Relações Síria-Turquia

Turquia dispara contra Exército Sírio


O Exército Sírio afirmou no último sábado (28/11) que a Turquia disparou contra suas forças com artilharia. Também acusou Ancara de ter aumentado o fornecimento de armas e equipamentos para terroristas na Síria e também de fornecer armamentos ao grupo terrorista “Estado Islâmico” em troca de petróleo.

473565_img650x420_img650x420_crop

Foto: AP Photo.

Anúncios

Síria acusa Turquia de fomentar terrorismo


O governo da Síria acusou na quarta-feira (29/07) a Turquia de dar suporte ao terrorismo que tem prejudicado sua estabilidade nacional. O Ministério dos Negócios Estrangeiros do país enviou cartas à Secretaria-Geral e ao Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), afirmando que a Turquia tem apoiado rebeldes na guerra civil no seu país nos últimos quatro anos através da proteção de terroristas filiados ao “Estado Islâmico” e à Frente Al Nusra, ramo da Al Qaeda na Síria.

Foto: AFP / Amr Radwan Al-Homsi.

Foto: AFP / Amr Radwan Al-Homsi.

Em reunião extraordinária, OTAN declara apoio à Turquia em combate ao EI


Em reunião extraordinária nesta terça-feira (28/07), a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) declarou apoio à Turquia no combate aos militantes do “Estado Islâmico” na Síria e no Iraque. A reunião, que ocorreu em Bruxelas e durou cerca de 90 minutos, contou com o pedido de auxílio militar da Turquia aos 27 aliados membros da Organização. Contudo, diversas nações europeias alertaram seu interesse nas negociações de paz com o povo curdo, processo que pode ser prejudicado caso a Turquia continue atacando posições curdas na região.

Secretário-Geral da OTAN Jens Stoltenberg. Foto: Reuters, Francois Lenoir.

Secretário-Geral da OTAN Jens Stoltenberg. Foto: Reuters / Francois Lenoir.

Acordo entre EUA e Turquia cria “zona de segurança” na fronteira com a Síria


Turquia e Estados Unidos firmaram neste domingo um acordo que estabelece uma “zona de segurança” de facto na fronteira da Turquia com a Síria, acordo que deve aumentar de maneira significativa a presença das Forças Armadas estadunidenses na região. Caso isso se concretize as forças estadunidenses estarão localizadas bastante próximas a bases militares do governo sírio e de grupos vinculados ao “Estado Islâmico”. A presença também deve conceder uma vantagem determinante para a oposição do governo sírio. No entanto, de acordo com declaração do primeiro-ministro turco Ahmet Davutoglu, a Turquia compromete-se a não enviar tropas ao país vizinho, afirmando que sua principal política é manter os militantes do “Estado Islâmico” distantes de suas regiões de fronteira.

Foto: Murad Sezer, Reuters.

Foto: Murad Sezer / Reuters.

Síria acusa Turquia de agressão


A Turquia realizou operação que invadiu território sírio, o que foi denunciado pelo governo de Damasco. Cerca de 600 soldados de elite turcos entraram em território sírio durante a noite para resgatar 40 soldados turcos encurralados pelo “Estado Islâmico”. Cerca de 40 tanques também entraram em território sírio durante a operação.

Foto: picture-alliance / AP Photo / B. Ozbilibi

Foto: picture-alliance / AP Photo / B. Ozbilibi

A evoução da estratégia turca para a Síria


A estratégia do presidente turco Recep Tayyip Erdogan na crise síria evoluiu em várias direções desde 2011. No princípio, Erdogan apoiou o regime de Assad, para depois combatê-lo ao cooperar com rebeldes como o Exército Livre da Síria. Aaron Stein analisa essa evolução, que configurou-se como uma sucessão de tentativas fracassadas de garantir os interesses turcos no território sírio, que geravam um reposicionamento de Ancara. Stein relata que, em dado momento, Erdogan chegou a apoiar a Frente Al-Nusra, grupo relacionado à Al-Qaeda e que hoje luta lado a lado com o “Estado Islâmico”.

Recep Tayyip Erdogan Foto: Umit Bektas / Courtesy Reuters

Recep Tayyip Erdogan
Foto: Umit Bektas / Courtesy Reuters