / Yao Dawei.

Japão inaugura novo navio antiminas


Na última terça-feira (27/10), o Japão lançou ao mar um novo navio antiminas, o Awaji, construído em seus estaleiros. Vaso integrará as Forças de Autodefesa Marítimas, que já possui uma das maiores forças antiminas do mundo. Além disso, a marinha japonesa é considerada uma das melhores do mundo na retirada desses objetos do mar, tendo participado das Guerra do Golfo e da Guerra da Coreia. O governo japonês afirma que navios podem ser utilizados no Estreito de Ormuz e no Mar do Sul da China.

Foto: Japan Ministry of Defense.

Eleições em Taiwan e a estabilidade do leste asiático


Confira aqui o artigo do pesquisador do ISAPE, Gustavo Henrique Feddersen, publicado no Boletim Mundorama sobre as eleições taiwaneses de 2016. Feddersen analisa as possíveis implicações desse evento, com o Kuomintang (KMT) em crise de representatividade e o Partido Democrático Progressista (PDP) — pró-independência — liderando as pesquisas. A possível eleição deste pode acirrar as relações interestreito e alterar a conjuntura regional.

Foto: Kate Xuehui Li.

(mais…)

Governador de Okinawa congela construção de base militar dos EUA


Na última terça-feira (13/10), o governador de Okinawa congelou a construção de uma base aérea dos Estados Unidos no estado japonês. A nova instalação militar, que serviria para a realocação de uma base já existente, encontra forte resistência popular, porém é apoiada pelo governo de Shinzo Abe, que apelará judicialmente da decisão. Okinawa abriga cerca de 25 mil militares dos EUA, mais da metade do total em território japonês.

Protesto contra instalações militares dos EUA em Okinawa. Foto: Koji Harada / Kyodo News / AP.

TPP explicada


Confira aqui um artigo publicado no jornal The New York Times que explica os principais pontos da “Parceria Trans-Pacífico” (TPP), considerada o maior acordo regional de comércio da história, assinado no início de outubro deste ano. A TPP, com os Estados Unidos, Japão e mais 10 países, além das reduções de tarifas, estabelece regras e padrões para áreas como a farmacêutica, a ambiental e a dos direitos trabalhistas. O tratado ainda precisa ser ratificado pelos países signatários, onde encontra forte oposição.

Imagem: AG news.