política turca

Governo da Turquia suspende 15 mil funcionários do Ministério da Educação


Nesta terça-feira (19/07), o governo da Turquia afastou mais de 15 mil funcionários do Ministério da Educação. O governo afirma que os afastados são suspeitos de participarem da tentativa de golpe e de integrarem a rede de seguidores de Fethullah Gülen, acusado por Ancara de ser um líder terrorista. Oficiais do governo e do Serviço de Inteligência da Turquia (MIT) também foram afastados. Além disso, foram revogadas as licenças de 21 mil professores que trabalham em instituições particulares. O governo também exigiu a renúncia de todos os reitores de universidades do país (cerca de 1.577) e fechou diversos canais de comunicação.

Foto: picture-alliance / abaca

Aliado de Erdogan é eleito primeiro-ministro da Turquia


Neste domingo (22/05), o Partido da Justiça e Desenvolvimento – partido do presidente da Turquia e que possui maioria parlamentar- elegeu Binali Yildirim como seu novo líder e primeiro-ministro do país. Yildirim é aliado do presidente Recep Tayyip Erdogan, assumindo após o último primeiro-ministro ter deixado o cargo depois de uma disputa com este. Analistas afirmam que ele deve apoiar uma reforma constitucional dando mais poder para Erdogan.

Foto: Burhan Ozbilici / Associated Press

 

Premiê da Turquia renuncia após conversas com Erdogan


Nesta quinta-feira (05/05), Ahmet Davutoglu, primeiro-ministro da Turquia, anunciou a sua renúncia ao cargo e à liderança de seu partido, o AKP (Partido da Justiça e Desenvolvimento). Decisão teria sido tomada após conversas com o presidente do país, Recep Erdogan. A renúncia vem após a piora das relações entre ambos. Erdogan teria perdido a confiança no premiê para a realização de uma reforma política no país, que passaria do sistema parlamentarista para presidencialista segundo a proposta do presidente.

Davutoglu. Foto: Efe.