posse

Novo primeiro-ministro é empossado em Sri Lanka


Novo primeiro-ministro do Sri Lanka, Ranil Wickremesinghe, do partido da Frente da União Nacional (UNF, da sigla em inglês) foi empossado na última sexta-feira (21/08), em uma cerimônia organizada pelo secretariado presidencial do país. Wickremesinghe exercerá o cargo pela quarta vez, tendo representado seu partido no governo pela última vez entre 2001 e 2004. A eleição parlamentar apontou 106 cadeiras das 225 ao partido governista, contra 95 votos na bancada de oposição, a Aliança pela Liberdade do Povo Unido (UPFA, da sigla em inglês).

Foto: Xinhua, Huang Haimin.

Foto: Xinhua / Huang Haimin.

Anúncios

Kenyatta realiza o juramento de posse da presidência


Kenya

Kenyatta sworn in as Kenya’s new president

09 de abril de 2013 – Al jazeera

Tens of thousands of Kenyans gather for inauguration of politician who has been indicted by the ICC in The Hague.

Kenya’s new president, Uhuru Kenyatta, who faces international charges of crimes against humanity, has been sworn in to office at a ceremony in a stadium packed with supporters and foreign dignitaries.

Kenyatta took the oath on Tuesday on a bible used by his father, Kenya’s first president, and was watched by tens of thousands of Kenyans, almost a dozen African leaders and other officials.

“I do swear that I will be faithful and bear true allegiance to the Republic of Kenya,” Kenyatta said, clutching a bible as he took the oath of office.

Many Kenyans hope that the son of the nation’s independence hero will live up to his pledge to be a leader for all and not just work for people from his own ethnic group, a practice they have come to expect from their politicians.

For Western states, big donors to East Africa’s biggest economy, Kenya is a vital player in the regional battle against ultraconservative Islam.

But they now have to juggle their wish for close ties with a policy of limiting contacts with those indicted by the ICC in The Hague.

‘Difficult position’

The US and European powers sent ambassadors to attend Kenyatta’s inauguration ceremony, a level of representation diplomats said was still in line with their position of having only “essential contacts” with indictees.

“They find themselves in a very difficult position,” said Kenya expert Daniel Branch at Britain’s Warwick University. “My sense is everyone will find some method of accommodation.”

If the West slips up, it also risks opening more space to China and other Asian powers that are gaining both political and trading influence in Africa.

Sitting alongside the Western envoys will be about a dozen African heads of state, as well as prime ministers and other top officials.

China and India, neither signatories to the statutes that set up the ICC, are sending senior government officials.

‘New beginning’

Tens of thousands of Kenyans, many waving flags, gathered for the ceremony at a Nairobi stadium from the early morning.

“This is a new beginning,” said Elija Toroitich, a 56-year old farmer at the stadium who voted for Kenyatta and his deputy William Ruto, who also faces ICC charges.

“We expect a lot from them due to the pledges they made in their manifesto.”

He and others want Kenyatta, a 51-year-old former finance minister whose family controls a sprawling business empire, to deliver faster economic growth and help swathes of poor in the nation of more than 40 million people.

“He and his father own the biggest plot of land in Kenya,” Michael Amoah, a political analysis, told Al Jazeera.

“Under his watch he has to negotiate the new law that will redistribute land.”

Fonte:http://www.aljazeera.com/news/africa/2013/04/201349752557578.html

Constitucionalistas venezuelanos divergem sobre obrigatoriedade de juramento de Chávez


CARMEN ROMERO

Constitucionalistas venezuelanos divergem sobre obrigatoriedade de juramento de Chávez

08 de janeiro de 2013 – Opera Mundi/Marina Terra

“O que vai acontecer em 10 de janeiro?” é a pergunta que a maioria dos venezuelanos se faz desde a internação do presidente Hugo Chávez em Havana, em 9 de dezembro do ano passado. Isso porque, conforme dita a Constituição do país, essa deveria ser a data do juramento do líder venezuelano, reeleito em 7 de outubro para um quarto mandato. No entanto, com o agravamento de sua saúde, membros do governo afirmaram recentemente que a posse seria uma mera formalidade e que Chávez não precisaria passar pelo protocolo desta quinta-feira para ser ratificado na Presidência.

O vice-presidente Nicolás Maduro, em entrevista à emissora VTV, foi quem anunciou que essa seria a postura do governo. “A Constituição estabelece que, como formalidade, (Chávez) deve apresentar seu juramento perante a Assembleia em 10 de janeiro, mas já em 10 de janeiro começa o novo período constitucional e o presidente continua em suas funções. Com isso, se estabelecerá o momento em que poderá prestar juramento perante o TSJ (Tribunal Supremo de Justiça)”, disse. (mais…)

Procuradora-Geral ratifica interpretação de chavistas e diz que posse pode ser adiada


chavez_210

Procuradora-Geral ratifica interpretação de chavistas e diz que posse pode ser adiada

07 de janeiro de 2013 – Opera Mundi/ Marina Mattar

A Procuradora-Geral da Venezuela, Cilia Flores, garantiu que o artigo 231 da Constituição do país prevê o adiamento da posse do candidato eleito ou reeleito no caso de imprevistos, como definiu a doença de Hugo Chávez.

De acordo com a promotora, o líder bolivariano, reeleito no dia 7 de outubro, permanece no poder mesmo se não puder comparecer no juramento perante a Assembleia Nacional, marcado para o dia 10 de janeiro. (mais…)

Presidenta destaca investimentos de US$ 220 bi da Petrobras e garante percentual de conteúdo nacional


Presidenta destaca investimentos de US$ 220 bi da Petrobras e garante percentual de conteúdo nacional

Blog do Planalto – 13/02/2012

Ao participar da posse da presidenta da Petrobras, Maria das Graças Foster, hoje (13), no Rio de Janeiro (RJ), a presidenta Dilma Rousseff se declarou emocionada e destacou que o Brasil vive um momento histórico, quando a primeira presidenta da República participa da posse da primeira mulher presidenta de uma grande empresa de petróleo no mundo.

Dilma Rousseff destacou o potencial da Petrobras, “orgulho de todos os brasileiros”, e lembrou que a história da empresa se confunde com a história de crescimento do país.

“Todos nós temos certeza de que a Petrobras é uma parte do esforço deste país, talvez uma das partes mais relevantes, de se constituir uma grande nação”, afirmou.

A presidenta frisou a importância do pré-sal e anunciou que, até 2015, a Petrobras vai investir mais de US$ 220 bilhões na exploração e produção de óleo e gás, na petroquímica, no refino, no transporte e na comercialização. Ela enfatizou que todos os investimentos serão orientados pelo compromisso de fortalecer a cadeia produtiva no país e de estimular o desenvolvimento tecnológico do setor, e destacou que o governo não abrirá mão da decisão de garantir percentuais de conteúdo local nas compras da empresa.

“A Petrobras é uma parceira do povo brasileiro e será uma parceira do povo brasileiro na exploração do pré-sal, reserva estratégica de energia e de riqueza, que tivemos a necessária excelência tecnológica para descobrir e temos competência para explorar. Só empresas assim têm poder efetivo e serão perenes no mercado mundial de petróleo, tão assimétrico e tão agressivo.” (mais…)

Posse de ex-ministro causa instabilidade dentro de BJP da Índia


BJP faces rebellion over Kushwaha’s induction

Times of India – 06/01/2012

The induction of tainted former minister Babu Singh Kushwaha is turning out to be a major headache for the Bharatiya Janata Party (BJP) ahead of the Feb 4-28 Uttar Pradesh elections after a rebellion within the party over the decision.

At least three leaders – state MPs Maneka Gandhi and Yogi Adityanath and star campaigner Uma Bharti – have raised red flags over the induction of the sacked Bahujan Samaj Party (BSP) leader who faces corruption charges in a multi-crore Uttar Pradesh health scam. He joined the BJP Tuesday.

The three leaders have openly spoken against the BJP national leadership.

Kushwaha, a prominent OBC leader from Uttar Pradesh, has been named as an accused in embezzlement in the Rs.10,000 crore health scheme in the state which goes to polls in February. (mais…)