serviço de inteligência

O sistema de inteligência da China (1927–2015)


Confira aqui a monografia da pesquisadora do ISAPE, Júlia Rosa, sobre o sistema de inteligência da China de 1927 a 2015. O trabalho trata do papel do Sistema Nacional de Inteligência chinês nas disputas de poder e na consolidação de novas lideranças dentro do Partido Comunista Chinês. Com base na conexão entre as mudanças institucionais do aparato de inteligência da China e a história do país e de suas lideranças, nota-se que as disputas de poder internas são mais claras antes da década de 1980 e visíveis nas alterações do aparato de inteligência, enquanto tornam-se mais difusas após o fim da Guerra Fria — ainda que o governo de Xi Jinping (eleito em 2012) possa indicar uma retomada do uso do Sistema Nacional de Inteligência para centralizar o poder.

Ministério de Segurança do Estado da China. Foto: Huffington Post.

Diretor da CIA pede mais cooperação com a Rússia contra EI


Na última segunda-feira (16/11), John Brennan, diretor da CIA, agência de inteligência dos EUA, pediu por um aprofundamento das relações de inteligência com a Rússia. Para Brennan, o combate ao grupo “Estado Islâmico” precisa de uma “cooperação sem precedentes” entre as agências de inteligência de todo o mundo.

1014962079

Foto: AP / Carolyn Kaster.

Capacidades terroristas subestimadas e fracassos de inteligência


O Ocidente subestimou as capacidades de realizar atentados terroristas do grupo “Estado Islâmico” (EI). Países como a França e a Rússia não levaram em conta os enormes recursos humanos e econômicos disponíveis para o EI e outros grupos terroristas. Especificamente, a inteligência iraquiana havia alertado diversos países, principalmente a França, da possibilidade de um ataque terrorista um dia antes dos atentados de Paris. Também, a complexidade das operações de sexta-feira (13/11) demonstraria um grande fracasso dos serviços europeus de inteligência.

1030082792

Foto: AFP / Pierre Constant.

Fraude em relatórios de inteligência nos EUA


Mais de 50 analistas de inteligência do Comando Central militar dos Estados Unidos denunciaram que seus relatórios sobre os grupos terroristas “Estado Islâmico” e Al-Nusra (o braço da Al-Qaeda na Síria) têm sido modificados por oficiais superiores. As alterações seriam feitas para alimentar a visão pública de que as intervenções contra os grupos estariam tendo um efeito maior e mais efetivo do que o real.

Foto: Casa Branca.

Foto: Casa Branca.

Brasil está há duas décadas sem política nacional de inteligência


Na última terça-feira (14/07), em audiência pública da Comissão Mista de Controle das Atividades de Inteligência (CCAI), três especialistas da área cobraram do Congresso Nacional a aprovação de uma lei que institua a Política Nacional de Inteligência, além do recebimento de mais recursos para a atividade de inteligência brasileira. De acordo com suas avaliações, o país precisa de uma legislação que regule a atividade de inteligência em toda a esfera pública, incluindo procedimentos corriqueiros e estabelecendo as devidas divisões entre as atividades destinadas à União, à segurança pública e à inteligência tributária, pois o país estaria há 20 anos sem tal instrumento.

Foto: Ana Volpe, Agência Senado.

Foto: Ana Volpe / Agência Senado.

ONGs estrangeiras impedem desenvolvimento da Índia, segundo agência de inteligência


Em relatório ao primeiro-ministro Narendra Modi, o serviço de inteligência da Índia apontou que organizações não governamentais (ONGs) financiadas por países ocidentais — tais como Reino Unido, Holanda, Estados Unidos e Alemanha, entre outros — impediram o crescimento do PIB indiano entre 2 e 3% ao ano entre 2011 e 2013. O relatório diz que ativistas entraram ativamente em “campanhas de retardamento do crescimento”, impedindo grandes obras de infraestrutura e extração de recursos naturais. Desde que Modi assumiu o governo do país, cerca de 9.000 ONGs teriam sido fechadas na Índia.

Foto: Manjunath Kiran / Getty Images.

Inteligência francesa descarta que Rússia esteja se preparando para invadir a Ucrânia


Em depoimento à Assembleia Nacional da França, o General Christophe Gomart, chefe da Direction du renseignement militaire (DRM) — agência de inteligência militar francesa –, declarou que não há indícios em campo de que a Rússia esteja se preparando para invadir a Ucrânia. Gomart questionou a versão oficial da OTAN de que havia preparativos para um ataque russo em território ucraniano desde antes do início da crise. O general também criticou a contenção de gastos em agências de inteligência europeias, o que faz com que os aliados da OTAN tenham de se basear unicamente em informações dos EUA.

Gen. Christophe Gomart. Foto: Catena Umana.

Rei da Arábia Saudita nomeia novo chefe de inteligência


O rei da Arábia Saudita, Abdullah bin Abdulaziz al-Saud, nomeou o Príncipe Khaled bin Bandar como chefe de inteligência três meses depois que seu antecessor, encarregado de apoiar os rebeldes sírios contra o presidente Bashar al-Assad, foi demitido. Ex-soldado, Khaled bin Bandar atuou no último ano como vice-ministro da Defesa e governador de Riad, um dos papéis mais importantes ocupados por altos membros da família dominante na monarquia absoluta.

Foto: Reuters

Foto: Reuters

(mais…)

USAID: uma agência de inteligência?


Após o vazamento da notícia de que o governo dos Estados Unidos criou secretamente uma rede social para estimular dissidência política em Cuba, vários outros casos mostram que a USAID tem uma longa história de tentativas de interferência em assuntos internos de países, incluindo Rússia, Venezuela e Bolívia.

Foto: USAID.

Foto: USAID.

(mais…)

Cúpula de inteligência do Exército colombiano cai após denúncias de espionagem clandestina


Após a imprensa colombiana ter revelado que militares teriam montado centro ilegal para vigiar membros do governo que negociam a paz com as FARC, o Ministério da Defesa da Colômbia realizou mudanças na chefia de inteligência das Forças Armadas do país.

Foto: Efe.

Foto: Efe.

(mais…)

Colômbia e Venezuela destacam trabalho conjunto para prender chefão do tráfico


Colômbia e Venezuela destacam trabalho conjunto para prender chefão do tráfico

19 de setembro 2012 – Opera Mundi

Ministro venezuelano também condenou as críticas dos EUA sobre o trabalho de seu país em relação ao narcotráfico

Autoridades venezuelanas capturaram nesta terça-feira (18/09) o narcotraficante colombiano Daniel Barrera, conhecido como “Loco Barrera” e um dos mais procurados no mundo. A informação foi confirmada pelo presidente colombiano, Juan Manuel Santos, em rede nacional de rádio e TV.

Santos afirmou que a operação foi dirigida desde Washington e contou com ajuda da inteligência britânica (M 16), norte-americana (CIA) e com a ONA (Oficina Nacional Antidroga da Venezuela). Loco Barreto foi tranferido para Caracas nesta quarta-feira (19/09) para ser interrogado. (mais…)