negociações de paz

Primeiro Boletim de Conjuntura do NERINT


Confira aqui o primeiro Boletim de Conjuntura do Núcleo Brasileiro de Estratégia e Relações Internacionais (NERINT), no qual constam quatro artigos escritos por pesquisadores e pesquisadoras do ISAPE. Entre os assuntos discutidos estão a transição política em Mianmar, as reformas internas na Coreia do Norte, a economia iraniana após o acordo nuclear e as negociações de paz da Síria.

capa boletim nerint

Primeiros observadores da ONU chegam à Colômbia


Os primeiros observadores da Organização das Nações Unidas (ONU) começaram a chegar esta semana à Colômbia para monitorar o processo de paz, segundo informou o governo do país. 23 oficiais da Argentina, Bolívia, El Salvador, Guatemala, México, Paraguai e Uruguai chegaram já na segunda-feira (27/06) e devem supervisionar a reintegração das FARC à sociedade e a entrega de suas armas. A ONU será responsável pela implementação do acordo de paz, assim que ele for assinado oficialmente no dia 23 de julho. Ao todo serão 450 observadores; os que já chegaram planejarão a implementação do acordo. A Colômbia vetou a participação de observadores de países fronteiriços, incluindo o Brasil.

Observadores militares da ONU na Síria. Foto: PressTV.

Governo da Colômbia e FARC firmam acordo de cessar-fogo definitivo


Nesta quinta-feira (23/06), o governo da Colômbia e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) assinaram, em Havana, um acordo de cessar-fogo bilateral definitivo. Histórico, o acordo firmado prevê o fim de hostilidades e o desarmamento das FARC e é um importante passo para a assinatura de um acordo de paz. Medidas para garantir a segurança dos guerrilheiros serão tomadas, incluindo, possivelmente, uma missão de paz das Nações Unidas.

Guerrilheiras das FARC. Foto: picture-alliance / AP / R. Abd via DW.

Negociações de paz sobre o Iêmen têm início no Kuwait


As negociações de paz sobre o Iêmen apoiadas pela ONU tiveram início na última quinta-feira (21/04). As delegações dos Houthis e do grupo do ex-presidente Ali Abdullah Saleh, que se opõe ao governo, chegaram ao Kuwait após receberem garantias de que o cessar-fogo será respeitado pela coalizão liderada pela Arábia Saudita. As conversas estavam previstas para iniciar na segunda-feira, porém os representantes da oposição não compareceram.

Foto: M. al-Sayaghi / Reuters

Negociações de paz sobre Iêmen são adiadas


A rodada de negociações de paz sobre o Iêmen, com início previsto para esta segunda-feira (18/04), foram adiadas após algumas delegações não comparecerem. Os representantes dos Houthis e do grupo do ex-presidente Ali Abdullah Saleh, aliados na luta contra o governo e a coalizão liderada pela Arábia Saudita, não chegaram ao Kuwait em tempo para as conversas. Segundo diversas fontes, o cessar-fogo que teve início no dia 10 de abril não é respeitado por nenhuma das partes.

Foto: M. Huwais / AFP/ Getty Images

Delegação da oposição se retira de negociações de paz da Síria


Nesta segunda-feira (18/04), o Alto Comitê de Negociações (HNC, em inglês), grupo que representa a oposição síria nas negociações de paz, anunciou a sua retirada temporária das conversas.  Segundo os líderes do HNC, o grupo não participará até o governo aceitar negociar um governo de transição. O enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, afirmou porém que a delegação do HNC continuará em Genebra e participará de discussões técnicas e informais.

Staffan de Mistura Foto: Fabrice Coffrini / AFP / Getty Images

Segunda rodada de negociações de paz sobre a Síria tem início em Genebra


A segunda rodada de negociações para conseguir a paz na Síria teve início nesta quarta-feira (13/04), informou o enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura. Primeiro encontro se deu com o Alto Comitê de Negociações (HNC, em inglês), que reúne os principais grupos da oposição síria. Segundo  de Mistura, a agenda das conversas será focada na transição política, na governança e na Constituição. A delegação do governo deve chegar em Genebra na sexta-feira.

Staffan de Mistura Foto: Xinhua / Xu Jinquan

Cessar-fogo no Iêmen é respeitado em seus primeiros dias


Teve início neste domingo (10/04) o cessar-fogo entre as partes do conflito no Iêmen. Segundo o enviado especial da ONU para o país, Ismail Ould Cheikh Ahmed, até esta segunda-feira (11/04), o acordo foi respeitado pelas forças do governo, pelos Houthis e pela coalizão internacional liderada pela Arábia Saudita. Apenas pequenas violações foram registradas, especialmente na cidade de Taiz. Segundo Ahmed, o sucesso do cessar-fogo é fundamental para as negociações de paz, que iniciam no dia 18 de abril.

Foto: Hani Mohammed / Associated Press

ONU anuncia trégua no Iêmen a partir de 10 de abril


O enviado especial da Organização das Nações Unidas para o Iêmen, Ismail Ould Cheikh Ahmed, declarou que um cessar-fogo no país terá início no dia 10 de abril. Segundo o anúncio desta quarta-feira (23/03), as partes no conflito iemenita iniciarão negociações de paz no Kuwait dia 18 de abril. Conversas devem se focar em cinco questões: a retirada de milícias e grupos armados; a entrega de armas pesadas para o Estado; segurança interna; restauração das instituições estatais e do diálogo político; e a criação de um comitê especial para prisioneiros.

Foto: Getty Images

Iniciam-se negociações de paz sobre a Síria em Genebra


Nesta sexta-feira (29/01), iniciaram-se em Genebra as negociações de paz com o objetivo de findar a guerra na Síria. Ao final do dia, o principal grupo de oposição concordou em participar, mas ressaltou que não conversará até que se resolvam as questões humanitárias no país. No primeiro momento, governo e oposição não se encontrarão diretamente — interlocutores mediadores da ONU se reunirão separadamente com seus representantes.

Foto: F. Coffrini / AFP / Getty Images.

Parte da oposição síria estabelece novas condições para negociações de paz


Nesta quarta-feira (27/01), a Coalizão Nacional Síria, um dos maiores blocos de oposição do país, anunciou que só estaria presente nas negociações de paz do dia 29 se, entre outras condições, os cercos ao redor do país fossem levantados pelo governo de Bashar Al Assad. Isso torna improvável sua participação nas conversas. Além disso, um porta-voz da ONU afirmou que apenas sírios foram convidados para participar, contradizendo a Turquia, que afirmou que “boicotaria” as negociações se os curdos sírios fossem convidados.

f-syriatalks-b-20160128-870x580

Foto: AFP / Jiji.

A liderança do Brasil nas negociações de paz entre Colômbia e FARC


Em artigo publicado na RFI (25/01), Daniella Franco analisa o papel de liderança regional exercido pelo Brasil nas negociações entre a Colômbia e as FARC. O país tem participado ativamente das discussões sobre o processo de paz, além de planos para auxiliar no desarmamento, desminagem e estabilização das regiões controladas pelo movimento.

minasfarc

Foto: AFP Photo / Raul Arboleda.

EUA e Rússia próximos de consenso sobre oposição síria


A Rússia e os Estados Unidos estão próximos de atingir um consenso sobre quais grupos de oposição devem ser representados nas negociações para encerrar a guerra civil na Síria. Segundo fontes anônimas, Moscou aceitou a presença de delegação da mílicia islâmica Jaysh al-Islam (Exército do Islã), apoiada por Washington, em troca de poder convidar outro grupo sem objeção deste.

Sergei Lavrov e John Kerry (D). Foto: Jacquelyn Martin / Reuters.

Negociações de paz sobre Síria são adiadas


As negociações de paz para a Síria, previstas para esta segunda-feira (25/01), foram adiadas para 29 de janeiro, afirmou o enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura. Um dos principais impasses nas conversas é quais grupos devem participar das decisões sobre o cessar-fogo e o futuro governo.

135044289_14537599347381n

Foto: Xinhua / Xu Jinquan.

Governo da Síria retoma importante cidade de rebeldes antes de negociações de paz


O governo sírio anunciou a retomada da cidade de Rabiya, principal bastião rebelde na província costeira de Latakia, neste domingo (24/01). A reconquista se dá antes das negociações para encerrar a guerra civil no país, previstas para ocorrer esta semana. Segundo a ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos, o avanço foi apoiado por ataques aéreos russos e reforçados em solo por combatentes do Hezbollah libanês e forças iranianas.

Foto: picture-alliance / AP / A. Kots.

Sucesso da Rússia na Síria afeta negociações de paz


O ataques aéreos russos em apoio às forças do governo na Guerra Civil da Síria podem afetar as negociações de paz ao dificultar a posição de rebeldes e do Ocidente, segundo artigo de Liz Sly publicado no Washington Post (19/01). A intervenção da Rússia contra os rebeldes vem dando grandes vitórias para o regime de Bashar al-Assad, que agora possui vantagens nas negociações para finalizar o conflito. Esse fato muda a conjuntura em que os planos anteriores foram feitos, diminuindo a chance de concessões por parte do governo.

Foto: Khalil Ashawi / Reuters.

Líbia anuncia novo governo de unidade


Nesta terça-feira (19/01), representantes de diferentes grupos da Líbia anunciaram, após negociações mediadas pela ONU, a formação de um governo de unidade. Desde a intervenção militar de 2011, o país vive em crise, contando com diversas milícias internas e até mesmo mais de um governo. Novo gabinete deve contar com 32 membros dos diferentes grupos.

5a40aa3a4f684dad8fefd4d3f08f3215_18

Foto: AP.

Nova rodada de negociações de paz para o Afeganistão


A segunda de rodadas de conversas para conseguir a paz no Afeganistão teve início nesta segunda-feira (18/01) em Cabul, capital afegã. Delegações da China, Paquistão, Estados Unidos e do Afeganistão marcaram presença. O governo afegão instou o Talibã a participar das negociações para resolver o conflito no país diplomaticamente, porém o grupo não mandou representantes.

8b45668d-6c88-440a-9a6d-9f1012b2d0fe_w640_r1_s

Foto: Mohammad Alf Ludin / RFE/RL.

Paquistão sedia conversas de paz quadrilaterais sobre relação com Talibã


Nesta segunda-feira (11/01), oficiais chineses, estadunidenses, paquistaneses e afegãos participaram de conversas para conseguir a paz entre o Afeganistão e o grupo Talibã, que não enviou representantes. Evento foi sediado pelo Paquistão. Os países pediram a paz entre o governo afegão e o Talibã, a fim de garantir a integridade territorial e a soberania do país.

Foto: EPA.

Governo do Burundi não participará de negociações de paz


O governo do Burundi não participará das negociações de paz planejadas para esta quarta-feira (06/12), informou um oficial do país na segunda-feira (05/12). Segundo o governo, alguns participantes da conversa são responsáveis diretos pela onda de violência no país. Assim, não se tem previsão de novas conversas para estabilizar o Burundi.

19878614_770x433_acf_cropped

Foto: Dai Kurokawa / EPA.

Governo do Iêmen decreta cessar-fogo


O presidente do Iêmen, Abd Rabbu Mansour Hadi, ordenou um cessar-fogo com início nesta terça-feira (15/12). A medida coincide com negociações de paz mediadas pela ONU entre o governo e os rebeldes Houthis. Conversas tentarão melhor a situação humanitária do país e o retorno a uma transição política pacífica.

YEMEN-CONFLICT

Foto: Xinhua / AFP.

Oposição e rebeldes sírios concordam em juntar-se para negociar com o governo de Assad


Nesta quinta-feira (10/12), rebeldes e oposicionistas sírios pela primeira vez concordaram em juntar-se em uma única entidade para negociar com o governo de Bashar al-Assad em um possível processo de paz. Reunião em Riade, capital da Arábia Saudita, durou cerca de dois dias e foi palco de grandes disputas entre membros mais moderados e os islamistas. Um dos maiores e mais radicais grupos rebeldes, o Ahrar al-Sham, bastante próximo da Al-Qaeda, chegou a abandonar as reuniões em desagrado. Todos concordaram que Assad deve deixar o poder em qualquer processo de paz e que a Síria deve se tornar um país democrático e plural.

Foto: Abdulmonam Eassa / AFP / Getty Images.

Concluídas as convesas sobre conflito sírio em Viena


Uma reunião multinacional para tratar da questão da Guerra Civil da Síria semana passada (30/10) foi concluída com o pedido para a Organização das Nações Unidas (ONU) mediar e supervisionar eleições no país árabe. Participantes do encontro, entre eles o Irã, ainda pediram para a ONU reunir a oposição síria para o processo político. Além disso, também foi firmado um acordo para combater grupos terroristas na região, notadamente o “Estado Islâmico”.

Foto: AFP 2015 / Joe Klamar.

EUA anuncia que Irã pode ser convidado para negociações de paz do conflito sírio


O porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, John Kirby, afirmou nesta terça-feira (27/10) que o Irã provavelmente será convidado para participar das negociações de paz do conflito sírio em Viena, capital da Áustria. Conversas devem iniciar na próxima quinta-feira (29/10) e, portanto, não está claro se o Irã enviará representantes. Rússia, EUA, países europeus e árabes devem participar das negociações. Até o momento os EUA vinham vetando a inclusão do Irã nas conversas. Samuel Corum/Anadolu Agency/Getty Images

WASHINGTON, DC - JUNE 16: U.S. State Department Spokesperson during the daily press briefing at the State Department in Washington, USA on June 16, 2015. (Photo by Samuel Corum/Anadolu Agency/Getty Images)

Foto: Samuel Corum / Anadolu Agency / Getty Images.

Governo do Iêmen aceita negociar com rebeldes Houthis


O governo do Iêmen aceitou, nesta segunda-feira (19/10), conversar com os rebeldes xiitas Houthis a fim de encerrar o conflito que assola o país e a possível implementação de resolução da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre a situação. Diálogo ocorrerá em Genebra no fim do mês de outubro. Entre as medidas previstas pela ONU estão a deposição de armas pelos rebeldes. Governo é mantido por uma coalizão liderada pela Arábia Saudita, que realiza bombardeios contra os xiitas desde março.

Foto: Reuters

Em reunião extraordinária, OTAN declara apoio à Turquia em combate ao EI


Em reunião extraordinária nesta terça-feira (28/07), a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) declarou apoio à Turquia no combate aos militantes do “Estado Islâmico” na Síria e no Iraque. A reunião, que ocorreu em Bruxelas e durou cerca de 90 minutos, contou com o pedido de auxílio militar da Turquia aos 27 aliados membros da Organização. Contudo, diversas nações europeias alertaram seu interesse nas negociações de paz com o povo curdo, processo que pode ser prejudicado caso a Turquia continue atacando posições curdas na região.

Secretário-Geral da OTAN Jens Stoltenberg. Foto: Reuters, Francois Lenoir.

Secretário-Geral da OTAN Jens Stoltenberg. Foto: Reuters / Francois Lenoir.

Turquia suspende processo de paz com curdos


Em declaração ao público nesta terça-feira (28/07), o presidente turco Recep Tayyip Erdogan declarou suspenso o processo de paz entre a Turquia e a minoria curda. Segundo Erdogan, os contínuos ataques contra alvos turcos impossibilitam a continuidade das negociações, pois ameaçam a integridade nacional do país. O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, e o secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), Jens Stoltenberg, criticaram fortemente o uso excessivo de forças militares pelo governo turco no conflito, que desde 1984 já deixou mais de 40 mil mortos.

Foto: I. Askengin, Getty Images, AFP.

Foto: I. Askengin / Getty Images / AFP.

Colômbia suspende ataques aéreos às FARC


O presidente colombiano Juan Manuel Santos ordenou neste domingo (26/07) que os ataques aéreos aos campos pertencentes aos rebeldes das FARC sejam suspensos por tempo indeterminado. O movimento aconteceu dias depois do cessar-fogo unilateral proposto pelas FARC para acelerar as negociações de paz entre o governo colombiano e a milícia. O presidente afirmou que sua determinação é válida apenas para campos fora de áreas urbanas, que não colocam em risco a população local.

Foto: AFP.

Foto: AFP.

Pacto de unidade é assinado por grupos rivais na Líbia


Neste sábado (11/07), líderes políticos da Líbia chegaram a um acordo, intermediado pela ONU, para a criação de um governo de unidade no país. Contudo, o governo islamista de Trípoli, que participara das negociações iniciais, recusou-se a participar das últimas discussões no Marrocos. Após o Ramadã, os negociadores planejam voltar a trabalhar na formação de um governo interino e finalizar um acordo que estabeleça a divisão de poderes. As negociações devem prosseguir com ou sem a presença de representantes do governo de Trípoli.

Foto: F. Senna / AFP / Getty Images.

Eleições no norte do Chipre dão novas esperanças à reunificação


Últimas eleições na região norte do Chipre, de influência turca, que apontaram a vitória de Mustafa Akinci, candidato de centro-esquerda moderado, tem dado esperança a novas negociações para a reunificação da atualmente dividida ilha do Mar Mediterrâneo. As propostas de reunificação das regiões turca e grega da ilha contaram com várias propostas nos últimos anos, embora as últimas negociações tenham ocorrido em outubro, quando a Turquia enviou um navio para a exploração de gás em torno da ilha.

Foto: The Economist.

Mapa: The Economist.