Relações China-Paquistão

Paquistão declara apoio às reivindicações chinesas no Mar do Sul da China.


Na última quinta-feira (23/06), o presidente do Paquistão, Mamnoon Hussein, declarou o apoio de seu país à República Popular da China nas questões ligadas ao Mar do Sul da China, Taiwan e Tibete. A declaração foi feita durante uma reunião pouco antes da conferência da Organização de Cooperação de Xangai (OCX). Ambos os países reforçaram sua posição de amizade e a disposição para cooperar em âmbito econômico e securitário. Por um lado, Xi Jinping enfatizou a importância de integrar oficialmente o Paquistão na OCX e de focarem as suas relações bilaterais na construção do Corredor Econômico China-Paquistão. Por outro, Mamnoon Hussein declarou a sua vontade em participar ao lado de Pequim em organizações internacionais e em cooperar bilateralmente na construção de infraestrutura e no combate ao terrorismo.

Foto: Xinhua / Ma Zhancheng.

Anúncios

Estatal chinesa assume porto de Gwadar no Paquistão


Nesta quarta-feira (11/11), a empresa estatal chinesa Chinese Overseas Ports Holding Company Ltd (COPHCL) assumiu oficialmente o estratégico porto de Gwadar no Paquistão. A COPHCL assinou um contrato de aluguel de 40 anos, marcando um importante passo para a implementação do Corredor Econômico China–Paquistão, uma iniciativa-chave para a construção de infraestrutura em território paquistanês, conectando a China ao Oceano Índico.

Foto: J. Patrick Fisher / Wikimedia Commons.

Paquistão compra oito submarinos da China


O Paquistão finalizou o negócio para a compra de oito submarinos da China. Eles serão construídos nos dois países, quatro em cada um. Islamabade e Pequim não revelaram qual o modelo nem o início da construção. O acordo também inclui transferência de tecnologia e o treinamento de oficiais para operar os novos equipamentos. Analistas afirmam que negócio aumenta a capacidade de “segundo ataque” nuclear do Paquistão.

Foto: Navy Office of Legislative Affairs via Wikimedia Commons.

OCX se expande para a Ásia Meridional


No mês passado, a Índia e o Paquistão foram aceitos como membros interinos na Organização de Cooperação de Xangai (OCX), bloco que discute política, economia e segurança na Eurásia. A mudança garantirá benefícios especialmente para a China e para a Rússia, embora toda a região ganhe importância com a retomada da presença da Rússia e com as futuras negociações que a China poderá realizar para fortalecer sua presença na Ásia Central e entorno. A inclusão da Índia e do Paquistão torna a OCX como a organização ideal para negociações entre a China e seus planos de investimento regionais.

Foto: Divulgação.

Foto: Divulgação.

O plano chinês para a infraestrutura do Paquistão


Nesta semana, em visita ao Paquistão, o presidente da China, Xi Jinping, comprometeu-se a investir 46 bilhões de dólares em infraestrutura naquele país. Boa parte dessa soma deve ser destinada à construção do Corredor Econômico China–Paquistão, o qual deve conectar a infraestrutura chiensa ao Oceano Índico através de ferrovias, rodovias e oleodutos a serem desenvolvidos no Paquistão (vide mapa abaixo). Se for de fato construído, o Corredor daria à China uma rota que não só contorna o Estreito de Málaca, mas também garante acesso ao extremo sul do Golfo Persa, i.e. importantes rotas de petróleo e comércio mundiais. Na visita de Xi a Islamabade, também firmou-se um acordo de provisão de submarinos chineses à marinha paquistanesa.

Mapa: Indian Strategic Studies.

Mapa: Indian Strategic Studies.

Paquistão comprará oito submarinos chineses


O governo do Paquistão confirmou, na última quarta-feira (01/04), que vai comprar oito submarinos chineses. Detalhes sobre a nova frota de submarinos, como o modelo ou o preço das transações, ainda não foram revelados. Alguns analistas especulam que se tratam de submarinos convencionais de ataque Tipo 041 da classe Yuan, de 2.300 toneladas. Outras fontes acreditam que os submarinos serão construídos no território paquistanês sobre licença, com modelos da classe Qing, com capacidade maior, para até 3.000 toneladas.

Foto: Departamento de Defesa

Foto: Departamento de Defesa

Navios mercantes chineses são atacados no Baluchistão


Uma frota de navios-tanque que transportavam petróleo para uma empresa chinesa foram atacados na semana passada (23/03) na região do Baluchistão. Militantes desconhecidos atearam fogo em cinco embarcações, no momento em que tensões locais aumentam devido ao projeto de desenvolvimento Saindak. Outro elemento da conjuntura é a concessão do porto paquistanês de Gwandar para empresas chinesas.

Foto: Wikimedia Commons

Foto: Wikimedia Commons

China e Paquistão reforçam relações bilaterais


A visita do ministro das relações exteriores chinês Wang Yi a Islamabad, em que encontrou-se com o presidente Mamnoon Hussain e o primeiro ministro Nawaz Sharif, reforçou a cooperação entre os países. Sharif chegou a afirmar que as boas relações com a China são a principal característica da política externa paquistanesa. Durante o encontro, Wang confirmou que o presidente chinês Xi Jinping visitará o país nos próximos meses. Um dos principais temas da coopearção entre os dois países limítrofes é estabilização do Afeganistão. A parceria com o Paquistão é fundamental para os projetos da Nova Rota da Seda e para a Rota da Seda Marítima, de grande interesse chinês.

O ministro das relações exteriores chinês, Wang Yi. Foto: U.S. Department of State

O ministro das relações exteriores chinês, Wang Yi.
Foto: U.S. Department of State

Por que terroristas chineses estão atacando estações de trem?


Na China, a decisão de separatistas uigures atacarem estações de trem tem grande valor simbólico e estratégico. Mudança de tática – que agora inclui alvos civis – objetiva investir contra o projeto chinês da Nova Rota da Seda bem como de maior integração de Xinjiang ao resto da China.

Foto: Wikimedia Commons.

Foto: Wikimedia Commons.

(mais…)

Problemas na Nova Rota da Seda


O pivô chinês para o ocidente (Ásia Central e Meridional), cuja personificação é a Nova Rota da Seda, vem encontrando diversos obstáculos no caminho. Recentes atos terroristas na província Xinjiang demonstram a dificuldade de lidar com o terrorismo em solo chinês. Além disso, na rota China-Paquistão, terrorismo também é um problema no lado paquistanês.

Mapa: Indian Strategic Studies.

Mapa: Indian Strategic Studies.

(mais…)

China e Paquistão projetam novo “corredor econômico”


Em visita do presidente paquistanês Mamnoon Hussain a Pequim, China e Paquistão solidificam os planos de criar um novo corredor econômico entre os dois países. O projeto faz parte de uma estratégia chinesa mais ampla de desenvolver uma nova rota da seda na Ásia e de desenvolver suas regiões ocidentais.

Mapa: Indian Strategic Studies.

Mapa: Indian Strategic Studies.

(mais…)

China dará US$ 6,5 bilhões ao Paquistão para construção de usina nuclear


China comprometeu-se com o financiamento de 6,5 bilhões de dólares para a construção de uma grande usina nuclear na cidade portuária paquistanesa de Karachi. País procura fortalecer os laços com o Paquistão, parceiro estratégico de longa data.

Nawaz Sharif. Fonte: Reuters / Dinuka Liyanawatte.

Nawaz Sharif. Fonte: Reuters / Dinuka Liyanawatte.

(mais…)

China assume porto de Gwadar no Paquistão após desistência de Cingapura


Imagem: n.i.

China set to run Gwadar port as Singapore quits

Asia Times – 05/09/2012 – por Syed Fazl-e-Haider

KARACHI – China will take over the Pakistan’s strategically located Gwadar Port in southwestern Balochistan after Singapore decided to pull out of a 40-year port management and development contract signed in 2007.

Port of Singapore Authority (PSA) and its partners – Aqeel Kareem Dedhi (AKD) Group of Karachi and the National Logistic Cell (NCL) – are ready to sell their share of Gwadar Port to China Harbour Engineering Co Ltd (CHEC), a state-owned company, and have been allowed to quit the Gwadar Port’s development contract after the government failed to transfer 584 acres (236. 3 hectares) of land under possession of the Pakistan Navy for the free zone at the port. (mais…)