Turquia

Turquia suspende tratado de direitos humanos


Nesta quinta-feira (21/07), a Turquia anunciou a suspensão da Convenção Europeia de Direitos Humanos durante o estado de emergência, decretado no dia anterior pelo presidente Recep Tayyip Erdogan e aprovado pelo Parlamento. Segundo o governo turco, a suspensão do tratado de 1953 será “como na França”, referindo-se a medidas relacionadas ao estado de emergência francês por causa de recentes atentados terroristas. Oposição política turca condena essas medidas e denuncia que o governo de Erdogan encaminha-se para uma autocracia.

Foto: C. McGrath / Getty Images.

Anúncios

Governo da Turquia suspende 15 mil funcionários do Ministério da Educação


Nesta terça-feira (19/07), o governo da Turquia afastou mais de 15 mil funcionários do Ministério da Educação. O governo afirma que os afastados são suspeitos de participarem da tentativa de golpe e de integrarem a rede de seguidores de Fethullah Gülen, acusado por Ancara de ser um líder terrorista. Oficiais do governo e do Serviço de Inteligência da Turquia (MIT) também foram afastados. Além disso, foram revogadas as licenças de 21 mil professores que trabalham em instituições particulares. O governo também exigiu a renúncia de todos os reitores de universidades do país (cerca de 1.577) e fechou diversos canais de comunicação.

Foto: picture-alliance / abaca

Turquia e Rússia reaproximam-se


Esta semana, a Turquia e a Rússia reaproximaram-se após Ancara ter pedido desculpas por ter abatido um caça russo próximo a fronteira sírio-turca. Em conversa de telefone, o presidente turco, Recep Erdogan, e o presidente russo, Vladimir Putin, concordaram em se encontrar pessoalmente para tratar de restaurar as relações diplomáticas, que estão congeladas desde o incidente.

Imagem: AFP via BBC.

Atentado terrorista deixa pelo menos 10 mortos no aeroporto de Instambul


Nesta terça-feira (28/06), duas explosões deixaram pelo menos 10 mortos e dezenas de feridos no aeroporto Internacional Atatürk de Istambul, na Turquia. Agências de notícias turcas afirmam que dois suspeitos tentaram entrar no terminal internacional, e após trocarem tiros com a polícia, ativaram as bombas.

Foto: Osman Orsal / Reuters

Turquia e Israel normalizam relações diplomáticas


Este domingo (26/06), Turquia e Israel anunciaram a normalização das relações diplomáticas bilaterais. Reconciliação ocorre seis anos depois de Israel ter atacado uma flotilha humanitária turca no mar Mediterrâneo. O acordo prevê o retorno dos embaixadores às capitais e o pagamento de uma indenização no valor de 20 milhões de dólares às famílias dos cidadãos turcos mortos. A Turquia também poderá retomar a provisão de recursos humanitários para Gaza e a construção de infraestrutura. O acordo pode ter impactos na guerra síria e facilitar um acordo para provisão de gás.

Benjamin Netanyahu. Foto: Giuseppe Lami / AP.

Atentado em Istambul deixa 11 mortos e dezenas de feridos


Nesta terça-feira (07/06), a explosão de um carro-bomba em Istambul, na Turquia, deixou 11 mortos e dezenas de feridos. É o quarto atentado na cidade este ano. A bomba explodiu enquanto um ônibus com policiais passava pelo local, matando sete deles. Nenhum grupo assumiu a autoria do ataque, mas o presidente Recep Tayyip Erdogan acusou militantes curdos de serem os responsáveis.

Foto: Reuters

Parlamento alemão reconhece massacre armênio como genocídio


Na última quinta-feira (02/06), o parlamento alemão — também conhecido como Bundestag — reconheceu o massacre turco às populações armênias ocorrido durante a Primeira Guerra Mundial como um ato de genocídio. A resolução gerou um deterioramento das relações diplomáticas bilaterais entre Alemanha e Turquia, já abaladas pela atual crise de refugiados. Por um lado, o governo turco respondeu fortemente alegando que a atitude do Bundestag estaria manchando a imagem do país através de decisões irresponsáveis e solicitou o retorno de seu embaixador para a realização de consultas. Por outro, o governo alemão buscou amenizar a situação, declarando que as relações bilaterais de amizade são extremamente importantes para o país.

Foto: n.i.

Aliado de Erdogan é eleito primeiro-ministro da Turquia


Neste domingo (22/05), o Partido da Justiça e Desenvolvimento – partido do presidente da Turquia e que possui maioria parlamentar- elegeu Binali Yildirim como seu novo líder e primeiro-ministro do país. Yildirim é aliado do presidente Recep Tayyip Erdogan, assumindo após o último primeiro-ministro ter deixado o cargo depois de uma disputa com este. Analistas afirmam que ele deve apoiar uma reforma constitucional dando mais poder para Erdogan.

Foto: Burhan Ozbilici / Associated Press

 

Parlamento turco aprova fim da imunidade parlamentar


Na última sexta-feira (20/05), o Parlamento da Turquia aprovou o fim da imunidade parlamentar. A emenda constitucional teve 376 dos 550 votos, a maioria sendo do partido Partido da Justiça e Desenvolvimento, o mesmo do presidente Recep Tayyip Erdogan. Opositores da lei afirmam que esta, além de aumentar os poderes presidenciais, será utilizada para retirar o mandato de deputados curdos, sob a justificativa de que eles “apoiam o terrorismo”.

Foto: Umit Bektas / Reuters

Premiê da Turquia renuncia após conversas com Erdogan


Nesta quinta-feira (05/05), Ahmet Davutoglu, primeiro-ministro da Turquia, anunciou a sua renúncia ao cargo e à liderança de seu partido, o AKP (Partido da Justiça e Desenvolvimento). Decisão teria sido tomada após conversas com o presidente do país, Recep Erdogan. A renúncia vem após a piora das relações entre ambos. Erdogan teria perdido a confiança no premiê para a realização de uma reforma política no país, que passaria do sistema parlamentarista para presidencialista segundo a proposta do presidente.

Davutoglu. Foto: Efe.

Sobre o acordo entre Turquia e União Europeia para conter fluxo de refugiados


Em artigo publicado no Grupo de Estudos sobre Conflitos Internacionais (GECI), Mariana Bernussi e Willian Moraes Roberto analisam os motivos que levaram ao recente acordo entre União Europeia e a Turquia para conter o fluxo de refugiados. A UE, passando por diversas crises, teria apelado ao tratado com Ancara para responder pressões internas. Já a Turquia estaria utilizando sua centralidade nas crises atuais para barganhar ganhos, como o apoio europeu à política turca na Síria.

Foto: Patrick Chappatte / NYT

EUA envia aviões de guerra eletrônica para combater o Estado Islâmico


Os Estados Unidos enviou um esquadrão de aeronaves de guerra eletrônica para a base aérea de Incirlik, na Turquia, informaram militares do país nesta quinta-feira (14/04). Os aviões EA-6B Prowler irão participar da campanha contra o grupo “Estado Islâmico”, atacando e minando a sua capacidade de comunicação.

Foto: Jodson B. Graves / U.S. Marines

Turquia e Ucrânia compartilharão tecnologia para construir satélites


A Turquia e a Ucrânia concordaram em compartilhar tecnologia para desenvolver e construir satélites, afirmaram militares turcos. A empresa estatal turca Havelsan e a companhia ucraniana Ukroboronprom assinaram um memorando de entendimento para o desenvolvimento conjunto de satélites. O documento também prevê cooperação na indústria aeroespacial no futuro.

Foto: Adem Altan /AFP / Getty Images

Europa inicia deportação de refugiados para a Turquia


Nesta segunda-feira (04/04), um grupo de 136 migrantes foi deportado da Europa para a Turquia.  Ação marca o início da execução de acordo firmado pela União Europeia e pela Turquia em março. O acordo estabelece que para cada refugiado enviado para território turco pela UE, esta receba outro em contrapartida. Os primeiros 24 refugiados enviados por Ancara já receberam asilo na Alemanha.

Foto: picture-alliance/ DPA/ EPA

Turquia bombardeia alvos curdos no norte do Iraque novamente


Nesta quarta-feira (23/03), a Turquia bombardeou alvos do PKK (Partido dos Trabalhadores do Curdistão) no norte do Iraque novamente, especificamente nas regiões de Hakkurk, Avasin e Basyan. 12 aviões de caça alvejaram supostos abrigos, bunkers e depósitos de munições do grupo curdo, considerado terrorista pela Turquia, pela União Europeia e pelos Estados Unidos.

Foto: DVIDSHUB / Flickr CC.

Acordo entre UE e Turquia para conter fluxo de refugiados entra em vigor


Neste domingo (20/03), entrou em vigor o acordo entre a União Europeia e a Turquia que trata do fluxo de refugiados. As duas partes concordaram que Ancara irá deter o fluxo de imigrantes em troca de recompensas financeiras -cerca de seis bilhões de euros até 2018- e políticas. O acordo gerou polêmica por estabelecer que imigrantes considerados ilegais serão “devolvidos” para a Turquia, com a UE recebendo um refugiado para cada um enviado. As “devoluções” devem começar em 4 de abril e custarão cerca de 300 milhões de euros para o bloco.

Foto: Getty Images/ AFP

Atentado na Turquia deixa 34 mortos, governo ataca curdos em resposta


Neste domingo (13/03), ao menos 34 pessoas morreram e 125 ficaram feridas após um carro-bomba explodir em Ancara, capital da Turquia. Mesmo que nenhum grupo tenha assumido a autoria do atentado, autoridades de segurança turcas atribuíram a responsabilidade ao Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK). Nesta segunda-feira (14/03), o governo turco iniciou uma série de ataques contra posições do PKK no leste do país e no norte do Iraque.

Foto: Str / picture-alliance/ DPA

Turquia e UE chegam a acordo para conter fluxo de refugiados, ONU critica


Nesta segunda-feira (07/03), a Turquia e a União Europeia concordaram nas linhas gerais de um acordo para conter o fluxo de refugiados para a Europa. Caso o acordo seja aprovado, Ancara deve receber “refugiados ilegais” que chegarem ao continente. Em troca, deve receber grande auxílio financeiro e maior facilidade para a obtenção de vistos por turcos. A ONU criticou o pacto, afirmando que a expulsão de refugiados representa uma violação de diversas leis internacionais, como a Convenção Europeia de Direitos Humanos.

Foto: Orestis Panagiotou / EFE

Jornal turco muda linha editorial após intervenção estatal


Após intervenção estatal na sexta-feira (05/03), o Zaman, o maior jornal da Turquia e que fazia oposição ao presidente Recep Tayyip Erdogan, mudou sua linha editorial para uma pró-governo. A publicação deste domingo (06/03) foi considerada por muitos como clara propaganda do governo. Centenas de pessoas protestaram contra a medida e foram reprimidas pela polícia. O governo afirma que ação não é de sua responsabilidade, já que a ação foi decretada pela Justiça.

Foto: A. Altar/ Getty Images/ AFP

Turquia continuará a atacar curdos sírios e planeja intervenção com Arábia Saudita


O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, anunciou nesta quarta-feira (17/02) que os ataques de artilharia contra posições curdas na Síria não serão interrompidos. Os Estados Unidos e outros países já pediram pelo fim das operações, que já duram vários dias. Ainda, Ancara considera uma intervenção em conjunto com a Arábia Saudita na Síria. Riade já anunciou o envio de caças para bases aéreas turcas.

bn-lw558_1228si_m_20151228174419

Erdogan. Foto: Yasin Bulbul / Associated Press.

Turquia acusa Rússia de violar seu espaço aéreo novamente


Neste sábado (30/01), a Turquia acusou a Rússia de invadir novamente o seu espaço aéreo e enviou alertas a Moscou pelo “comportamento irresponsável”. O episódio teria ocorrido na sexta-feira (29/01); porém a Rússia negou a acusação e afirmou que Ancara está fazendo “propaganda infundada”.

Foto: Alan wilson / Flickr CC.

Parte da oposição síria estabelece novas condições para negociações de paz


Nesta quarta-feira (27/01), a Coalizão Nacional Síria, um dos maiores blocos de oposição do país, anunciou que só estaria presente nas negociações de paz do dia 29 se, entre outras condições, os cercos ao redor do país fossem levantados pelo governo de Bashar Al Assad. Isso torna improvável sua participação nas conversas. Além disso, um porta-voz da ONU afirmou que apenas sírios foram convidados para participar, contradizendo a Turquia, que afirmou que “boicotaria” as negociações se os curdos sírios fossem convidados.

f-syriatalks-b-20160128-870x580

Foto: AFP / Jiji.

Mauritânia adquire veículos blindados turcos


A Mauritânia anunciou que adquiriu veículos blindados Otokar Cobra, de fabricação turca, e deve envia-los com um batalhão para a Missão das Nações Unidas na República Centro-Africana (MINUSCA). Veículos estão equipados com armas chinesas.

Imagem: bellewarmedia.com

O enigma do “Estado Islâmico”


Em artigo publicado no jornal Zero Hora (09/01), o professor Paulo Fagundes Visentini questiona os reais motivos e apoiadores do grupo extremista “Estado Islâmico” (EI). Para o autor, o grupo serve para desestabilizar e destruir Estados importantes como o Iraque e a Síria, aliados do Irã. Além do apoio das monarquias petrolíferas e da Turquia, o EI ainda conta com a aquiescência da Europa e dos Estados Unidos.

17869879

Foto: Ahmad Al-Rubaye / AFP.

Atentado deixa 10 mortos na Turquia e governo culpa o EI


Uma explosão causada por um homem-bomba no centro histórico de Istambul, Turquia, nesta terça-feira (12/01), deixou pelo menos dez mortos e 15 feridos, dois dos quais em estado grave. Maioria das vítimas fatais eram alemãs. O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, responsabilizou o grupo “Estado Islâmico” pelo ataque.

018973896_40300

Foto: imago / ZUMA Press.

Turquia desenvolverá satélite nacional


A Turquia anunciou que desenvolverá seu primeiro satélite construído nacionalmente. Programa prevê o primeiro lançamento em 2019 e uma frota de 10 satélites até 2023. Cada unidade tem o custo estimado em US$ 185 milhões, US$ 40 milhões maior que a média dos satélites comprados de outros países. Ancara busca o apoio de estrangeiros para desenvolver o satélite, que segundo oficiais turcos, tem como maiores obstáculos o software, o design e a plataforma.

635878462599388389-dfn-turkey-sat-launch

Foto: Stringer AFP / Getty Images.

Empresas turcas devem competir pelo mercado de defesa saudita


Segundo oficiais turcos, empresas de defesa da Turquia estão buscando ganhar diversos contratos na Arábia Saudita. A companhia FNSS, produtora de veículos blindados, compete para ganhar a licitação no valor de US$ 10 bilhões para o reino sunita. Riade também teria demonstrado interesse no tanque Altay, fabricado pela Otokar, e no drone ANKA, produzido pela TAI. Esses potenciais contratos foram discutidos na visita do presidente turco Recep Tayyip Erdogan à Arábia Saudita no dia 31 de dezembro.

Foto: SPA / AFP.

 

Iraque cogita ação militar contra tropas turcas em seu território


O ministro das Relações Exteriores do Iraque, Ibrahim al-Jaafari, afirmou em entrevista no fim de dezembro (30/12) que a Turquia deve respeitar a soberania iraquiana ou “encarar atos militares”. Tropas turcas estão estacionadas no norte do país desde o início do mês com a justificativa de treinar combatentes contra o grupo “Estado Islâmico”. O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, afirmou que as forças de seu país continuarão no norte do Iraque — apenas com o propósito de treinar forças locais —.

e2d2843a526f4ffe9476073b11118464_18

Foto: Reuters.

Mais de 100 curdos mortos após operações militares na Turquia


Até este domingo (20/12), mais de 100 curdos, supostamente combatentes, morreram em uma grande operação militar do governo. Também somam-se às vítimas dois soldados e cinco civis. Protestos contra essas operações foram reprimidos pelo governo neste domingo. Cerca de 10 mil soldados com apoio de tanques foram enviados para o sudeste da Turquia para tentar eliminar o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) de áreas urbanas.

e2d2843a526f4ffe9476073b11118464_18

Foto: Reuters.

Turquia rejeita qualquer plano de paz que mantenha Assad no poder


O primeiro-ministro da Turquia, Ahmet Davutoglu, rejeitou neste sábado (19/12) qualquer solução para a crise síria que envolva a permanência de Bashar al-Assad, atual presidente sírio, no poder. Davutoglu considera que a manutenção de Assad só trará mais caos para a Síria. Um representante oposicionista ao regime — eleito na Árabia Saudita para representar uma série de grupos nas negociações — também afirmou que não aceitará qualquer proposta que considere Assad na transição política.

b26d213860f64272a145df474735dd98_18

Foto: EPA.