relações Brasil-Argentina

Pela primeira vez, Brasil exportará urânio enriquecido


Pela primeira vez, o Brasil exportará urânio enriquecido. A empresa brasileira Indústrias Nucleares do Brasil (INB) firmou acordo com a empresa estatal argentina Combustibles Nucleares Argentinos (Conuar) no valor de 4,5 milhões de dólares, que prevê o envio de quatro toneladas de pó de dióxido de urânio para a carga inicial de abastecimento de um reator nuclear localizado na cidade de Lima, ao norte de Buenos Aires.

Foto: INB / Divulgação via Agência Brasil.

(mais…)

Relações em eixo e integração produtiva na América do Sul: Argentina, Brasil e Venezuela


Confira aqui a monografia do pesquisador do ISAPE, Leonardo Albarello Weber, sobre relações em eixo e integração produtiva na América do Sul, entre Argentina, Brasil e Venezuela. O trabalho procura analisar o papel estratégico de tais relações para a integração sul-americana, notando que foram construídos vínculos que hoje são um fator-chave para a política e integração regionais e que a integração produtiva é central ao desenvolvimento econômico e à integração regional como um todo apesar dos desafios.

Imagem: Jornal GGN.

Argentina considera suspensão do Brasil no Mercosul em caso de impeachment


Nesta segunda-feira (21/03), a chanceler argentina, Susana Malcorra, afirmou que existe a possibilidade de uma desvinculação temporária do Brasil do Mercosul no caso do impeachment da presidente Dilma Rousseff ser concluído. A possibilidade ainda não foi discutida pelos membros do bloco, mas poderia ser baseada na cláusula democrática do Mercosul. Além disso, Malcorra anunciou que o bloco pretende divulgar o “mais rápido possível” uma nota de apoio institucional ao governo brasileiro.

Susana Malcorra. Foto: Diario 26

Brasil propõe à Argentina livre comércio de automóveis


O governo brasileiro vai propor à Argentina uma liberalização completa do comércio bilateral de automóveis. Proposta deve ser apresentada após o Carnaval e espera-se que entre em vigor até julho. A indústria automotiva nunca foi incorporada plenamente às regras gerais do Mercosul. Atualmente o Brasil pode exportar, sem a incidência de tarifas, até US$ 150 para cada US$ 100 comprados de veículos e autopeças produzidos na Argentina, valendo o mesmo para o sentido contrário.

Imagem: Volkswagen.

Recém-eleito, Macri anuncia que Brasil será seu primeiro destino oficial


Mauricio Macri, recém-eleito presidente da Argentina, anunciou que o Brasil deverá ser o destino de sua primeira viagem internacional oficial. Macri manifestou essa sua intenção em telefonema com a presidente brasileira Dilma Rousseff na segunda-feira (23/11), que o telefonara para cumprimentá-lo pela vitória na eleição presidencial argentina. O novo presidente também disse a Dilma que pretende dar “nova vitalidade ao Mercosul” e ter uma relação “fluida e dinâmica” com o Brasília.

Foto: Reuters / M. Brindicci.

Qual a importância das eleições argentinas para o Brasil?


Fernando Caulyt analisa, em artigo publicado na DW, a importância das eleições argentinas para o Brasil. Os países possuem forte conexão política e econômica e os candidatos têm visões diferentes de como deve ser a relação com Brasília e com o Mercosul. Por exemplo, questões como o acordo Mercosul-União Europeia e a relação de Buenos Aires com a China podem depender do novo presidente.

Foto: AFP / Getty Images.

Argentina adotará medidas anticíclicas para evitar impacto da situação econômica brasileira e chinesa


Aníbal Fernández, chefe do gabinete argentino, declarou que medidas anticíclicas serão tomadas para que as empresas não sintam o impacto imediato causado pela desvalorização do real e pela queda significativa nas bolsas de valores na China. Em declaração feita na Casa de Governo, em Buenos Aires, Fernández destacou que é obrigação do estado trabalhar para que sua economia seja minimamente impactada por estas situações.

Foto: DyN, Senado Argentino.

Foto: DyN / Senado Argentino.

Entrevista com Celso Amorim: “sem a UNASUL, os EUA não estariam mudando de posição em relação a Cuba”


Em entrevista ao jornal Clarín, o antigo ministro da Defesa e das Relações Exteriores do Brasil, Celso Amorim, comenta que a parceria estratégica de Brasil e Argentina é o principal fato da política externa brasileira possibilitou a criação do Mercosul e da UNASUL e que esta organização teria sido fundamental para a recente reaproximação entre Cuba e EUA. Amorim também fala da integração regional sul-americana e seus benefícios ao Brasil e ao continente, afirmando que objetivos de curto prazo devem ser deixados de lado em prol do longo prazo. Além disso, para ele a política externa dos Estados Unidos no segundo mandato de Barack Obama está cada vez mais se assemelhando à política externa brasileira ao priorizar engajamento e diálogo ao invés do confrontacionismo com Cuba e Irã, por exemplo.

Celso Amorim. Foto: Clarín / Eleonora Gosman.

Brasil inicia negociações para venda de 24 caças Gripen NG à Argentina


Em visita do Ministro da Defesa, Jaques Wagner, a Buenos Aires, na última terça-feira (07/04), foi assinada a “Declaração pela Democracia e a Paz” com seu homólogo argentino, Agustín Rossi. Uma das cláusulas do documento prevê o início das negociações entre os dois países para a venda de 24 caças Gripen NG à Argentina. Foi a primeira viagem internacional de Wagner, que ressaltou a importância estratégica da aliança com a Argentina para a integração sul-americana. O ministro argentino reiterou o interesse do país pelos cargueiros KC-390 da Embraer, projeto que conta com participação argentina no seu desenvolvimento.

Foto: Ministério da Defesa

Foto: Ministério da Defesa

Pepe Mujica critica postura argentina sobre integração regional


Em entrevista ao jornal argentino Perfil, o presidente uruguaio Pepe Mujica comentou vários temas da política regional sul-americana e dos esforços de integração. Segundo ele, a liderança do processo integrador cabe ao Brasil, mas que também se faz necessário que os outros países da região acompanhem essa mobilização. Para Mujica, a Argentina, país determinante para a consolidação de blocos regionais, costuma virar as costas para a integração. O presidente uruguaio também tratou de como ocorre a interação entre fatores políticos internos e a política externa nos países sul-americanos.

Foto: Reuters

Foto: Reuters

Argentina fecha acordo com a China que pode prejudicar vendas de armamentos brasileiros


A Argentina e a China assinaram acordos de cooperação em defesa que podem minar a venda de certos armamentos brasileiros ao seu vizinho. O primeiro alvo foi o blindado Guarani, projeto brasileiro que já entregou 100 unidades ao Exército Brasileiro, que teria sido preterido por falta de linhas de crédito e pela tração 6×6 (três eixos). A China teria oferecido financiamento à Argentina e um modelo de blindado 8×8 (quatro eixos), o Norinco VN-1.

Foto: Casa Rosada

Foto: Casa Rosada