Rússia

EUA propõe maior cooperação com a Rússia na Síria


Obama propôs um novo acordo de cooperação militar entre Estados Unidos e Rússia para a situação na Síria. Segundo essa proposta, Washington e Moscou operariam em bombardeios aéreos conjuntos contra a Frente al-Nusrah (o braço da al-Qaeda na Síria) em troca de pressões russas pelo cessar dos bombardeios do governo sírio sobre alguns grupos rebeldes. Contudo, funcionários do corpo diplomático estadunidense e o próprio Ministro da Defesa se mostraram contrários à iniciativa, alegando que os bombardeios não enfraqueceriam a al-Nusrah e ainda beneficiariam as forças de Assad na guerra civil.

Imagem: Fotolia / viperagp.

Imagem: Fotolia / viperagp.

Anúncios

Rússia envia porta-aviões para a Síria


A Rússia está enviando seu único porta-aviões para a Síria a fim de combater o “Estado Islâmico” naquele país. Chamado de “Almirante Kuznetsov”, o navio carregará ao menos 15 caças e dez helicópteros de ataque. O porta-aviões deve ficar estacionado no leste do mar Mediterrâneo pelo menos até fevereiro de 2017.

Foto: Arquivo / AP via Sputnik.

Rússia e Finlândia discutem medidas de distensão no Báltico


Os presidentes da Rússia e da Finlândia, Vladimir Putin e Sauli Niinisto respectivamente, encontraram-se nesta sexta-feira (01/07) para discutir medidas de distensão no Báltico. Niinisto e Putin concordaram em desenvolver medidas de segurança para controlar voos militares na região, na qual, nos últimos meses, têm ocorrido cada vez mais casos de provocação de caças da OTAN e da Rússia. Para evitar confrontos, a Finlândia sugeriu que não se desliguem os transponders das aeronaves; Putin concordou e vai levar a sugestão para a próxima reunião do país com a OTAN. Putin advertiu que tomará as medidas necessárias para responder a uma eventual entrada da Finlândia na OTAN.

Putin e Niinisto (D). Foto: Alexei Druzhinin / Sputnik via RT.

Turquia e Rússia reaproximam-se


Esta semana, a Turquia e a Rússia reaproximaram-se após Ancara ter pedido desculpas por ter abatido um caça russo próximo a fronteira sírio-turca. Em conversa de telefone, o presidente turco, Recep Erdogan, e o presidente russo, Vladimir Putin, concordaram em se encontrar pessoalmente para tratar de restaurar as relações diplomáticas, que estão congeladas desde o incidente.

Imagem: AFP via BBC.

Rússia e China firmam novos acordos bilaterais


Em visita a Pequim, o presidente russo Vladimir Putin e o presidente chinês Xi Jinping firmaram mais de 30 novos acordos bilaterais. Entre as áreas temáticas, estão investimentos em infraestrutura, comércio, tecnologia e inovação, agricultura, finanças e internet. Embora tenha havido uma desaceleração da parceria entre Rússia e China, ambos os países notaram o seu sucesso estratégico. Xi Jinping afirmou ainda que os dois países “deveriam promover a ideia de serem amigos para sempre”.

Foto: Getty Images / G. Baker via DW.

Índia e Paquistão devem se tornar membros da OCX


Em reunião da Organização para a Cooperação de Xangai (OCX) na capital do Uzbequistão, Tashkent, esta semana (23-24/06), Índia e Paquistão ficaram mais próximos de tornarem-se membros do bloco liderado por China e Rússia. O presidente russo Vladimir Putin afirmou esperar que já em 2017 ambos os países possam ser membros plenos da OCX. Também abriram-se chances de que o Irã venha a fazer parte da organização.

Delegação paquistanesa na reunião da OCX em Tashkent. Foto: APP.

Rússia deve instalar mísseis nucleares em Kaliningrado até 2019


Segundo matéria da Reuters, a Rússia deve instalar mísseis nucleares no enclave de Kaliningrado até 2019 como resposta à ativação do escudo antimísseis balísticos dos EUA na Europa. O posicionamento de mísseis armados com ogivas nucleares também pode ocorrer na Crimeia, território anexado pela Rússia em 2014.

Foto: Sergei Karpukhin / Reuters.

Rússia deve testar motor nuclear para espaçonaves até 2018


A Rússia planeja testar um motor nuclear para foguetes espaciais até 2018, afirmou Sergey Kiriyenko, presidente da companhia estatal de pesquisa nuclear Rosatom. Um sistema de propulsão nuclear poderia realizar viagens até Marte em cerca de 6 semanas – comparados com os 18 meses dos sistemas atuais-. Além disso, o motor nuclear aumentaria as capacidades de manobra e de aceleração. O projeto foi lançado em 2010 e tem um custo estimado de US$ 274 milhões.

Foto: Sputnik

Putin defende criação de sistema “não alinhado” para combater terrorismo internacional


O presidente da Rússia, Vladimir Putin, afirmou que seu país está disposto a criar um sistema internacional de segurança “não alinhado” para combater o terrorismo global. Discurso foi realizado nesta segunda-feira (09/05), durante comemoração dos 71 anos do fim da Segunda Guerra Mundial. Segundo Putin, o conflito mostrou que os “padrões duplos” são inaceitáveis.

Foto: Grigoriy Sisoev / Sputnik

EUA e Rússia monitorarão juntos o cessar-fogo na Síria


Nesta semana, o secretário de Estado dos Estados Unidos, John Kerry, anunciou que EUA e Rússia monitorarão conjuntamente o acordo de cessar-fogo na Síria, ainda que à distância. Segundo Kerry, oficiais russos e estadunidenses, os quais estarão baseados em Genebra, utilizarão os mesmos recursos e infraestrutura para assegurar uma implementação clara da trégua no conflito sírio, incluindo a cidade de Aleppo, onde recentemente houve ataques de rebeldes a civis.

Hospital em Aleppo após bombardeio de rebeldes. Foto: SANA via AP.

Shinzo Abe encontra-se com Putin para discutir disputa por ilhas e tratado de paz


O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, encontrou-se com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, nesta sexta-feira (06/05) na cidade russa de Sochi para promover o diálogo bilateral e discutir sobre o tratado de paz entre os dois países para findar formalmente a Segunda Guerra Mundial e sobre a disputa pelas ilhas Kurilas. A Rússia recusa-se a tratar dos dois temas conjuntamente, mas o Japão espera conseguir flexibilizar essa posição prometendo altos investimentos na economia russa, especialmente no setor energético. Tóquio procura diminuir sua dependência de hidrocarbonetos oriundos do Oriente Médio.

Shinzo Abe (E) e Vladimir Putin. Foto: AFP / JIJI.

Escudo antimíssil da OTAN entra em operação


Esta semana o sistema de defesa antimísseis da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) entrou em operação na Europa oriental. Bases na Romênia e na Polônia foram ativadas nesta quinta (05/05) e sexta-feira (06/05), respectivamente. Fato, juntamente com a decisão de aumentar presença de tropas no leste europeu, evidencia uma nova postura da OTAN de enfrentamento com a Rússia. Moscou critica duramente o escudo antimísseis da aliança, pois, segundo o Kremlin, sua razão de ser — originalmente o Irã — já não existe após o acordo com Teerã e porque o sistema poderia ser usado de maneira ofensiva, para atacar território russo. O governo polonês suspeita que a Rússia responda à medida com o envio de mísseis nucleares ao enclave de Kaliningrado.

Infográfico: Estonian World.

 

Rússia promete responder ao fortalecimento da OTAN no leste da Europa


A Rússia prometeu responder à altura após a notícia desta semana de que a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) estaria cogitando estacionar tropas terrestres nos países bálticos e na Polônia. Moscou disse que poderia reforçar seus flancos sul e oeste com três novas divisões até o final do ano, reequilibrando, assim, as forças no leste europeu.

Foto: Alexander Zemlianichenko / Reuters.

OTAN considera estacionar tropas nos países bálticos


Nesta segunda-feira (02/05), o Secretário de Defesa dos EUA, Ashton Carter, afirmou que a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) está considerando estacionar tropas terrestres nos países bálticos, e possivelmente também na Polônia, em resposta à crescente assertividade da Rússia na região. A aliança estaria cogitando enviar cerca de quatro batalhões, o equivalente a 4 mil soldados. Esse contingente se somaria aos 4.200 soldados estadunidenses já alocados na região.

Alm. John Richardson. Foto: AP / Manuel Balce.

China e Rússia aumentarão número de exercícios militares conjuntos em 2016


A China e a Rússia concordaram em aprofundar a cooperação militar e realizar mais exercícios militares conjuntos em 2016 do que nos anos anteriores, anunciaram os ministros da Defesa dos dois países nesta quarta-feira (27/04). Tanto exercícios terrestres quanto navais estão previstos.

Foto: kremlin.ru

 

Assembleia Nacional da França apoia o fim de sanções contra a Rússia


Nesta quinta-feira (28/04), a Assembleia Nacional da França aprovou uma resolução da oposição com o apelo para abolir as sanções europeias contra a Rússia. Dos 101 deputados, 55 votaram a favor da medida. A União Europeia introduziu as suas sanções econômicas em relação à Rússia em 2014.

Foto: Charles Platiau / Reuters

Rússia e OTAN voltam a se reunir após dois anos


Na última quarta-feira (20/04), o Conselho Rússia-Otan se encontrou pela primeira vez em dois anos. Após a crise na Ucrânia e a anexação da Crimeia, a cooperação entre a Organização do Tratado do Atlântico Norte e Moscou foi suspensa. Os principais temas discutidos foram a situação na Ucrânia e no Afeganistão, além da necessidade de se aumentar a transparência das atividades militares.

Foto: AP

Países exportadores de petróleo não conseguem acordo para congelar a produção


Neste domingo (17/04), 18 países não conseguiram atingir um consenso sobre o congelamento da produção de petróleo. Representantes dos membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) e de países como a Rússia se reuniram com o fim de acalmar os mercados internacionais. A principal razão do desacordo sobre o congelamento seria a recusa do Irã de participar na medida, já que sua produção vem aumentando após o fim das sanções internacionais.

Foto: Ibraheem Al Omari / Reuters

Irã recebe primeiro lote do S-300 da Rússia


Os primeiros lotes do sistema de mísseis S-300 chegaram da Rússia no Irã, afirmou o ministro das Relações Exteriores deste país nesta segunda-feira (11/04). O negócio, estimado em US$ 900 milhões, foi retomado após o fim das sanções internacionais à Teerã. O S-300 é um sistema de defesa antiaérea de longo alcance. Agências de notícias russas afirmam que o transporte das armas será realizado via Mar Cáspio.

Jaber Ansari, Ministro das Relações Exteriores do Irã Foto: EPA

Intervenção na Síria deve alavancar exportação de armamentos da Rússia


A intervenção da Rússia na Síria deve aumentar a venda de armamentos russos em bilhões de dólares, segundo diversos analistas. Países como Argélia, Indonésia e Paquistão já demonstraram interesse por equipamentos russos, notadamente pelos aviões Sukhoi. Além destes, também se destacaram na Síria helicópteros de ataque, mísseis e sistemas de defesa antiaérea.

Foto: Tass / Barcroft Media

Rússia enviará sistema de mísseis para as Ilhas Curilas e planeja nova base naval


A Rússia enviará sistemas de mísseis de defesa costeira para as Ilhas Curilas. Anúncio foi realizado pelo ministro da Defesa do país, Sergei Shoigu, na última sexta-feira (25/03). Além dos mísseis e de drones, Moscou também planeja expandir a infraestrutura militar no arquipélago, inclusive com a construção de uma base naval. O Japão, que reivindica a soberania sobre algumas ilhas, protestou contra a possibilidade de uma base naval russa no arquipélago. 

Foto: Vyacheslav Oseledko / AFP / Getty Images

O legado russo na Síria


Segundo análise da Stratfor, a Rússia está de fato retirando suas forças da Síria, conforme anunciado pelo presidente Putin no dia 14/03. No entanto, imagens de satélite mostram que o legado russo no país é significativo: muita infraestrutura militar foi e segue sendo construída. Além disso, algumas forças russas permanecem na Síria, tais como caças de superioridade aérea, helicópteros e baterias antiaéreas.

Foto: ALEXEY DRUZHININ/AFP/Getty Images

Foto: Alexey Druzhinin / AFP / Getty Images.

(mais…)

Agências espaciais da Europa e da Rússia lançam missão interplanetária


Nesta segunda-feira (14/03), uma missão espacial conjunta da Rússia com a Europa foi lançada. A sonda ExoMars, resultado da colaboração entre a russa Roscosmos e a Agência Espacial Europeia (ESA, em inglês), investigará a atmosfera de Marte e procurará por sinais de vida no planeta. A sonda deve chegar ao seu destino dentro de oito meses. É a primeira missão interplanetária realizada em conjunto entre as agências dos dois países.

Foto: Shamil Zhumatov / Reuters

Vladimir Putin anuncia início da retirada das tropas russas da Síria


O presidente da Rússia,  Vladimir Putin, ordenou nesta segunda-feira (14/03) o início da retirada da maioria das forças russas da Síria. Segundo o líder russo, a intervenção, que iniciou em setembro de 2015, atingiu seu objetivo. O país não deu prazos para finalizar a retirada, mas afirmou que continuará operando suas instalações militares em território sírio. A medida coincide com o início das negociações de paz nesta terça-feira (15/03) em Genebra.

Foto: Mikhail Klimentyev / AP

Rússia construirá centro de pesquisa nuclear na Bolívia


A Bolívia anunciou no último domingo (06/03) um acordo com a estatal russa Rosatom para a construção do primeiro centro de pesquisa nuclear no país. O investimento é estimado em mais de US$ 300 milhões. O centro será usado para fins médicos e para o desenvolvimento e investigação científica com fins pacíficos. O acordo ainda precisa ser ratificado pelo Congresso.

Foto: Reuters

Arábia Saudita e Rússia concordam em congelar produção de petróleo


Na terça-feira (16/02), a Arábia Saudita e a Rússia, além de Qatar, Kuwait e Venezuela, chegaram a um acordo para congelar a produção de petróleo se outros grandes produtores aceitarem o mesmo. A medida busca aumentar o preço da mercadoria globalmente. O Irã não se comprometeu a congelar sua produção, enquanto o Iraque demonstrou-se favorável.

88307273_88307194

Foto: Reuters.

EUA e Rússia anunciam cessar-fogo na Síria


Os Estados Unidos e a Rússia chegaram a um novo acordo de cessar-fogo para a Síria, anunciado na segunda-feira da semana passada (22/02) e que entrou em vigor no sábado (27/02). A decisão não inclui o fim dos ataques contra o grupo autodenominado “Estado Islâmico” (EI) e a Frente al-Nusra, filiada à Al Qaeda. Segundo um líder de um grupo de oposição síria, a trégua deve ter uma duração inicial de duas semanas, com a possibilidade de ser prolongada “indefinidamente”.

019060647_30300

Foto: picture-alliance / dpa / I. Pitalev.

Rússia afirma que tensões com o Ocidente se comparam à Guerra Fria


O primeiro-ministro da Rússia, Dmitry Medvedev, afirmou neste sábado (13/02) que as tensões entre seu país e o Ocidente atingiram níveis comparáveis à Guerra Fria, principalmente devido à divergências na Ucrânia e na Síria. Medvedev considerou ainda, em fala na Conferência de Segurança de Munique, que a Rússia deve ser considerada um parceiro para enfrentar problemas internacionais, como o terrorismo. O ministro também criticou a política expansionista ocidental e as sanções impostas a Moscou.

Medvedev. Foto: Reuters / M. Dalder.

Turquia acusa Rússia de violar seu espaço aéreo novamente


Neste sábado (30/01), a Turquia acusou a Rússia de invadir novamente o seu espaço aéreo e enviou alertas a Moscou pelo “comportamento irresponsável”. O episódio teria ocorrido na sexta-feira (29/01); porém a Rússia negou a acusação e afirmou que Ancara está fazendo “propaganda infundada”.

Foto: Alan wilson / Flickr CC.

EUA e Rússia próximos de consenso sobre oposição síria


A Rússia e os Estados Unidos estão próximos de atingir um consenso sobre quais grupos de oposição devem ser representados nas negociações para encerrar a guerra civil na Síria. Segundo fontes anônimas, Moscou aceitou a presença de delegação da mílicia islâmica Jaysh al-Islam (Exército do Islã), apoiada por Washington, em troca de poder convidar outro grupo sem objeção deste.

Sergei Lavrov e John Kerry (D). Foto: Jacquelyn Martin / Reuters.