PKK

Atentado em Istambul deixa 11 mortos e dezenas de feridos


Nesta terça-feira (07/06), a explosão de um carro-bomba em Istambul, na Turquia, deixou 11 mortos e dezenas de feridos. É o quarto atentado na cidade este ano. A bomba explodiu enquanto um ônibus com policiais passava pelo local, matando sete deles. Nenhum grupo assumiu a autoria do ataque, mas o presidente Recep Tayyip Erdogan acusou militantes curdos de serem os responsáveis.

Foto: Reuters

Turquia bombardeia alvos curdos no norte do Iraque novamente


Nesta quarta-feira (23/03), a Turquia bombardeou alvos do PKK (Partido dos Trabalhadores do Curdistão) no norte do Iraque novamente, especificamente nas regiões de Hakkurk, Avasin e Basyan. 12 aviões de caça alvejaram supostos abrigos, bunkers e depósitos de munições do grupo curdo, considerado terrorista pela Turquia, pela União Europeia e pelos Estados Unidos.

Foto: DVIDSHUB / Flickr CC.

Mais de 100 curdos mortos após operações militares na Turquia


Até este domingo (20/12), mais de 100 curdos, supostamente combatentes, morreram em uma grande operação militar do governo. Também somam-se às vítimas dois soldados e cinco civis. Protestos contra essas operações foram reprimidos pelo governo neste domingo. Cerca de 10 mil soldados com apoio de tanques foram enviados para o sudeste da Turquia para tentar eliminar o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) de áreas urbanas.

e2d2843a526f4ffe9476073b11118464_18

Foto: Reuters.

Turquia bombardeia alvos curdos no norte do Iraque


Nesta quarta-feira (09/12), a Turquia bombardeou alvos do PKK (Partido dos Trabalhadores do Curdistão) com seus caças F-16 no norte do Iraque, especificamente nas regiões de Kandil, Hakurk, Zap e Avasin-Baysan. As relações entre Bagdá e Ancara estão tensas desde quando tropas turcas, incluindo tanques e arsenais de artilharia, foram deslocadas para o norte iraquiano, o que é tido pelo país como uma grave violação de sua soberania. Também nesta quarta-feira, por unanimidade, o parlamento iraquiano aprovou uma moção de condenação da entrada das tropas turcas no país.

F-16. Foto: DVIDSHUB / Flickr CC.

Os verdadeiros motivos para a entrada da Turquia na luta contra o EI


Desde que a Turquia aceitou entrar na coalizão liderada pelos Estados Unidos de combate ao “Estado Islâmico”, fica cada vez mais claro que o governo turco tem, em primeiro lugar, uma agenda de luta contra os separatistas curdos, notadamente o PKK, Partido dos Trabalhadores do Curdistão. Além disso, essa campanha militar contra o PKK deve ser analisada em paralelo às eleições nacionais da Turquia em junho deste ano, das quais o partido governista AKP (Partido Justiça e Desenvolvimento) perdeu a maioria parlamentar pela primeira vez em 13 anos e o Partido Democrático Popular (HDP), de apoio à causa curda, conseguiu 13% dos votos. Nota-se que, desde os primeiros ataques aéreos turcos a posições do PKK, o governo de Recep Erdogan iniciou uma campanha política interna para desacreditar o HDP e, assim, gerou expectativas de que se realizem novas eleições no país para reconquistar a maioria parlamentar para o AKP. No entanto, teme-se que essas medidas acabem por escalar a uma guerra civil na própria Turquia, aumentando o imbróglio no Oriente Médio.

Caça F-16 turco. Foto: Murad Sezer / Reuters.

Turquia diz que PKK matou três soldados em ataque no sul do país


Militantes do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) teriam matado três soldados turcos na quinta-feira (30/07), em ataque a um batalhão do exército da Turquia na região sudeste da província de Sirnak, de acordo com relatório militar divulgado por Ancara. Helicópteros e suporte militares foram enviados para a região, indicando que a operação pode ter continuidade nos próximos dias. Aumento da violência por parte do PKK teria levado o governo turco a suspender o processo de paz e a bombardear posições curdas no Iraque e na Síria.

Imagem: n.i.

Imagem: n.i.

Líder curdo condena plano de “zona de segurança” na fronteira da Turquia com a Síria


Em entrevista para a BBC, o líder curdo Selahattin Demirtas condenou a criação da “zona de segurança” na fronteira da Turquia com a Síria, afirmando que um dos alvos dos alvos da operação seriam os membros do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), movimento separatista condenado pelo governo turco. A área, com cerca de 90km de comprimento, deverá ser usada para controlar a entrada e saída de grupos opositores no translado Turquia-Síria. O PKK é um dos principais aliados dos Estados Unidos no combate ao “Estado Islâmico” na Síria e no Iraque.

Foto: AFP.

Foto: AFP.

Entrada da Turquia na coalizão põe EUA em situação difícil com curdos


Com entrada oficial da Turquia no conflito liderado pelos Estados Unidos na Síria e no Iraque contra o “Estado Islâmico” (EI), governo estadunidense se vê em situação difícil sobre qual política adotar para com o povo curdo. Representados pelo Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) na Turquia e principais aliados dos EUA no combate ao EI, os guerrilheiros tem apoio indireto do governo estadunidense através dos auxílios concedidos ao Partido União Democrática Curda, da Síria. Em entrevista coletiva concedida pelo porta-voz do Departamento de Estado John Kirby, integrantes do PKK foram chamados de “terroristas”, reforçando o suposto direito de Ancara para reagir em sua defesa.

Foto: Massoud Mohammed, Reuters.

Foto: Massoud Mohammed / Reuters.

Em reunião extraordinária, OTAN declara apoio à Turquia em combate ao EI


Em reunião extraordinária nesta terça-feira (28/07), a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) declarou apoio à Turquia no combate aos militantes do “Estado Islâmico” na Síria e no Iraque. A reunião, que ocorreu em Bruxelas e durou cerca de 90 minutos, contou com o pedido de auxílio militar da Turquia aos 27 aliados membros da Organização. Contudo, diversas nações europeias alertaram seu interesse nas negociações de paz com o povo curdo, processo que pode ser prejudicado caso a Turquia continue atacando posições curdas na região.

Secretário-Geral da OTAN Jens Stoltenberg. Foto: Reuters, Francois Lenoir.

Secretário-Geral da OTAN Jens Stoltenberg. Foto: Reuters / Francois Lenoir.

Turquia suspende processo de paz com curdos


Em declaração ao público nesta terça-feira (28/07), o presidente turco Recep Tayyip Erdogan declarou suspenso o processo de paz entre a Turquia e a minoria curda. Segundo Erdogan, os contínuos ataques contra alvos turcos impossibilitam a continuidade das negociações, pois ameaçam a integridade nacional do país. O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, e o secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), Jens Stoltenberg, criticaram fortemente o uso excessivo de forças militares pelo governo turco no conflito, que desde 1984 já deixou mais de 40 mil mortos.

Foto: I. Askengin, Getty Images, AFP.

Foto: I. Askengin / Getty Images / AFP.

Turquia ataca curdos e convoca reunião da OTAN


Turquia realizou neste domingo (26/07) novos ataques aéreos às áreas de militantes curdos no norte do Iraque, ao mesmo tempo em que houve uma convocação por parte de Ancara de uma reunião extraordinária dos aliados da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN). As forças militares turcas se organizam em campanha contra os separatistas do Partido Trabalhista curdo (PKK) e contra os jihadistas do “Estado Islâmico”. O país organizou uma estratégia “antiterrorista” em suas regiões de fronteira contra ambos os grupos depois de uma onda de violência no país, reafirmando sua presença na área com ataques aéreos e de artilharia.

Foto: OTAN.

Foto: OTAN.

Turquia junta-se à coalizão contra “Estado Islâmico”


Na última quinta-feira (23/07), a Turquia anunciou que permitirá que a coalizão de combate ao “Estado Islâmico” liderada pelos Estados Unidos utilize bases militares em seu território para operações ofensivas contra o grupo extremista na Síria e no Iraque. Já na sexta-feira (24/07), Ancara realizou ataques aéreos com caças F-16 contra posições do EI próximas à fronteira com a Síria. Isso significa que a Turquia juntou-se à coalizão após um ano de recalcitrância, a qual tensionava as relações do país com os EUA devido ao crescente apoio de Washington a forças curdas na região.

Foto: Reuters.

Turquia e Curdos apresentam novo acordo de paz


O Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK, na sigla em inglês), principal organização de defesa da causa curda na Turquia, realizou uma entrevista coletiva para debater o desarmamento do grupo. A atitude está na origem de um acordo com a Turquia que deve terminar com mais de trinta anos de conflito, que já matou mais de 40 mil pessoas. O desarmamento do PKK, que deve contribuir para uma solução democrática da controvérsia, vem após várias rodadas de negociação com o governo turco.

Foto: Ozan Kose / AFP / Getty Images

Foto: Ozan Kose / AFP / Getty Images

EUA destroi infraestutura síria sob pretexto de combater “Estado Islâmico”


Os Estados Unidos estão cogitando destruir oleodutos sírios sob o pretexto de combater o “Estado Islâmico”, apesar de o comércio ilegal feito pelo grupo terrorista não passar por oleodutos. Maram Susli analiza outras situações em que os bombardeios em território sírio não parecem ter como alvo o “Estado Islâmico”.

Foto: n.i

Foto: n.i

(mais…)

A batalha de Kobane e o que quer a Turquia


Patrick Cockburn analisa todo o desenrolar da batalha de Kobane e sua importância estratégica para o “Estado Islâmico”, para a coalizão ocidental, para os curdos que aí lutam e para a Turquia. Cockburn mostra que, desde o princípio da coalizão formada pelos Estados Unidos, se sabe que os países sunitas da região não estão tão preocupados assim com a derrota do “Estado Islâmico”. Por outro lado, estão excluídos da coalizão praticamente todos os que estão de fato lutando contra o grupo terrorista: o governo sírio, os xiitas iraquianos, o Irã e os curdos sírios. O autor dá atenção especial aos interesses da Turquia em jogo e como o país vem agindo neste atoleiro em que é inimigo dos curdos e aliado aos EUA, o que o torna, ao mesmo tempo, “aliado” e “inimigo“ do “Estado Islâmico”.

Foto: Bulent Kilic / Agence France-Presse / Getty Images

Foto: Bulent Kilic / Agence France-Presse / Getty Images

(mais…)

Presidente turco diz que EUA erra ao armar curdos na Síria


O presidente turco Recep Erdogan afirmou na última semana que Estados Unidos erram ao armar curdos que lutam contra o “Estado Islâmico” na Síria. O governo turco se opõe ao armamento de grupos ligados ao PKK, o Partido dos Trabalhadores do Curdistão, que até há alguns meses estava em combate contra a Turquia.

Cemil Bayik, comandante curdo do PKK Foto: Amberin Zaman

Cemil Bayik, comandante curdo do PKK
Foto: Amberin Zaman

(mais…)

Os equívocos estadunidenses no combate ao “Estado Islâmico”


O professor neorealista Stephen M. Walt analiza a ação estadunidense no combate ao “Estado Islâmico”, demonstrando cinco grandes erros de sua política externa. Um dos erros apontados por Walt é tratar o grupo terrorista como uma ameaça direta aos Estados Unidos, enquanto é um problema regional do Oriente Médio. Repetindo o que já foi dito em outras análises publicadas aqui, Walt considera contraditórios e impossíveis de conciliar os três grandes objetivos na região: derrubar Assad, “degradar e destruir” o “Estado Islâmico” e isolar o Irã.

Fotoilustração: Foreign Policy

Fotoilustração: Foreign Policy

(mais…)

Turquia deve deixar combatentes curdos cruzarem seu território para combater em Kobane


Depois de protestos internos contrários a sua inação no combate em Kobane, o governo turco decide dar algum apoio aos combatentes curdos que lutam contra o “Estado Islâmico”. O Ministro das Relações Exteriores da Turquia afirmou que o paíse vai permitir que combatentes curdos passem do Iraque a Kobane através de seu território.

Foto: Reuters / Umit Bektas

Foto: Reuters / Umit Bektas

(mais…)

EUA envia mais armas a curdos que lutam em Kobane


Aviões estadunidenses lançaram armas e suprimentos médicos para os curdos que lutam em Kobane, na fronteira entre a Síria e a Turquia. A ajuda vem após pedidos dos curdos que travam um conflito disputadíssimo na cidade síria. Já faz três anos que os Estados Unidos enviam armamentos a grupos rebeldes em território sírio.

Cemil Bayik, comandante curdo do PKK Foto: Amberin Zaman

Cemil Bayik, comandante curdo do PKK
Foto: Amberin Zaman

(mais…)

PKK condena ataques aéreos da Turquia contra seus soldados


O Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) afirmou que soldados seus estão sendo alvo de ataques aéreos turcos no sudeste do país, violando o cessar-fogo assinado com este país. Os ataques não teriam causado mortes, mas podem provocar um novo confronto entre o PKK e a Turquia.

Cemil Bayik, comandante curdo do PKK Foto: Amberin Zaman

Cemil Bayik, comandante curdo do PKK
Foto: Amberin Zaman

(mais…)

PKK ameaça recomeçar lutas pela independência do Curdistão na Turquia


Em entrevista, o comandante do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) afirmou que o grupo armado está pronto para recomeçar a luta contra o Exército Turco, interrompida por um cessar-fogo de 18 meses. Segundo ele, o partido do Presidente Recep Erdogan, o Partido Justiça e Desenvolvimento (AKP), não estaria criando as condições para a manutenção da paz – principalmente em seu suposto apoio, ainda não confirmado, ao “Estado Islâmico”. O comandante revela ainda detalhes sobre as táticas do “Estado Islâmico”, como o uso de armas estadunidenses adquiridas no Iraque.

Cemil Bayik, comandante curdo do PKK Foto: Amberin Zaman

Cemil Bayik, comandante curdo do PKK
Foto: Amberin Zaman

(mais…)

Possíveis militantes curdos sequestram balsa na Turquia


Suspected Kurd militants hijack ferry in Turkey

Reuters / Daren Butler – 11/11/2011

As many as five suspected Kurdish militants, reportedly armed with explosives, held about 20 people hostage on a passenger ferry near Istanbul on Saturday having hijacked the vessel soon after it set out in northwest Turkey early on Friday evening.

Turkish commandos on coastguard vessels tracked the high-speed “sea bus” in the Sea of Marmara before it ran low on fuel and had to anchor west of Istanbul. The ferry had been on a short run between the towns of Izmit and Karamursel.

Friends and relatives waited for news at the two ports, while fuel tankers headed for the area where the vessel was anchored, media reports said.

“They have no concrete demands. All they want now is fuel and food and drink,” transport minister Binali Yildirim told reporters in the capital Ankara. There were no indications that any passengers had been harmed, he said.

Shortly before 5 a.m. (0300 GMT) a flurry of activity was evident on the ferry’s main deck. Hazy television pictures showed figures moving in the aisle between rows of empty seats. A few people were apparently wearing life jackets. (mais…)

Irã irá cooperar com Turquia na luta contra os curdos


Ministros de Relações Exteriores: Ali Akbar Salehi, do Irã (E), e Ahmet Davutoglu, da Turquia (D).

Turkey presses PKK hunt, Iran pledges cooperation

Reuters / Jonathon Burch – 21/10/2011

Turkey and Iran pledged on Friday to cooperate in the fight against Kurdish militants, as thousands of Turkish troops pressed ahead with an air and ground offensive for a third day following an attack that killed 24 Turkish soldiers.

The counter-insurgency operation against separatist fighters from the Kurdistan Workers’ Party (PKK) was concentrated on both sides of Turkey’s border with northern Iraq.

Hundreds of Turkish soldiers were hunting PKK fighters around the Zab river areas a few kilometres inside Iraqi territory, security officials said.

Turkey’s reaction to one of the most deadly attacks on its security forces in a conflict that began three decades ago has ignited speculation that Turkey could move to a full blown incursion to clear out PKK camps deeper inside northern Iraq. (mais…)

Polícia turca prende 120 pessoas acusadas de ligação aos movimentos curdos no país


Foto por: DHA

Turkish police detain more than 120 in KCK probe

Hurriyet Daily News – 04/10/2011

Turkish police detained more than 120 people across Turkey on Tuesday as part of an investigation into alleged links between the Kurdistan Communities Union, or KCK, and the outlawed Kurdistan Workers’ Party, or PKK.

Hundreds of people, including elected mayors, are already on trial on charges of ties to the PKK, as part of a two-year old case which has fueled tensions in mainly Kurdish southeast Turkey.

A surge in PKK violence in recent months has sparked Turkish military air and artillery strikes against PKK bases in the mountains of neighbouring northern Iraq.

Police staged simultaneous dawn raids in Istanbul and southeastern provinces, where 40 people were detained, including a deputy leader of the main Kurdish political party and several mayors. (mais…)

Estados Unidos concorda em enviar aeronaves não-tripuladas para ajudar luta turca contra os curdos


U.S. to provide drones to Turkey: Erdogan

Reuters / Ibon Villelabeitia, Angus MacSwan – 25/09/2011

The United States has agreed in principle to deploy U.S. Predator drones on Turkish soil to aid in the fight against Kurdish separatist rebels, Prime Minister Tayyip Erdogan said.

The U.S. military flies unarmed surveillance Predators based in Iraq and shares images and vital intelligence with Turkey to aid Ankara as it battles Kurdish Kurdistan Workers’ Party (PKK) rebels who have camps in northern Iraq.

Erdogan, speaking to reporters in New York on Friday where he attended a U.N. General Assembly, said Turkey has offered to buy or lease the drones and that details are being worked out.

U.S. troops are due to leave Iraq at the end of 2011. Turkish officials have expressed concern the PKK, which has bases in northern Iraq, might exploit any security vacuum left by the departure of the U.S. military from Iraq. (mais…)