Recep Tayyip Erdogan

Governo da Turquia suspende 15 mil funcionários do Ministério da Educação


Nesta terça-feira (19/07), o governo da Turquia afastou mais de 15 mil funcionários do Ministério da Educação. O governo afirma que os afastados são suspeitos de participarem da tentativa de golpe e de integrarem a rede de seguidores de Fethullah Gülen, acusado por Ancara de ser um líder terrorista. Oficiais do governo e do Serviço de Inteligência da Turquia (MIT) também foram afastados. Além disso, foram revogadas as licenças de 21 mil professores que trabalham em instituições particulares. O governo também exigiu a renúncia de todos os reitores de universidades do país (cerca de 1.577) e fechou diversos canais de comunicação.

Foto: picture-alliance / abaca

Atentado em Istambul deixa 11 mortos e dezenas de feridos


Nesta terça-feira (07/06), a explosão de um carro-bomba em Istambul, na Turquia, deixou 11 mortos e dezenas de feridos. É o quarto atentado na cidade este ano. A bomba explodiu enquanto um ônibus com policiais passava pelo local, matando sete deles. Nenhum grupo assumiu a autoria do ataque, mas o presidente Recep Tayyip Erdogan acusou militantes curdos de serem os responsáveis.

Foto: Reuters

Aliado de Erdogan é eleito primeiro-ministro da Turquia


Neste domingo (22/05), o Partido da Justiça e Desenvolvimento – partido do presidente da Turquia e que possui maioria parlamentar- elegeu Binali Yildirim como seu novo líder e primeiro-ministro do país. Yildirim é aliado do presidente Recep Tayyip Erdogan, assumindo após o último primeiro-ministro ter deixado o cargo depois de uma disputa com este. Analistas afirmam que ele deve apoiar uma reforma constitucional dando mais poder para Erdogan.

Foto: Burhan Ozbilici / Associated Press

 

Parlamento turco aprova fim da imunidade parlamentar


Na última sexta-feira (20/05), o Parlamento da Turquia aprovou o fim da imunidade parlamentar. A emenda constitucional teve 376 dos 550 votos, a maioria sendo do partido Partido da Justiça e Desenvolvimento, o mesmo do presidente Recep Tayyip Erdogan. Opositores da lei afirmam que esta, além de aumentar os poderes presidenciais, será utilizada para retirar o mandato de deputados curdos, sob a justificativa de que eles “apoiam o terrorismo”.

Foto: Umit Bektas / Reuters

Premiê da Turquia renuncia após conversas com Erdogan


Nesta quinta-feira (05/05), Ahmet Davutoglu, primeiro-ministro da Turquia, anunciou a sua renúncia ao cargo e à liderança de seu partido, o AKP (Partido da Justiça e Desenvolvimento). Decisão teria sido tomada após conversas com o presidente do país, Recep Erdogan. A renúncia vem após a piora das relações entre ambos. Erdogan teria perdido a confiança no premiê para a realização de uma reforma política no país, que passaria do sistema parlamentarista para presidencialista segundo a proposta do presidente.

Davutoglu. Foto: Efe.

Jornal turco muda linha editorial após intervenção estatal


Após intervenção estatal na sexta-feira (05/03), o Zaman, o maior jornal da Turquia e que fazia oposição ao presidente Recep Tayyip Erdogan, mudou sua linha editorial para uma pró-governo. A publicação deste domingo (06/03) foi considerada por muitos como clara propaganda do governo. Centenas de pessoas protestaram contra a medida e foram reprimidas pela polícia. O governo afirma que ação não é de sua responsabilidade, já que a ação foi decretada pela Justiça.

Foto: A. Altar/ Getty Images/ AFP

Turquia utiliza refugiados para forçar intervenção da OTAN?


O jornalista Arad Nir, em artigo publicado na semana passada, afirma que o Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, está utilizando-se dos refugiados sírios para forçar uma intervenção ocidental na Síria. O governo turco, no início da crise, acolhia os refugiados e dificultava sua ida para a Europa. Mas, como a crise no vizinho prosseguia e causava instabilidade na região, Erdogan facilitou a fuga de refugiados para países da Europa Ocidental, o que forçaria uma intervenção “humanitária” da OTAN para derrubar o governo de Assad.

Foto: Reuters / Umit Bektas.

Os verdadeiros motivos para a entrada da Turquia na luta contra o EI


Desde que a Turquia aceitou entrar na coalizão liderada pelos Estados Unidos de combate ao “Estado Islâmico”, fica cada vez mais claro que o governo turco tem, em primeiro lugar, uma agenda de luta contra os separatistas curdos, notadamente o PKK, Partido dos Trabalhadores do Curdistão. Além disso, essa campanha militar contra o PKK deve ser analisada em paralelo às eleições nacionais da Turquia em junho deste ano, das quais o partido governista AKP (Partido Justiça e Desenvolvimento) perdeu a maioria parlamentar pela primeira vez em 13 anos e o Partido Democrático Popular (HDP), de apoio à causa curda, conseguiu 13% dos votos. Nota-se que, desde os primeiros ataques aéreos turcos a posições do PKK, o governo de Recep Erdogan iniciou uma campanha política interna para desacreditar o HDP e, assim, gerou expectativas de que se realizem novas eleições no país para reconquistar a maioria parlamentar para o AKP. No entanto, teme-se que essas medidas acabem por escalar a uma guerra civil na própria Turquia, aumentando o imbróglio no Oriente Médio.

Caça F-16 turco. Foto: Murad Sezer / Reuters.

China propõe maior cooperação em negócios com a Turquia


Em encontro do presidente chinês Xi Jinping com o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, nesta quinta-feira (30/07), em Pequim, ambos os países manifestaram interesse em futuros planos de cooperação em negócios. Ferrovias de alta velocidade, inovação em energia, aviação e investimentos financeiros através da construção de um ambiente favorável para investidores dos países foram as áreas particularmente destacadas como oportunidades para o fortalecimento entre os governos chinês e turco.

Foto: Xinhua, Pang Xinglei.

Recep Erdogan e Xi Jinping. Foto: Xinhua / Pang Xinglei.

China e Turquia querem fortalecer laços bilaterais


Em visita a Pequim, o presidente da Turquia Recep Tayyip Erdogan encontrou-se com o presidente chinês Xi Jinping e com o primeiro-ministro Li Keqiang na quarta-feira (29/07). Os líderes concordaram que ambas as nações devem trabalhar para fortalecer suas relações bilaterais, desenvolvendo mais uma conexão mais intensa entre suas estratégias de longo prazo. Também foram citadas novas possibilidades de cooperação nos setores de comunicação, energia, infraestrutura e aviação.

Primeiro-ministro chinês Li Keqiang e o presidente da Turquia Recep Tayyip Erdogan, em Pequim. Foto: Xinhua, Pang Xinglei.

Primeiro-ministro chinês Li Keqiang e o presidente da Turquia Recep Tayyip Erdogan, em Pequim. Foto: Xinhua, Pang Xinglei.

Turquia suspende processo de paz com curdos


Em declaração ao público nesta terça-feira (28/07), o presidente turco Recep Tayyip Erdogan declarou suspenso o processo de paz entre a Turquia e a minoria curda. Segundo Erdogan, os contínuos ataques contra alvos turcos impossibilitam a continuidade das negociações, pois ameaçam a integridade nacional do país. O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, e o secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), Jens Stoltenberg, criticaram fortemente o uso excessivo de forças militares pelo governo turco no conflito, que desde 1984 já deixou mais de 40 mil mortos.

Foto: I. Askengin, Getty Images, AFP.

Foto: I. Askengin / Getty Images / AFP.

Embates por formação de coalizão na Turquia


O presidente turco Recep Tayyip Erdogan aumentou seus esforços para conquistar aliados para uma possível coalizão de centro-direita do partido da Justiça e do Desenvolvimento (AKP, sigla em turco). O AKP continua sendo o partido com mais representantes no parlamento, com 40,9% do total, embora tenha pertido a maioria parlamentar nas eleições do dia 7 de junho. A legenda de oposição, o Partido Popular Republicano (CHP, sigla em turco), de centro-esquerda, reafirma que a responsabilidade de formar governo deve ser da coalizão de maioria, que ocupa pouco menos de 60% dos assentos.

Foto: AP, Burhan Ozbilici

Foto: AP / Burhan Ozbilici.

Na Turquia, partido do governo perde maioria absoluta no parlamento


Na Turquia, o Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP), legenda do presidente Recep Tayyip Erdogan, perdeu ontem (07/06) a maioria absoluta que detinha no Parlamento há 13 anos, segundo números divulgados pelas emissoras de televisão turcas. A formação pró-curda Partido Democrático do Povo (HDP) conseguiu ultrapassar os 10% de votos necessários para entrar na Assembleia Nacional, elegendo pelo menos 70 deputados.

Recep Tayyip Erdogan. Foto: AP

Recep Tayyip Erdogan. Foto: AP

População pobre da Turquia cai 10 pontos percentuais em 10 anos


Dados divulgados pelo Banco Mundial atestam que renda per capita da Turquia entrou em ritmo de crescimento a partir de 2001, fazendo com que a taxa de pobreza do país caísse 10 pontos percentuais nos últimos 10 anos. A pobreza, concebida como ter uma renda individual de 2,5 dólares por dia, atingia 16% da população turca há 10 anos. Hoje, o índice está menor que 5%, principalmente devido a políticas do governo e ao comércio exterior.

Foto: MEMO

Foto: MEMO

Turquia e Curdos apresentam novo acordo de paz


O Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK, na sigla em inglês), principal organização de defesa da causa curda na Turquia, realizou uma entrevista coletiva para debater o desarmamento do grupo. A atitude está na origem de um acordo com a Turquia que deve terminar com mais de trinta anos de conflito, que já matou mais de 40 mil pessoas. O desarmamento do PKK, que deve contribuir para uma solução democrática da controvérsia, vem após várias rodadas de negociação com o governo turco.

Foto: Ozan Kose / AFP / Getty Images

Foto: Ozan Kose / AFP / Getty Images

A evoução da estratégia turca para a Síria


A estratégia do presidente turco Recep Tayyip Erdogan na crise síria evoluiu em várias direções desde 2011. No princípio, Erdogan apoiou o regime de Assad, para depois combatê-lo ao cooperar com rebeldes como o Exército Livre da Síria. Aaron Stein analisa essa evolução, que configurou-se como uma sucessão de tentativas fracassadas de garantir os interesses turcos no território sírio, que geravam um reposicionamento de Ancara. Stein relata que, em dado momento, Erdogan chegou a apoiar a Frente Al-Nusra, grupo relacionado à Al-Qaeda e que hoje luta lado a lado com o “Estado Islâmico”.

Recep Tayyip Erdogan Foto: Umit Bektas / Courtesy Reuters

Recep Tayyip Erdogan
Foto: Umit Bektas / Courtesy Reuters

EUA destroi infraestutura síria sob pretexto de combater “Estado Islâmico”


Os Estados Unidos estão cogitando destruir oleodutos sírios sob o pretexto de combater o “Estado Islâmico”, apesar de o comércio ilegal feito pelo grupo terrorista não passar por oleodutos. Maram Susli analiza outras situações em que os bombardeios em território sírio não parecem ter como alvo o “Estado Islâmico”.

Foto: n.i

Foto: n.i

(mais…)

A vitória silenciosa de Erdogan na Turquia


O presidente turco Recep Tayyip Erdogan quebrou o poder dos militares no país, encerrando uma era de intervencionismo e golpes das Forças Armadas turcas. Nick Danforth discute as contradições do governo de Erdogan, que promoveu uma democracia que possui seus limites.

Foto: Sascha Schuermann / Getty Images

Foto: Sascha Schuermann / Getty Images

(mais…)

A batalha de Kobane e o que quer a Turquia


Patrick Cockburn analisa todo o desenrolar da batalha de Kobane e sua importância estratégica para o “Estado Islâmico”, para a coalizão ocidental, para os curdos que aí lutam e para a Turquia. Cockburn mostra que, desde o princípio da coalizão formada pelos Estados Unidos, se sabe que os países sunitas da região não estão tão preocupados assim com a derrota do “Estado Islâmico”. Por outro lado, estão excluídos da coalizão praticamente todos os que estão de fato lutando contra o grupo terrorista: o governo sírio, os xiitas iraquianos, o Irã e os curdos sírios. O autor dá atenção especial aos interesses da Turquia em jogo e como o país vem agindo neste atoleiro em que é inimigo dos curdos e aliado aos EUA, o que o torna, ao mesmo tempo, “aliado” e “inimigo“ do “Estado Islâmico”.

Foto: Bulent Kilic / Agence France-Presse / Getty Images

Foto: Bulent Kilic / Agence France-Presse / Getty Images

(mais…)

China pode perder contrato de venda de mísseis à Turquia


De acordo com a agência Reuters, presidente turco teria dito em entrevista ao canal NTV que estaria repensando a decisão de comprar um sistema de defesa de mísseis da China. Recep Tayyip Erdogan disse que governo está estudando alternativas para concretizar a compra dos sistemas de defesa anti-aérea de longo alcance, estimado em bilhões de dólares.

Imagem: Wikimedia Commons

Imagem: Wikimedia Commons

(mais…)

Erdogan é eleito presidente da Turquia no primeiro turno


Recep Tayyip Erdogan, primeiro-ministro da Turquia, venceu eleições presidenciais ainda no primeiro turno. O pleito, que ocorreu no domingo (10), é o primeiro realizado pelo voto popular.

Foto: Murad Sezer / Reuters

Foto: Murad Sezer / Reuters

(mais…)

Vitória islamita em eleições municipais aumenta a polarização na Turquia


A vitória islamita nas eleições municipais de domingo na Turquia não contribuiu para fechar a espiral de polarização política que vive o país nos últimos meses, depois da onda de protestos populares contra a deriva autoritária do primeiro-ministro, Recep Tayyip Erdogan e os escândalos de corrupção que mancham o governante Partido da Justiça e do desenvolvimento (AKP). Partido de Erdogan saiu vitorioso, legitimando seu governo.

Primeiro-ministro Erdogan. Fonte: AFP.

Primeiro-ministro Erdogan. Fonte: AFP.

(mais…)

Turquia derruba avião de guerra da Síria


O primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, confirmou que a força aérea do seu país abateu um avião de guerra da Síria que supostamente violara o espaço aéreo turco. Governo sírio negou a violação e caracterizou o acontecido de “flagrante agressão”.

Imagem: TV Haberturk / YouTube.

Imagem: TV Haberturk / YouTube.

(mais…)

Japão tenta se aproximar da Turquia


Com diversas tensões nas relações com seus vizinhos, o Japão investe em tentativas de maior aproximação com a Turquia. As áreas mais bem sucedidas são a de infraestrutura de transportes e energia nuclear. Já há iniciativas para o estabelecimento de livre comércio entre os dois países.

Recep Erdogan e Shinzo Abe. Foto: Reuters / Toshifumi Kitamura / Pool.

Recep Erdogan e Shinzo Abe. Foto: Reuters / Toshifumi Kitamura / Pool.

(mais…)

Primeiro-ministro da Turquia visita o Irã


Primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, visitou o Irã para reavivar o comércio e os laços energéticos entre os dois países. Relações entre os dois países melhoraram com a chegada de Rouhani ao poder no Irã, ainda que haja divergências quanto ao conflito sírio.

Primeiro-ministro turco, Erdogan, e Aiatolá Khamenei. Fonte: AP / Escritório do Líder Supremo do Irã.

Primeiro-ministro turco, Erdogan, e Aiatolá Khamenei. Fonte: AP / Escritório do Líder Supremo do Irã.

(mais…)

Forças Armadas da Turquia não se envolverão na política


Com a Turquia envolta em escândalos de corrupção e crise política, Forças Armadas do país disseram que não querem se envolver na política. País já passou por diversos golpes.

Primeiro-ministro Erdogan. Fonte: AFP.

Primeiro-ministro Erdogan. Fonte: AFP.

(mais…)

Turquia abalada por escândalo de corrupção


O governo turco está em crise: dentro de algumas horas, três ministros renunciaram por causa de um escândalo de corrupção. População foi às ruas protestar e houve muitos confrontos com policiais. Primeiro-ministro Erdogan alega que seu governo está sendo vítima de uma conspiração.

Protesto anticorrupção. Fonte: Getty Images.

Protesto anticorrupção. Fonte: Getty Images.

(mais…)

O reposicionamento turco frente à Síria ao longo dos anos


Foto por: REUTERS/Khaled al-Hariri

Friend turned foe: Turkey rounds on Syria in regional power bid

Russia Today – 18/01/2012

Turkey, Syria’s neighbor and long-time ally, is now taking an active role in attempts to dethrone Assad. Ankara is backing Western actions, reportedly providing a base for training Syrian rebels and even discussing a no-fly zone with the US.

­Back in 2002 Turkey, strictly following its newly-designed “zero problems with neighbors” foreign policy, was engaged in building strong economic, political, and social ties with neighboring countries.

Everything was going to plan until the Arab Spring hit the region.

Turkey faced a choice: to maintain its policy of engagement with authoritarian Arab leaders, or to take a different path.

And Syria became the country which felt the full force of Ankara’s policy u-turn when Turkey came out in support of Syria’s opposition and aligned itself with the country’s staunch enemy – the US.

Turkey found itself in the frontline of the Syrian crisis last June when thousands of Syrians poured across its border, fleeing a government crackdown on the town of Jisr-al-Shughour.  At the time, the Red Crescent said it was caring for 30,000 refugees in camps just inside Turkish territory. (mais…)

Turquia se Move em Direção a África


 

Turkey moves into Africa

Anatolian tigers spawn a new generation of entrepreneurs

Turkey’s Justice and Development government has opened up to the world politically and economically. In Africa, it saw a new and fertile ground for development, and a trading partner for Anatolia’s entrepreneurs

Le Monde diplomatique, by Alain Vicky, May 2011

Turkish entrepreneurs are looking towards Africa again. Rizanur Meral, president of Tuskon, the Confederation of Businessmen and Industrialists of Turkey (see Turkey’s growing trade network), reports a surge in requests for advice (“tens of SMEs” every day) on entering the African market (1). Founded in 2005, Tuskon has a membership of some 29,000 individual entrepreneurs and 160 local businessmen’s associations. The organisation is a new entrepreneurial showcase for Turkey, with its population of 75 million, the world’s 17th biggest economy. Turkey’s 20 largest cities (Istanbul, Izmir, Ankara, but also the great cities of central and southeastern Anatolia such as Kayseri, Konya and Gaziantep) all have a turnover of around $1bn a year from exports. (mais…)