Relações China-EUA

A ascensão da China e os seus impactos para o leste asiático


Confira aqui a dissertação do pesquisador do ISAPE, Athos Munhoz Moreira da Silva, sobre a ascensão da China e os seus impactos para o leste asiático. Com base em uma análise histórica da ascensão chinesa, o trabalho trata da alteração fundamental na polaridade e na polarização regionais, com implicações em âmbito global. Constata-se que, diante da rivalidade estratégica entre Estados Unidos e China, os demais atores regionais buscam manter sua autonomia e margem de manobra entre as duas potências. Consideram-se três possíveis perspectivas para o leste asiático: uma hegemonia chinesa sem ocorrência de guerra central; o acirramento das tensões entre Pequim e Washington, com possibilidade de guerra central; e a concertação e criação de mecanismos de governança entre os atores regionais, podendo ser anárquica — sem líderes aparentes — ou hierárquica — condomínio de potências —.

Imagem: East by Southeast.

A interação estratégica China-EUA envolvendo Taiwan


Confira aqui o artigo dos pesquisadores associados do ISAPE Gustavo Feddersen, Bruno Magno, Athos Munhoz e João Chiarelli publicado na revista Conjuntura Austral sobre a interação estratégica entre China e Estados Unidos envolvendo Taiwan. O trabalho procura encontrar variáveis para uma análise atual das relações entre Pequim e Washington sobre o tema em sua história: a Guerra da Coreia, as Primeiras Crises do Estreito, o Reatamento Sino-Estadunidense e a Terceira Crise do Estreito. Os autores concluem que a lógica da preempção é dominante na interação entre os dois países, mas que há proposições alternativas, tal como a do offshore control.

China e EUA chegam a consenso sobre combate a cibercrimes


No último sábado (12/09), China e Estados Unidos chegaram a um consenso sobre o combate à crimes cibernéticos. O entendimento aconteceu em encontro do representante chinês Meng Jianzhu, membro do Comitê Central do Partido Comunista Chinês, e John Kerry, Secretário de Estado dos Estados Unidos. O representante da China reforçou a posição do governo chinês de combater crimes cibernéticos, como a espionagem comercial.

Foto: G. Gabbert, DPA, Picture Alliance.

Foto: G. Gabbert / DPA / Picture Alliance.

China e EUA discutem mudanças climáticas


Nesta quarta-feira (24/06), China e Estados Unidos participaram de uma reunião especial sobre mudanças climáticas dentro do sétimo encontro de Diálogo  Econômico e Estratégico dos EUA e da China. De acordo com ambos os países, os desafios impostos pelas alterações no ecossistema mundial oferecem oportunidades de diálogo para o corte de emissões de carbono causadas pela indústria, através da cooperação para utilização de fontes de energia renováveis e proteção do meio ambiente.

Foto: Xinhua, Yin Bogu

Foto: Xinhua / Yin Bogu.

China rebate críticas de Obama a sua lei antiterrorismo


Uma lei antiterrorismo que está sendo discutida na China recebeu críticas de Barack Obama, o que gerou uma resposta do governo chinês. O Ministério das Relações Exteriores da China afirmou, através de sua porta-voz, que não há nada de estranho em a China proteger sua informação através de seu sistema legislativo. O projeto de lei prevê que o governo chinês possa pedir informações sigilosas a empresas de tecnologia.

Imagem: Agências

Imagem: Agências

Novo documento de estratégia dos EUA pede paciência para crises na Síria e na Ucrânia


A Casa Branca lançou um documento da estratégia de segurança nacional para 2015 em que pede paciência à opinião pública estadunidense sobre as ações na Síria e na Ucrânia. Barack Obama vem sofrendo pressões para agir de maneira mais incisiva nesses países, ao contrário da estratégia de sua administração de “lead from behind“. A “paciência estratégica” seria necessária para uma solução de controvérsias que permita um uso mínimo dos recursos do país e que não crie novas ameaças no futuro.

Foto: Ethan Miller / Getty Images

Foto: Ethan Miller / Getty Images

China critica posição dos EUA sobre Mar do Sul da China


A China criticou um documento do Departamento de Estado dos EUA sobre as divergências territoriais do Mar do Sul da China e exigiu que o país não tomasse lado na disputa. O porta-voz do ministério das relações exteriores chinês afirmou que o documento ignora o direito internacional e que a China sempre buscou uma solução pacífica para contenciosos territoriais.

Mapa: HowStuffWorks.

Mapa: HowStuffWorks

EUA e China anunciam acordo para reduzir emissão de gases poluentes


China e Estados Unidos assinaram um acordo de redução de emissões de gases do efeito estufa. As negociações foram sigilosas até a assinatura, e é a primeira vez que a China se compromete com datas para a redução de suas emissões. Os dois países são os que mais poluem no mundo.

Xi e Obama se cumprimentam antes de anúncio de acordo para redução de emissão de gases poluentes Foto: Li Xueren / Xinhua

Xi e Obama se cumprimentam antes de anúncio de acordo para redução de emissão de gases poluentes
Foto: Li Xueren / Xinhua

(mais…)