mísseis balísticos

Conselho de Segurança da ONU condena testes de mísseis balísticos pela Coreia do Norte


Na última quinta-feira (23/06), o Conselho de Segurança das Nações Unidas (CSNU) condenou os recentes testes com mísseis balísticos feitos pela Coreia do Norte. A declaração foi feita após um comunicado de Pyongyang relativo ao sucesso dos testes com o míssil balístico de médio e longo alcance, Hwasong-10. De acordo com o CSNU, essa atitude é uma “grave violação” das obrigações internacionais da Coreia do Norte, estabelecidas através de antigas resoluções do Conselho, representando um aumento na capacidade do país em entregar ogivas nucleares. Há diversas resoluções do órgão da ONU contra os programas nuclear e de mísseis balísticos norte-coreanos, sendo que a última foi aprovada em março de 2016.

Foto: Reuters/Mike Segar

Foto: Reuters / Mike Segar.

Anúncios

Coreia do Norte realiza testes com míssil balístico


Nesta sexta-feira (18/03), a Coreia do Norte realizou testes com mísseis balísticos de médio alcance. Informações são de autoridades militares sul-coreanas. O primeiro míssil, provavelmente da classe Rodong, voou 800 quilômetros e caiu no mar. Já o segundo se desintegrou em pleno voo. O Japão protestou contra o ato e reforçou a segurança na região do teste.

Foto: KCNA/ Reuters

Israel testa com sucesso sistema de defesa contra mísseis balísticos


Israel anunciou o sucesso do teste do sistema de defesa contra mísseis balísticos Arrow-3, desenvolvido em conjunto com os Estados Unidos. O sistema atingiu nesta quinta-feira (10/12) um alvo que simulava míssil de longo alcance acima da atmosfera terrestre. Outros testes ainda serão realizados antes da operalização completa do Arrow-3.

87136347_75dadc0c-a77b-4ba5-a028-787b1440c96c

Foto: Reuters. 

Rússia lança grande ataque coordenado com governo sírio contra forças terroristas


Na última quarta-feira (07/10), a Rússia aumentou sua participação no conflito sírio com o disparo de 26 mísseis a partir de navios no Mar Báltico, que sobrevoaram Irã e Iraque antes de acertarem seus alvos na Síria. Além disso, pela primeira vez realizou-se a coordenação entre ataques aéreos russos e forças sírias em terra. Também percebe-se o aumento da cooperação entre aliados na região, com homens do Hezbollah lutando pelo governo de Assad e o Irã permitindo a passagem de mísseis por seu território.

Imagem: RT.

China exibe poderio militar em desfile de comemoração do fim da 2ª Guerra Mundial


Nesta quinta-feira (03/09), a China deu uma demonstração de seu poderio militar durante as comemorações dos 70 anos do fim da Segunda Guerra Mundial. Em desfile militar na Praça da Paz Celestial em Pequim, tropas e armamentos pesados, como mísseis antinavio e nuclares, foram exibidos. Antes da parada, o presidente chinês, Xi Jinping, declarou em discurso que seu país “não almeja a hegemonia” mundial e que o governo planeja cortar 300 mil soldados de seu Exército, o qual conta atualmente com 2,3 milhões de combatentes. “A experiência da guerra faz com que as pessoas valorizem ainda mais a paz”, afirmou Xi Jinping, acrescentando que “a China jamais tentará se expandir e não irá infligir a outros as tragédias que sofreu no passado”.

Míssil antinavio DF-21D. Foto: AP.

Putin declara que 70% das forças armadas russas serão modernizadas até 2020


O presidente russo Vladmir Putin disse nesta terça-feira (16/06) que no mínimo 70% das forças armadas russas deverão estar equipadas com armamento moderno até 2020, seguindo um plano que garante reforçar a capacidade de defesa do país nas suas regiões de fronteira. Como parte do mesmo plano, mais de 40 mísseis balísticos intercontinentais (ICBMs, da sigla em inglês) deverão estar à disposição do exército russo até o fim deste ano. Anúncio foi realizado como resposta à decisão da OTAN de enviar mais tropas e equipamentos para a sua fronteira com a Rússia.

Vladmir Putin em declaração na ARMY-2015. Foto: RIA Novosti, Alexander Vilf

Vladmir Putin em declaração na ARMY-2015. Foto: RIA Novosti /Alexander Vilf.

Coreia do Sul testa novo míssil balístico


Esta semana a Coreia do Sul testou um novo míssil balístico que pode atingir todo o território norte-coreano, segundo o escritório da presidência do país. O míssil foi desenvolvido com a permissão dos Estados Unidos para estender o seu alcance para até 800km. Seul e Washington têm um acordo que limita as capacidades balísticas sul-coreanas, mas que foi flexibilizado devido a uma suposta superioridade de Pyongyang na área.

Foto: Ministério da Defesa da Coreia do Sul / Yonhap / Reuters.

Paquistão testa míssil balístico que pode atingir qualquer ponto do território indiano


O Paquistão realizou com sucesso o teste de um míssil balístico capaz de entregar ogivas nucleares que tem alcance em todo o território indiano. O míssil Shaheen-III foi lançado no Mar da Arábia numa distância de 1.720 milhas, mais que o dobro necessário para cobrir todo o território indiano. Por pouco o míssil não alcança Israel, país nuclear com o qual poderia ser criada uma rivalidade estratégica. O Paquistão é aliado próximo da Arábia Saudita.

Foto: IBC World News

Foto: IBC World News

Teste de mísseis norte-coreanos pode indicar avanço tecnológico


A Coreia do Norte testou, no último domingo (08/02), cinco mísseis de curto alcance disparados ao mar na costa leste do país. Foi o segundo teste do tipo neste ano, no momento em que o retorno de negociações de alto nível com a Coreia do Sul começa a ficar mais difícil. Mais que uma resposta aos exercícios militares anuais entre Coreia do Sul e Estados Unidos, os testes podem indicar um avanço tecnológico nas capacidades norte-coreanas. Isso porque os mísseis semi-balísticos testados aparentam poder mudar sua trajetória no ar, tal como um modelo russo.

Foto: Ahn Young-Joon / AP

Foto: Ahn Young-Joon / AP

Estados Unidos investem pesado na renovação de arsenal nuclear


Apesar de Barack Obama ter sido eleito com um discurso de redução dos arsenais nucleares, depois do início da crise na Ucrânia teve início uma nova onda de renovação do arsenal nuclear estadunidense. Há investimentos pesados na atualização do arsenal, combinado com reduções modestas no número total de ogivas.

Foto: Credit Jim Watson / Agence France-Presse

Foto: Credit Jim Watson / Agence France-Presse

(mais…)