orçamento militar

Senado dos EUA discute programa dos caças F-35


Na semana passada, o Comitê de Serviços Armados do Senado dos EUA realizou uma audiência para discutir o programa de desenvolvimento e aquisição dos caças F-35. Os problemas e atrasos do mesmo foram frisados. O senador John McCain, do Partido Republicano, declarou que a história do F-35 tem sido um “escândalo” e uma “tragédia” com relação a prazos, custos e desempenho.

F-35. Foto: Força Aérea dos EUA / Alex Lloyd.

Anúncios

Japão aprova orçamento de defesa recorde


O gabinete do primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, aprovou, no dia 25 de dezembro, o maior gasto em Defesa da história do país para o ano fiscal de 2016/2017. Aumento de 1,5% — para US$ 41,4 bilhões — em relação ao ano anterior marca o quarto aumento consecutivo desde que Abe assumiu o governo. Medida ainda precisa ser aprovada pelo Parlamento. Uma das principais razões para o aumento são os grande gastos causados pela transferência de uma base militar dos Estados Unidos em Okinawa.

Members of Japan's Self-Defence Forces' infantry unit take part in the military's review during the annual troop review ceremony in Asaka, Japan

Foto: Issei Kato / Reuters.

Reino Unido duplicará gastos em defesa


O primeiro-ministro britânico, David Cameron, anunciou que aumentará orçamento da defesa em 12 bilhões de libras (US$ 18,2 bilhões) na revisão de estratégia para os próximos cinco anos de modo a atingir a meta da OTAN de 2% do PIB em gastos de defesa. O plano prevê £178 bilhões (US$ 268 bilhões) para a Defesa nos próximos 10 anos, o dobro das previsões anteriores. Oito aeronaves Boeing P8 de vigilância marítima devem ser adquiridas, além da criação de duas brigadas de envio rápido, com raio de ação de milhares de quilômetros. Cameron também reforçou seu compromisso com a compra de 138 caças F-35.

P-8 em ação. Foto: Marinha dos EUA.

Câmara dos Deputados debate segurança e defesa


A palestra “A Segurança e a Defesa: suas implicações para o desenvolvimento nacional” foi tema de debate, no último dia 26 de maio, na Câmara dos Deputados. O evento organizado pela Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional (CREDN) em parceria com o Ministério da Defesa contou com mais de 300 militares brasileiros e de países estrangeiros. Na ocasião, o segundo vice-presidente da CREDN e presidente da Frente Parlamentar Mista da Defesa Nacional, deputado Carlos Zarattini (PT/SP), apresentou proposta que defende que o Brasil discuta a possibilidade de se estabelecer orçamento plurianual para o setor. Para ele, o objetivo é evitar o contingenciamento de recursos e a paralisação de projetos estratégicos das Forças Armadas.

Foto: Câmara dos Deputados.

(mais…)

Marinha repensa reforma do porta-aviões São Paulo


A cúpula da Marinha está dividida quanto à reforma prevista no porta-aviões São Paulo, embarcação de guerra adquirida da França em 2000. O custo elevado da reforma, que pode ultrapassar R$ 1 bilhão para dar mais 20 anos de vida útil a um equipamento ultrapassado, faz com que um grupo de oficiais da Marinha defenda a baixa do equipamento, significando a “aposentadoria” do São Paulo.

Foto: R7

 

Índia limita aquisições da marinha à indústria nacional


O Ministério da Defesa indiano decidiu que todas as aquisições de navios e submarinos deverão ser feitas a indústrias nacionais. A Marinha da Índia deve investir cerca de 50 bilhões de dólares nos próximos dez anos. Seis submarinos convencionais que já estão sendo negociados poderão contar com empresas estrangeiras na fase de projeto, mas deverão ser construídos no território indiano. Os estaleiros estatais indianos estão trabalhando na sua capacidade máxima, o que faz os estaleiros privados serem os principais beneficiados pela decisão do governo indiano.

ABG, o maior estaleiro privado da Índia Foto: Sam Panthaky / AFP

ABG, o maior estaleiro privado da Índia
Foto: Sam Panthaky / AFP

França elevará orçamento de defesa a partir de 2016


Nesta quarta-feira (29/04), o presidente da França, François Hollande, anunciou que o país vai destinar mais 3,8 bilhões de euros para o seu orçamento de defesa ao longo dos próximos quatro anos. O aumento, que passa a valer em 2016, seria uma resposta a ameaças extremistas depois dos recentes ataques em Paris e também serviria para manter as missões francesas no exterior, notadamente na África. Além disso, 7 mil soldados estarão permanentemente alocados para a proteção de pontos considerados sensíveis, tais como a Torre Eiffel na capital Paris. As novas medidas contrariam uma decisão anterior, de corte de pessoal na área de defesa.

Foto: Getty Images / AFP / Bertrand Guay.

Coreia do Sul planeja aumentar gastos em defesa significativamente


O governo da Coreia do Sul anunciou esta semana que seu orçamento de defesa deve aumentar significativamente nos próximos cinco anos, alegadamente devido a uma percepção de maiores ameaças vindas de Pyongyang. Segundo a agência de notícias Yonhap News, os gastos militares devem subir aproximadamente 215 bilhões de dólares entre 2016 e 2020, o que representa uma taxa de crescimento de 7% ao ano. Cerca de metade do valor deve ser alocado em projetos de modernização das forças armadas, incluindo investimentos em projetos de pesquisa e desenvolvimento de capacidades de ataque preemptivo.

Foto: Wikimedia Commons.

Câmara dos EUA aprova aumento do orçamento militar para 2016


A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos aprovou um projeto de orçamento militar para 2016 com um aumento de US$ 20 bilhões para “fundos de guerra”. Ao todo, são previstos aproximadamente 600 bilhões de dólares para 2016 e 3,8 trilhões para os próximos anos. Aumento de gastos é visto como vitória para os deputados linha-dura militaristas e uma derrota para o governo Obama.

Caças de 6a geração devem substituir os F22. Foto: US Air Force

Foto: US Air Force

Orçamento militar indiano sinaliza adiamento da compra de caças


Apesar de um aumento de 8% no orçamento militar indiano para o ano fiscal que se inicia em abril, analistas indicam que o montante investido é insuficiente para a esperada compra de caças Rafale. A compra dos caças da indústria francesa Dassault necessita uma verba de 12 bilhões de dólares. O primeiro ministro indiano, Narendra Modi, havia prometido em sua campanha eleitoral uma expansão das capacidades militares que foi frustrada, agora, com a divulgação de seu primeiro orçamento militar.

Narendra Modi  Foto: AP

Narendra Modi
Foto: AP

China deve aumentar orçamento militar em 10%


A porta-voz do 12° Congresso Nacional do Povo da China, Fu Ying, indicou que o país deve aumentar em 10% seus gastos militares neste ano, uma diminuição da taxa verificada no ano passado, de 12,2%. Ela ainda afirmou que o dado definitivo será divulgado amanhã (05/03). A taxa de 10% seria a mais baixa em cinco anos, num momento que a China vem investindo pesado na ampliação de suas capacidades militares.

Foto: Wang Jing / China Daily

Foto: Wang Jing / China Daily

Nigéria tem interesse por novas aeronaves de ataque


A Força Aérea da Nigéria está procurando aeronaves de ataque para reforçar suas capacidades desde que a compra de helicópteros AH-1 Cobra não teve sucesso. Os Estados Unidos vetaram a venda das aeronaves ao país africano, alegando supostas violações de direitos humanos das forças militares nigerianas. Uma proposta que interessa ao governo nigeriano inclui seis helicópteros Puma, quatro aviões russos de asa fixa Sukhoi Su-25 e dois Sukhoi Su-25UB de treinamento. A proposta está sendo avaliada pelas autoridades nigerianas.

Helicópteros Puma, umas das possibilidades de compra da Nigéria. Foto: IAR

Helicópteros Puma, umas das possibilidades de compra da Nigéria.
Foto: IAR

Marinha toma dianteira na reestruturação das forças de Taiwan


Alto oficial da Marinha de Taiwan foi selecionado para o cargo de ministro da defesa, o que pode privilegiar a força nos gastos militares nacionais. Dentre as possibilidades de novos investimentos estão novos destróieres e submarinos. Durante os últimos anos, ministros da defesa oriundos da Aeronáutica e do Exército privilegiaram suas forças, com apenas um sistema de mísseis Harpoon e aeronaves anti-submarino P-3C Orion sendo comissionados à marinha.

Foto: Wendell Minnick

Foto: Wendell Minnick

Orçamento dos EUA para 2016 prevê caças de sexta geração


O orçamento de defesa dos Estados Unidos para 2016 deve ser maior que o planejado e prever a investimentos no desenvolvimento de caças de sexta geração. Setor de investigação do Pentágono, Defense Advanced Research Projects Agency (DARPA), já faz pesquisas para o novo caça, que deve realizar primeiros voos na década de 2030.

Caças de 6a geração devem substituir os F22. Foto: US Air Force

Caças de 6a geração devem substituir os F22.
Foto: US Air Force

Turquia deve aumentar gastos militares em pelo menos 1,2 bilhões de dólares


A Turquia espera aumentar seus gastos militares entre 1,2 e 1,6 bilhões de dólares. Os recursos viriam de uma taxa que poderia ser paga para evitar a conscrição obrigatória às forças armadas do país. O serviço militar é obrigatório para homens maiores de 20 anos, que têm de servir entre 5 e 12 meses, dependendo de seu grau de instrução. Para escapar o serviço, os interessados poderiam pagar uma soma pouco maior que 7.500 dólares.

Foto: Aris Messinis / AFP

Foto: Aris Messinis / AFP

Japão aprova maior orçamento militar de sua história


O governo japonês aprovou um orçamento militar de aproximadamente 42 bilhões de dólares, o maior de sua história. Dessa forma, os gastos militares do país sobem 2,8% em comparação ao ano anterior, marcando o terceiro ano consecutivo de crescimento em contraste com uma década de cortes no orçamento militar japonês. O aumento de gastos deve ser alocado para aeronaves e navios de patrulha, além de seis caças furtivos.

Primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe. Foto: AFP.

Primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe. Foto: AFP.

Gastos militares sobem na Ásia


Pelo segundo ano seguido, os gastos militares caíram no mundo todo. Contudo, na Ásia os gastos subiram na contramão da tendência mundial. Ao todo, houve um aumento de 3,6% comparado com 2012 e 62% na década.

Foto: Flickr / danielfoster437.

Foto: Flickr / danielfoster437.

(mais…)

Austrália comprará mais 58 caças F-35


Na semana passada, a Austrália informou que pretende comprar 58 caças F-35 adicionais ao custo de 12,5 bilhões de dólares. Aeronaves devem ser entregues à força aérea do país até o final de 2023, totalizando 72 caças F-35.

Foto: Reuters / US Air Force.

Foto: Reuters / US Air Force.

(mais…)

Gasto militar na América Latina aumentou 61% na última década


Informe sobre militarização no mundo, realizado pelo Instituto Internacional de Estudos para a Paz de Estocolmo (Sipri), revela que o gasto militar na América Latina aumentou 61%. Entre os latino-americanos, o Paraguai lidera a lista dos que mais investiram em armamentos no último ano. Na sequência vem Honduras, com aumento de 22%, seguida por Nicarágua e Colômbia, com 18% e 13%, respectivamente.

Foto: Portal Brasil.

Foto: Portal Brasil.

(mais…)

Brasil diminui gastos militares e cai em ranking


De 2012 a 2013, o Brasil reduziu em 3,9% os seus investimentos em defesa devido a cortes orçamentários e deixou de figurar entre os dez países que mais gastaram com armas. No mundo todo, recuo é de 1,9%, puxado pelos EUA.

Foto: Saab.

Foto: Saab.

(mais…)

Orçamento e projetos das Forças Armadas em debate na Câmara dos Deputados


A necessidade de manter os investimentos nos principais projetos das Forças Armadas do Brasil marcou as discussões da audiência pública realizada nesta terça-feira (09/04) na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (Creden) da Câmara dos Deputados. O ministro da Defesa, Celso Amorim, expôs os principais programas da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, bem como tratou de questões sobre a atuação dos militares na faixa de fronteira e em operações de garantia da lei e da ordem (GLO). Amorim também informou que nos últimos 10 anos os investimentos da pasta deram um salto significativo e que se pretende que o setor saia de 1,5% do Produto Interno Bruto (PIB) para 2,5% do PIB nos próximos anos.

Foto: Jorge Cardoso / MD.

Foto: Jorge Cardoso / MD.

(mais…)

Gastos militares da Rússia devem aumentar em 33% até 2016


A Rússia anunciou que vai aumentar seus gastos em Defesa em 18% este ano, apesar da piora na situação econômica do país, e que o aumento será de 33% nos próximos dois anos. Aumento dos gastos está no bojo na política de modernização das Forças Armadas do país iniciada em 2010. De 2008 a 2013 os gastos já aumentaram em 31%.

Foto: Wikimedia Commons.

Foto: Wikimedia Commons.

(mais…)

Coreia do Sul confirma compra de caças F-35


Agência de encomendas de defesa da Coreia do Sul anunciou oficialmente a compra de 40 caças F-35 dos Estados Unidos, apesar de iniciais reservas quanto ao orçamento limitado e alto preço do avião. Decisão deve reanimar o programa de desenvolvimento do caça, que sofreu cortes com a diminuição de encomendas por parte da Marinha dos EUA.

Foto: Reuters / US Air Force.

Foto: Reuters / US Air Force.

(mais…)

China eleva orçamento militar em 12,2%


Gastos com defesa da China serão aumentados pelo governo de Xi Jinping em 12,2% e devem chegar a cerca de 130 bilhões de dólares em 2014. No entanto, analistas estimam que valor real gasto em armamento pelos chineses é muito maior.

Foto: Reuters.

Foto: Reuters.

(mais…)

Marinha dos EUA corta pela metade o número de caças F-35 encomendados


Enquanto os Estados Unidos preparam planos para diminuir as suas forças armadas, a marinha do país deve cortar pela metade o pedido de caças F-35 de quinta geração. Esperava-se que o pedido fosse de 69 caças, mas deverão ser encomendados apenas 36.

Foto: Reuters / US Air Force.

Foto: Reuters / US Air Force.

(mais…)

Pentágono prevê reduzir o Exército dos EUA a níveis prévios à 2ª Guerra Mundial


O orçamento do Departamento de Defesa dos EUA para os próximos cinco anos planeja reestruturar o Exército do país, reduzindo-o ao tamanho que tinha em 1940 antes da Segunda Guerra Mundial. Assim, os EUA querem fechar o capítulo das guerras baseadas em um modelo de intervenção que supunha “longas operações de estabilização”.

Chuck Hagel, Secretário da Defesa dos EUA. Foto: Saul Loeb / AFP.

Chuck Hagel, Secretário da Defesa dos EUA. Foto: Saul Loeb / AFP.

(mais…)

Nos EUA, nova lei facilitará a transferência de prisioneiros de Guantanamo


Barack Obama assinou uma lei para acelearr o processo de repatriação de prisioneiros atualmente detidos em Guantanamo. Medida abre as portas para o fechamento das instalações carcerárias em solo cubano, conforme fora prometido pelo então candidato em 2008.

Fonte: AFP Photo / Nicholas Kamm.

Fonte: AFP Photo / Nicholas Kamm.

(mais…)

Batalha Aeronaval custará aos EUA cerca de US$ 524,5 bi até 2023


Relatório diz que a Marinha e a Força Aérea dos Estados Unidos vão gastar cerca de 525 bilhões de dólares com a aquisição de capacidades para implementar a batalha aeronaval (Air-Sea Battle, ASB) na próxima década. Quantia é maior do que a modernização dos armamentos nucleares do país.

Fonte: Flickr / Marinha dos EUA.

Fonte: Flickr / Marinha dos EUA.

(mais…)

OTAN: preocupação diante do aumento do orçamento militar na Rússia e nos países asiáticos.


OTAN: preocupação diante do aumento do orçamento militar na Rússia e nos países asiáticos.

DefesaNet – 23/03/2012

O secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), Anders Fogh Rasmussen, advertiu nesta sexta-feira sobre a redução dos gastos em defesa na Europa, que representa, segundo ele, uma preocupação diante do aumento do orçamento militar na Rússia e nos países asiáticos.

“Esses orçamentos europeus de defesa em queda são uma preocupação, porque cada corte que fizermos hoje terá consequências para nossa segurança do amanhã”, declarou Rasmussen durante uma conferência sobre assuntos internacionais que começou nesta sexta-feira em Bruxelas.

Ele lembrou que, entre 2008 e 2011, 20 dos 28 membros da Otan reduziram seu orçamento militar, o que “segue a tendência que vemos em grande parte do mundo”.

Rasmussen disse que, neste ano, “pela primeira vez” os orçamentos de defesa da Ásia vão superar os dos membros europeus da aliança ocidental, enquanto a Rússia planeja dobrar suas despesas militares nos próximos dez anos.

O secretário-geral reconheceu que a complicada situação econômica de muitos países europeus da Otan faz prever que os orçamentos de defesa sejam “ajustados” durante “um futuro previsível”.

Por isso, afirmou que a aliança e seus membros só poderão assegurar sua defesa com “uma nova mentalidade: a ”defesa inteligente””, na qual se deve otimizar ao máximo os gastos militares de forma coordenada com os demais aliados. (mais…)